Faltam apenas pouco mais de 15 por cento das obras. Dos 151 milhões de reais previstos, ainda serão necessários mais 19 milhões, já incuídos no projeto da lei orçamentária do ano que vem, mas ainda dependendo de empenho. Se tudo correr bem e não faltar dinheiro, Rondônia e Acre serão ligados por terra, pela primeira vez, graças à ponte de 1.084 metros, chegando a 3 quilômetros, se forem computados os acessos de ambos os lados, até o final do primeiro semestre do ano que vem. E até o final deste ano, não faltará dinheiro para essa gigantesca obra, vital para os projetos de desenvolvimento da região norte e da ligação com o Pacífico. Segundo informações do Dnit, os recursos empenhados para a ponte, neste ano, já foram de 30 milhões de reais. Ainda há em caixa 12 milhões de reais para pagar os trabalhos que estão sendo realizados no último trimestre do ano (outubro, novembro, dezembro). O projeto caminha com alguns pequenos atrasos, mas os trabalhos são feitos em dois turnos, por cerca de 150 trabalhadores. Só correrá o risco de parar, caso os 19 milhões que ainda faltando para concluir todo o trabalho, não sejam empenhados ou liberados no prazo previsto. Por isso, aliás, que é a Federação das Indústrias do Estado, a Fiero, por exemplo, lidera uma mobilização entre os dois Estados, para que as obras continuem num ritmo acelerado e que sejam entregues dentro do prazo previsto, no ano que está chegando. “A ponte sobre o rio Madeira, na Ponta do Abunã, é uma obra de grande importância, que zera  déficit histórico que é conectar o Estado do Acre à malha viária nacional, permitindo ainda mais desenvolvimento aos estados do norte e principalmente também para Rondônia. Mais que isso, a obra significa a consolidação da interligação do Brasil rumo ao Pacífico”, sintetizou o presidente da Fiero, Marcelo Thomé, à frente da luta para que a ponte se torne realidade o mais breve possível.

Essa ponte, que enquanto é construída também causa alguns problemas de engarrafamento, já que motoristas que vão e estão voltando do Acre, por vezes têm que aguardar até quatro horas para a travessia, até agora feita de balsa, faz parte de um pacote de obras que, a curto prazo,  será vital para a expansão da economia e dos negócios em nossa região. Marcelo Thomé, em nome do empresariado, diz que  a ponte;  a elevação da BR no trecho onde a rodovia foi tomada pelas águas na última grande enchente e o asfaltamento dos perto de 900 quilômetros da BR 39, que liga Porto Velho a Manaus, compõem um trinômio vital para nossa expansão, em todos os sentidos. Uma quarta medida, talvez a principal de todas, por enquanto não passa de um sonho: a duplicação da BR 364, de Vilhena à fronteira com o Acre. Será que um dia isso ocorrerá?

 

 

 

BADERNA ANUNCIADA NA 364

Por falar na Ponta do Abunã, a volta da baderna foi anunciada com antecedência. Moradores da Comunidade Kuruquetê estão avisando que fecharão a BR 364 pela terceira vez, nesta segunda-feira, dia 19, sem previsão para saírem do local. O motivo é o mesmo das vezes anteriores: o não cumprimento de promessas de políticos e da Eletrobras Rondônia de colocar energia elétrica a disposição do povo daquele pequeno núcleo, localizado na fronteira com o Acre. O primeiro protesto foi em agosto de 2017. Dias depois, ocorreu um acordo, em que a Eletrobras garantia resolver o problema até março deste ano. Claro que, como sempre, tudo papo furado! Em abril, novo fechamento, por três dias. Confusão, motoristas ameaçando tocar por cima de manifestantes, intervenção da polícia e, finalmente, outro acordo. A nova promessa (e ainda tem gente que acredita!) foi feita perante vereadores e autoridades. A energia seria colocada no núcleo Kuruquetê até setembro passado. Claro que nada aconteceu. Então, a população decidiu se mobilizar de novo. Ao invés de irem atrás de quem prometeu e não cumpriu, os moradores vão se vingar, pela terceira vez, na população que nenhuma culpa tem. Espera-se que as autoridades façam cumprir a lei e não permitam mais essa baderna. Não importa o motivo: fechar a BR 364 é crime!  

 

SÓ NO FIM DE DEZEMBRO?

Ao contrário do seu presidente, Jair Bolsonaro, que na medida em que vai fechando os acordos de suas escolhas, as anuncia ao público, ávido por informações, a  estratégia do novo governador rondoniense, Marcos Rocha, ao que parece, é mostrar toda a equipe numa só vez, no final de dezembro, evitando eventualmente críticas individuais, que sempre surgem nessas escolhas do time que vai ajudar a governar. O que ainda preocupa é que não se sabe o que o Coronel Rocha está pensando em termos de nomes para áreas nevrálgicas como a saúde, a segurança pública, a educação e o setor de finanças. Quais secretarias permanecerão e quais serão extintas ou absorvidas por outras? Tudo ainda permanece apenas como discurso de campanha. Quais os critérios que utilizará? Para a Sefin, sabe-se de fonte segura que Rocha analisa nomes de pelo menos dois técnicos, considerados de alta competência, que fazem parte da equipe da Secretaria, mas sem nunca tê-la comandado. Terão experiência suficiente? Vinte dias depois de eleito, não está na hora do novo Governador começar a falar mais claramente com os rondonienses, que foram às urnas em massa para elegê-lo? Nem tudo deve ser tratado a portas fechadas e como segredo. Não só o meio milhão de rondonienses que o elegeram, mas toda o povo do Estado quer começar a saber como será nosso futuro. E ele passa, necessariamente, pelos planos, pelos projetos e pela equipe que vai gerir o Estado. Estamos querendo ouvir, Senhor Governador eleito!

 

ELTON E MARACÉLIA DISPUTAM A OAB

Esta segunda-feira será de mais uma eleição. A Ordem dos Advogados do Brasil subseção de Rondônia, escolhe seu novo presidente (ou nova presidente, já que  uma mulher concorre ao comando da entidade). O grupo da situação, liderada pelo atual presidente Andrey Cavalcante, lançou o nome do advogado Elton Assis, na chapa de número 10, com a advogada Solange Aparecida como vice. Os demais membros dessa chapa, como conselheiros, são Alex de Morais Sarkis; Franciany D’Alessandra Dias de Paula; Jeverson da Costa; Juacy dos Santos Loura Júnior e Veralice Souza Veris. A presidência da Caixa de Assistência ao Advogado será de Elton Sadi Fulber e Juscelino Moraes do Amaral, como vice.  A oposição, com o número 11, é liderada pela advogada Maracélia Lima de Oliveira. Os demais candidatos à diretoria são: Eduardo Feitosa Ceccatto (secretário–geral), Rodrigo Totino (secretário adjunto) e Renata Fabris Pinto (tesoureira). A presidência da Caixa de Assistência ao Advogado será de Valdir Antônio de Vargas Júnior e Shisley Nilce Soares da Costa, como vice. Maracélia é atual vice presidente da entidade, mas rompeu com a diretoria, depois de registros de confrontos entre ela e seus colegas. A chapa liderada por Elton Assis tem sido colocada como a com mais chances de vencer, pelo grande apoio que tem recebido em todas as regiões do Estado. A eleição ocorrerá no horário das 9h às 17 horas, com cerca de seis mil advogados registrados podendo votar, caso todos cumpram as exigências da eleição. Segunda  à noite já saberemos quem venceu.

 

NA TERÇA, DANIEL SERÁ ELEITO NO SEBRAE

Terça-feira é dia de nova eleição. Só que essa bem mais tranquila, já que há apenas um candidato para o cargo principal. O governador Daniel Pereira deve ser escolhido, por aclamação, pelos 13 representantes de entidades que têm direito a voto, como futuro superintendente do Sebrae em Rondônia. Votam, entre outros, representantes de bancos, do governo estadual, da Universidade Federal de Rondônia e de outras entidades. A disputa mais ferrenha será pelo comando do Conselho da Administração da entidade, já que dois candidatos vão disputar o posto. Um deles é o presidente da Fecomércio, Raniery Coelho, personagem destacada nos meios o comércio do Estado e o outro é Hélio Dias, presidente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura, a Fetagro. Também serão eleitos, pelos menos 13 votantes, o novo secretário geral da entidade e o secretário de finanças. O mandato é de três anos, com direito à reeleição e a posse será na segunda quinzena de janeiro, pelo menos duas semanas depois que Daniel Pereira passar o Governo para Marcos Rocha.

 

OS RUMOS DA ASSEMBLEIA

A próxima eleição, essa sim vital para a política rondoniense e para o próximo governo, acontecerá em 1º de fevereiro, daqui a 77 dias. A movimentação é intensa e já haveria pelo menos três grupos trabalhando para eleger suas chapas. Cada uma delas, dependendo a fonte, com 14 votos já garantidos, ou seja, pelas contas dos pretendentes, seriam 42 os deputados e não apenas 24. Claro que o comentário está eivado de ironia, porque a tradução real é que não importam as mobilizações, porque a tendência é que as coisas se decidam na última hora. O governador Marcos Rocha, que estaria apoiando o deputado José Lebrão, mudou o discurso e disse que a Assembleia é outro poder e ela deve resolver internamente seus problemas e tomar suas decisões. É um discurso normal, embora saiba-se que na verdade o apoio do Palácio Rio Madeira/CPA pode ser decisivo, na Hora H. Mas, até fevereiro, os deputados vão continuar conversando, fazendo acordos e dialogando, coisas que eles gostam de fazer. A decisão, só mesmo na sexta-feira, dia 1º de fevereiro, no final da noite....

 

BAND DENUNCIA O MAIS MÉDICOS

É uma vergonha inominável. A Band conseguiu vídeos e áudios que comprovam que a contratação de médicos cubanos, pelo Ministério da Saúde, teve a intenção de burlar a legislação e servir apenas para atender aos interesses financeiros do governo comunista do país de propriedade da família Castro, há décadas. Quem não assistiu à reportagem, ignorada pelos sites petistas e pelas demais redes de TV, como a Globo, aliada ao antigo governo, derrubado nas urnas, tem obrigação de procurar no you tube, para se inteirar do verdadeiro crime cometido contra os pobres médicos escravizados, com aval de gente grande do Ministério da Saúde lulopetista, mantidos nos cargos, aliás, pelo atual presidente Michel Temer. Basta acessar o link https://www.youtube.com/watch?v=ZlehIiPRJHs para que o rondoniense fique sabendo dessa sem vergonhice, escondida como se fosse apenas uma forma de ajudar no atendimento das pessoas mais pobres. Talvez por isso o vice presidente eleito, General Mourão, tenha escrito ontem em seu twiter: “o presidente eleito, Jair Bolsonaro, libertou os cubanos da escravidão. No futuro, quando Cuba for livre, os livros contarão a história do homem que libertou 8 mil cubanos da escravidão: Jair Bolsonaro, o Justo", publicou.

 

PERGUNTINHA

Você já se perguntou onde estava a Justiça do Trabalho do Brasil, tão ciosa em defender os trabalhadores brasileiros e acusar as empresas, enquanto milhares de médicos cubanos trabalhavam em regime análogo à escravidão aqui mesmo, embaixo do nariz dela?

 

 

 

 

.

Parceiros

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros