Os desafios do novo governador rondoniense, o Coronel Marcos Rocha, são imensos e de tamanhos apavorantes. Além da previsão assustadora de que o Estado não tenha recursos para cumprir todos os seus compromissos financeiros, incluindo-se aí questões de dívidas como as do Beron, da Ceron e da Caerd; à transposição que anda em passo de cágado e tantos outros obstáculos, há ainda os sapos enterrados, que Rocha terá que desenterrar, para realizar uma administração ao menos razoável. Parece coisa pequena, mas não é, se formos analisar três questões, simbólicas apenas, que se arrastam, parecendo insolúveis e causadoras de grandes danos às relações do porto velhense, principalmente, com sua cidade. Vamos aos exemplos. O primeiro deles é a nova rodoviária. A que temos é um cartão de visitas às avessas, como se, naquela quase espelunca que chamam de rodoviária, convidássemos o visitante e não mais por seus pés por aqui. Localizada em zona nobre da cidade, a estrutura é perto do ridículo. Aliás, mais ridícula é apenas a sucessão de promessas, nunca cumpridas, nos últimos 30 anos, de que Porto Velho teria uma rodoviária decente, como a tem, por exemplo, nossa vizinha Rio Branco. Todos os projetos e intenções ficaram em latas de lixo, bem à altura da qualidade da rodoviária atual. Outro descaso absurdo, que o novo Governador precisa cuidar com urgência (já que não há quem cuide!) é o Espaço Alternativo. Uma obra grandiosa, cara e necessária, surgiu como um alento numa cidade de quase 600 mil habitantes, em que o lazer se resume a “banhos”, shows bregas e bebedeiras de final de semana. Ali se instalou a baderna generalizada, um pacote de restaurantes a céu aberto, sem cuidados e higiene, afastando as famílias que estavam começando a comemorar que, finalmente, teríamos um  local decente para elas. O terceiro cemitério de sapos enterrados é o belíssimo, caro e super atrasado no tempo (levou mais de 20 anos para ser construído), Teatro Palácio das Artes. Tem que ter o dedo do novo governo, porque é uma obra que orgulha nossa cultura, mas é muito mal administrada, caríssima para quem quer usá-la e que fica fechada mais tempo do que aberta.

“Ah, mas o novo Governo terá muito mais prioridades do que essas questões menores!”, dirão os beócios de sempre. Terão até uma ponta de razão, mas a perderão na medida em que ficar claro que numa terra onde uma rodoviária parece um latão de lixo desconfortável; onde uma área nobre de lazer é tratada como se fosse antro sem dono e sem controle; onde um teatro, símbolo da cultura, é tão maltratado e desrespeitado, fica claro que não há amor da cidade por nada, sejam pequenas ou grandes coisas que a representem. Então, Coronel Marcos, ponha seus dedos de governante nessas questões pequenas, porque isso demonstrará seu amor por essa terra e o respeito que sua administração terá por tudo o que é importante para nosso povo. Como conselho não prejudica e não custa nada, aí vai esse. Totalmente de graça!

 

 

FÉRIAS NO MEIO DO FRENESI!

Falando no linguajar rondoniense: pensa num sujeito tranquilo, sereno, que, mesmo nos momentos mas tensos, fica absolutamente despreocupado e ainda sai de férias! O nome desse cara é Marcos Rocha. Isso mesmo. Nosso governador eleito, que assume o poder daqui a apenas 33 dias, está viajando, tirando uns dias de descanso com a família, mesmo que a equipe de transição, que ele nomeou, ainda esteja levantando dados sobre a real situação do Estado; mesmo que já haja aqui e ali algumas rusgas, entre membros da turma da transição e, ainda, mesmo que ele, a pouco tempo de sentar na cadeira do maior comandante político de Rondônia, ainda esteja longe de montar toda a sua futura equipe de assessores. Nada parece tirar a tranquilidade do novo chefe do Governo. Fechadíssimo, Marcos Rocha, sem comentar alguma coisa sobre suas escolhas de nomes e sobre decisões já tomadas, o faz para um grupo super restrito de assessores, tornando qualquer informação correta sobre o que vai acontecer daqui para a frente, apenas um exercício de futurologia. Tudo está concentrado em suas mãos e o Coronel, homem especialista em informações, as tem guardado apenas para si. Até no grupo que estará certamente na sua futura administração, são poucos os que sabem das decisões do chefe. Aliás, só um ou outro sabia que ele viajaria, como o fez nesta terça e que sairia de férias. Está no Rio de Janeiro. E retorna no dia 12.

 

OS CASSOL COM BOLSONARO

Os Cassol estão apoiando Jair Bolsonaro e estarão ao lado dele, a partir de janeiro quando ele assumir a Presidência a República. Nesta terça, o senador Ivo Cassol, que encerra seu mandato no final do ano e a recém eleita deputada Jaqueline Cassol, que estreia na Câmara Federal, se reuniram com o Presidente eleito, no escritório em que ele está atendendo no Centro Cultural do Banco do Brasil, em Brasília. Ivo Cassol parabenizou Bolsonaro pela expressiva vitória nas urnas e desejou a ele êxito e muita sorte, para o governo que começa dentro de pouco mais de um mês. Jaqueline, por sua vez, se postou ao lado do novo governante, garantindo a ele todo o apoio possível, em todas as questões que sejam de interesse de Rondônia e do Brasil. Ela destacou ainda que espera que essa renovação no comando do país, “traga melhores condições de vida para o povo brasileiro”. O novo secretário geral do PP, Luiz Paulo Batista, marido de Jaqueline, também participou do evento. Bolsonaro agradeceu a visita e lembrou de sua vitoriosa visita ao Estado, quando ainda candidato. Rondônia, aliás, é um dos poucos estados em que o PSL, partido do Presidente, elegeu o governador.

 

CALUNIOU NAS REDES SOCIAIS. PAGARÁ CARO

Ainda tem recurso, mas acusações infundadas, que acabaram causando prejuízos incalculáveis e até fechando um negócio antes rentável, causou condenação de uma mãe que inventou uma história, nas redes sociais, de que seu filho teria sido dopado na creche onde ficava durante o dia. O caso aconteceu em Porto Velho, em agosto de 2015 e teve grande repercussão, inclusive em nível nacional. Com a acusação, poucos dias depois pelo menos 14 pais tiraram seus filhos da creche, depois de serem informados nas redes sociais do que teria acontecido e o pequeno empreendimento acabou sucumbindo. Agora, saiu a sentença em primeira instância. O juiz Ilisir Bueno Rodrigues, da 7ª Vara Cível de Porto Velho condenou a mãe que criou a história, já que ela jamais foi provada, a pagar indenizações que totalizam mais de 62 mil reais e ainda a obrigou a publicar, tanto nas redes sociais como em sites do Estado, uma retratação sobre tudo o que divulgou. A mãe condenada alegou que divulgou a denúncia apenas em grupos de amigos, mas a simplória defesa não convenceu o magistrado. Tomara que essa e outras decisões assemelhadas, que têm sido tomadas no Judiciário, sirvam como lição aos que acham que podem dizer o que querem, ofender, atacar, inventar histórias e destruir vidas, nas redes sociais, sem serem molestados. Essa mulher que inventou a história do filho dopado, certamente nunca mais vai ofender ninguém...

 

FORÇA TAREFA PELA PONTE DO RIOZINHO

Enfim, a ponte sobre o Riozinho, em Pimenta Bueno, que está fechada e interditou a BR 364, obrigando motoristas que chegam e saem no Estado a fazerem um longo e perigoso desvio, passando por dentro de cidades e registrando acidentes todos os dias, parece que poderá ser consertada num tempo recorde e não em meses, como estava sendo previsto. Mais uma reunião nesta terça, realizada no Dnit, acabou dando resultados concretos. Com apoio do Dnit  e do governo do Estado, já que o governador Daniel Pereira determinou a participação direta do DER nos trabalhos, será feito um enrocamento no entorno do pilar que está abalado, além de outras obras de apoio, como a utilização de uma estrutura de aço, que permitirá que o tráfego volte ao normal dentro de  menos de duas semanas, caso tudo corra sem novos problemas. A reunião no Dnit, liderada pelo futuro vice governador José Jodan, teve também a participação do empresário César Cassol, que inclusive vai doar material (estruturas de aço e trabalhadores para a realização dos serviços de solda), do empresário de Vilhena Jaime Bagattoli, que disputou uma vaga ao Senado pelo PSL e teve 212 mil votos; do deputado estadual eleito Eyder Brasil e outras autoridades. Todos foram recebidos pelo superintendente Cláudio Neves. Vamos esperar agora que os planos feitos se tornem logo realidade. Não dá para suportar a BR 364 interditada por tanto tempo....

 

JODAN: GUARDE BEM ESSE NOME!

Aliás, por falar no vice-governador, é bom que fiquemos de olho nele! José Atílio Salazar Martins, o Zé da Jodan é um empresário muito bem sucedido, um paranaense de Paranavaí que chegou há décadas em Rondônia e que, na região de Rolim de Moura, trabalhando duro, dia e noite e fazendo bons negócios, se tornou um dos .nomes mais conhecidos da região. Aos 66 anos, seu patrimônio hoje supera os 46 milhões de reais, segundo declarou à Justiça Eleitoral, quando se tornou candidato. Ele tinha sido escolhido pelo próprio Jair Bolsonaro para ser o candidato do PSL ao Gocerno, em Rondônia, mas Jodan pensou, repensou e achou melhorar ser o vice, numa chapa encabeçada por Marcos Rocha. A dobradinha deu certo e, sem dúvida graças ao efeito Bolsonaro, ganhou a eleição. Jodan, contudo, não será um vice só de aparecer nas fotos oficiais. É um obstinado e sempre tem sucesso, onde põe as mãos. Nos últimos dias, aliás, já demonstrou a que veio. Mesmo sem ter sido ainda empossado, ele já liderou um grupo de empresários e autoridades do centro sul do Estado, exigindo solução imediata para a interdição da ponte sobre o Riozinho.   Vamos ouvir falar muito ainda no Zé Jodan...

 

VOLTAM OS VOOS PARA ACRE E SÃO PAULO

Não ficou como era, mas pelo menos não perdemos tudo, como estava previsto, inclusive porque nos isolaria do Acre, por via aérea. A Gol voltou atrás e vai manter seus voos para São Paulo (Guarulhos) e Rio Branco, partindo e chegando ao aeroporto internacional de Porto Velho, atendendo aos pedidos feitos por lideranças empresariais e políticas do Estado, incluindo-se aí o governador Daniel Pereira. A empresa vai mesmo diminuir seus voos semanais durante o dia, mas manterá os da madrugada e aqueles que são únicos, como aqueles que nos ligam diretamente a São Paulo e a Rio Branco. A direção da Gol – assim como o fazem outras grandes empresas – prefere atender as regiões mais populosas, no centro sul do país, em detrimento dos voos para a região norte, mesmo que todas as aeronaves saiam e cheguem totalmente lotadas, em todos os voos e em todos os horários, na ligação com Rondônia e estados vizinhos.  Governo do Estado, Abav rondoniense, Fecomércio, Fiero e várias instituições e entidades se mobilizaram, para que não perdêssemos tudo na questão dos voos nacionais da Gol.

 

PERGUNTINHA

O que você acha da mudança de planos do presidente eleito Jair Bolsonaro que anunciava no máximo 15 ministérios e que agora já avisa que o número “não vai passar de 20”?

 

 

 

 

 

Parceiros

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros