Anunciantes em vídeo

Anunciantes

A educação em Rondônia, mesmo tendo melhorado bastante nos últimos anos, ainda está longe do ideal. Recuperou-se, na última década e meia e principalmente nos últimos anos, parte do que deixou de ser feito no passado. Mas ainda há enormes desafios pela frente. A Secretaria de Educação, comandada hoje pelo competente e dedicado Waldo Alves, mexe na estrutura do ensino público estadual, tentando tirá-lo de práticas do século 19 para colocá-lo no século 21, segundo palavras do próprio Waldo. Os desafios são imensos e envolvem desde falta de internet em várias regiões, o que impossibilita ainda as escolas a entrarem no mundo da modernidade que ela proporciona, até a vergonhosa ausência de milhares de professores nas salas de aula. É neste quesito, aliás, que a Seduc mais sofre, porque fica de mãos amarradas, já que não tem como demitir ou substituir os que são concursados e usam de todos os artifícios legais possíveis para ficarem fora das escolas. Waldo não confirma, mas há fontes respeitáveis dentro do governo que afirmam, com segurança, que dos 14 mil professores do Estado, pouco mais da metade leciona realmente. O secretário, durante longa entrevista a Sérgio Pires, no programa Direto ao Ponto dessa semana, fala dos avanços, da luta por melhorias na educação e também desse grave problema, que o Estado está tentando combater, com uma série de medidas. Por incrível que pareça, professores fazem concurso, são aprovados e em seguida pedem licença não remunerada. Não são poucos. Ficam na folha de pagamento da Seduc e tiram o lugar de quem realmente gosta e é apaixonado pela arte de ensinar. São esses, os milhares de apaixonados pelo ensino, segundo Waldo, que tocam a educação em frente, pelo amor à profissão, ao contrário da outra parte, que se “encosta” no serviço público e faz de tudo para não ir à sala de aula.

Na conversa, o secretário fala dos projetos que estão em andamento; nos que serão implantados; na questão do salário dos professores e muitos outros assuntos do maior interesse do mundo da educação. Waldo trata ainda do tema complexo da militarização das escolas e da violência que ronda os colégios. Vale a pena acompanhar a entrevista exclusiva que a Record News Rondônia (TV aberta, Canal 31), apresenta neste sábado, a partir das 11h30 da manhã. O Direto ao Ponto vai ao ar simultaneamente em outras emissoras; SKY, Canal 331; Via Cabo/Blue, Canal 27 SD e 405 HD e ainda Claro TV, Canal 431.1. No Domingo, a atração será destaque no site Gente de Opinião e em vários outros sites do Estado.

 

 

BR 364 SEM DUPLICAÇÃO?

Pagamos o mais alto pacote de tributos do mundo, mas a União, que fica com quase tudo, não tem mais dinheiro para investir na melhoria das nossas rodovias. Por isso, pensa em privatizar nada menos do que 40 mil quilômetros das estradas federais, entre elas a nossa BR 364, em todo o  trecho que começa na divisa com o Mato Grosso, em Vilhena e vai até a o Acre. Poderia parecer uma boa notícia, se nela não estivessem embutidas pelo menos duas questões das mais polêmicas. A primeira: só dentro de Rondônia, a BR, privatizada, poderia ter até pedágios, mais que um a cada 100 quilômetros. A outra, também muito ruim, é que a empresa concessionária não precisaria duplicar a nossa BR antes de 14 anos após assumir esse compromisso. Ou seja, teria 14 anos enchendo os bolsos com o dinheiro do pedágio apenas para manter a 364 em condições de tráfego, mas sem duplica-la. Esse é o resumo do projeto apresentado nessa semana pelo secretário de Desenvolvimento de Infraestrutura do Ministério do Planejamento, Hailton Madureira de Almeida, ao anunciar que o governo  federal não tem mais como manter nossas rodovias e vai entregá-las à iniciativa privada. Preparemo--nos, então, para o pior!

 

O IPAM E O GEOREFERENCIAMENTO

Como fazer um georeferenciamento da Capital, para atualizar, por exemplo, a cobrança do IPTU, incluindo nele os imóveis de alto padrão dos condomínios de luxo que abundam na cidade e que hoje nada pagam? A Prefeitura tem a mão e praticamente sem custo toda essa estrutura a sua disposição. Basta planejar, conversar e querer. Não pode dizer que um georeferenciamento novo custaria uma oferta, que se teria que fazer concorrência pública e essas coisas que emperram as ações do serviço público. Nada disso. Um acordo de cooperação com o Sipam (Serviço de Proteção da Amazônia), em vigor, permite à Prefeitura solicitar um levantamento complexo e completo de todas as áreas da Capital, podendo receber todas as informações gratuitamente. Segundo o coordenador do Sipam no Estado, Carlos Canosa, a estrutura está a disposição do município, a qualquer momento. Portanto, está aí uma contribuição importante. Depois do novo georeferenciamento, será fácil incluir imóveis dos ricos e milionários no contexto do IPTU de Porto Velho. Há quem diga que só isso pode duplicar a arrecadação do imposto, hoje na faixa dos 17 milhões de reais. 

 

CADA VEZ MAIS SOZINHO

Endeusando a si mesmo, o ex presidente Lula tenta, pela prepotência, parecer inocente nos vários processos em que é réu. Tenta, com palavreado conhecido dos discursos dos ditadores, amedrontar a Justiça. Enfrentando o juiz Sérgio Moro como se ele fosse um petista qualquer, a seu serviço, ele faz de conta que não sabe, o ex todo poderoso, comandante geral do maior ataque aos cofres públicos da história do nosso país, que está muito perto da cadeia. Lula tenta se fazer de vítima. Postou inclusive um vídeo na internet dizendo que não teme a delação de Antônio Palocci, porque ela pode atingir a todos à sua volta, menos a ele, o rei de um reinado de si mesmo. Lula está ficando cada vez mais sozinho. Em Curitiba, depois do segundo depoimento ao juiz Moro, Lula foi para um palanque em que tinha menos da metade dos mesmos de sempre, do que havia quando de seu primeiro depoimento. Está esvaziando. Vai ficar com meia dúzia em torno de si, quando tiver que fazer sua mala e se dirigir a um presídio, para começar a cumprir suas penas...

 

VISÃO DE FUTURO

Bastante prestigiada a homenagem ao ex vice governador; ex presidente da Fiero e ex diretor do Dnit nacional, Miguel de Souza, ocorrida na Assembleia, na manhã desta quinta. A proposta da concessão de título de Cidadania à Miguel foi do deputado do PSB, Cleiton Roque. Na mesa principal, entre outras autoridades, além do presidente da Casa, Maurão de Carvalho, estavam ainda o ex governador José Bianco e o presidente do Conselho de Administração da Fiero, o empresário Chagas Neto. Na plateia, muitos amigos, colaboradores, ex assessores e eleitores de Miguel de Souza, que também foi deputado federal. Nos discursos, a homenagem a Miguel não só como um político que trabalhou muito pelo Estado, como por sua visão de futuro. A integração de Rondônia com a Àsia, via Pacífico, por exemplo, foi uma batalha pessoal de Miguel durante anos. Na época, há quase três décadas, quando ele falava no assunto era tido quase como um maluco. Hoje, a ideia de Miguel é praticada e ele sempre é lembrado por essa valiosa contribuição que deu a economia não só de Rondônia, como de toda a região norte.

 

TRINTA ANOS DEPOIS

Num encontro com o diretor de operações da Infraero, João Jordão, a deputada Marinha Raupp ouviu, essa semana, uma boa notícia que Rondônia espera há tempos: a abertura de concorrência para aquisição de dois “finger”, aqueles túneis que levam da sala de embarque até as aeronaves. Marinha comemora, mas a verba para a compra dos equipamentos, que serão adquiridos na concorrência, foi conseguida através de emenda de outro deputado rondoniense, Luiz Cláudio da Agricultura. Os dois “finger” vão custar algo em torno de 4 milhões de reais, com todos os equipamentos necessários e começarão a ser colocados no aeroporto internacional da Capital em meados do ano que vem, mais de três décadas depois do mesmo sistema começar a ser implantado em aeroportos mundo afora. Os recursos conseguidos por Luiz Cláudio incluem ainda equipamentos necessários para a criação de um posto de alfândega, no Jorge Teixeira, que, enfim, se tornará um aeroporto internacional. Agora, só falta arrumar o som e o ar condicionado. O resto funciona...

 

A SAÍDA DE JANOT

O Procurador Geral da República saiu atirando, como tinha anunciado e, certamente, atendendo também aos interesses da poderosa Globo, que nem sempre coincidem (aliás, poucas vezes coincidem) com os interesses maiores do país. Janot fez uma nova denúncia contra o Presidente Temer e vários outros políticos, mas o alvo principal, é claro, é o Presidente interino, que em pouco mais de um ano deixará o Governo, se não for cassado até lá.  Janot fez uma grande trapalhada no caso dos irmãos Batista, depois de um acordo espúrio, que revoltou o país e foi salvo por uma nova fita, que chegou à Procuradoria, para remendar o que tinha feito. Traído por um dos seus mais importantes assessores, que passou para o lado dos criminosos irmão Batista, Janot ficou num grande aperto, até que acabou tentando corrigir os erros e ainda sonhando  em entrar para a História como quem derrubou um Presidente. Essa segunda denúncia, com poucas chances de passar no Congresso, pode afetar mesmo, com força, é a economia do país, num momento em que ela começa, lentamente, a melhorar.  Quem quiser achar que Janot sai como herói, tem todo o direito de fazê-lo. A coluna fica com os que acham que ele saiu mesmo foi pela porta dos fundos.

 

PERGUNTINHAS

Quem está mentindo: o frio e calculista Antônio Palocci, como foi definido por seu ex amigo de décadas, Luiz Inácio Lula da Silva ou o próprio ex Presidente, que se diz inocente de todas as dezenas de acusações contra ele?  Ou os dois?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anunciantes

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros