A quem conviveu com os anos áureos do Partido dos Trabalhadores, como uma organização política diferente, séria, cheia de planos para mudar o país, com o foco direcionado totalmente contra a corrupção, restam só lembranças. Criado por intelectuais, que encontraram num operário do ABC paulista a liderança que precisavam, entre os trabalhadores, o PT dominou boa parte da política brasileira, nos últimos 30 anos. Muito pouco restou daquele PT. Inclusive seu grande líder é hoje um prisioneiro, condenado exatamente pela corrupção que ele e seus companheiros tanto juravam combater.  Não era fácil sequer ingressar no PT, há uns 10, 15 anos. Houvesse um fiapo de desconfiança sobre a vida pregressa do pretendente, ele estava fora. Mas isso durou pouco. Só até o partido chegar ao poder. O resto da história, sabemos todos. Em Rondônia, assim em como várias regiões do país, o PT se esfacela. A convenção do partido até agora não tem conclusão, a tal ponto que duas atas foram encaminhadas à Justiça Eleitoral. Uma entregue pelo grupo liderado pelo presidente regional Lazinho da Fetagro, pelo Padre Ton e pelo ex prefeito Roberto Sobrinho. Nela, o partido se alia ao PDT, ao PSB, ao PP, ao PR e não tem candidato ao Governo, nem ao Senado. Alegam, os representantes deste grupo, que é a única forma de conseguir eleger alguém. Na outra, encaminhada horas depois, o outro grupo lança Paulo Benito como candidato a vice na chapa do PSOL, liderada por Pimenta de Rondônia, que disputa o Governo e confirma a candidatura de Fátima Cleide ao Senado. Ambas foram encaminhadas ao TRE. O Tribunal aceitou apenas a primeira, porque estava assinada pelo Presidente do partido e pelo secretário geral. A outra, por enquanto, não tem validade. Vale a que faz aliança com o PDT e vários outros partidos, embora, segundo a turma adversária, ela contrarie decisão do diretório nacional, que exigiu coligação com o PSOL, com o PC do B e o lançamento de Fátima para concorrer ao Senado. 

Nesta terça, Fátima foi a Brasília, acompanhada de alguns membros do partido, entre os que não aceitam a decisão do comando regional. A quarta-feira é o Dia D. O grupo volta de lá ou com o nacional confirmando a ata que já foi registrada na Justiça Eleitoral ou com ordem de intervenção no diretório rondoniense. Quem lembra do poderio petista em Rondônia, exatamente pela união de todos os membros do partido, certamente não sabe mais o que está acontecendo. É uma sucessão de traições, de puxões de cabelo, de troca de cusparadas, gritos e sussurros (tudo isso, claro, no sentido figurado, menos a traição!), que coloca o petismo local igualzinho a vários partidos, que a sigla tanto combateu, durante tantos anos. O PT caminha para seu fim? Lamentavelmente, pelo que esta se registrando em Rondônia e em outros estados, como em Pernambuco, por exemplo, a resposta é positiva!

 

 

 

CHARLON, O OITAVO CANDIDATO

Há um oitavo nome na corrida pelo Governo do Estado. Mais um partido pequeno, o PRTB, decidiu caminhar sozinho e lançou o coronel da PM, Charlon Rocha, para ser o nome da sigla na corrida governamental. Na convenção do partido, Charlon foi aclamado como candidato. O PRTB é o partido do candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro, o coronel Mourão. Charlon já publicou, nas redes sociais, fotos com seus dois padrinhos políticos, em nível nacional: Jair Bolsonaro e seu parceiro de chapa, o combativo e controvertido Mourão. Com isso, estão aptos a disputar o comando do Estado e a sucessão de Daniel Pereira: Maurão de Carvalho (MDB); Acir Gurgacz (PDT); Expedito Júnior (PSDB); Vinicius Miguel (Rede); Pimenta de Rondônia (PSOL);  Marcos Rocha (PDSL); Pedro Nazareno (PSTU) e agora, o oitavo elemento, Charlon, o segundo candidato ao Governo que vai trabalhar pelo nome de Bolsonaro no Estado, já que Marcos Rocha, do PSL, também é da mesma turma.

 

A VOLTA DE EDGAR DO BOI

Praticamente sumido da política local há mais de um ano, o vice prefeito de Porto Velho, Edgar do Boi, reapareceu com bastante força nos últimos dias. Presidente regional do PSDC, ele conseguiu alguns feitos importantes. O primeiro deles foi convencer ao ex deputado e ex presidente da Assembleia Legislativa, Neodi Carlos, a voltar à política, depois de ter decidido cair fora dela. Outra foi, ainda sobre Neodi, coloca-lo como candidato a vice na chapa encabeçada por Acir Gurgacz, que lidera um grupo importante de partidos, incluindo-se aí o PDT, o PSB, o PP e o PR, além do próprio PSDC e outros partidos menores. Edgar rompeu com o prefeito Hildon Chaves poucos meses depois de ambos assumirem a Prefeitura de Porto Velho, envolvido em denúncias que, ao menos ate hoje, não deram em nada. Até aquele momento, Edgar estava atuando principalmente na área de obras públicas, com bastante sucesso e tinha muita influência na administração municipal. O rompimento com o Prefeito colocou-o no ostracismo durante todo esse período. Ele reapareceu agora, novamente colocando seu pequeno PSDC em destaque, na política estadual.

 

ESTATAIS APODRECEM. E NÓS PAGAMOS!

Atenção consumidores (otários) da energia deste Brasil, que vive de sugar sua população, para manter a obesidade mórbida das estatais e dos governos, principalmente a União: vem aí mais uma taxa na energia elétrica, para cobrir o enorme rombo do setor. Que foi causado, exatamente, pela ineficiência das estatais, dos salários de marajás, dos benefícios inacreditáveis  que são pagos a servidores delas e de programas sociais absurdos, claro, tudo vindo do nosso suor. A Aneel, criada para manter o consumidor sob seu jugo e mandar a ele toda a conta da gastança, revisou seu orçamento da “Conta de Desenvolvimento Energético”, mais uma dessas tramoias para arrancar nosso rico dinheirinho. Isso significa que todos nós, vamos assumir uma “continha” de 1 bilhão e 446 milhões de reais. Essa decisão está tomada e, é claro, à nossa revelia. O que isso vai representar? Obviamente que um aumento na conta de energia. Nela já pagamos preços absurdos, mas, mais que isso, pagamos uma conta que foi feita durante anos, para manter a mordomia deles e nossa situação de penúria. Recebendo um serviço de má qualidade, ainda temos que bancar essa sem vergonhice. Não há o que não tenha sido feito contra os pobres consumidores deste país. Vade Retro, estatais podres!

SOCIALISMO COM NOSSO SUOR

Tem mais ainda! O aumento das contas de luz fará com que paguemos, sem sermos consultados e empurrando-nos goela abaixo, uma série de programas de governo. Com o chapéu alheio, a União vai ampliar esse Fundo pornográfico, com o qual não só pagará indenizações para empresa (temos culpa?): subsídio para pagar conta de luz de famílias de baixa renda (é constitucional um absurdo desses?); compra de combustível usado pelas termelétricas da região Norte e ainda para financiar o programa Luz para Todos.  Ou seja, além de termos que pagar as contas dessas empresas que vivem no luxo, da porta para dentro, mas geralmente são um desastre, da porta para fora, ainda temos que aceitar a socialização do abastecimento de energia em todo o país. Como todo o dinheiro dos nossos impostos é destinado para bancar a obesidade estratosférica do governo central e de vários governos que temos nesse país, não há grana oficial para bancar os programas sociais que eles criam, mas nós pagamos. Uma vergonha, num Brasil que está à deriva e onde, todos os dias, burocratas inventam novos impostos, tributos, taxas e Fundos disso e daquilo, para continuarem explorando o trabalhador comum. Tratam-nos, realmente, como idiotas. E nos dão esse diploma todos os dias, já que aceitamos tudo isso passivamente.

 

O EXEMPLO POSITIVO DA POLÍCIA

Ao participar do programa Papo de Redação, com os Dinossauros Everton Leoni, Domingues Junior, Jorge Peixoto, Beni Andrade e Sérgio Pires, nesta terça, na Rádio Parecis FM (de segunda a sexta, do meio dia às 14 e aos sábados, na  SICTV, do meio dia às 14 horas também), o delegado geral da Polícia Civil do Estado, Eliseu Muller, fez um balanço extremamente positivo das ações da área que comanda. Falou sobre as inovações, sobre os avanços da polícia e apresentou números que comprovam tudo o que disse. Um dos que mais chamou a atenção é que os policiais rondonienses conseguiram resolver 63 por cento dos crimes de morte no Estado. Na Capital, esse número chega a surpreendentes 92 por cento, enquanto a média nacional de assassinatos esclarecidos é de apenas  10 por cento. Outros números da Civil, referentes ao ano passado: uma tonelada de drogas apreendida; 93 mil carteiras de identidade expedidas; mais de 140 operações policiais realizadas, ou seja, uma a cada dois dias e meio; mais de seis mil prisões efetuadas. Muller também elogiou o novo sistema das Unisp, pela qualidade dos prédios e o quanto isso dá qualidade ao trabalho policial e destacou que o relacionamento com a Polícia Militar, no estado, é bastante positivo.  Em Rondônia, temos a prova concreta da eficiência da polícia. Não fossem as leis feitas para proteger bandido, nossa segurança pública seria exemplar. O problema é que a polícia faz seu trabalho, mas a legislação, amiga do crime, obriga que eles sejam soltos, para voltarem a cometer os mesmos crimes, inúmeras vezes, em alguns casos.

 

A CRUELDADE E A BR MORTAL

Dois eventos na área policial sacudiram a terça-feira, em Rondônia. Ambas terríveis, assustadoras, recheadas de dor e cara de tragédia. O primeiro caso é daqueles que não se consegue compreender como ninguém descobriu. Uma menina, cega, vinha sendo estuprada por um vizinho desde os oito anos de idade. Só decidiu denunciar agora, quase oito anos depois. O tarado ao invés de levá-la à escola, desviava o caminho e atacava a criança, hoje uma jovem. O que fazer com um desgraçado desses? Tratá-lo como um doente e deixar por isso mesmo? No país da impunidade, como combater crimes cruéis como esses, com a legislação que nós temos agora, em que assassinos, membros das gangues, traficantes, são tratados apenas como vítimas de uma sociedade desigual? Pena de morte é demais, mas prisão perpétua para crimes semelhantes, não seria o caso? O segundo evento foi no trânsito, o mesmo que mata quase 50 mil brasileiros por ano. No interior, perto de Rio Crespo, na BR 364, outro acidente fatal matou dois adultos e um bebê. Alta velocidade, de novo, a principal suspeita. Dia terrível, para se esquecer, na nossa ainda violenta Rondônia.

 

PERGUNTINHA

Quem você escolheria, entre os oito candidatos já confirmados ao Governo (Maurão de Carvalho, Acir Gurgacz, Expedito Júnior, Vinicius Miguel, Marcos Rocha, Pimenta de Rondônia, Pedro Nazareno e Charlon Rocha), para dar seu voto em 7 de outubro próximo?

 

Parceiros

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros