Este sábado, dia 21, deve ser o Dia D para os tucanos e seus aliados no Estado. Numa reunião programada para Ji-Paraná, uma pré convenção agendada deve terminar com o lançamento oficial do nome de Expedito Júnior para a disputa do Governo do Estado. E a reunião com lideranças do PSDB, do DEM e do PSB, será testemunhada por um dos principais nomes do tucanato nacional, o candidato à Presidência, Geraldo Alkmin. Ele virá a Ji-Paraná com a principal missão de prestigiar o lançamento do nome de Expedito, para a corrida ao Governo rondoniense. Não será a convenção definitiva, porque esta só será realizada mais à frente, quando todo o arco de alianças estiver fechado. O grupo de Expedito ainda está negociando com a turma de Ivo Cassol, que só entrará no Frentão, caso a coligação oferte uma das vagas ao Senado ao ex prefeito, ex deputado federal e ex vice governador Carlos Magno. A outra vaga será anunciada neste sábado. O nome para ela é o do atual deputado federal Marcos Rogério, do DEM, que entrou na aliança com essa exigência. Caso Carlos Magno será confirmado mais à frente, o PRB de Lindomar Garçon deixa o grupo, porque o partido só se aliará a quem garantir vaga ao Senado ao seu candidato, o vereador e Pastor da Igreja Universal, Edésio Fernandes.  No  convite distribuído para o evento de sábado, no Espaço Mediterrâneo Fest, em Jipa, a partir das 9 horas da manhã, é esperada também a presença de várias lideranças de outros partidos, que estão negociando para ingressar na coligação. Até esta quinta, Expedito não tinha se pronunciado ainda sobre a oficialização da própria candidatura, mas, nos bastidores, ninguém duvida que isso vá acontecer neste sábado, com a presença de Geraldo Alkmin.

Já existem algumas candidaturas postas ao Governo. Das que têm viabilidade concreta, a que mais está crescendo é a de Maurão de Carvalho, do MDB, há mais tempo  na estrada. Acir Gurgacz, do PDT e PSB, além de outros partidos menores, também está garantido na corrida, inclusive com o apoio importante do governador Daniel Pereira. Entra no jogo agora Expedito Júnior, outro político rondoniense muito bom de voto, que tem uma eleitorado cativo e sempre se posiciona muito bem em todas as pesquisas que são feitas, em todas as regiões do Estado. Como trunfo, ele poderá ter ainda o apoio de Cassol que, até ser impedido de concorrer, era ele o líder das pesquisas para o Governo. O jovem Vinicius Miguel, da Rede, corre por fora, mas com pouca estrutura, pouco espaço no horário eleitoral e sem dinheiro para uma campanha caríssima, tem chances menores. Assim como o petista Paulo Benito, que terá dinheiro e tempo para campanha, mas, contra si, a descrença da maioria do eleitorado nas causas e nas ideias do seu partido. E ainda tem o candidato de Jair Bolsonaro, José Jodan, que não se sabe até onde pode ir. Enfim, o funil está levando, para a reta final, uma disputa que se anuncia das mais acirradas.

 

 

O PP LANÇA CARLOS MAGNO

Sábado pela manhã, o encontro do PSDB/DEM e PSD, em Ji-Paraná. À tarde estará acontecendo outra reunião política importante. O PP, liderado por Ivo Cassol, realiza festa com aliados para oficializar o lançamento de Carlos Magno ao Senado. O evento está agendada para começar às 13 horas, no Elegance Festas e Eventos em Ouro Preto do  Oeste, cidade onde Magno já foi prefeito, com grande sucesso. Tanto o senador Ivo Cassol quanto a presidente do PP, Jaqueline Cassol, assinam convite para o encontro político de grande relevância para a região. O ingresso do nome de Carlos Magno entre os que vão disputar duas cadeiras ao Senado, mexe um pouco no quadro. O MDB está repensando seus dois nomes, já que pode fechar um acordo com o PP dos Cassol, para fazer uma dobradinha ao Senado, com Raupp e Magno. Confúcio ficaria fora, nesse raciocínio.  Mas o partido também pode fechar com a coligação liderada por Expedito Júnior, que garantiria a segunda vaga para Magno, enquanto a primeira seria de Marcos Rogério. O problema é que a região central do Estado teria três nomes peso pesados na disputa: Jesualdo Pires, Marcos Rogério e o próprio Magno. O xadrez da política está sendo jogado. Qual será a próxima jogada?

 

CONFÚCIO QUER CHAPA DA UNIÃO

Num texto em que pede paz e união do MDB, o ex governador Confúcio Moura fez em seu Blog, nesta quarta, um apelo aos convencionais do partido para que acolham a sua candidatura e a de Valdir Raupp ao Senado e não apenas a de Raupp, como está se desenhando. “Nada justifica os convencionais e delegados do MDB negar a oportunidade da minha candidatura ao Senado Federal, uma vez que na minha trajetória, desde o início dos anos 80 nunca fui de outro partido.”, escreveu. Depois: “A minha chapa é: para governador deputado Maurão de Carvalho, para Senadores Valdir Raupp e Confúcio Moura,  a Chapa da União. Vamos radicalizar na unidade”. Foi mais longe: “Nós podemos até divergir em certos pontos, porque o partido é democrático, mas se temos duas vagas disponíveis, repito, duas vagas disponíveis para o partido escolher, não há motivo nenhum para a exclusão de um companheiro de partido que honrou ao longo do tempo a sigla MDB!” E concluiu:  “Quando teremos a oportunidade de eleger dois senadores para o futuro, quando teremos a oportunidade de eleger um novo governador do MDB no Estado de Rondônia, não é? Então, com isso, a minha solicitação é de apoio à Chapa da União”. O recado foi dado...

 

O ADEUS CHEIO DE EMOÇÃO

A despedida ao ex deputado e empresário Chagas Neto, que morreu nesta segunda à noite, foi das mais pungentes. Dezenas e dezenas de amigos, parceiros, simpatizantes, empresários e gente simples, daquela que ele tanto ajudou em sua vida, construindo grande número de conjuntos habitacionais em Porto Velho, se revezaram durante todo o dia, na Funerária São Cristóvão, para dar o adeus a um personagem inesquecível na história do nosso Estado. Mesmo com muitos problemas de saúde – inclusive um transplante de rins e quatro pontes de safena – Chagas lutava bravamente, continuava seus negócios, os ampliava e, nos últimos meses, estava extremamente otimista com sua candidatura à Assembleia Legislativa. Nas pesquisas informais, seu nome sempre era um dos primeiros citados pelo eleitorado, principalmente na Capital. A morte o surpreendeu depois de um tumor na cabeça, que debilitou ainda mais seu organismo e acabou por derrotá-lo, com um ataque cardíaco fulminante, ao anoitecer da segunda-feira. Seu corpo será cremado em Belém e as cinzas enterradas em Porto Velho. Chaguinhas leva consigo uma parte importante da nossa recente história!

 

EXTREMISMO IDIOTA!

No país dos desatinos, temos que conviver com bobagens como o pedido do Movimento Brasil Livre (MBL), que quer que a Justiça  Eleitoral anuncie que Lula é inelegível, antes mesmo das convenções e prazos da Legislação vigente. Ou seja, que alguém seja considerado fora do jogo antes de entrar oficialmente no jogo. Estranho que o MBL nunca tenha exigido a mudança na esdrúxula lei brasileira, que permite que presidiários possam disputar eleições e terem seus nomes incluídos em pesquisas eleitorais. Se o pedisse, provavelmente alguns dos nomes mais importantes ligados a ele, MBL, também teriam  sérios problemas com a Justiça. Já no outro extremo, nosso país foi horrivelmente representado por duas mulheres, no famigerado Fórum de São Paulo, realizado dessa vez em Cuba do Fidel que morreu, mas seus apaixonados fãs não! A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann e a ex presidente  Dilma Rousseff disseram uma sucessão de asneiras, incluindo palavreado recheado de frases idiotas sobre Lula Livre e contra o Judiciário brasileiro, que deixariam qualquer pessoa normal ruborizada! Por essa radicalização dos dois lados, é que estamos sendo jogados nos braços de extremistas como Jair Bolsonaro. Esses idiotas não têm cura mesmo!

 

A CAERD E SEUS MILAGRES

Vão ser necessários muito mais do que drásticos cortes nos custos e o aumento da arrecadação, para que a Caerd se torne uma empresa viável. Será preciso, ao mesmo tempo, múltiplos milagres, até pela dívida impagável que a empresa  tem no mercado. Mesmo assim, há que se registrar que houve sim avanços significativos na estatal, desde que assumiu a nova diretoria, indicada e escolhida pelos próprios funcionários. O presidente José Irineu Ferreira e seus companheiros conseguiram números extremamente positivos, em muito pouco tempo. Por exemplo: dos cinco salários atrasados, três já foram pagos e um quarto o será neste final de semana. Até outubro, José Irineu garante que a Caerd estará pagando todos os seus servidores dentro do mês trabalhado, além é claro, de colocar todos os atrasados em dia. Como isso foi possível? Inicialmente, com uma economia de 1 milhão de reais, com a saída de dezenas de apaniguados e “emprestados”,  que recebiam altos salários, mesmo numa empresa quebrada. A batalha para aumentar o faturamento de 9 milhões para 11 milhões e a promessa de universalização da água para toda Porto Velho, são outras metas perseguidas. Não fosse a divida quase bilionária e se continuar a ser administrada do jeito que está sendo, a Caerd até poderia ter cura. Mas, devendo tanto, não se sabe até onde conseguirá ir...

 

PLANO ZERO PARA VIAGENS

Nem em julho,  nem em agosto, nem em setembro, nem em outubro...Provavelmente até o final do atual mandato, o governador Daniel Pereira não viajará para o exterior. Portanto, não há, pelo menos até esse momento, qualquer possibilidade de que o competente desembargador Walter Waltenberg Júnior assuma interinamente o comando do Estado, na condição de presidente do Tribunal de Justiça do Estado. Como Daniel não tem vice, caso viajasse ao exterior, seu substituto seria o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho, que certamente não assumiria porque, se o fizesse, estaria impedido de disputar o Governo. Obviamente que essa possibilidade não passa pela cabeça de Maurão. O terceiro nome na ordem constitucional é o do presidente do TJ. Notícias de alguns sites e nas redes sociais comentavam que Daniel teria viagens agendadas para a Bolívia e Peru. O próprio Governador desmentiu a informação, nesta terça, à coluna. Nada de planos de viagem. Nada de troca de comando, ao menos até janeiro do ano que vem, quando assumirá o eleito em novembro. O plano básico de Daniel Pereira é unicamente concluir o governo com resultados positivos e entregá-lo ao sucessor (se for outro!), com tudo no azul.

 

PERGUNTINHA

Confúcio Moura, Valdir Raupp, Jesualdo Pires, Marcos Rogério, Carlos Magno, Fátima Cleide e Aluízio Vidal: entre esses nomes, os mais conhecidos na corrida pelo Senado, quais seriam seus dois votos?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceiros

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros