Anunciantes em vídeo

Anunciantes

Falta um ano, mas Rondônia – e especialmente Porto Velho – se prepara para receber milhares de pessoas para um dos maiores eventos já realizados, para tratar do presente e do futuro da Amazônia. Promovido pela Agência de Desenvolvimento da Prefeitura da Capital, comandada pelo empresário Marcelo Thomé, o Amazônia + 21 pretende se postar como um acontecimento histórico, discutindo, entre 5 e 8 de maio de 2020, quatro questões consideradas vitais para nossa floresta:  Ciências, Negócios, Financiamentos (fontes e agentes interessados) e, ainda, a Sustentabilidade - Socioeconômica e cultural , com profundas análises das questões sociais e ambientais que afetam a Região.  A sofisticada divulgação, ainda na fase inicial e direcionada, só pode ser acessada através de um código chamado “Barcode”. A partir dali, se ingressa num programa em PDF, regado a lindas fotos da regiões e explicações resumidas sobre o que será o Amazônia + 21, suas propostas e suas metas. Por que esse nome? Porque em 2041 se comemora os 500 anos da histórica expedição de Francisco Orellana pelo rio Amazonas. É em homenagem a esses cerca de cinco séculos que se criou, segundo os organizadores, “um fórum internacional permanente”, de diálogos e em busca de uma identidade cultural e econômica. Para se ter ideia da grandeza do evento, todos os Presidentes dos nove países que formam a região que sedia a maior floresta do mundo, estão convidados para virem a Porto Velho. Ou seja, além do presidente Jair Bolsonaro, serão convidados os mandatários da Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela e Guiana Francesa.

Os investimentos iniciais para o evento, certamente o maior de que nossa região tem projetada desde décadas, pode chegar próximo a 15 milhões de reais. Segundo Armando Moreira Filho,  diretor técnico da Agência de Desenvolvimento e  um dos principais responsáveis pela organização do grande encontro internacional, a grande maioria dos recursos virão de investimentos da iniciativa privada. Pelo menos 15 secretarias municipais estão envolvidas nos preparativos para o Amazônia + 21. Várias mudanças na Capital estão sendo projetadas, principalmente na área central da cidade, para receber alguns dos principais momentos dos quatro dias desse pacote de realizações voltados para discutir as questões da nossa floresta e do nosso futuro, junto com o dela. Vão haver mudanças de ruas, do trânsito, limpeza e reestruturação das principais praças e áreas públicas do centro e, ainda, investimentos para que a área mais famosa de Porto Velho, a praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, possa se tornar um centro turístico de grande importância para os milhares de visitantes que estão sendo esperados. O lançamento oficial do projeto Amazônia + 21 será em meados do mês que vem. Se tudo o que está planejado for mesmo executado, será um acontecimento transformador para Rondônia, para a região norte e para toda a Amazônia.

 

É PARA ISSO QUE PAGAMOS TANTOS IMPOSTOS...

A boa notícia do final de semana, na área da saúde pública, foi o acordo da Secretaria de Saúde do Estado com dois hospitais particulares (o Prontocordis e o Samaritano, dois dos mais importantes da Capital), que vão receber os pacientes que estavam no chão e na garagem aberta do João Paulo II. As cenas, mostrando a situação do único pronto socorro de Porto Velho, sempre superlotado, se tornaram corriqueiras, a tal ponto que já nem eram mais notícia. Deve-se creditar o novo passo, que é apenas um alívio, pois não resolve definitivamente a situação,  à determinação do governador Marcos Rocha e a obstinação do secretário Fernando Máximo, que não descansaram, até que conseguissem transferir pelo menos 60 pacientes, que estavam e ainda estão internados em péssimas condições no JP II, para os novos e modernos hospitais privados. Os primeiros 30 pacientes começaram a ser transferidos no final do semana e continuará o trabalho até a segunda-feira. Depois, outros 30 doentes também receberão o benefício. O João Paulo II tem hoje apenas 140 leitos normais. Ou seja, o número de transferidos representa 42 por cento de toda a capacidade normal do hospital público. É um grande avanço. Os dois  hospitais que firmaram convênio com o Estado o fizeram através de licitação, Cada paciente vai custar por dia, aos cofres da Sesau, 665 reais. Pouco, se considerarmos o atendimento de qualidade que os doentes terão. É para isso, aliás, para serem bem atendidos quando precisam, que as pessoas pagam tão pesados impostos. Quando ele retorna a elas em bons serviços, não há o que reclamar...

 

A HERESIA DOS “REEDUCANDOS”

Não quer dizer que vai acontecer. Não quer dizer que já aconteceu. Nada disso. Mas não deixa de ter razão a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Dhaiane Gomes, de protestar contra a presença de vários presos, apelidados pelos petistas de  “reeducandos” e ainda assim chamados, apesar da heresia, por várias autoridades e que trabalham dentro da Secretaria de Justiça do Estado.  Está errado! Ora, há dezenas de outros postos onde detentos, que queiram mesmo se reintegrar à sociedade, possam ser aproveitados. Eles podem ser extremamente úteis nas obras públicas, em setores como os que tratam as questões ambientais, em áreas onde podem preencher espaços onde há falta de mão de obra, já que a deles é abundante. Mas colocar presidiários dentro da Secretaria da Justiça, exatamente a Secretaria que tem informações sobre os próprios agentes e sobre a estrutura policial e de presídios do Estado, daí já pode significar uma decisão desnecessária, além de colocar em risco a segurança de quem trabalha nesse setor. Claro que não se pode dizer que é como se colocar lobos para cuidarem das ovelhas, mas é, no mínimo, uma decisão que merece forte contestação. Que o Governo mude seus planos nessa área e impeça a presença dos presos, sejam quem forem, exatamente na Secretaria  em que eles, detentos, jamais deveriam ter acesso direto.

 

MUITA GENTE NÃO TEME O CEMITÉRIO

A relação não para de crescer. Tem Hildon Chaves, que vai à reeleição, claro! Tem o deputado federal mais votado, Léo Moraes  e o jovem advogado Vinicius Miguel, o campeão de votos em Porto Velho, na última disputa ao Governo. Mas tem muito mais: Daniel Pereira, do PSB, ex governador; o recém eleito deputado estadual Eyder Brasil; tem o professor Aluízio Vidal, não se sabe ainda por qual partido. Mais: o ex prefeito e atual deputado federal Mauro Nazif, o ex deputado federal Luiz Claudio da Agricultura; o ex deputado federal e ex prefeito de Candeias por duas vezes, Lindomar Garçon; o vereador Alan Queiroz e, caso Hildon não concorra, por qualquer motivo, o jovem Maurício Carvalho. Tem o representante do Partido Novo, o advogado Fabrício Jurado. O petista Roberto Sobrinho, que deixou um segundo mandato na Prefeitura com mais de 75 por cento de aprovação e acabou sendo acusado de vários delitos, nenhum deles até hoje comprovados, aceitaria entrar na briga de novo? Enfim, a Prefeitura de Porto velho, que se diz que é cemitério de políticos, pode ter um número recorde de candidatos, no ano que vem. Ao menos no período que antecederá as convenções, quando se definirá os que realmente têm chance. E bom acrescentar: ainda vão surgir novos nomes, entre os que até agora não está sendo lembrados.

 

CASSOL, ACIR E O FUTURO

 Ivo Cassol foi condenado num processo em que um dos membros do STF escreveu que ficou claro que não houve desvio de um só centavo de dinheiro público. Até hoje há quem não consiga entender uma decisão como essa. Acir Gurgacz foi condenado num processo em que era apenas avalista em negócio da sua empresa, num empréstimo junto a um banco oficial, onde cada centavo foi pago religiosamente. Nem um centavo foi desviado ou usado de forma ilegal. Em ambos os casos, o STF, hoje soltando condenados de forma contumaz, inclusive quando há provas robustas contra os réus, foi extremamente duro, pegando-se em firulas, vírgulas e detalhes, para condenar os rondonienses. Cassol cumpre sua pena em regime aberto, Acir agora começa a ter o benefício da progressão de regime, tendo autorização de voltar a viajar para Rondônia. Estava impedido, em mais um castigo imerecido. Não há como dizer que os dois, tanto Cassol quanto Acir, não cometeram erros em sua longa vida pública. O que se pode dizer, com segurança, é que no caso específico das condenações de ambos, não se fez a verdadeira Justiça. No futuro, quando se tratar dos dois casos, certamente se saberá que eles foram muito mais vítimas do que réus. Claro que os inimigos dos dois – e eles os têm e são muitos – estão detestando esse comentário. Mas nada como o futuro, para contar as coisas com toda a sua verdade. Esperemos, pois... 

 

FIM DO PONTO FACULTATIVO?

O governador Marcos Rocha assinou, nesta sexta, um decreto que deixa bem claro que a mamata está acabando mesmo e que as coisa vão mudar, pelo menos em alguma medida. Pode parecer pouco, mas o decreto 23.880, com a data deste dia 3,  acaba com o infernal ponto facultativo pós feriados, nas repartições estaduais. Claro que a decisão anunciada refere-se, no decreto, somente ao dia posterior ao feriado religioso de Corpus Christi, que se comemora em 20 de junho. Ou seja, já estava no calendário oficial do Estado que o dia seguinte, 21 de junho, seria ponto facultativo, aquele palavreado para enganar trouxa, que quer dizer, na realidade, que os serviços públicos não vão funcionar e que a população que espere os servidores terem mais um dia sem trabalho. Mas a boa nova não para por aí. A partir de agora, sabe-se de fonte quentíssima do Palácio Rio Madeira/CPA, não haverá mais nenhuma data antes ou pós feriados e feriadões, para o famigerado ponto facultativo. A decisão já teria sido tomada por Marcos Rocha e sua equipe, pondo fim à um benefício que só atende aos interesses de uma minoria de servidores, mas que deixa a grande maioria da população na mão, durante longos períodos. Nos próximos dias, se terá mais informações sobre esse assunto. Mas que é uma boa notícia, é sim!

,

É O NATAL DO PRIMEIRO SEMESTRE

Está chegando o Natal ! Não, não é o Natal de verdade, mas a principal data para o comércio no primeiro semestre do ano. O Dia das Mães é uma espécie de Copa do Mundo do faturamento, para a grande maioria dos lojistas. A previsão nacional é de um aumento de vendas próximo a 4 por cento, mas em Rondônia a expectativa é um pouco maior.  Claro que as vendas para o comércio de rua poderiam ser bem maiores, caso o centro comercial de Porto Velho não estivesse tão desorganizado, principalmente pela falta de estacionamento. O Porto Velho Shopping espera vendas muito positivas, assim como as áreas comerciais da zona sul, na avenida Jatuarana e da zona leste, que estão crescendo muito.  Os lojistas estão preparando muitas promoções, várias ofertas e tentando atrair a clientela com preços mais atrativos. O Dia das Mães é a segunda data mais importante do ano e, geralmente, é o que salva o primeiro semestre para a maioria dos comerciantes. Mesmo no desorganizado centro comercial de Porto Velho, é possível que a data tenha um grande público consumidor. Ao menos é essa a previsão da Câmara dos Dirigentes Lojistas. Na segunda-feira seguinte, já saberemos qual o tamanho do sorriso dos lojistas. 

 

PERGUNTINHA

Você concorda com eleições a cada dois anos, com o país vivendo a futura disputa em tão pouco tempo ou apoiaria eleições gerais apenas de cinco em cinco anos?

 

Anunciantes

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros