A grande incógnita na disputa eleitoral em Rondônia é sobre a segunda vaga ao Senado. Quem a ocupará? A primeira, pelo menos ao que indicam todas as pesquisas consideradas sérias, já seria do ex governador Confúcio Moura, bem à frente dos demais concorrentes. Coisa, aliás, que todos os que acompanham a política local bem de perto, já anteviam. A partir daí, nada mais se pode dizer como algo concreto, em relação ao nosso segundo senador. Por enquanto, a briga mais árdua é entre Valdir Raupp, do MDB e Fátima Cleide, do PT. Na verdade, os resultados das pesquisas até agora não explicam por si só o que está ocorrendo. Fátima está afastada da política há anos, ficou mais em São Paulo do que em Rondônia durante algum, tempo, mas, mesmo assim, ainda aparece com chances reais de se eleger. Tem a ver com seu partido, o PT, é claro, pela fidelidade do eleitorado. Mas só isso não esclarece tudo. Provavelmente ela foi beneficiada pela série de acusações contra seu principal antagonista, Valdir Raupp. Embora absolvido em todas elas, até agora (em outras, os processos foram para o lixo, por inconsistente) Raupp não recebe, na mídia, quase nenhum espaço para falar de sua inocência. Ao contrário do que ocorreram com as denúncias, que foram amplamente divulgadas. Marcos Rogério, do DEM, cresce lentamente, chegando perto de Fátima. Na reta final, tanto a petista quanto ele, serão os grandes adversários de Raupp, ao que tudo indica. Mas há ainda chances reais  para Carlos Magno e Jesualdo Pires, dois nomes poderosos na região central do Estado. A segunda vaga ao Senado será disputada até o último voto. De quem ela será? 

Tem vários outros bons nomes, entre os demais candidatos, para o eleitor ainda indeciso, escolher para dar seu voto, caso nenhum dos que têm mais chances de chegar lá lhe agrade. Entre as opções, há o vereador e Pastor Edésio Fernandes, que aparece com 5 por cento nas pesquisas. É uma alternativa, assim como Aluízio Vidal, da Rede, que tem a mesma pontuação, segundo o Ibope. Jaime Bagatolli está com 3 pontos. Ele representa o PSL, de Jair Bolsonaro e acha que pode crescer muito mais. Outro nome muito conhecido é o Bosco da Federal, um PF aposentado que garante duríssimo combate à corrupção. Ele tem 2 pontos percentuais, junto com Terrinha, ainda desconhecido, que é o candidato do PMB, o Partido das Mulheres. Dr. José Detonni, (também do PMB); Fabrício Jurado, do Partido Novo; Ted Wilson, do PRTB e Tito Paz, do PSTU, tem apenas 1 ponto. Claro que as chances desses representantes dos pequenos partidos se elegerem é muito pequena, porque a disputa ficará entre os nomes mais conhecidos e com história da política rondoniense. Mas como ainda existem 34 por cento do eleitorado indecisos, em relação às duas vagas ao Senado, muita coisa ainda pode acontecer. A guerra pela segunda vaga ao Senado, portanto, deverá ser uma das mais acirradas na história política do Estado. Veremos se as urnas confirmam o que as pesquisas estão dizendo...

 

 

DEBATE ENTRE AMIGOS

 

Praticamente sem confronto, sem ataques, sem contra ataques. O primeiro debate entre os candidatos ao Governo de Rondônia (foram sete, porque o Coronel Charlon  conseguiu liminar no TRE determinando que ele participasse do evento), foi morno, sem grandes novidades. Quase um encontro de amigos. A exceção foi um bate boca entre os dois coronéis.  Expedito Júnior, Acir Gurgacz, Maurão de Carvalho, Coronel Marcos Rocha, Pimenta de Rondônia, Vinicius Miguel e Charlon protagonizaram  um encontro, no geral, sem emoções. Com exceção de um ou outro momento, os candidatos preferiram falar de suas ideias, projetos e fazer campanha, menos em confrontar seus adversários. O debate da TV Alamanda/SBT (e não Band, como foi publicado nessa coluna!), certamente deu o tom de como os concorrentes ao Governo vão se portar no primeiro turno, principalmente os três primeiros, que têm chances reais de seguir adiante. Expedito, Acir e Maurão evitaram ataques diretos, pois todos estão de olho em alianças para o segundo turno. Os demais concorrentes, que estão muito distantes da possibilidade de chegarem lá (ao menos é o que apontam todas as pesquisas sérias), tentam se manter com algum destaque, querendo pegar o voto dos indecisos. Afora isso, muito pouco mais. O próximo debate está agendado para a SICTV/Record, às 17h50 do próximo dia 28, uma sexta-feira, com mediação da jornalista Meiry Santos. 

 

PESQUISAS CONTINUAM SENDO POLÊMICAS

Enquanto os seguidores de Expedito Júnior comemoram, os de Acir Gurgacz e Maurão de Carvalho contestam os números do Ibope. É a mesma história se repetindo. Os da frente acham as pesquisas sérias e verdadeiras. Todos os demais as consideram falsas, que não retratam a realidade. Partidários de Acir Gurgacz divulgam na mídia que o Ibope jamais acertou pesquisa em Rondônia e os de Maurão acham que o levantamento desta semana ignorou o grande crescimento do candidato, em todas as regiões do Estado. Não há novidades. Realmente o Ibope mais errou que acertou aqui no Estado, mas a história de que o líder acha tudo bom e os demais acham tudo ruim, apenas repete ações do passado. Claro que há muitas nuances, muitos detalhes, muitas alternativas ao eleitor, que as pesquisas não detectam. Mas elas dão um retrato, mesmo que seja em 3x4, da situação do momento. Tudo pode mudar em poucos dias e até em poucas horas (basta algum dos candidatos cometerem um erro grave e, bye bye eleição!), mas a verdade é que, num contexto geral, as pesquisas, principalmente dos grandes institutos, dão sim um rumo de como está a campanha. Erram? Claro que erram, tanto em que Rondônia muito mais erraram que acertaram. Mas o que os candidatos que não aparecem na frente têm que fazer é lutar mais, correr mais atrás do voto, dar mais volume às suas campanhas. Nada ainda está decidido.

 

PRESERVAÇAO: DECISÃO DE BOM SENSO

O site rondonoticias divulgou, segundo ele, com exclusividade, declarações do governador Daniel Pereira, afirmando que não vai assinar o dedreto, ainda do governo Confúcio Moura, que criou onze áreas de preservação em Rondônia. Com o decreto, centenas e centenas de famílias que vivem nessas regiões, algumas delas há décadas, serão retiradas, perdendo tudo o que têm. Daniel teria afirmado que vai enviar novo projeto à Assembleia, determinando um novo e profundo estudo sobre cada uma das onze áreas atingidas. Ele vai determinar nova análise de locais onde há gente produzindo há décadas. E citou especificamente o caso da área do Soldado da Borracha, onde vivem mais de 700 famílias, impedindo que elas sejam atingidas pelas reservas ambientais. A questão envolve os interesses de milhares de pessoas, que serão seriamente prejudicadas, caso a lei seja mantida.  Obviamente que os defensores do meio ambiente, aliados a ONGs e setores do MP e Judiciário, exigem que as reservas sejam mantidas. Mas a partir do Governador rondoniense, a questão será amplamente debatida com a sociedade. Tomara que prevaleça o bom senso e que as pessoas que suam, trabalham e vivem da terra – muitas das quais têm título definitivo dela – não continuem sendo tratadas como criminosos.

 

O  CAMPEÃO MUNDIAL DE VOTOS

O maior recordista em número de eleitores cooptados no menor tempo da História e  entre todas as campanhas presidenciais que se tem notícia no Brasil, não fala mais que seu mentor será solto no primeiro dia em que ele for Presidente. Nem lembra que quando um péssimo ministro da Educação, afirmou que escrever corretamente o Português não é tão importante quanto se comunicar. Nem uma palavra sobre ser um entusiasta da Ideologia de Gênero nas escolas. Esse que se apresenta como o novo Lula, agora é um candidato de centro esquerda, focado apenas no emprego e no apoio aos pobres. Fernando Haddad, que há poucos dias atrás tinha menos de 10 por cento nas intenções de votos, na ultima pesquisa Data Folha (ela mesmo!), saltou para 19 por cento. Mais de onze pontos numa semana. O que se diz na mídia é que os votos de Lula estão sendo transferidos, todos, para ele. Certamente nem o mais otimista dos petistas acredita nisso de verdade. O resultado de tudo isso é que a eleição vai ser entre dois extremistas e o povo terá que escolher entre o menos ruim e o desastroso. Alkmin Picolé de Chuchu, que poderia ser o meio termo, não fala mesmo a linguagem do povo. Insípido, inodoro, incolor. Ciro Gomes é um desastre quando abre a caixa de ferramentas verbais. Marina Silva é um arremedo na corrida presidencial. Álvaro Dias é o melhor dessa turma, mas o eleitor não quer saber dele E João Amoêdo,  a esperança, não sai dos 3 por cento. Enfim, estamos indo para o fundo do poço, infelizmente...

 

TRE PREPARA 16.700 MESÁRIOS

No dia 7 de outubro, mais de 16 mil e 700 rondonienses vão atuar como mesários, nas eleições gerais. São voluntários, em grande número. Apenas em Porto Velho, o maior colégio eleitoral do Estado, dos 640 convocados, nada menos do que 65 por cento, ou 416, são voluntários. Todos os que irão trabalhar em apoio logístico ao TRE, além do treinamento, que já começou, receberão 35 reais como auxílio alimentação e terão vários benefícios, se funcionários públicos, incluindo uma cláusula incrível: em caso de empate em concurso público, eles terão a preferência. Obviamente, mais uma dessas excrescências absurdas, inventadas para separar o brasileiro comum daquele que é servidor. Mas, há que se ressaltar o lado altruísta da participação de tanta gente, que durante um dia inteiro irá se dedicar a controlar as seções eletrônicas, orientando o eleitor quando necessário e participando, de forma efetiva, de um processo democrático que, esperamos, se amplie cada vez mais no nosso país. No Brasil inteiro, o número de mesários vai se aproximar de  1 milhão e 900 mil. Em Rondônia, 1 milhão e 175  mil eleitores estão aptos ao voto em outubro. No país inteiro, serão 147 milhões e 300 mil os que podem ir às urnas.

 

UM JANTAR PARA DERRUBAR DITADOR

Foi um desastre! Nada parecia abalar seu governo ditatorial, mas apenas um jantar, um evento que poderia parecer comum, colocou Nicolás Maduro como vilão ante seu povo e o Mundo inteiro. Tudo porque, enquanto seu país passa fome; metade das crianças com menos de cinco anos está desnutrida e os adultos perderam, em média, 11 quilos de peso no ano passado, devido à grave crise alimentar que o país atravessa, o ditador foi flagrado com sua esposa, num restaurante de luxo, em Istambul, na Turquia. E comendo dos pratos mais caros. Depois fumando um charuto que só os ricos e milionários têm acesso. A comilança nababesca caiu como uma bomba na faminta Venezuela, um país até há poucos anos rico, mas que a sucessão de ditadores (começou com o falecido Hugo Chávez) está parecendo terra arrasada. A inflação, que bateu em 1 milhão por cento; a destruição da indústria nacional;  os preços proibitivos dos alimentos e a falta e quase tudo, deixam a população em desespero. Um dos sintomas: os milhares de venezuelanos que abandonam o país, fugindo para o Brasil e outras nações vizinhas. O jantar de Maduro foi um tiro no pé. Pode ter sido o começo do fim para ele. Torcida geral nas pessoas de bem, que não querem ver um país tão lindo e potencialmente rico, ser destruído por um ditador guloso.   

 

PERGUNTINHA

Você está satisfeito e acha correto estar pagando, com o dinheiro dos seus impostos, através do Fundo Partidário, mais de 1 bilhão e 700 milhões de reais, para patrocinar  todos os gastos da campanha eleitoral?  

 

 

 

 

 

 

Parceiros

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros