A maioria dos brasileiros não acredita na Justiça. Mesmo sabendo da condenação do ex presidente Lula por ladrão e corrupto; mesmo com a pena dele de mais de 12 anos de cadeia; mesmo sabendo que ele ainda vai responder a pelo menos meia dúzia de outros crimes, ainda sim a maioria dos eleitores, se pudesse, votaria nele. Ou seja, para esses mais de 37 por cento do eleitorado nacional, segundo pesquisa da CNT desta segunda, milhões deles clamando por um país melhor, menos corrupto, menos comandando por malfeitores, Lula é um pobre coitado, sacrificado no altar de uma injusta! Não há outra análise a se fazer, depois de mais uma pesquisa nacional em que o preso é o líder das intenções de voto. Mesmo sabendo que ele não será candidato e tirando-se aquela minoria idiotizada, que repete os mantras esquerdistas e petistas de que ele é apena uma pobre vítima e não um vilão, que comandou a maior quadrilha de criminosos que assolou os cofres públicos do Brasil, em toda a sua história,  principalmente no Nordeste, Lula ainda é um herói idolatrado. O que isso representa para o país? Exatamente o outro oposto do perigo. O segundo colocado, muito a frente de todos os demais que serão candidatos (porque Lula não o será!) é Jair Bolsonaro, exatamente o antiLula, o antiPT, o antiEsquerdismo; defensor dos governos militares e do uso da força, para levar seus planos de governo adiante. Como não quer votar num bandido preso ou nos discursos da mesmice, grande parte dos brasileiros decidiu protestar, dizendo que só um Bolsonaro pode mudar o país, mesmo que voltemos no tempo e que a democracia passe a ser apenas um detalhe. Seremos, ao que parece, perdedores, como país, em qualquer circunstância: porque muitos de nós optamos por um criminoso como Presidente ou porque outros tantos queremos a virulência e a força. Por essa pesquisa da CNT, Bolsonaro é o segundo, com 18 por cento dos votos. Como Lula está fora, ele é, disparado, o primeiro. Todos os demais não passam dos cinco por cento das intenções de voto.

É esse o Brasil, rachado e sem novas lideranças, que nos espera daqui para a frente. Se não houver alguma mudança muito radical no quadro, Bolsonaro está a um passo se tornar Presidente. Com um discurso de confronto e endurecimento; com guerra contra isso e aquilo; com um discurso e retrocesso da nossa democracia, ainda incipiente, que estamos tentando implantar no país. Ele tem razão no que diz e faz? Na maioria dos casos não. Mas num país em que a maioria quer um bandido como Presidente, um discurso que vá exatamente contra essa mentalidade retrógrada e destrutiva, não parece perfeito para uma mudança drástica? O povo encheu o saco da mesmice, que é o discurso dos demais candidatos. Quer mudar. E quem fala em mudança radical, mesmo com todos os seus riscos? Isso mesmo. Bolsonaro vem aí! Que os céus nos socorram!!

                                       

 

MEIO BILHÃO EM 72 HORAS

Grana. Muita grana. Grana daquela grossa. Mais ou menos 577 milhões de reais. Ou seja, mais de meio bilhão. Esse é o valor injetado na economia de Rondônia em pouco mais de três dias. Isso mesmo! No sábado, dia 18, o Governo do Estado pagou o salário (adiantado) de agosto, para todo o funcionalismo. Mais de 185 milhões de reais. Nessa semana, começam a circular na nossa economia mais de 392 milhões e 300 mil reais, relativos ao pagamento de isonomia aos técnicos administrativos das escolas de 1º e 2º graus, do ex Território de Rondônia. É uma primeira etapa, beneficiando 1.488 profissionais, muitos deles já aposentados e que agora vão ganhar uma bela grana. Uma outra fortuna será paga, mais adiante, às famílias dos que já faleceram e que também tinham direito. Enquanto o restante da economia patina e o desemprego ainda é grande na área privada, fortunas e fortunas são pagas em direitos adquiridos de servidores públicos. E isso que ainda não estão computados os milhares de servidores do ex Território, que têm direito à Transposição e que ainda não receberam tal benefício. Enquanto o resto do país conta os centavos, numa crise sem fim, por aqui temos tudo sorte. Não é para qualquer um receber, na sua economia, mais de meio bi de reais em menos de 72 horas.

 

IBOPE: QUEM SAIRÁ NA FRENTE?

Amanhã tem Ibope. Embora o instituto tenham errado muito em Rondônia (mas teve alguns acertos também!), a primeira pesquisa, na corrida pelo Governo de Rondônia, servirá ao menos para que se saiba quem tem café no bule, como diz o Ratinho ou quem ainda não conseguiu ficar bem com o eleitor. Será, claro, apenas um retrato do momento e antes mesmo de começar a propaganda eleitoral gratuita, que pode mudar completamente o quadro. Expedito Júnior, Acir Gurgacz e Maurão e Carvalho começaram suas campanhas, correndo contra o tempo, porque ela será muito curta.. Eles são  os principais nomes da disputa, nessa largada. O candidato da Rede, Vinicius Miguel, querendo surpreender, também está começando sua caminhada,  principalmente pelas redes sociais. Há ainda uma pequena esperança para o candidato do PSL, que pode ser beneficiado pelo fenômeno Bolsonaro. O coronel Marcos Rocha sonha com o Governo, mesmo sabendo que suas chances são pequenas. A partir daí, os demais postulantes estão mesmo só para participar. Só mesmo um milagre que algum deles se eleja. E como em política não existe milagre...

 

TUCANOS E ALIADOS VÊM COM DEZ

Outra coligação que chega com muita força para a disputa da Câmara Federal é a que une PSDB, DEM, PSD e PRB. A principal estrela dela é a deputada Mariana Carvalho, dona de mais de 60 mil votos na última eleição e que busca mais um mandato. Outros dois pesos pesados do voto também fazem parte do time. Lindomar Garçon (PRB) e Expedito Neto (PSD), querem voltar à Câmara, para mais um mandato. O quarto nome, com poder de fogo e com boas perspectivas na disputa é o do jovem Lucas Follador, vice prefeito de Ariquemes. O grupo vem com outros bons nomes, como o vereador de Ji-Paraná, Afonso da Mabel. De Porto Velho, o DEM buscou o Coronel Lisboa, ligado à Companhia de Trânsito da Polícia Militar. Também da Capital, uma experiente jornalista: Jussara Gotlieb, personagem importante da história recente do Estado.  Entre os nomes novos, estarão no páreo também Jordana Ferreira, do PSD; Luciana Novo, do PSDB e Elise Farina, do DEM. De toda esse grupo de políticos, a intenção é buscar pelo menos três cadeiras da Câmara Federal e lutar por uma quarta. Será que o plano dará certo?

 

SÃO 17 CANDIDATOS PARA DUAS VAGAS

Serão, no total 51 candidatos ao Senado em Rondônia, computando-se os 17 titulares e seus dois suplentes. Por ordem alfabética, a Rede vem com o Pastor e Professor Aluízio Vidal. Seus dois suplentes serão também do mesmo partido: Delegado Márcio Maia e Ivaneide Bandeira. Bosco da Federal, do PPS, também vem com chapa pura. Seus suplentes: Marquinhos Neves e Edson Silva. Carlos Magno, do PP, terá como suplentes Ivone Cassol, do PP  e Edson Depieri, do PTC. Confúcio Moura é do MDB e terá como suplentes também membros do seu partido: Maria Elisa Aguiar e Carlos Milton Morais. Depois vem o Dr. Jozenir Dettoni, do PMB, também com chapa pura. Seus suplentes são Verônica Paema e Maria Carrelli. O Partido Novo vem com Fabrício Jurado comandando a chapa, com os suplentes Fernando Bueno e Alan Arais, da mesma sigla. O PT vem com Fátima Cleide e também composição pura. Lhano Fernandes e Claudinha de Jesus são seus suplentes.

 

SUPLENTES; POUCOS SÃO CONHECIDOS

A extensa lista de candidaturas registradas no TR E prossegue: o PSL também não fez aliança. Jaime Bagatolli comanda a chapa, com João Cipriano e Luiz da Lammy como suplentes. Jesualdo Pires é do PDSB e seus suplentes são também do mesmo partido: o Delegado Júlio César e Jair Marinho. Marcos Rogério é do DEM. Ele tem um suplente do PSDB, Samuel Araújo e outro do DEM, o Pastor Severino. Já outro Pastor, o vereador Edésio Fernandes, tem como primeiro suplente Odacir Soares e Saleno Cândido, ambos também do PBR. A relação sem fim de candidatos ao Senado e seus suplentes continua: do PSTU, Paulo Cadilac encabela uma das candidaturas. Seus suplentes são Márcio Martins e Karen  Fernandes.  Do PRTB, Ted Wilson é o candidato, com Valdinei Gomes e Leila Sueli na suplência. A outra chapa do  PMD tem ainda Irailton Terrinha como candidato, com Alan Bahia e Professor Teixeira como suplentes. O segundo candidato do PSTU é Tito Paz, com Luiz Porto e Charles Nogueira como vices. O MDB conclui a relação, com o senador e ex governador Valdir Raupp encabeçando a chapa, com Tomás Correia e Claudia Muniz na suplência.

 

SEMTRAN AMEAÇA COM MULTA PESADA

Pode-se prever uma longa pendenga judicial pela frente. Os motoristas que usam o aplicativo da Uber não querem se cadastrar na Semtran, em Porto Velho, alegando que a lei municipal que obriga esse registro é inconstitucional. O problema é que a legislação municipal está sendo adaptada à nova realidade do transporte de passageiros em várias cidades do país, com múltiplas exigências a todos os motoristas de aplicativos, inclusive o Uber. No Rio de Janeiro, por exemplo, eles só poderão atuar após cumprir uma série de exigências e contribuir com a Previdência social, entre vários outros requisitos. Perto de 950 motoristas de outros aplicativos – como o Urbano Norte – já se cadastraram na Semtran, pagando 750 reais de taxa anual e apresentando a série de3 documentos exigidos, como uma certidão de bons antecedentes, por exemplo. A turma do Uber não aceitou ainda a determinação e os que forem flagrados sem o aval da Semtran, podem pagar multas que chegam a quase 3.600 reais. A coisa vai ferver daqui para a frente. A Prefeitura promete endurecer a fiscalização. Vamos ver no que vai dar...

 

 PERGUNTINHA

O que você achou da ordem, emitida pelo comitê de direitos humanos da ONU, dominado por esquerdistas, que ordenou ao Governo e à Justiça do Brasil para soltarem imediatamente o presidiário e ex Presidente Lula, além de autorizarem que ele participe da campanha eleitoral?

 

 

 

 

 

 

 

Parceiros

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros