Sérgio Pires 19/01/2017

A NOVA RODOVIÁRIA DA CAPITAL CUSTARÁ 50 MILHÕES DE REAIS

Quando concluída, será um dos mais belos prédios públicos de Porto Velho. Terá nove mil metros quadrados de área construída, 18 plataformas de embarque e desembarque e, de longe, se verá que é um barco de cabeça para baixo. Será também uma espécie de shopping, com várias lojas. O projeto é de uma obra arquitetônica de tirar o fôlego, pela sua beleza e tamanho. Custará 50 milhões de reais e será construída pelo DER, o departamento de obras públicas do Estado. A nova Rodoviária de Porto Velho, ao que parece, começará enfim a se tornar realidade. E sairá do centro da cidade, indo provavelmente para um enorme terreno próximo à BR 364, muito próximo ao Cemetron. Criado pelos especialistas da  Gerência de Infraestrutura e Ações Urbanísticas, o projeto depende apenas agora dos últimos detalhes, já que o DER  deu entrada na Prefeitura em todas a licenças: Regularização Fundiária do Terreno; Relatório de Impacto de Trânsito; Relatório de Impacto de Vizinhança e Licença Ambiental. Não haverá surpresas dessa vez, com pedidos de última hora de licenças, como ocorreu com na obra do Espaço Alternativo. O diretor geral do DER, Ezequiel Neiva, fala com orgulho do projeto e garante que, quando a obra começar, não vai parar mais, até ser entregue à comunidade.

A Rodoviária de Porto Velho é daquelas promessas que ficaram atravessadas na garganta da população. Quando assumiu a Prefeitura, já em seu primeiro mandato, o então prefeito Roberto Sobrinho começou a tratar do assunto. Antes de sair, no seu segundo mandato, deixou um decreto desapropriando a área do centro e um projeto da nova rodoviária muito bem feito.  Mauro Nazif, nos seus quatro anos, sequer fez andar o assunto, alegando que o terreno da Rodoviária é do Estado e que o problema era do DER. Enfim, agora, o DER assumiu mesmo o assunto e promete fazer a nova Rodoviária. O que faltou de vital, nos textos distribuídos à imprensa, sobre o assunto? Aquela informaçãozinha básica: quanto começa e quando terminará a construção. Será só uma nova promessa ou dessa vez a coisa é quente mesmo. O tempo dirá!!!

 

 

O MUITO RUIM VAI PIORAR!

Os Correios, que junto com os Bombeiros, tornara-se uma das duas instituições mais respeitadas pelos brasileiros, está agora em frangalhos, desde os governos petistas, que também conseguiram destruir a estatal. Precisando economizar mais de 800 milhões de reais, para reequilibrar suas finanças, os Correios estão com um plano de demissão voluntária, para livrar-se de centenas de funcionários. Só em Rondônia, há 76 servidores da estatal, com o perfil exigido pela lei criada para que possam deixar a empresa, receber indenização e cair fora. Como os serviços já estão horrorosos, sem perspectiva de novas contratações e tentando se livrar de seus funcionários mais experientes – que tenham mais de 55 anos de idade e 35 anos de empresa – certamente as coisas ficarão ainda piores para o usuário É assim o Brasil: o que já está muito ruim, vamos tratar de piorar... 

                                                                                             

RONDÔNIA CAINDO FORA

Rondônia é apenas um dos Estados que está contra o tal Plano Nacional de Segurança, mais um remendo proposto pelo governo federal, apenas para responder à crise atual dos presídios. O secretário de segurança, coronel Lioberto Caetano, afirmou com todas as letras que o  plano apresentado pela União não atende às necessidades dos Estados. Caetano, que foi destaque na mídia nacional, esteve na reunião que tratou do assunto, em Brasília e que teve a  participação de representantes e secretários estaduais de todo o País, que atuam na área de segurança. A maioria dos governadores e seus secretários da área querem a criação de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional), que garante aos Estados, recursos contínuos,  diretamente para combater a criminalidade. A coisa complicou a tal ponto que a assinatura do Plano foi transferida. Seria nessa quarta, mas já não se sabe se acontecerá algum dia...

 

E AS FRONTEIRAS?

Uma das questões mais complexas para Rondônia – e que o Plano Nacional de Segurança do governo federal sequer trata – é sobre as fronteiras. Rondônia tem mais de 1.300 quilômetros de fronteira com a Bolívia, maior produtor de cocaína do mundo e de onde vêm também muitas armas ilegais, entrando no Brasil por inúmeros caminhos nunca policiados. O coronel Caetano quer saber quem ficará responsável pelo combate ao crime nas fronteiras. Se for o Estado, de onde virão os recursos? Ele garantiu que se esse tipo de informação não ficar muito clara no projeto apresentado pela União, Rondônia não vai assinar o Plano. Está certíssimo. O governo central cria projetos midiáticos e depois atira para os Estados a responsabilidade de cumpri-los, mas sem ter de onde tirar dinheiro. Falou certo, o secretário rondoniense.

 

ASSASSINO À SOLTA

Há um homicida enfurecido, solto na região de Mirante da Serra. Depois de matar a ex mulher e o namorado dela, covardemente, sem chance de defesa aos dois (a mulher ele matou a coronhadas, estourando o crâneo dela), o pecuarista César Santos fugiu e já avisou que vai matar mais gente. Mandou recado que vai atirar nos ex sogros e até nos filhos que ele teve com a esposa, a quem assassinou de forma brutal. A polícia tentou cercá-lo numa propriedade rural, mas ele conseguiu escapar. É bom ter muito cuidado. O homem parece estar enlouquecido, está armado e teria dito que prefere morrer a se entregar à polícia. Qualquer informação sobre o paradeiro dele, pode ser dado através dos telefones da PM na região ou pelo 190. Seria melhor ele se entregar, porque logo logo estaria solto de novo. É sempre bom lembrar das leis brasileiras, protetoras dos bandidos e assassinos.

 

PRESENTE AO SÃO FRANCISCO

Os moradores do bairro São Francisco viveram, na manhã desta quarta, um dia diferente. O bairro, localizado na Zona Leste, depois do Tancredo Neves, nunca tinha visto uma limpeza no Canal do Linhão, um dos seus maiores problemas. De responsabilidade da Eletrobras Rondônia, o tal Canal é um antro de sujeira, animais peçonhentos, podridão e mau cheiro. Quando o prefeito Hildon Chaves chegou no local, à frente de uma equipe da Prefeitura, que começou a fazer o trabalho inédito no canal, os moradores começaram a sair de suas casas, quase sem acreditar no que estavam vendo. Na conversa com a população do local, Hildon avisou que está realizando uma limpeza geral na cidade, nesses seus primeiros dias de governo e que atenderá, da mesma forma, áreas que estavam abandonadas, sem a presença do poder público, há longo tempo. O caso do Canal do Linhão é típico. O prefeito ficou feliz ao sair do local aplaudido pelos moradores.

 

PERGUNTINHA

Não é um orgulho para Rondônia ter, entre suas personalidades, um cidadão como Euro Tourinho, que chega aos 95 anos ainda trabalhando e prestes a comemorar o centenário do seu jornal, o Alto Madeira?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 1

Sérgio Pires 18/01/2017

ESTAMOS SOB O DOMÍNIO DO CRIME E GOVERNADOS POR MEDROSOS

O governo federal anuncia a entrada não só da Força Nacional de Segurança, mas também no Exército no controle dos presídios no país. Não é solução. O problema é que o governo está desgovernado. Desde os irresponsáveis aloprados da esquerda, que quase destruíram o país em mais de uma década de desmanche e achaque aos cofres públicos e como graves problemas que continuam no comando pífio de Michel Temer, que até agora não disse a que veio. Temer parece um sujeito medroso, que conta até mil antes de tomar uma decisão, qualquer que pareça ser contra os interesses dos poderosos que o cercam, assim como cercaram Lula e Dilma e que são corresponsáveis pela situação em que nosso país se encontra. Tivesse coragem, Temer começaria já a mudar as leis, por esse arremedo do “moderno” Código Penal, modificado para muito pior, por meia dúzia de aloprados ideológicos, chamados pelos petistas de “notáveis”., Esses mesmos que colocaram no Código sete anos de prisão para quem agride um animal e seis meses, apenas, por tentativa de homicídio, mesmo grave. Longos anos de prisão e multa pesada para quem mata uma paca e prisão “inicialmente em regime fechado”, ou seja, já prevendo a breve soltura, a quem comete os mais terríveis crimes contra seres humanos. Sem coragem, Temer já deveria ter mandado rasgar esse besteirol praticado por doentes da esquerda e enviado ao Congresso um pacote de leis decentes, para combater a criminalidade e punir, com o mais duro isolamento, caso necessário, os chefões do crime que o comandam dentro de fora das cadeias.

Ainda tem muita gente de fica de “mimimi”, preocupada até com o palavreado que usa quando fala sobre assassinos e chefes do crime organizado, mas que não abre a santa boca para defender pessoas de bem, vítimas desses canalhas. Agora, são os defensores púbicos que querem limpar os presídios, como se a sociedade é que fosse culpada pela superlotação e não o aumento absurdo da criminalidade. Esse tipo de gente, que grita em defesa do direito dos bandidos, mas se cala para defender as vítimas, tem que ser expulsa do serviço público brasileiro. Que vão defender bandidos como advogados, mas não com salários pagos pelas vítimas, através dos seus impostos. Temer teme. Ou seja, estamos sob o tacão do crime e governados por medrosos. Estamos é ferrados!

 

 

O PROTESTO DA NOMEADA

Na segunda-feira, o prefeito Hildon Chaves preencheu dezenas e dezenas de cargos comissionados na Prefeitura. Muitos deles estavam vagos desde a troca de governo municipal, já que os nomeados por Mauro Nazif haviam sido exonerados no último dia do ano passado. Ao todo, cerca de 260 cargos tiveram seus ocupantes nomeados, numa grande relação já publicada no Diário Oficial do município. A curiosidade das indicações ficou por conta de uma mulher, Maria Marta Amorim, nomeada com um CC 14 (salário de 3.900 reais), que publicou um desabafo nas redes sociais, protestando contra o que considerou “tudo muito desleal” e que “vivemos um filme como o Tropa de Elite”! Dona Maria Marta reclamou bastante, deixando se entender que ela ajudou muito na campanha e acabou recebendo bem pouco em troca. Ou seja, a tendência é que a nomeação da dona Maria Marta não seja tão duradoura assim, como ela esperava...

 

DIRETORA PODEROSA

O contrário aconteceu com a diretora da Maternidade Mãe Esperança, a dra. Cláudia Gaspar Nogueira, que mostrou ser poderosa. Ela comandou da Maternidade durante o governo Mauro Nazif e, poucos dias da posse de Hildon Chaves, foi exonerada do cargo. Não durou 24 horas a decisão, porque a médica foi nomeada novamente para o posto, onde permanecerá,. Cláudia teve uma administração complicada e cheia de problemas. Nunca a Maternidade sofreu tantas críticas e teve tantos problemas. Prova disso é a mídia (principalmente os telejornais da SICTV/Record), que mostrou uma série de críticas, denúncias e protestos de pais, sobre o atendimento no hospital onde nascem anualmente centenas de crianças. Mesmo assim, a doutora Cláudia tem a confiança do secretário de saúde, Alexandre Brito e do prefeito que a nomeou de novo. Ou seja, ambos avalizaram o nome dela. Esperemos que nessa administração, as coisas andem melhores do que nos tempos de Nazif.

 

GRANDES EMPREENDIMENTOS

Na democracia, vale a pena ouvir a opinião de todos. Mas, claro, cada um tem que tomar sua posição. É o que faz a coluna em relação à doação de um terreno, proposto pelo Executivo e aprovado na Câmara de Vereadores, para que a empresa Irmãos Gonçalves construa um Shopping na zona leste da Capital. Há quem ache que o negócio não foi feito com clareza. Na verdade, tudo pareceu ser realizado dentro da maior transparência. O que o município fez foi doar trecho de uma rua, para que a empresa pudesse construir uma superestrutura, que permitirá a Porto Velho ter mais um investimento empresarial enorme, com perspectivas de mais de 500 empregos diretos. Para se comparar, a mesma rede de mercados está construindo um shopping em Ji-Paraná, com investimentos de mais de 30 milhões de reais e que dará 600 empregos. Só com má vontade, para se contestar um avanço de tal grandeza para Porto Velho e para Rondônia.  Respeitam-se opiniões contrárias, mas que é um grande avanço para todos nós, é sim...

 

LIVRE, LEVES, SOLTOS...

Tem um grupo de bandidos que adora destruir a agência do Banco do Brasil na avenida  Amazonas, próximo à Guaporé. No ano passado, a agência foi atacada seis vezes. Com dinamite. Os caixas eletrônicos foram estourados. Ninguém até agora foi preso. Então, o grupo (só pode ser o mesmo, porque todas as vezes que roubaram o banco, jamais nada lhes aconteceu), fez uma nova “visitinha” noturna à agência, destruindo tudo de novo, à base de bananas de dinamite, para roubar os caixas. Ninguém viu, ninguém resistiu. Não há vigilância nos bancos, deixando a população próxima às agências à sua própria sorte. Como não há policiamento também, fica moleza para a bandidagem agir livre, leve e solta, explodindo tudo o que vê pela frente. Os bandidos deveriam comunicar à imprensa para quando está agendado o próximo ataque, já que eles o farão, de novo, sem qualquer resistência. Ao menos se terá imagens ao vivo da ação...

 

HERÓI NACIONAL

Um tal de Guilherme Boulos, que se perdeu no tempo e ainda acha que o Brasil está sob um governo sem rumo e sem comando,  se auto intitula líder de um tal Movimento dos Trabalhadores Sem Teto de São Paulo. Diz que a Justiça  brasileira é “elitista e covarde”, por determinar reintegração de posse de área particular, invadida por 700 famílias, como se a propriedade fosse delas. Na reintegração, essa semana, Boulos incitava os pobres a quem comanda a resistir à PM e foi preso. Seus companheiros acharam absurda a detenção, apenas porque ele queria que o populacho batesse nos PMs que estavam ali a mando da Justiça. É um deboche contra as leis brasileiras, que já são pífias e ainda protegem esse tipo de figura. Pior é que um sujeito como esse Boulos pode acabar ainda se tornando herói nacional. Só no Brasil, mesmo!..

 

PERGUNTINHA

Se na nova eleição do novo prefeito de Guajará Mirim, que acontecerá em março, o eleito for novamente impugnado pela Justiça Eleitoral, quando será que teremos a terceira eleição para Prefeitura da cidade?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 2

Sérgio Pires 16/01/2017

PRESÍDIOS: A GUERRA É APENAS DE BANDIDO CONTRA BANDIDO

É verdade que, sem o controle de fronteiras, não há como ao menos diminuir a entrada de drogas e armas no Brasil. Por Rondônia, numa fronteira de mais de 1.300 quilômetros que temos com a Bolívia, há pelo menos 200 locais conhecidos das autoridades policiais por onde vêm a droga e armas e saem carros e motos roubados, mercadorias de troca. É verdade também que alguns dos maiores chefões do crime organizado estão em prisões federais, onde deveriam ficar isolados. Mas, quem acreditar nesse isolamento é muito ingênuo, a ponto de acreditar em Papai Noel. Dos grandões saem as ordens para roubos, assaltos, assassinatos e lavagem de dinheiro. Saem também ordens sobre confrontos nas prisões; sobre quem deve viver e quem deve morrer. O isolamento dos chefões é história da Carochinha, apenas para enganar trouxas. São eles que mandam e desmandam. São eles que orientam e decidem. E ai de quem não os obedecer! Por isso, é bom que se esclareça outra invenção que estão tentando nos empurrar goela abaixo. As chacinas que têm ocorrido em vários presídios pelo país (felizmente, dessa vez, Rondônia está fora dessa triste realidade), nada têm a ver com fronteiras, armas,  drogas ou superlotação dos presídios, assim como eventuais péssimas qualidades de vida dos presos. Essa falácia de que as cadeias estão superlotadas e são desumanas, ao menos nesse momento,  escondem a verdade: a guerra nas cadeias tem a ver com batalha por espaço, por  domínio  de território. São chefões mandando matar gente de outras facções, para que o domínio da área não seja feito por grupos rivais.

O governo trata essa assunto como se não soubesse da verdade. A cada chacina, anuncia liberação de verbas para construir mais presídios, como se isso, por si só, resolvesse tudo. Pode-se construir 20 novos presídios em cada Estado, que a guerra vai continuar. Os bandidões não estão brigando por nada que seja justo e humano. Matam-se pelo dinheiro, pelo poder do dinheiro, por ter mais lugares para vender a droga que traficam e as armas que trazem para matar inocentes, embora elas matem bandidões também. A crise nos presídios existe porque misturam-se criminosos de vários grupos e deixam que eles se matem. Essa é a verdade. O resto é conversa de político, feita pra boi dormir.

 

 

NOMEAR PETISTAS?

Surgem críticas ao prefeito Hildon Chaves pela nomeação de tucanos para seu governo. Ora, nomearia quem, um prefeito eleito pelo tucanato? Gente do PMDB e do PT? Indicados do seu principal adversário Léo Moraes? Obviamente que as críticas nesse sentido não têm qualquer fundamento. O que se poderia questionar é o fato de que, na campanha, Hildon anunciou aos quatro ventos que iria fazer um governo de técnicos e não de políticos, mas, ao menos por enquanto, são muitos políticos e poucos técnicos. A pressão sobre o Prefeito, aliás, é fortíssima. Todos os aliados querem alguma fatia do butim. Até o PSDC do vice Edgar do Boi anda torcendo o nariz, porque queria mais espaço e, por enquanto, não o está ocupando. Hildon  precisará de muito jogo de cintura, para superar essa fase complicada do início do seu governo.

 

O HOMEM DO TRÂNSITO

O nome da esperança por um trânsito melhor para Porto Velho é Marden de Carvalho Negrão. Especialista que já trabalhou em São Paulo, chega com uma nova visão para o trânsito, pensando em humanização, em educação e em orientação, ao invés do sistema do governo anterior, onde a principal missão dos agentes de trânsito, era preencher prontuários de multas. A intenção agora é levar as questões do caótico trânsito de Porto Velho, onde dezenas de motociclistas, por exemplo, morrem ou ficam aleijados, todo o ano, para dentro da sala de aula, entre outras ações. Não será fácil a tarefa do técnico importado pelo prefeito Hildon Chaves. Mas ao menos há a esperança de que o assunto esteja nas mãos de um especialista. Porque os amadores e palpiteiros nunca resolveram nada. Vamos aguardar para ver o que vai acontecer. E se as melhorias vão chegar dentro do menor prazo possível.

 

SOB INVESTIGAÇÃO?

A lavagem de dinheiro é uma das pontas vitais do crime organizado. O dinheiro vindo das drogas, de roubos a banco, assaltos, muitas vezes é transformado na compra de negócios lícitos, para que o produto do ilícito possa parecer coisa normal na nossa economia. Aqui em Porto Velho, certamente já há investigações em curso sobre alguns setores onde há forte suspeita de que o dinheiro do tráfico esteja sendo usado para criação de várias formas de negócios. Indícios de que um grande “empresário” do crime, que está no Presídio Federal, seria o chefe de empresas na Capital, certamente já devem estar sendo analisados pelas chamadas autoridades competentes. Até em pequenos empreendimentos haveria o dedo do crime, comandado de dentro das cadeias. Claro que não é só aqui. Em todo o Brasil, os poderosos que mandam e desmandam nas questões da violência, lavam dinheiro com grande facilidade. Será que um dia se saberá exatamente quais os negócios lícitos só na aparência, que eles estão envolvidos?

 

PEQUENOS, MAS IMPORTANTES

Já se observam ações da nova administração de Porto Velho. Nada que se diga que são coisas grandes e transformadoras. Pelo contrário: Hildon Chaves e alguns dos seus secretários têm realizado várias pequenas ações, demonstrando que é possível sim recuperar o alto astral da Capital, que está quase entregue às traças. As medidas, inclusive midiáticas, tomadas pelo secretário Ocampo Fernandes em relação à Estrada de Ferro Madeira Mamoré, ao menos mexem com o assunto e apontam que haverá um grande esforço para melhorar a situação do nosso principal patrimônio. Tem que se destacar também o trabalho de limpeza geral realizado no único ginásio esportivo da Prefeitura (que o povo chama de Ginásio Dudu) e em outros locais, promovidos pela secretário de Esportes e Lazer, Ivonete Gomes. Claro que ainda é muito pouco, mas em menos de duas semanas, o novo estilo da Prefeitura dá sinais de que podemos ter esperança de, ao menos algumas coisas importantes vão mudar na nossa cidade. Torçamos, pois!

 

SELVAGERIA IMPUNE

Continua a selvageria contra as mulheres. Dessa vez foi na pequena Mirante da Serra, onde um ex marido enciumado matou  a mãe dos seus filhos a golpe de coronhada na cabeça (um crime brutal) e ainda o atual companheiro dela. O que leva um empresário como ele a praticar um crime desse tipo, esfacelando a cabeça da ex mulher com uma fúria assassina impressionante? Claro, o machismo; o sentimento de propriedade do homem sobre a mulher; o típico canalha que diz que “se ela não é minha, não será de ninguém”!. Quando for julgado, os defensores do assassino vão fazer de tudo para destruir a imagem pessoal da vítima. E há vezes, com esse tipo de crime que vai a júri popular, em que o  vagabundo matador ainda é tratado como pobre coitado. Enquanto as leis brasileiras protegerem os maus, as pessoas do bem só serão lembradas em missas de aniversário da morte. Já  o bandido acabará solto, mais dia, menos dia. Lamentável!

 

PERGUNTINHA

Você  acha que as chacinas nos presídios têm a ver com superlotação ou más condições das cadeias ou é apenas uma guerra pelo poder e pelo tráfico de drogas entre a bandidagem?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 3

Sérgio Pires 14/01/2017

A METÁSTASE QUE SE ESPALHOU NA SOCIEDADE BRASILEIRA

O câncer nacional, agora já em fase terminal  praticamente uma metástase, começou já na chegada dos portugueses. A corrupção se enfronhou na sociedade quando os colonizadores exploravam nossas riquezas naturais e subornavam os índios, para levar nossos tesouros. Os indígenas eram roubados e também escravizados, depois de caírem na armadilha dos corruptos portugueses.  Outra forma de corrupção foi utilizada com os mais abastados do Rio de Janeiro, quando a família real e seu séquito fugiram de Napoleão, para viver no Brasil. Os portugueses distribuíam a torto e  a direito títulos de nobreza aos da colônia. Em troca, tomavam as casas deles, mandando os brasileiros se virarem e procurarem outro lugar para morar. Eram Condes, Duques e outros títulos nobiliárquicos, mas sem teto. De lá para cá, a história da corrupção só se agravou. Nos anos 70, recebeu um símbolo. “Todo brasileiro adora   levar vantagem em tudo!”. A propaganda de uma marca de cigarros, feita pelo jogador Gerson, marcou a oficialização da corrupção, como forma de vida da sociedade. Claro que jamais foi essa a intenção do comercial. Mas a frase resumia tão bem a forma do brasileiro ver a vida e sempre dar um jeitinho de tirar vantagem, que acabou se tornando simbólica.

Os políticos, com sua criatividade e invencionice, principalmente para encher os próprios bolsos, criaram a Universidade Federal da Corrupção, onde eles são doutores, mestres, professores e alunos. Todos os dias, em sua grande maioria, nossos representantes foram aprimorando métodos de corrupção, para enriquecerem, enquanto o país andava para trás. Chegamos ao ápice da roubalheira oficializada no governo do PT, apoiado por vários partidos (ladrão não tem sigla partidária) e continuamos na mesma caminhada no governo de Michel Temer, com grande parte da sua turma também enrolada com sacanagem. A metástase se amplia pelo organismo nacional. Será que surgirá o milagre da cura? Essa, nem os que vendem a Salvação em troca de algum dinheirinho, poderão resolver....

 

 

 

 

ENGANANDO OS TROUXAS

Reeducandos, socioeducadores, menor em situação de risco: estas babaquices, inventadas por quem acha que o palavreado bonito resolve problemas, tomou conta das conversas entre autoridades. A Lígua Portuguêsa foi aviltada por essas mesuras, logicamente quando se trata de falar sobre crimes e criminosos. Quando são as vítimas o sujeito da frase, aí as coisas são mais simples: morreu degolada, foi estuprada, levou cinco tiros. Não há poesia nem palavras rebuscadas para falar sobre os mortos na violência que assola nosso país e destrói milhares de vidas e de famílias todos os anos. Mas quando é para falar sobre bandidos, aí sim, o Português é rebuscado, escavado, apelidado. Não aqui. Aqui preso é preso, agente penitenciário é isso mesmo; menor bandido é menor bandido. Danem-se os que acham que fazendo mesuras ao crime, isso fará com que ele diminua. Vade retro, idiotas!

 

TERCEIRA SEMANA

A semana deve começar com muitas nomeações pelo prefeito Hildon Chaves. Mudanças devem acontecer em cargos importantes do segundo escalão para baixo, já que muitos cargos não foram preenchidos. Também haviam fortes comentários de que haveria mudanças em comando de postos de saúde e até na Maternidade Municipal, mas essa informação não se confirmou. Cláudia Reck deve continuar à frente da instituição, mesmo depois de pesadas críticas que recebeu por uma série de problemas registrados com bebês e suas mamães, nos últimos dois anos principalmente. O secretário Alexandre Porto ainda está avaliando todo o contexto da saúde municipal, antes de tomar as medidas que pretende, para melhorar os serviços. Por enquanto, pouco se fala em nomes para postos importantes, mas as mudanças devem começar com tudo a partir dessa terceira semana da administração municipal.

 

PEÕES SEM SALÁRIO

Um dos setores onde não há funcionários responsáveis, já que os que comandavam o setor foram exonerados, está dentro da Sempla e é responsável pela assinatura de documentos que permitem pagamentos de serviços prestados à Prefeitura. Só uma empresa, por exemplo, tem mais de 300 mil reais a receber, depois de concluir seu trabalho e apresentar todos os comprovantes e negativas. Não recebeu até agora – e seus funcionários, a maioria peões de obra – não receberam seus salários, apenas porque não tem ninguém nomeado para resolver o problema, que depende apenas de uma assinatura. Outros setores da Prefeitura também estão sofrendo com a situação e é vital que o Prefeito termine de montar a sua equipe o mais rápido possível, para que não sejam interrompidos os serviços públicos.

 

DINHEIRO FÁCIL

O fascínio pelo dinheiro fácil, sem precisar dar duro, sem precisar estudar, sem ter que enfrentar noites em claro para se preparar para vestibulares; sem precisar madrugar para trabalhar, atrai cada vez mais jovens, principalmente os que já tem tendência à vagabundagem. Pronto. Falei. Vida fácil, dinheiro fácil. E o tráfico de drogas é o caminho mais curto. Nessa semana, mais uma prova disso. Gabriel Nicole Silva, filho de família de classe média, optou pelo tráfico, para não precisar fazer como a grande maioria dos jovens brasileiros: lutar pela sobrevivência. Foi preso no centro de Porto Velho com dezenas de comprimidos de Ecstasy e películas de LSD, drogas pesadíssimas. Distribuía entre viciados na famosa “Calçada da Fama”, área central da Capital. Pena que em breve estará solto de novo, beneficiado por leis criminosas, para voltar a fazer o mesmo do mesmo. Lamentável!

 

PAGAMENTO AOS 300

O presidente da Câmara, vereador Maurício Carvalho, anuncia medidas de contenção de despesas na Casa e nega que vá fazer obras e “puxadinhos” no prédio. Uma das medidas já tomadas foi da redução de 24 mil para 18 mil reais, nas verbas de gabinete. Outra, a de pedir o prédio da Assembleia, ao menos provisoriamente, quando os deputados ocuparem o novo edifício sede do parlamento estadual, para que o antigo seja usado pelos vereadores, já que tem uma boa estrutura para isso. Maurício esteve com o presidente Maurão de Carvalho, semana passada, fazendo o pedido. Vem mais por aí. O jovem presidente afirmou que sua prioridade é pagar as rescisões de mais de 300 comissionados, demitidos na Câmara e que até agora não viram a cor do dinheiro. Outras dívidas serão pagas e novas medidas de economia estão sendo estudadas. Esperemos para ver!

 

PERGUNTINHA

Você está pronto para um novo governo Lula, que se lança oficialmente candidato à Presidência da República no início de fevereiro, em São Paulo?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 4

Sérgio Pires 13/01/2017

FALTA SÓ UMA LICITAÇÃO PARA O ESPAÇO ALTERNATIVO FICAR PRONTO

Depois de tanta espera, parece que agora, se não houver mais nenhuma surpresa de última hora, o Espaço Alternativo será mesmo entregue ao povo de Porto Velho até o início do segundo semestre deste ano. É demora exagerada, mas mesmo assim, ao menos há a perspectiva de que seja concluída uma obra de grande porte na Capital, coisa que não acontece há anos. Pode-se citar os viadutos, mas são obras localizadas e que, na verdade, ainda não estão totalmente prontas. Mas a maior delas, sem dúvida, é a do Espaço. Agora, o DER divulga que investirá 10 milhões de reais para o término da obra. É dinheiro que sobrou do total de 23 milhões de reais para fazer toda a estrutura de lazer, sem dúvida a maior do Estado, nesse campo. Os 10 milhões agora usados, não tinham sido utilizados, pela paralisação determinada pelos órgãos de fiscalização, que atrasaram tudo em mais de um ano. Enfim, pelo menos agora as coisas estão andando, jura o diretor geral Ezequiel Neiva. A atração principal será uma passarela de 180 metros, que, dependendo da licitação, começará a ser montada em breve. Se for mesmo como o projeto (desenho) que o DER está distribuindo à imprensa, será uma maravilha. Mas é do tipo “ver pra crer”. Quando lançado, o projeto do Espaço Alternativo era maravilhoso, na planilha e nos desenhos arquitetônicos. Deu no que deu. Mas agora, o DER garante: a obra não para mais até ser totalmente entregue à comunidade. Dessa vez, vamos dar um voto de confiança ao DER e seu comandante, que, aliás, estão realizando um bom trabalho em todo o Estado.

O que pode emperrar ainda e atrapalhar os planos de entregar o Espaço até julho? Claro que a concorrência pública que está sendo feita para a tal passarela, que será a grande atração do local. Se uma empresa que perder o certame resolver recorrer à Justiça, alegando uma firula de ilegalidade que seja,para tudo de novo. Daí, só o Criador sabe quando o serviço será concluído. Enfim, para os que acreditam, é bom começar a rezar desde agora, para que a licitação da passarela ocorra sem problemas. Por que, senão, bye bye Espaço Alternativo para esse ano.

 

OLHO NA IVONETE!

Quando foi indicada para a Secretaria dos Esportes e Lazer do governo Hildon Chaves, houve quem torcesse o nariz para o nome de Ivonete Gomes. Erro crasso de quem acha que só quem já é conhecido ou que é especialista num setor, não tem como comandá-lo. Ivonete é uma empresária de sucesso, comanda um site de notícias que é referência na região norte e é reconhecida como uma mulher guerreira. Ivonete, no começo do seu trabalho, tomou medidas simples, mas que já têm resultados. Não trouxe comissionados de fora para atuar na área, valorizando a equipe da Secretaria.  Fez parceria com o secretário de obras para uma limpeza em torno dos locais de prática esportiva. Organizou a baderna em que se tornara, por exemplo, o ginásio esportivo do bairro nacional, que tinha se transformado em local de farra, com cobrança de entrada e muita pinga. Tinha tudo menos esporte. Que ninguém se engane. Se Ivonete tiver condições mínimas de trabalho, vai sim dar uma mexida no esporte no lazer da Capital.

 

ESTÁTUA DA LIBERDADE

A prefeita Glaucione Rodrigues anda feliz com o início da administração. Apesar de algumas críticas da oposição, que já anda batendo nela mesmo menos de duas semanas no comando da cidade, a Prefeita já tem o que comemorar. Uma boa notícia que Glaucione recebeu, foi que em breve sua cidade receberá uma enorme Loja Havan, aquela mesma que existe em Porto Velho e em dezenas das maiores cidades do país. O empresário Luciano Hang, o dono da rede de lojas, esteve em Cacoal para oficializar a construção da loja, a de número 99 da rede. Cacoal receberá em breve, antes mesmo da inauguração da loja, uma estátua gigante  da Liberdade, maior símbolo da Havan. Mais que tudo, Glaucione e sua turma do governo municipal vibraram com a perspectiva de criação imediata de 500 empregos, entre diretos e indiretos. A festa vai ser grande, quando da inauguração, que deverá ser ainda este ano.

 

OH, TODO PODEROSO!

Que o Todo Poderoso nos livre dessa praga! O ex presidente Lula anda percorrendo o país, avisando que ele e o PT vão governar o Brasil novamente. Salve-nos, Forças do Bem! Se essa gente voltar ao poder para dilapidar os cofres públicos, destruir nossas grandes empresas, como o fizeram com a Petrobras e instituir a corrupção como norma oficial de governo, daí o negócio é fazer as malas e cair fora do Brasil. Pior de tudo é que o risco existe sim! Parte do eleitorado brasileiro, ignorante e sem noção, ainda acha que gente como Lula realmente faz bem  aos brasileiros. Nessa multidão de desinformados e mal informados, a roubalheira e a destruição do país, são fatos que não têm tanta importância quanto as doações do Bolsa Família e as benesses para minorias, mesmo para os que não têm mérito nenhum. Já que o atual governo está se mostrando tão ruim quanto o anterior, cresce a chance de termos Lula e seus asseclas de volta. Estamos mesmo ferrados!

 

ELEITOR NA CADEIA

Deveria ser motivo de vergonha para todos, mas infelizmente é algo tratado como absolutamente normal, porque está dentro das leis anormais dessa terra brasileira.Políticos que estão na cadeia, saem dela para tomar posse em cargos públicos e, alguns deles voltam imediatamente, escoltados, para suas celas. O caso dos três vereadores de Vilhena, liberados da prisão para assumirem suas cadeiras na Câmara, espalha-se por várias outras cidades do país, com cenas vergonhosas de eleitos indo da prisão para seus postos públicos. Pior é que ninguém morre de vergonha. Todos falam como se fosse uma coisa totalmente normal, existirem leis que permitem coisas vergonhosas como essas. Aliás, deveriam estar presos também quem vota nessa gente, sabendo quem ela é. Falta vergonha na cara de quem concorre e vive de mutretas e também de quem, na hora do voto, com tanta gente boa para escolher, vota exatamente em quem não presta. É um país e um povo decadentes, isso sim!

 

“INICIALMENTE FECHADO!”

Não temos a primazia da violência que domina o país. Em Rondônia, o número de assassinatos cresce cada vez mais, principalmente na região do Vale do Jamary (Ariquemes e região), mas também na Capital. Mas ainda estamos longe se alcançar os números assustadores dos nossos vizinhos acrianos. Eles começaram o ano vivendo o medo, com uma média diária de dois assassinatos, a maioria por tiros e armas brancas. Até a quinta, dia 12, 25 crimes de morte já haviam ocorrido na cidade, a maioria deles ainda sem qualquer pista para serem desvendados. Além disso, de dentro das cadeias, presos mandam recado de que chacinas estão sendo preparadas, o que, felizmente, até agora não passou de ameaças. Quando presos (e raramente o são, já que apenas 10% dos casos de assassinatos são resolvidos no Brasil) e também raramente condenados, lá vem a sentença: “regime inicialmente fechado!”. Em pouco tempo, os criminosos estão soltos de novo. Para matar de novo!

 

PERGUNTINHA

Será que um dia vamos ter um Presidente da República que vai sair da cadeia para tomar posse, como o fazem dezenas de vereadores país afora?

 

 

Banner de Divulgação 5

Sérgio Pires 12/01/2017

OS CEM ANOS DE UM REGIME QUE NÃO DEU CERTO EM LUGAR NENHUM

Durou 74 anos. Nesse próximo mês de fevereiro, recorda-se o centenário do início da Revolução Russa, que começou como um movimento popular que derrubou o czarismo, chamado Revolução Branca, em sua primeira fase, mas tornou-se sanguinária mesmo com a Revolução Vermelha, a segunda fase do golpe, quando foi implantado o comunismo tanto na Rússia quanto em vários países satélites. Além de assassinar o Czar e toda a sua família, os bolcheviques tomaram o poder e implantaram uma ditadura do proletariado, base para todos os governos comunistas do passado, desde aquela época, até os dias de hoje. A União Soviética começou a desmoronar em 1989, com a queda do Muro de Berlim e sumiu em 1991. A Rússia entrou num novo processo democrático, com eleições, mas as sete décadas e meia em que ela foi dominada pelo comunismo, ainda são bem presentes na vida do país. A partir das teorias de Trotsky e Lenin, o proletariado tomou conta do poder. Quase 180 milhões de soviéticos, na época da revolução, viveram dias de terror inimagináveis. Sob o governo de Stálin, o homem de aço, nos anos 40 (durante a Segunda Guerra Mundial), mais de 20 milhões de pessoas foram mortas pelo regime comunista e outros 20 milhões destroçados pela fúria nazista. Anos depois, sob o regime de Nikita Kruschev, ocorreu a crise dos mísseis, quando os russos enviaram armas para Cuba e por pouco não eclodiu uma guerra atômica, que poderia ter destruído grande parte do mundo.

Na Segunda Guerra, apesar dos filmes épicos de Hollywood, destacando o heroísmo ocidental, foram os russos quem primeiro venceram os poderosos nazistas, enxotando-os de Stalingrado. Depois da guerra, a Alemanha foi dividida entre comunistas e as democracias ocidentais. Em 1989, Gorbachev, o homem da Glasnost e da Perestroika, começou a abertura política e, enfim, o comunismo começou a decair. Ele ainda é forte no maior país do mundo, a China, mas já com tons de um livre mercado. Fechado mesmo, só existe ainda na Coreia do Norte, que é propriedade de uma só família há décadas. Cuba ainda é comunista, mas está começando a sair dela. O mundo é outro. Só na América Latina ainda tem governos que defendem uma ideologia que não deu certo em lugar nenhum. Mas, daí, já é outra história...

 

 

MAIS TROCAS?

A boataria corre solta. Ouve-se nos bastidores da política que o governador Confúcio Moura vai fazer mais mudanças no primeiro escalão, além da Seduc, onde Waldo Alves assumiu há poucos dias. Fala-se que pelo menos outras quatro secretarias podem ser mexidas. O assunto é tratado aos cochichos, naqueles encontros entre políticos, principalmente nos corredores da  Assembleia, onde se sabe muito mais do que se fala publicamente. Claro que pelos lados do Palácio Rio Madeira/CPA, ninguém comenta absolutamente nada. Mas que há alguma coisa se mexendo nos meandros da política estadual, claro que há. Confúcio diz que não quer ser candidato em 2018, mas há quem ache que ele está preparando os últimos dois anos do seu governo exatamente para isso. E a meta é o Senado. Será verdade?

 

A NOVA CARA DA CÂMARA

Os novos rumos da Câmara Municipal de Porto Velho, os projetos para ajudar a melhorar uma Capital abandonada e recheada de problemas; a nova visão da política no comando de um legislativo municipal que teve, na última legislatura, provavelmente a pior composição dos últimos anos: tudo isso são assuntos debatidos com o presidente recém eleito Maurício Carvalho. O jovem, que estreia na política com uma excelente votação, ganha o comando da Câmara e conversa com o jornalista Sérgio Pires sobre como os vereadores se portarão a partir de agora, no relacionamento com o Executivo e com a comunidade. Temas polêmicos como a eleição de uma mesa para daqui a dois anos e também novas obras no prédio da Câmara fazem parte do bate papo com Sérgio Pires. A entrevista vai ao ar nesse sábado, na Record News (Canal 58) a partir das 10h30 e já no domingo em vários canais da internet, principalmente no site Gente de Opinião. Não perca!

 

MALUCOS NO TRÂNSITO

O que passa pela cabeça de alguém que vai andar de moto e leva junto um bebê recém nascido?  Duas mulheres, levando um bebê sofreram um acidente, tiveram escoriações leves, mas o bebê, é claro, teve sérios ferimentos. Como entender uma coisa dessas? Pais levam duas e até três crianças em suas motos, muitas vezes elas sem capacete e andam pelo trânsito caótico das cidades rondonienses, principalmente Porto Velho e as localidades ao longo da BR 364, onde o perigo é tenebroso. Aliás, nessa semana, mais duas mortes de motoqueiros ocorreram em Jaru, num acidente idiota, em que foi feita uma ultrapassem em cima da ponte. Os números são dantescos: em alguns finais de semana, 80 por cento dos internados por acidentes de trânsito são pilotos ou caroneiros de motos. Quando isso vai acabar?

 

A VOLTA DOS PORCALHÕES

Um mutirão de limpeza começou em algumas ruas principais de Porto Velho. Já é um alento ver equipes nas ruas, limpando, podando árvores e, principalmente, recolhendo o lixo. O prefeito Hildon Chaves prometeu dar “uma geral” em Porto Velho, tornando-a menos suja, já no início do seu governo. A Prefeitura começa a cumprir sua parte, embora a temporada de chuvas pesadas esteja prejudicando o planejamento. Mas, outro grave problema, que parece não ter solução, reaparece. Os homens da Semusb terminam de limpar uma rua ou avenida e, 24 horas depois, vários locais estão cheios de lixo novamente. Será que não dá pra essa gente que adora sujeira, ter um pingo de respeito por sua comunidade e agir como cidadãos e cidadãs que não querem ver sua cidade suja? Jogar lixo na rua é o máximo do desrespeito para com todos os demais porto velhenses. Então, vamos colocar lixo no lixo. Simples assim!

 

DE QUEM É A VAGA?

Geraldo da Rondônia já assumiu a vaga de Glaucione Rodrigues (agora prefeita de Cacoal), há alguns dias. Mas não está fácil manter-se nela. Pelo menos três outros suplentes a querem. Um deles é o segundo suplente, Marcelo Cruz, eleito vereador em Porto Velho. Ele saiu do PSC, partido pelo qual concorreu à Assembleia e entrou para o PDT. Teoricamente, não teria direito à vaga, pela legislação eleitoral, já que trocou de partido e a cadeira é da sigla, não do candidato. Só que Marcelo tem uma carta na manga, só agora revelada: sua saída do PSC foi por acordo com o seu partido anterior, que inclusive teria lhe dado uma carta, dispensando-o de ser integrante do partido. Essa carta será analisada pela Justiça Eleitoral e, dependendo do seu conteúdo, pode ou não ajudar Marcelo a ganhar a cadeira já ocupada por Geraldo da Rondônia, de Ariquemes. O vereador entrou na Justiça pedindo a vaga no início dessa semana. Espera-se agora a decisão judicial, para saber se Geraldo fica ou se Marcelo entra...

 

PERGUNTINHA

Será que as ações do Ministério Público e da Polícia Federal contra os ladrões do dinheiro público pararam de vez ou é apenas uma trégua nesse período de férias?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 6

Sérgio Pires 12/01/2017

QUE BOM É SER SERVIDOR PÚBLICO E AINDA AMIGO DA VEREADORA ELIS REGINA!

Estava demorando! Problemas envolvendo a vereadora reeleita Elis Regina, representante de parte do funcionalismo na Câmara, começam a ser denunciados por aqueles a quem ela não está beneficiando. Elis teve uma grande proximidade – para dizer o mínimo – com o ex prefeito Mauro Nazif. É notório que acertou seu lado, dos seus amigos e correligionários durante os quatro anos de mandato. Não incomodou o Prefeito em nada, mas em compensação, indicou dezenas de pessoas ligadas a ela, para ocupar cargos comissionados. Agora, quando se pensava que as coisas mudariam com Hildon Chaves, ao que parece, em relação à conhecida vereadora, tudo continua exatamente igual. A aprovação de uma lei, de autoria dela, beneficiando apenas 900 servidores públicos, por coincidência (coincidência?), aqueles que seriam ligados a ela e seus cabos eleitorais, chegou à Câmara Municipal e lá foi aprovado por unanimidade.  Os outros mais de nove mil trabalhadores do município, com todos os direitos e deveres iguais, não foram aquinhoados com a soma de benefícios extras, que agora passam a ser incorporados aos salários da turma ligada à Elis Regina.  Pode até não ser ilegal. Uma longa discussão judicial poderia concluir que alguns podem ter benefícios e outros não. Mas ao menos é amoral. Para não dizer imoral e injusto. E ainda mais numa administração municipal que começou agora, sob a égide da guerra pela economia do dinheiro público.

O prefeito Hildon Chaves corre um grande risco de parecer ser o mesmo do mesmo, a continuar nesse ritmo de atender pedidos como os da vereadora Elis Regina, que obviamente está pouco preocupada com os cofres municipais, mas apenas  com ela mesma e com seus interesses pessoais e do seu grupo político. Se os outros mais de nove mil servidores recebessem tratamento igual ao grupo dos 900 amigos da Dona Elisa, o custo chegaria a 13 milhões de reais por mês e, é claro, quebraria a Prefeitura. Enfim, ficou essa confusão para ser resolvida e que em nada ajuda o governo que recém começou. Pelo contrário. O deixa sob os olhares desconfiados dos que imaginavam que tudo seria diferente e que, ao menos nesse episódio, ficou claro que está igualzinho ao que sempre foi. Lamentável!

 

 

 

 

 

 

AGUENTARÁ A PRESSÃO?

 

Tem o outro lado: merece se tirar o chapéu para as primeiras medidas tomadas pelo novo secretário municipal de educação, para conter gastos e conseguir melhores resultados na sala de aula. A primeira delas foi devolver pelo menos 300 professores para as salas de aula,. Muitos estavam “encostados” na administração, por indicação desse ou daquela ou para atender interesses de algum vereador. O secretário Zenildo Souza Santos começou com o pé direito. Quer uma melhor educação para as quase 55 mil crianças que estudam nas escolas municipais e, para isso, precisa dos professores dentro das escolas e não sentados em gabinetes, apaniguados por padrinhos políticos. A dúvida é se ele suportará a pressão que vai sofrer, ao acabar com essa mordomia e, mais que isso, reduzir a zero as horas extras. Funcionário de carreira, a primeira pressão que sofrerá será dos seus colegas de profissão, que vão perder as boquinhas e terão que ir para as salas de aula, fazerem o que devem fazer: ensinar. Vamos ver até onde Zenildo vai aguentar a grita dos que se beneficiam da politicagem para se dar bem...

 

 

SARGENTO GARCIA

O  nome é comum: José Carvalho Silva. A acusação também: corrupção. Diretor da Penitenciária de Manaus, onde 56 detentos foram cruelmente assassinados, José Carvalho foi denunciado por vários presos, porque teria recebido dinheiro do crime organizado para facilitar a entrada de armas, celulares e até drogas dentro da cadeia. Claro que se fosse num país decente, com leis decentes, com verdadeira Justiça, uma pessoa que detém um cargo como esse, que se deixar corromper, seria responsabilizado diretamente pela matança do primeiro dia do ano. Mesmo que haja todas as provas, mesmo que fique clara a corrupção e a compra do servidor por criminosos das facções assassinadas, ele jamais pagará pelo inacreditável crime que cometeu. Mais fácil o Sargento Garcia prender o Zorro do que um anormal desses, caso fiquem comprovadas as acusações, receba a punição que merece.

 

PRECISA FAZER?

Cada novo presidente que assume, mais uma obra programada. É assim na Câmara de Vereadores da Capital. O jovem presidente Maurício Carvalho já anuncia novas mudanças no prédio da Câmara. Ele inclusive esteve reunido com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Maurão de Carvalho, para pedir o “empréstimo” do prédio do parlamento rondoniense, tão logo a nova sede da ALE seja inaugurada, para sediar provisoriamente a Câmara. Maurício quer mandar fazer mudanças na construção da casa que abriga atualmente os vereadores, pouco mais de um ano depois que o ex presidente Jurandir Bengala ter gasto mais de 2 milhões para fazer o mesmo do mesmo. Não seria o caso de se pensar num prédio definitivo, ao invés de remendos a cada 12 ou 18 meses? Enfim, será mais um gasto que a população pagará, sem que se saiba a real necessidade da obra.

 

OLHO NELE!

Mais um jovem parlamentar que merece o olhar atento do rondoniense. Anderson Pereira, presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, assumiu nessa semana uma cadeira na Assembleia Legislativa. Tem a duríssima missão de substituir a deputada Lúcia Tereza, que morreu dois dias antes do Natal e que deixou, naquela casa, uma história de lutas, muito trabalho, respeito e sólidas amizades. Anderson estreou como candidato a deputado, com o apoio total da sua categoria, demonstrando uma liderança incontestável. Foram mais de 9 mil votos, que o colocaram na primeira suplência. Mesmo antes de ser empossado oficialmente, já participou de reuniões com as mais importantes autoridades do Estado, sobre a crise prisional, dando uma contribuição extremamente positiva. Combativo, sem papas na língua, líder de uma categoria profissional importante, o novo deputado tem tudo para ir mais longe. Olho nele!

 

CRIME DE OPORTUNIDADE

Depois de longo tempo, voltou a acontecer um crime de sequestro em Porto Velho. Mas a reação policial foi tão rápida que os bandidos (um deles foragido dos presídios, o que é absolutamente normal), não tiverem nem tempo de pedir resgate. Não foi um sequestro planejado certamente, mas um daqueles de oportunidade, em que os criminosos atacam alguém, depois descobrem que a pessoa é de alguma família mais abastada e, então, decidem partir para o pedido de resgate. O jovem foi localizado numa casa da zona leste, sem qualquer ferimento, depois de rápidas investigações e de um dos criminosos, certamente um amador, ser pego dirigindo o carro da vítima. Rondônia e o Brasil estão nas mãos do crime. Não tem mais jeito. Enquanto não houver uma grande revolução das leis, de forma com que a sociedade reaja à altura à bandidagem, estaremos ferrados e vivendo sob o domínio do terror e do medo.

 

PERGUNTINHA

Não tem nada de errado o ministro Gilmar Mendes, que daqui a alguns dias vai julgar um processo no TSE contra o presidente Michel Temer, ir passear de carona no avião Presidencial que foi a Portugal, ao lado do político alvo do julgamento?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 7

Sérgio Pires 10/01/2017

UMA ELEIÇÃO DAS MAIS DISPUTADAS. E APENAS PARA TRÊS VAGAS

Antes da eleição de 2018, que vai escolher o futuro Presidente da República; o Governador; toda a bancada federal no Congresso e a nova Assembleia Legislativa, haverá em Rondônia uma outra disputa, não tão ampla, mas que, pelos interesses envolvidos, vai certamente mobilizar as principais lideranças políticas do Estado. Parece pouco, porque provavelmente apenas três cargos estariam em disputa. Mas as forças que seriam movimentadas para preenchê-los são tão intensas que, desde agora, começam a se movimentar. Prematuro falar sobre novos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado? Para quem não conhece os meandros das indicações e da verdadeira guerra política que elas podem representar, pode parecer cedo demais. Mas na vida real, as forças já se mexem. Claro que por enquanto é apenas exercício de futurologia, porque há três conselheiros aptos a pedirem aposentadoria, se a quiserem. O primeiro é o atual vice-presidente José Euler Potyguara de Mello, que já tem esse direito. Não demonstrou até agora, ao menos, qualquer interesse em pendurar as chuteiras. Mas sua cadeira já tem uma meia dúzia de pretendentes. Euler de Mello foi indicação da Assembleia Legislativa, que teria, caso ele saísse, o direito legal de nomear seu substituto. O outro que pode se aposentar é Chico Paraíba, outra indicação da Assembleia. Também não comentou o assunto, mas já poderá ir para a aposentadoria, se quiser.  O terceiro que nesse ano ou no ano que vem  já  tem tempo de serviço para encerrar sua carreira no TCE-RO  é Valdivino Crispim de Souza, cargo de Auditor Substituto de Conselheiro, alcançado mediante concurso público.

PMDB, PSDB, PDT, PP e outras siglas menos fortes no Estado, já estariam mexendo os pauzinhos, claro que em silêncio e sem levantar a poeira para não prejudicar eventuais acordos, para colocar nomes na lista. Há alguns bastante conhecidos. Dois deles, inclusive, muito bem posicionados no partido de Confúcio Moura, Valdir Raupp e Maurão de Carvalho, o trio forte do PMDB no Estado e que certamente será decisivo em eventuais indicações. Publicamente, quase não se fala no assunto. Mas nos bastidores da política, a menos de dois anos antes da eleição (e ainda se ela houver), já tem gente dando duro para ser indicado. Esperemos para ver no que vai dar...

 

 

 

MESURAS E CUIDADOS

Seria muito bom se todas as autoridades brasileiras tratassem com o mesmo denodo, a mesma preocupação, a mesma atenção, os mesmos investimentos, os assuntos relacionados com as vítimas dos bandidos, quanto aborda a questão dos presidiários. É impressionante a escolha de palavras, a mesura, a preocupação com o politicamente correto implantado no país pelo PT, seus seguidores e amantes dos direitos humanos dos criminosos. Nem uma só palavra escolhida para se solidarizar  com quem perdeu pai, mãe, filho, tio, sobrinho; para quem teve a filha ou o filho estuprados; aleijados, traumatizados para o resto de suas vidas. O negócio é discursar para agradar as Comissões de Direitos Humanos do Brasil e do exterior, aquelas mesmas que, no sistema prisional dos Estados Unidos, por exemplo, quando abrem a boca, só ouvem  vaias e escárnios. Mas por aqui, qualquer um que tenha algum carguinho já dá pitaco, manda e desmanda. Protejam-se as vítimas, não os algozes. Daí sim, se fará a verdadeira Justiça. Pronto. Falei!

 

COMEÇANDO A MUDAR

Não há novidade alguma: de todas as secretarias, a que a administração Hildon Chaves recebeu com mais problemas foi, claro, a da saúde. Houve alguns pequenos avanços e melhorias, aqui e ali, no governo Nazif, mas no geral, o setor está eivado de deficiências. Algumas são enormes, como as registradas na Maternidade Municipal, onde o tratamento com algum tom de humanização ficou lá atrás, no governo de Roberto Sobrinho. O novo secretário Alexandre Porto começou a tomar pé da situação e observou uma série de pequenas mudanças que precisam ser feitas, para agilizar o trabalho. A falta de ambulâncias em condições de uso foi o primeiro empecilho a ser enfrentado. Outras mudanças começam em breve. Uma delas também é notória: o pátio da Semusa, que estava sempre vazio nos finais de semana, agora está abarrotado de veículos. Carro só é usado para atender a população. Ponto final.

 

ESPERANDO PARA VER....

O vereador com maior votação em Porto Velho, Aleks Palitot, participou nessa terça do programa Papo de Redação, dos Dinossauros do Rádio, na Parecis FM. Questionado sobre as “profundas mudanças” anunciadas pelo prefeito Hildon Chaves, que pretendiam trazer grande economia para os cofres da Prefeitura, Palilot explicou que, ao menos por enquanto, não dá para avaliar se os resultados serão mesmo alcançados. Ele pensa que há medidas positivas, mas que há outras que parecem não alcançar seus objetivos. Também achou que as mudanças não foram debatidas a fundo e que o tempo de discussão de um projeto com 70 páginas e mais de 150 questões diferentes, foi muito pequeno. Por enquanto independente, Palilot diz que vai apoiar o Prefeito naquilo que considerar positivo para a comunidade, mas que no que não concordar, certamente votará contra.

 

PODER MANTIDO

Por falar em vereador, continua poderosíssima dentro da administração municipal, a vereadora Elis Regina, representante de grande parte dos servidores na Câmara Municipal. No governo de Mauro Nazif, ela tinha dezenas de cargos à sua disposição. No de Hildon, por enquanto não chegou a isso, mas está se encaminhando. Por exemplo: são indicações de Elis Regina alguns dos principais nomes da Semad, incluindo o adjunto. Nos bastidores, comenta-se que poderia ter sido esse o motivo da saída prematura do já ex secretário Hélio Fabrício, que durou apenas oito dias no cargo. Ouve-se nos corredores que Fabrício não teria topado tanta influência de Elis Regina e muito menos suas indicações. Com isso, teria entrado em rota de colisão com o próprio Hildon Chaves, caindo fora da nova função num tempo recorde. Outros vereadores que apoiam a nova administração também estariam indicando gente para vários cargos comissionados.

 

AMBIENTALISMO E FRAUDE

 

A publicação “Ambiente Inteiro!” está contestando, mais uma vez, informações das ONGs nacionais e internacionais e os chamados defensores da floresta (como a ex ministra quase sumida Marina Silva), sobre os projetos de desenvolvimento sustentável e extrativismo, tão propalados como soluções para manter a Amazônia intocada. Segundo a publicação, “o ambientalismo brasileiro é uma fraude. Diante da incapacidade de alcançar o desenvolvimento sustentável em todas as duas dimensões, os ecólatras`` esquecem a dimensão social e econômica. Seu foco é a proteção ambiental, sempre escudados pelos simbolismo do termo sustentabilidade”.  Um exemplo dessa afirmação,   relaciona-se com a borracha, tão defendida pelos que querem uma floresta apenas para extrativismo. Hoje, só uma fração ridícula da produção nacional da borracha vem de programas extrativistas. Consumimos hoje 412 mil toneladas e produzimos apenas 193 toneladas nos seringais nativos. Que desenvolvimento sustentável é esse?  pergunta a “Ambiente Inteiro”...

 

PERGUNTINHAS

Como entender a decisão do governo Michel Temer de pagar uma grana preta a título de  “produtividade” a membros do sistema de arrecadação de impostos, os famosos auditores fiscais já aposentados? Não é mesmo o país da vergonhosa piada pronta, onde aposentado ganha produtividade por não produzir?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 8

Sérgio Pires 09/01/2017

AS LEIS SÃO DURAS APENAS COM AS PESSOAS DE BEM. JÁ AS OUTRAS...

De que adiantam leis, se elas não são cumpridas e eventualmente até tratadas com arremedo, se não se vê as punições para todos, que elas preveem e ou deveriam prever? Veja-se só: na Operação Lava Jato, praticamente todos os envolvidos, com exceção do suspeito de ser o grande chefão, estão presos. Por que? Porque se está fazendo Justiça. Claro que há um ou outro exagero e pode até algum inocente ter sido preso. Isso é verdade e as vítimas têm o direito não só a indenizações pesadas, como o de exigir que o dedo da verdadeira Justiça seja apontado para quem cometeu o erro, para que seja responsabilizado. Mas e o resto? O sujeito mata brutalizada, assalta, estupra e pode entrar por uma porta da Delegacia e sair pela outra. O cara bêbado, caindo, trocando as pernas, dirige e mata alguém (como aconteceu pela enésima vez em Porto Velho, no final de semana, quando mais um jovem perdeu a vida para um bêbado) e o que acontece com o criminoso? Paga uma multa, perde pontos na carteira e sai livre, como se nada tivesse acontecido. Essa vergonhosa impunidade não deixa com cara de idiotas as pessoas de bem e respeitadoras da lei? Ora, se o cara anda bêbado, provoca um acidente, mata uma, duas, dez pessoas e nada lhe acontece, para que a lei, então? Só pra fazer a gente de besta?

Veja-se o caso dos presídios. As autoridades de todos os Poderes (também do Judiciário), sabem muito bem o que ocorre dentro deles, onde os  chefões comandam o crime dentro e, muito mais, fora das cadeias. Que ameaçam matar as famílias dos presos comuns, que não cumprirem suas ordens. Que matam todos os que não fazem exatamente o que mandam. E o que mandam, todos sabem o que é. E o que acontece com esses bandidos sanguinários? Não só são tratados como autoridades, com celas que parecem quartos de hotel, como ainda têm benesses, como sair nos dias festivos (das Mães, feriadões religiosos, Natal, etc..). Para que fazem leis, se elas não servem para nada? Só para manter as aparências de que estamos, nós, os cidadãos de bem e pagadores de impostos, seguros? Muitos de nós sabemos quais as verdadeiras respostas para essas perguntas...

 

 

 

 

RECORDE NACIONAL?

Deve ser um recorde nacional: durou menos de uma semana a passagem de Hélio Fabrício, como secretário municipal. Ele foi convidado pelo prefeito Hildon Chaves e  aceitou a missão de comandar a Secretaria de Administração da Prefeitura de Porto Velho, na administração que começou dia 1º passado. Não se sabe ainda exatamente o que aconteceu, porque oficialmente o assunto não foi comentado pela nova administração, mas nas redes sociais as informações são de que o secretário teria entrado em rota de colisão com o Prefeito, por não concordar com alguma decisão do novo chefe. Hildon teria pedido que Fabrício pedisse demissão.. A verdade é que foi a primeira defecção na equipe do novo Prefeito e numa área bastante sensível, justamente a administração. Por enquanto, o secretário Luis Guilherme Erse vai acumular a função.

 

PÉ ERRADO

Os primeiros dias da administração do prefeito Hildon Chaves, aliás,  estão sendo destinados à discussão sobre os cargos comissionados. Pouco se fala em alguma ação real, mas apenas no pacote de mudanças que ele propôs à Câmara, já aprovado na essência, mas, principalmente, na criação de cargos para seguranças de PMs. Um dos salários chega a 10.600 reais. Uai! Como fazer economia desse jeito, criando cargos que não existiam e ainda a um custo tão alto? O novo prefeito da Capital, eleito com a promessa de salvar a cidade; de tornar a administração enxuta e eficiente; de ter um governo com o mesmo sucesso que tem tido como grande empresário, está enfrentando já alguns narizes torcidos, em  função das informações que têm percorrido a mídia. Espera-se que Hildon comece de imediato a apresentar serviço, com as inovações e medidas que prometeu, para desviar o foco que tem se concentrado na sua assessoria. Se não o fizer, vai começar com o pé errado.

 

RECÉM COMEÇOU

É sempre bom lembrar, contudo, que o novo governo tem pouco mais de uma semana. É pouquíssimo tempo. O problema de Hildon é que a população está tão angustiada, depois de um governo ruim de Mauro Nazif, de quem se esperava muito, mas muito mais, que há temor de que o problema se repita. O povão quer ver serviço, gente trabalhando, limpeza da cidade, fim das alagações e muitas outras coisas. Claro que a nova administração não vai fazer tudo numa vez só e em tão pouco tempo. Mas ao menos tem que começar. E começar já,  imediatamente. Encher a cidade de gente  e máquinas trabalhando. Quando o porto velhense ver que há uma nova forma de trabalhar, sem tanta demora, sem tanto “mimimi”, certamente as preocupações vão diminuir. Mas é sempre bom lembrar: Hildon foi eleito por ser diferente. E se não for, a população vai entrar em parafuso...

 

EXPEDITO E SUAS METAS

Cresce, em todo o Estado, mas principalmente em Porto Velho, o nome do ex senador Expedito Júnior, presidente regional do PSDB. Ele tem sido um parceiro forte e importante na administração municipal, inclusive ajudando o prefeito Hildon Chaves a montar sua equipe. Expedito não aparece, fala pouco, mas manda sim. Tem o poder de ser um dos políticos sempre entre os mais votados em Rondônia e sua meta, para 2018, é tornar-se novamente senador. O partido quer que ele concorra ao Governo, mas o plano pessoal de Expedito não é esse. As principais metas são as de chegar a uma cadeira no Senado, novamente e ajudar seu filho, Expedito Neto, a se reeleger para a Câmara Federal. Que os adversários não subestimem a força política de Expedito Júnior. Quem achar que a informação não confere, que trate de ver as várias pesquisas informais feitas no Estado. O nome dele está lá, sempre entre os primeiros, tanto para o Governo quanto para o Senado!

 

MAURÃO E GLAUCIONE

Outro político que tem sido uma surpresa extremamente positiva, é Maurão de Carvalho. Deputado experiente, ele preside uma Assembleia Legislativa pacificada, atuante, trabalhando como nunca pelo Estado, parceira da coletividade em todas as ações em que é chamada a atuar. Respeitado por seus colegas e pela população, Maurão percorre o Estado, para conhecer pessoalmente os problemas e ajudar a resolvê-los. Onde vai, é recebido com alegria, porque sua presença sempre representa boas notícias para as comunidades. Na semana passada, por exemplo, entre vários municípios, ele esteve em Cacoal, para prestigiar sua agora ex companheira do parlamento, a prefeita Glaucione Rodrigues. Além de se colocar como parceiro da cidade, Maurão afirmou que Glaucione vai fazer a melhor administração da história de Cacoal. É, aliás, o que a comunidade espera, depois de oito anos pífios da administração anterior, que teve mais escândalos do que resultados.

 

OS SONHOS DO CASAL

Anotem esses nomes: Jesuíno Boabaid e Ada Dantas Boabaid. Ele deputado estadual, já considerado um dos mais atuantes das últimas legislaturas. Ela, recém eleita vereadora, mas que já se destacou no episódio da escolha da nova Mesa Diretora, protestando contra o rolo feito para eleger um grupo que assumirá a Casa daqui a dois anos. Casados, os dois têm planos bem definidos para o futuro. Jesuíno, que hoje tem 36 anos, não só quer escalar outras montanhas na política, como sonha em ser Governador do Estado, um dia. Ela, Ada, também entrou na política com uma meta, bem mais à frente: ser um dia prefeita de sua cidade, Porto Velho. O assunto foi confirmado pela própria Ada, numa entrevista à SICTV/Record News, numa conversa com o jornalista Sérgio Pires, que apresenta semanalmente, na emissora, o programa Direto ao Ponto. Que se fique de olhos nesses dois. São esforçados, trabalhadores, dedicados e até brigões, quando necessário. É sempre bom lembrar que quem sonha alto e batalha muito, pode chegar onde quiser...

 

PERGUNTINHA

Até quando as autoridades vão aceitar, pacificamente, que os chefões do crime organizado continuem mandando nos presídios, comandando o crime nas ruas e ficando sempre impunes?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 9

Sérgio Pires 08/01/2017

É A LEI: FAMÍLIAS DAS VÍTIMAS TAMBÉM VÃO INDENIZAR OS BANDIDOS

É a lei! Está na Constituição, como cláusula pétrea. Um preso sob a custódia do Estado, caso morra na cadeia, assassinado, é responsabilidade dos cofres públicos em indenizar a família da vítima. Nos casos de Amazonas e de Roraima, 93 presos foram assassinados. Imediatamente as entidades de defesa dos direitos humanos dos criminosos e a própria OAB, se mobilizam para que cada família de detento morto receba algo em torno de 90 mil reais de indenização. Um total próximo de 8 milhões e 400 mil. É a lei. Mas...a grande maioria da população, principalmente aquela que têm acesso às redes sociais, está protestando com veemência contra essa aberração. E é sim uma aberração, porque não trata todos da mesma forma, ou seja, a indenização paga ao preso, jamais chegará às suas vítimas. Entre os mortos de Manaus, estão casos de bandidos tenebrosos. Um que matou várias pessoas. Outro, que estuprou mais de 15 mulheres, sempre usando de extrema violência. Outro, tratava suas vítimas com bestialidade. Todos, excrescências da sociedade, pagando penas leves para o conjunto de crimes que cometeram, continuavam participando da violência e organizando crimes fora das grades. Faziam parte de facções criminosas que dominam os presídios. Nós, através dos nossos impostos, vamos indenizar suas famílias. Dinheiro do nosso suor. Dinheiro inclusive das famílias que tiveram seus filhos, mães, pais, tios, sobrinhos, entes queridos brutalizados por esses bandidos, agora transformados quase em mártires, pela nossa lei doentia e facciosa. .

Não que o Estado não deva ser responsabilizado pela segurança e pela vida daqueles que estão sob sua custódia. Essa questão é complexa, mas também não se pode ignorar o que ela representa para a grande maioria da população: uma espécie de deboche oficial, contra aqueles que são atacados pelas bandidagem que tomou conta do país e que tem muito mais direitos do os que destroem. Enquanto as famílias dos bandidos são indenizadas, as das vítimas não recebem sequer um aperto de mão ou um abraço de solidariedade. Daí, a grita da grande maioria da população contra essa lei. Ela premia o criminoso e abandona quem eles vitimizam. Ponto final.

 

 

 

PREVENÇÃO É O CAMINHO

Várias medidas foram tomadas pelo Governo e órgãos ligados à segurança e à Justiça, para tentar evitar que as rebeliões e confrontos entre membros de gangues diferentes se matem nos presídios do Estado, como está ocorrendo em outros estados da região. A prevenção, ao menos até esse sábado, tinha tido sucesso, porque nenhuma anormalidade havia sido registrada nas cadeias. Muito menos no Urso Branco, sempre uma bomba prestes a explodir e com o estopim muito curto. Retirar membros de uma facção criminosa e distribuí-los em outras prisões foi uma decisão correta e de bom senso. O que se lamenta é essa perda de tempo, esforço e dinheiro, para tratar de presos. Cada vez que se despende tudo isso para cuidar dos presídios, deixa-se de cuidar das pessoas de bem, essas sim, que precisariam ter toda a atenção do poder público. Lamentável!

 

PARCEIROS DA COMUNIDADE

A coluna, que já criticou o Sindicato dos Agentes Penitenciários, por sua preocupação em exigir cada vez mais direitos, agora tem que tirar o chapéu para o comando da entidade. O agora deputado Anderson Pereira, presidente do Sindicato, teve uma posição de grande respeito pela população, ao participar das reuniões dos órgãos de segurança para prevenir eventuais crises nos presídios do Estado, como está acontecendo em outras regiões próximas. Anderson não só colocou a categoria a disposição, contribuindo para que o clima nas cadeias diminua a tensão, como ainda emitiu nota pondo toda a estrutura do sindicato e seus associados como parceiros, para dar tranquilidade ao sistema prisional. Foi uma posição destacada, respeitosa para com o rondoniense, solidária e que mereceu cumprimentos de vários setores da sociedade. Anderson estreia como deputado, marcando uma importante ação com sua categoria sendo vista como parceria da comunidade.

 

SHEAKSPEARE RESUME!

Os números ainda não fecharam, por isso é cedo para se avaliar. Mas, a princípio, a série de medidas que o prefeito Hildon Chaves tomou até agora, vai representar uma economia muito pequena para os cofres públicos. Pelo barulho do anúncio das enormes transformações que se teria na nova administração da Capital, se esperava um gasto muito menor. Em quatro anos, economizar menos de 10 milhões, é, como diria Sheakspeare, “muito barulho por nada”! Claro que tem o espírito da coisa, ou seja, a nova administração quer se mostrar austera e cuidadosa com os cofres públicos. Mas não adianta tirar de um lado e dar do outro. Hildon Chaves já fraquejou na negociação com os servidores. E invés de economizar com ganhos “por fora”, ele decidiu incorporar essas vantagens ao salário. Nas empresas que ele administra, nosso recém empossado Prefeito tomaria uma medida como essa? Nunca!

 

OS OTÁRIOS E A GASOLINA

Os otários, aqueles que ainda acreditam em promessa de governo, ficaram comemorando quando, recém empossado, Michel Temer mandou sua equipe econômica avisar que o preço da gasolina iria cair. Houve quem comemorasse nas redes sociais, criticando duramente o governo anterior, do PT, como “explorador” e essas coisas que a gente já sabe. Otários, apenas! Quem conhece a classe política brasileira e seus governantes, não corre mais o risco de ser enganado. Sabe que já começa perdendo no dia em que o novo ocupante do poder é empossado. Pois a gasolina aumentou de preço em 18 Estados e ficou como estava em todos os outros. Rondônia foi um dos presenteados pelo reajuste, embora pequeno, mas um reajuste. Diminuir o preço para o consumidor final? Ah, isso só quando tivermos um governo decente e que mereça crédito!

ESCÂNDALO DO IR

O mesmo se pode dizer do Imposto de Renda. Milhões de brasileiros estão pagando até seis vezes o que deveriam pagar e outros tantos pagam, enquanto deveriam estar isentos. Esse escândalo é pouco falado no país, porque já estamos tão acostumados à exploração, que nossas reações ficam anestesiadas. Com as correções das tabelas do Imposto do Leão muito abaixo da inflação real, o contribuinte continua pagando fortunas a governos que nunca lhe devolve nem um décimo do que paga. É uma vergonha essa absurda exploração, sem que os representantes dos brasileiros pagadores de tantos tributos, no Congresso Nacional, abram a boca para protestar. Onde estão os que se arvoram como defensores do povo? São, claro, coniventes com essa bandalheira, porque mantém um silêncio sepulcral sobre ela. Uma vergonha!

 

PERGUNTINHA

Com todos os erros que o governo Michel Temer vem cometendo, um atrás do outro (maracutaias no Congresso, benesses bilionárias às teles, chacinas nos presídios atulhados de gente), será que o Brasil vai começar a sentir falta do Lula?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 10

Sérgio Pires 06/01/2017

AI DO POBRE QUE NÃO SE CONFORMAR EM MORRER DE FOME!

Balneário Camboriú, em Santa Catarina, é uma praia de ricos. Muitos rondonienses, aliás, têm propriedades por lá. O dinheiro rola. Mulheres lindas, com seus biquínis ínfimos, colorem a praia, formada por um arco semelhante ao de Copacabana. É um local dos sonhos para se morar. Mas, claro, não para os pobres. Não para aqueles que ficaram de fora da bondade do dinheiro; nem nunca desviaram nada de ninguém, nem tiveram acesso à educação, à saúde, a qualquer serviço público de qualidade. Camboriú é um pequeno retrato do Brasil: alguns poucos milionários desfilaram sua grana, enquanto a grande maioria tenta sobreviver e outros, esses sim, inúmeros, vivem perto da linha da pobreza e da miséria. Os ricos desfilam em direção ao mar; nas grandes festas retratadas com gente bonita, bem vestida, adornada com joias, enquanto na periferia, a fome grassa. A riqueza e a comida são para poucos. Não foi por acaso que surgiu em Camboriú, a praia dos ricos, mais uma daquelas tragédias que vivemos todos os dias em todos os lugares, mas que esse Brasil faz de conta que não é com ele. Uma mãe, ladra, sem ter como manter seus dois filhos, de pais diferentes, os abandonou, deixando ambos, um deles ainda bebê, no terreno de uma casa, onde foram encontrados e levados ao Conselho Tutelar. A mãe, é claro, será processado por abandono de incapaz. Não se sabe qual será o futuro dessas crianças, se é que elas terão algum.

Por justiça, elas deveriam ter sido deixados na porta dos que, em nome de suas crenças e crendices, preferem ver uma multidão de crianças morrendo de fome, do que apoiar um rígido controle de natalidade para quem não tem condições de criar seus filhos. Discursam, em seus ternos importados e com suas joias enrolados no pescoço, em defesa da vida, enquanto fazem de conta que a tragédia da miséria e da fome não existe, porque fazem questão de não enxergá-la, mesmo que esteja a alguns metros da sua porta. A mãe faminta, que deixou um bilhete dizendo que não aguentava ver mais seus filhos passarem fome, vai acabar presa. Afinal de contas, na sociedade dos ricos, pobre deve morrer de fome e não reagir. A mãe que se atreveu a mudar essa regra, vai pagar caro.

 

 

 

MATERNIDADE PERIGOSA

O ex prefeito Roberto Sobrinho tinha na Maternidade Municipal uma espécie de menina dos olhos. Durante seu mandato, as atenções dadas ao hospital onde nascem quase 400 bebês todos os meses, raramente tinha problemas. Já no governo Mauro Nazif, um médico, a situação mudou para pior. As denúncias contra médicos e contra a falta de estrutura; as constantes queixas de parturientes e seus familiares contra o atendimento e o parto chamado de humanizado, em que muitas mães sofreram o diabo e outras perderam seus bebês, por não terem sido operadas a tempo, se sucederam. Casos de mortes de crianças não foram raros. Agora, quando terminou o mandato de Nazif e começa o de Hildon Chaves, a série de protestos e denúncias continua. Funcionários que se aventuravam a denunciar as péssimas condições da Maternidade eram punidos. Espera-se que tudo isso acabe e que o novo Prefeito determine, com urgência, que tudo o que está acontecendo de ruim na Maternidade seja coisa do passado. Não dá mais para continuar como está...

 

AÇÕES PREVENTIVAS

Reunião de quatro horas pela manhã. Mais outra, longa, à tarde. O Governo está preocupado sim com a crise nos presídios, que pode chegar a Rondônia. Por isso, age preventivamente. O chefe da Casa Civil, Emerson Castro, merece o crédito por ter conseguido reunir, em pouco tempo, representantes de todos os setores a quem o problema interessa, incluído aí o Ministério Público. Várias medidas foram discutidas, até as de interesses dos agentes penitenciários, representados no encontro por seu presidente e novo deputado, Anderson Pereira, que, aliás, deu importantes contribuições durante as reuniões. O presidente da OAB, Andrey Cavalcante, também participou. A batalha das autoridades é preparar ações que possam colocar Rondônia como exceção, nesse momento em que em muitos Estados, os presídios estão em explosão constante. Já foram registrados, só em duas rebeliões, mais de 90 mortos...

 

PRESOS ETERNOS

Enquanto a matança continua aumentando nos presídios (é bandido matando bandido), com os chefões do crime organizado mostrando quem é que manda de !mesmo por crimes simples, não violentos e sendo primários, a grande maioria não consegue mais espaço na sociedade. Afora isso, todos saem devendo alguma coisa para as facções criminosas que dominam as cadeias. Têm que pagar, realizando novos assaltos, mandando celulares para dentro dos presídios, pagando para que suas famílias não seja molestadas. Quem não paga o que deve, acaba morto. Não se pense que é por acaso que quase todos os dias, um ex preso aparece morto. Não há lei dentro das cadeias, porque quem manda nela são os facínoras, sempre protegidos pela legislação canalha ou até por quem eles conseguem corromper, nas prisões. É doença que não tem cura!

 

AMPLO DEBATE

Não foi nas coxas. Pelo contrário. A aprovação do pacote de medidas que o prefeito Hildon Chaves vai implantar na Prefeitura, teve longas e cansativas reuniões com os vereadores. Na segunda-feira, pelo menos quatro horas de debates diretos, com a presença de 19 dos 21 edis. Na terça, a discussão continuou, com o prefeito e sua equipe explicando, ponto a ponto, como seriam as mudanças, os motivos delas e porque precisavam ser feitas. Quarta, nova rodada de negociações. Na quinta, antes das sessões que aprovaram todo o projeto em duas votações, mais conversa, mais troca de informações, mais esclarecimentos. Ou seja, é injusto quem diz que Hildon empurrou o pacote de medidas goela abaixo dos vereadores. Prova disso é que eles mudaram várias coisas e o prefeito abriu mão de outras. Não há como dizer que o debate não foi amplo e democrático. Veremos agora se as medidas trarão mesmo melhorias para a administração municipal.

 

QUEM MANDA É A JUÍZA!

Não é mais o Presidente da República a autoridade máxima do país. Nem é mais o governador quem decide e manda no seu Estado. Não é a Assembleia que legisla. Quem agora diz o que deve ou não ser feito é o Judiciário. Os exemplos se multiplicam todos os dias. O caso do Rio Grande do Sul é apenas mais um, nesse contexto. Enquanto o governador, eleito pelo povo, democraticamente, decide tomar medidas drásticas de contenção de despesas, para manter o Estado vivo, a Justiça não aceita e intervém. O caso da decisão de uma magistrada de primeira instância e ainda Vara do Trabalho, impedindo que o Governo demita os servidores que atuavam em Fundações já extintas, exatamente para conter gastos, é lamentável. O governo decidiu, a Assembleia Legislativa apoiou, mas dona Juíza achou que ela é quem manda. E não aceitou as demissões. Ela está decidindo os destinos do Rio Grande. Até quando vamos suportar esses acintes legais contra nosso país?

 

PERGUNTINHAS

A continuar a matança dentro dos presídios, será que só sobrarão mesmo os donos do crime? Mas quem vai executar, aqui fora, o que eles planejam e mandam executar de dentro das cadeias?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 11

Sérgio Pires 05/01/2017

AS MORTES DOS PMS E O FRIO NOTICIÁRIO DO TEMPO NA TV

Cinco PMs foram mortos no Rio de Janeiro em apenas quatro dias. Qual a repercussão? No noticiário, frases simples, como se estivesse sendo comunicado como será o tempo no dia seguinte. Nada de protesto ou emoção; nada de acompanhar velório e enterro. Ah, mas quando facínoras se confrontam dentro do presídio, uns tentando exterminar os outros por causa do domínio do crime; disputando pontos de venda de drogas, vendidas até para crianças, aí o mundo vem abaixo. Coitados dos presos! Pobres das famílias deles, mulheres chorando e crianças de colo, fazendo poses de desespero nas portas das cadeias. Aí sim, a mídia deita e rola. Só falta (mais daqui a pouco vai acontecer), o repórter culpar a vítima, assassinada, trucidada, estuprada, roubada, com a vida destruída, porque acabaram sendo responsáveis pelos pobres coitadinhos estarem na prisão. É essa inversão de valores, imposta por defensores do crime e dos direitos dos canalhas que entopem e superlotam presídios país afora, que apavora. Porque as grandes redes de TV estão criminalizando a polícia, escudando-se em eventuais erros dela ou de bandidos fardados, que são exceção e tentando “ensinar” a sociedade que indefesos, coitados, pobrezinhos, são os que estão na cadeia, certamente a grande maioria, pela visão torta dessa gente, não tenha cometido qualquer crime. Direitos Humanos, mas só para bandidos. Nenhum pai, mãe, filho, nenhum irmão ou irmã, recebem, dessa gente que adora fazer orações e prosas em defesa dos bandidos, qualquer aceno, um abraço que seja, uma mão amiga, quando perdem seus entes queridos, normalmente em crimes bárbaros.

Claro que o sistema penal brasileiro é ridículo, vergonhoso, irrecuperável. Não há dúvida disso. Mas é importante não esquecer que as penitenciárias estão lotadas de criminosos, alguns deles praticando violência contumaz. Um dos maiores bandidos da história do Brasil, Lúcio Flávio Villar Lírio, assaltante de bancos e assassino, já definiu muito bem como devem ser as coisas, nesse país, quando foi preso, nos anos 70. “Bandido é bandido; polícia é polícia!”. Simples assim. Viver defendendo assassinos, traficantes e animais vestidos com roupagem humana, não é defender a sociedade e nem a democracia. É ajudar a destruir o que temos de mais caro!

 

ENCASTELADOS

Que não pense que será fácil, o prefeito Hildon Chaves, fazer todas as mudanças que está anunciando, para enxugar a Prefeitura. Todo mundo acha bonitinho, queridinho, cheirosinho, até que alguém próximo ou ele (ela) mesmos tenham seus bolsos tocados. Sacrifício tem que ser apenas para os outros. Por isso, já começaram algumas ameaças, a ponto do prefeito começar a se preocupar com a segurança dele, do vice e de suas famílias, segundo noticiam vários sites. Há alguns marajás encastelados no serviço público, que não aceitam abrir de mão de nada. Querem que os outros façam todos os sacrifícios, mas que neles não se toquem. Nesse sentido, Hildon terá que ter muito coragem para enfrentar alguns desse grupo. Não são muitos, mas são fortíssimos. Os grupos que dominam a Prefeitura há anos não vão querer perder privilégios e muito menos um centavo do que ganham. Portanto, coragem, Prefeito! Não deixe de realizar o que planejou...

 

 

AREIA MOVEDIÇA

Reservadas as proporções, é essa espécie de  mini latifúndio que o novo secretário de Educação do Estado, Waldo Alves, vai encontrar na Seduc. Dentro da Secretaria, haveriam alguns feudos intocáveis, dividindo as ações e cada um puxando a cordinha para seus interesses. Sabe-se que Alves começa a trabalhar com carta branca do governador Confúcio Moura, inclusive para mexer no abelheiro, doa em quem doer. A Seduc é a maior secretaria do governo, tem mais gente do que qualquer outra; uma equipe técnica de boa qualidade e centenas de professores qualificados, embora muitos deles estejam fora das salas de aula, por apadrinhamentos. O novo titular da pasta terá certamente, alguma dificuldade para reorganizar a casa e começar a mostrar resultados. Mas ele tem sido “o cara”, por todos os órgãos pelos quais passou. Não será diferente na perigosa Seduc, uma verdadeira areia movediça, caso não seja conduzida com mão forte. 

 

CINQUENTA MUILHÕES

Glaucione Nery, terá grandes desafios pela frente. Além de administrar uma cidade endividada – são mais de 50 milhões de reais no passivo – terá que recuperar a imagem da administração pública perante a comunidade. Seu antecessor, o Padre Franco, deixou a casa com muita grana a pagar e muitos problemas a resolver. O povo de Cacoal, que teve a chance de substituir o então prefeito petista quando ele encerrou o primeiro mandato pífio, preferiu mantê-lo no cargo por mais quatro anos. Escândalos, confusão, poucas melhorias na cidade e uma Cacoal praticamente dividida, demonstraram que um gestor público que vive de conflitos, acaba causando muitos males à sua cidade. Glaucione começou com menos secretarias e, se tiver bom senso, não nomeia mais ninguém. Com a equipe que montou, já dá para fazer um bom trabalho e começar a reconstruir uma Cacoal que seu povo merece.

 

NOITE ADENTRO

A Câmara de Vereadores entrou noite adentro, para votar as reformas que o prefeito Hildon Chaves pretende implantar. É um pacote de mudanças que, implantada, economizará  perto de 10 milhões de reais durante quatro anos, só com a reestruturação administrativa, corte de cargos comissionados, controle total de gastos e medidas que, no geral, pretende enxugar a máquina pública. Dr. Hildon, obviamente terá que ceder em algumas questões, para poder mexer no principal. Muitos vereadores não aceitariam sequer pensar em votar algo contra o funcionalismo, por exemplo. Mas, faltando ainda longo tempo para que a sessão extra desta quinta terminasse, as principais questões estavam bem encaminhadas. Há uma tendência da Câmara em dar o aparato político para que o novo Prefeito possa tocar em frente seus projetos. Vamos esperar para ver se isso trará resultados práticos ou se tudo ficará no discurso, outra vez.

 

MATANDO CRIANÇAS

A violência continua apavorando Rondônia. O brutal assassinato do ex prefeito de Ministro Andreazza, que deixou o cargo há apenas quatro dias, deixa claro que os crimes com cunho políticos e praticado por pistoleiros, voltaram com tudo ao Estado. Já em Porto Velho, outro crime incrível. Para se vingar de um conhecido que lhe devia dinheiro, um doido varrido matou uma criança de 13 anos, que seria namorada do devedor. É uma coisa inacreditável como o desrespeito pela vida e o total desprezo por qualquer sentimento de pena ou solidariedade esteja predominando. Junte a tudo isso a absurda, doentia, criminosa impunidade, porque o matador sabe que jamais receberá a punição que merece e teremos o dantesco quadro que alimenta a voracidade da violência. Não há, em praticamente todos os recantos desse país, uma comunidade que não tenha história semelhante. Matar por qualquer motivo se tornou hábito. São 50 mil assassinatos por ano, no Brasil. Apenas 10 por cento são esclarecidos e em somente metade disso o culpado é devidamente punido.

 

PERGUNTINHA

Ano Novo, Vida Nova, viadutos velhos. Quando será que vamos ver concluídos aqueles trombolhos que chamam de viadutos, na BR 364, principalmente os na altura da Campo Sales?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 12

Sérgio Pires 05/01/2017

WALDO ALVES ASSUME A EDUCAÇÃO COM GRANDES DESAFIOS

Toda a troca é traumática, não importa onde ela aconteça. Mudar um secretário é coisa extremamente difícil para um governo, ainda mais se ele é Confúcio Moura, que é cheio de dedos e cuidados, pelo respeito que tem pelas pessoas, quando tem que tomar uma atitude dessas. Mas há momentos em que a mudança é a única alternativa. Veja-se por exemplo, o caso da educação. Confúcio começou seu governo com um técnico no assunto, Jorge Ellarat, em 2011. Durou cerca de seis meses a experiência. Até hoje não se sabe porque ele, um especialista, homem com longo currículo de serviços e conhecido por suas brilhantes palestras, não conseguiu atender as necessidades do Governo. Até hoje, os motivos reais da sua saída da Seduc não foram bem explicados. Interinamente, o posto foi ocupado por Júlio Olivar, que  na verdade pouco conhecimento tinha da área. Júlio era uma espécie de coringa de Confúcio e quando saiu da Seduc, em agosto de 2012, ainda foi para a área de comunicação e, posteriormente, para a Secretaria de Turismo. Isabel Fátima da Luz, a adjunta polêmica, assumiu interinamente, até que Confúcio convocou Emerson Castro para o comando do setor, em setembro de 2013. Novas mudanças no Governo e, novamente, o Governador foi buscar outro nome, esse conhecido mais na região central do Estado (Cacoal), mas desconhecido nas demais regiões. Fátima Gavioli assumiu com a esperança renovado do seu chefe, de que, agora, sim, a educação iria deslanchar. Não deu de novo. Numa reunião recente, Confúcio teria elogiado Fátima Gaviolli, dizendo que ela é extremamente trabalhadora e esforçada, mas que todo esse trabalho não teve o resultado que ele queria.

Assume agora Waldo Alves, homem de confiança do Governador, parceiro de muitos anos, pessoa que convive na cozinha do chefe. Waldo, por onde passou, melhorou muito os setores sob seu comando. É de fácil diálogo, bondoso, respeita os amigos e tem fidelidade a eles, mas quando tem que falar duro e fazer as coisas acontecerem, não há ninguém melhor. Confúcio escolheu certo. Waldo é, sem dúvida, uma boa aposta para a Educação rondoniense. Tomara que repita na Seduc o sucesso que tem tido por onde passou...

 

 

 

O SONHO DE CONFÚCIO

Na área da educação, além dos números do Fundeb, que não nos são favoráveis como Confúcio queria que fossem, há o projeto do ensino integral, que é a menina dos olhos do Governador e que não andou. Quando ele assumiu, haviam 17 escolas no Estado, com esse tipo de ensino completo. Hoje, existem as mesmas 17 escolas. Ou seja, a intenção ficou só no discurso, porque na prática, foi um grande fracasso. Waldo Alves conversou longamente com o Governador sobre o assunto. E esse será uma das suas grandes missões: aumentar significativamente o número de educandários com ensino integral. Não como um “crechão”, apelido dado pelo próprio Confúcio, mas como uma escola moderna, de tempo integral, de múltiplas atividades e que signifique um salto de qualidade no ensino rondoniense. Confúcio exige esse resultado. O cara certo para alcança-lo, é quem ele escolheu agora: Waldo Alves.

 

TODO APOIO ÀS MEDIDAS

Todas as opiniões devem ser respeitadas. A democracia é isso, no resumo dos resumos. Então, mesmo respeitando as posições divergentes, é importante que a coluna se posicione sobre as primeiras medidas anunciadas pelo prefeito Hildon Chaves, principalmente as relacionadas com o funcionalismo. Que fique claro que todas elas, se depender desse escriba, têm todo o apoio, todo o aval, todo o respeito. Embora sempre destacando a importância dos servidores, é importante deixar bem claro que a Prefeitura não pertence a eles; que a administração municipal não é propriedade deles. São, ambos, de propriedade da população, dos pagadores de impostos, de quem sustenta toda essa estrutura. Portanto, administrador que vive em função do funcionalismo, como o fez Mauro Nazif, acaba como Nazif acabou. Hildon, nesse quesito, está certíssimo, portanto.

 

DANDO TEMPO AO TEMPO

Já em relação ao secretariado, ainda não se pode dizer o mesmo. Há alguns nomes desconhecidos e outros surpreendentes, que só se poderá avaliar mais à frente. Seria injustiça dizer que essa ou aquela área tendem a fracassar, por causa dos indicados, antes de permitir que eles mostrem a que vieram. Daqui a uns seis meses já saberemos se a equipe montada pelo novo prefeito vai ter mesmo  o sucesso que a Capital necessita. Teoricamente, alguns dos indicados têm tudo para fazer um ótimo trabalho e outros nem tanto. Mas pré julgar, achar que apenas pela indicação já se deve fazer cara feia, é ir contra o bom senso e a própria história. Houve aqui mesmo em Porto Velho, casos de indicados que pareciam não servir para nada, mas que acabaram fazendo um excelente trabalho. E outros de quem se esperava muito, mas que ficaram perdidos pelo caminho. Vamos aguardar, antes de começar a analisar o trabalho de cada um...

 

LUTA CONTRA A MICROCEFALIA

O secretário de saúde, Williames Pimentel, o cara certo no lugar certo, está anunciando um pacote de exames para acompanhamento de crianças com suspeita de microcefalia. Os exames estão sendo realizados no Hospital de Base e os resultados saem logo. Outros 10 casos estão na fila, para serem acompanhados. Não se sabe ainda se a doença, caso confirmada, é congênita ou se há casos de contaminação pelo zika vírus.  “Uma estrutura especial foi montada, com equipamentos e anestesistas para atender somente essas crianças, que após o resultado, já saíram com uma data previamente marcada para o retorno com o neuropediatra, dando sequência ao tratamento”, anuncia Pimentel. É mais uma ação da saúde estadual que merece destaque...

 

UNIVERSIDADE DO CRIME

O domínio dos presídios pelas facções e pelo crime organizado, só surpreende quem não consegue entender que tudo isso faz parte do pacote de bondade das leis brasileiras, para com os criminosos. Ao dar igualdade de tratamento para pequenos foras da lei, muitos deles primários, colocando-as na Universidade do Crime nas mãos dos bandidões, obviamente que as autoridades estão pedindo pelo amor de Deus que os principiantes sejam cooptados pelos chefões e a eles se aliem, se quiserem sobreviver. Impunidade e penas iguais para crimes diferentes; impunidade e benesses para quem não as merece; impunidade e irresponsabilidade de quem faz as leis e as faz cumprir, do jeito que estão, completam a estrutura benevolente que dá boa vida aos grandes bandidos e inferniza aqueles que poderiam ainda ser recuperados. Todo o resto é papo furado e conversa de quem sobrevive em função dos direitos humanos do crime. Pronto. Falei!

 

PERGUNTINHA

Quando o ano que chegou começará a trazer alguma boa notícia e não só mais mortes, mais tragédias, mais acidentes naturais, mais violência nas ruas e no trânsito?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 13

Sérgio Pires 04/01/2017

EM UMA DÉCADA, MAIS DE 1 MILHÃO E 500 MIL DIVÓRCIOS REGISTRADOS

Na noite de 26 de dezembro de 1977, um dia depois do Natal e num Brasil que há 39 anos atrás tinha menos de 114 milhões de habitantes, bem menos que os  208 milhões de hoje, ouvidos e olhos estavam atentos aos rádios e grudados nas TV. Naquele dia, depois de décadas de discussão, em que os reacionários sempre venciam,  o Congresso aprovou, enfim, a Lei do Divórcio. Hoje isso parece um absurdo, mas naqueles tempos, ainda em plena Ditadura Militar, que ainda nem fechara sua primeira década e meia, era quase um milagre se conseguir essa grande vitória. O poderio da Igreja Católica era imenso, várias vezes maior do que é hoje e, como a maioria dos padres estava ao lado dos militares e do poder, a Igreja pressionava para que o Divórcio jamais fosse aprovado. Foi uma grande surpresa, na época, quando ele se tornou lei. Mais surpreendente ainda foi a sanção, pelo então Presidente Ernesto Geisel. Sete anos depois (1984), haviam sido oficializados perto de 35 mil divórcios. E as mudanças na sociedade foram tão rápidas; os valores familiares tão reestruturados; os casamentos foram durando cada vez menos que, só no ano passado, quando a Lei do Divórcio completa 39 anos e entra na sua quarta década, ocorreram nada menos do que 350 mil separações oficias. São 29.166 casos por mês ou 972 todos os dias. Só na última década, entre 2004 e 2015, 1 milhão e meio de casais se divorciaram.

Toda essa transformação da sociedade, que começou com a Lei do Divórcio e chegou até à guarda compartilhada dos filhos, demonstrou um avanço claro na legislação. Mas pouco mais que isso. Os machistas continuam machistas. Não aceitam separações, consideram as mulheres como propriedades suas e as agridem, violentam e matam às dezenas, todos os dias, país afora. O divórcio deveria civilizar a sociedade, mas o machismo está ainda tão arraigado na nossa sociedade, que não se sabe se daqui a mais 40 anos, esta fúria masculina e esse derramamento de sangue contra as mulheres terão acabado. Mesmo assim, avançamos como país e como povo. Mas ainda temos um longo caminho pela frente, para nos considerarmos verdadeiramente com uma cultura nacional que nos permita acabar com tanta violência contra elas...

 

 

 

 

 OLHO NO JESUALDO!

Fiquem de olho nele! Começou modestamente, foi crescendo, destacou-se como um deputado atuante na Assembleia Legislativa; aglutinou apoios de vários partidos e grupos políticos e elegeu-se prefeito de Ji-Paraná. Fez uma administração tão boa, tão cheia de resultados; tão acima da média, que se releu com facilidade. Deu pra entender? Jesualdo Pires, que recém tomou posse para seu segundo mandato na sua cidade, é daqueles nomes que podem vir a ser muito importantes na história do Estado. Há quem diga que ele tem ouvido com insistência que teria grande chance, caso disputasse o Governo. Não será fácil, até porque o candidato natural de Ji-Paraná é o senador Acir Gurgacz. Mas, em política nada é definitivo. Portanto, olho em Jesualdo!

 

O ELEITOR É QUEM PERDE

A legislação eleitoral vigente é a grande culpada pela bagunça que está acontecendo em quase duas dezenas de municípios brasileiros, cujos prefeitos eleitos não puderam assumir e em alguns onde terá que haver nova eleição. Guajará Mirim é um exemplo disso. A lei eleitoral permite que o sujeito, enrolado em questões legais, dispute o pleito, contra qualquer bom senso. Ele ganha a eleição, mas pouco depois é considerado inelegível. Ora, não deveria ter esse veredito antes da eleição. Para que fazer a população de idiota, fazê-la ir às urnas, escolher seu Prefeito e, depois de todo o processo, deixar a cidade acéfala? E para que nova eleição, se há um segundo, um terceiro, um quarto entre os votados? Tudo assim, para complicar mesmo, para serem gastos mais alguns milhões de reais, para que as comunidades, ao invés de irem trabalhar, fiquem mais semanas e até meses vivendo novamente o processo político. Lamentável!

 

MAIS AÇÃO, MENOS REUNIÕES...

Nada contra a forma de trabalhar do novo prefeito Hildon Chaves. Todo o crédito a ele, que chega com toda a vontade de acertar e realizar. Mas que está havendo reunião de mais e ação de menos, ao menos nesse início, está sim. Hildon teve, desde a eleição, todo o tempo do mundo para reunir-se, planejar, discutir, preparar. Teria que ter começado no primeiro dia útil da administração já com algum trabalho concreto. Preferiu fazer reunião com os novos vereadores, mesmo no feriado, mas é mais reunião sobre reunião. O Prefeito precisa correr atrás do prejuízo e começar a agir imediatamente, para recuperar o tempo perdido. Moradores de vários bairros estão angustiados, dirigindo a ele todas as suas orações, para que comece logo a recuperação das ruas da cidade, principalmente nos bairros onde as alagações tomam conta. A hora agora tem que ser da ação. Quem marcava reunião para agendar reunião para ter um debate sobre futura reunião era o PT. Mas, espera-se, esse tempo já passou...

 

INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS

Já sobre suas relações com a imprensa, ficou clara a preferência de Hildon Chaves. Na internet, optou por prestigiar o poderoso e competente site rondoniagora, com informações privilegiadas. Foi de lá, aliás, que ele foi buscar sua secretária de esportes, Ivonete Gomes. Em relação às TVs, preferência para o SBT, emissora que elegeu a vereadora Cristiane Lopes e para quem Hildon deu sua primeira entrevista depois de eleito. E deixou na mão algumas outras emissoras, com quem tinha compromisso firmado de entrevistas e depois cancelou. Alguns jornalistas e veículos de comunicação, a quem Hildon procurava com insistência durante a campanha, foram deixados de lado. Espera-se que o competente e muito bem relacionado Valbran Júnior, que cuidará da comunicação do novo Prefeito, consiga modificar esse quadro. Político que dá informações privilegiadas e atenção a poucos, quando precisar, pode não ter ninguém para escutá-lo.

 

MORTE SUBITA

A pequena comunidade de São Felipe começa o ano com tremendo azar. Recém elegeu o prefeito Eleomar Teixeira, ainda jovem, com apenas 38 anos e o perdeu, dois dias depois da posse, para um ataque cardíaco fulminante. Foi uma fatalidade, que interrompe na cidade o sonho de uma administração muito positiva. A responsabilidade agora passou ao vice prefeito eleito e empossado, Marcicrênio Ferreira, que terá que cumprir o mandato. Ferreira não esperava ter que mudar todos os seus planos do dia para a noite, já que precisará deixar todos os seus compromissos e projetos pessoais e profissionais para comandar a cidade, coisa que o faria apenas eventualmente, na ausência do titular. O Governo de Rondônia e a Assembleia Legislativa emitiram nota de pesar, ao mesmo tempo em que se solidarizaram com a comunidade de São Felipe. O prefeito morto foi sepultado nesta terça, num clima de comoção na cidade.

 

PERGUNTINHA

Quando acontecerá a primeira grande operação do ano da Polícia Federal, à caça de corruptos e vagabundos que nada temem e continuam  vampirizando os cofres públicos?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 14

Sérgio Pires 03/01/2017

PORTO VELHO TEM UM PREFEITO SEM O DIREITO DE ERRAR!

Ah, Hildon Chaves! Você chegou a mil por hora, nos enchendo de esperanças, a nós, porto velhenses tão entristecidos sobre como anda, para trás, qual caranguejo, a nossa amada Porto Velho! Começou com os 12 trabalhos de Hércules, um pacote de medidas óbvias, que deveriam ser tomadas em todas as Prefeitura de um país pobre como o nosso, mas que, infelizmente, não são, porque o poder, por aqui e em todo o território, é para apaniguados e “companheiros”! Ou era. Porque você e outros com a mesma vontade de mudar, começam, vagarosamente, mas com toda a convicção, a dizer que é sim possível administrar sem sujar as mãos, sem governar para uma meia dúzia, sem repartir os cofres públicos, recheados com nossos impostos, apenas para os que cercam o poder e vivem dele. Ah, Hildon Chaves, você nos abriu o coração da esperança! Surgiu quase do nada, como uma figura secundária, que parecia ter nascido apenas para ser escada para os políticos profissionais e, do nada, ganhou uma eleição, dizendo que faria exatamente o que começou fazendo. Nem todos acreditaram, mas quem achou que você poderia ser a alternativa viável, depois de tantas dificuldades e empecilhos postos no caminho de uma população sofrida e sem  perspectivas, deve ter comemorado o seu voto.  Será, Dr. Hildon, que dessa vez escolhemos certo?

Então, Dr. Hildon: agora não tem mais volta! Mais que outros políticos que prometeram e não cumpriram, o que é a lei comum no Brasil dos malandros e fichas sujas, se você não cumprir o que está prometendo, saiba que nos tirará provavelmente a última chance de acreditarmos que ainda há luz no fim do túnel, nessa terra desajustada pelas ações negativas de muitos dos nossos dirigentes. Não tem mais como voltar atrás. Não tem como errar e nem fazer o mesmo do mesmo. Faça o que disse que vai fazer. Faça uma limpeza geral nessa Prefeitura e na administração pública. Acabe com os privilégios. Torne nossa cidade um lugar onde se tenha orgulho de viver. Começou bem. Mas, ah! Dr. Hildon, não repita os erros do passado. Você não tem o direito, depois de nos dar tanta esperança, de ser apenas mais um da vala comum. Nós não aguentaríamos mais sermos enganados. Boa sorte!

 

 

 

SURPRESAS E APOSTAS

O secretariado do novo Prefeito, que ainda não está completo,  tem alguns nomes surpreendentes, como o da jornalista Ivonete Gomes, que assume a área dos esportes. É nome novo na administração e começa cheia de planos, Tomara que dê certo! Outra incógnita é a presença de um administrador de talento, Alexandre Porto, na pasta da saúde. Dará conta? A torcida é para que funcione. Na educação, um dos nomes desconhecidos, escolhidos pela categoria, é o de Zenildo Santos. Não se sabe o que se poderá esperar dele. Veremos no decorrer do mandato. Bosco da Federal, aliado de primeira hora, é um bom nome para assumir o Ipam. Vai fazer uma devassa geral e mostrar como está o instituto de previdência. Tem muitos nomes novos e outros tantos desconhecidos. A única que fica onde está é Márcia Luna, que está fazendo um bom trabalho na área de regularização fundiária e que Hildon fez bem em manter no seu grupo. O resto? Só saberemos se vão dar certo,  bem mais à frente...

 

A PARCERIA DO ESTADO

O governador em exercício, Daniel Pereira, participou, nessa segunda, do programa Papo de Redação, da Parecis FM, o de maior audiência em todo o Estado, com os Dinossauros Everton Leoni, Domingues Júnior, Jorge Peixoto e Sérgio Pires. Falou sobre vários temas; destacou a forma como Confúcio Moura tem gerido o Estado, com grande sucesso; homenageou Rondônia por seus 35 anos e ainda elogiou vários Prefeitos do interior, que realizaram mandatos extremamente positivos. Sobre a administração Hildon Chaves, Daniel confirmou que ela terá toda a parceria possível do Estado. Como cidadão, o vice, exercendo o governo, disse que não votou em Hildon, mas que fará tudo ao seu alcance, junto com Confúcio, para ajudar o novo Prefeito da Capital. Foi uma participação destacada, recheada de declarações de bom senso e clareza. Daniel Pereira é daqueles políticos que não passarão em vão na história do nosso Estado.

 

EM REGIME DE ESPERA

Com a mudança nas Prefeituras, com a posse dos novos Prefeitos e os projetos de apoio do Governo estadual às comunidades, as mudanças de nomes no primeiro e segundo escalões da administração de Confúcio ficaram para mais alguns dias ou até semanas à frente. Elas já estão decididas e até os novos nomes já foram definidos, mas, ao menos até voltar ao comando (está tirando alguns dias de férias), as decisões confucianas não serão anunciadas publicamente. Há uma verdadeira batalha de alguns dos que correm o risco de perderem os cargos, no sentido de tentarem se manter onde estão. Como na política nada é definitivo, até pode demorar algum tempo para eventuais trocas. Mas que as estratégia está traçada e nomes já foram convidados, não existe qualquer dúvida. Esperemos para ver no que vai dar...

 

ESCOLHENDO UM LADO

A matança no maior presídio de Manaus (como já aconteceu em São Paulo, em Rondônia e outros estados), é o resultado do domínio das cadeias pelas facções criminosas. Gente bestializada; homens transformados em animais pela violência e pela falta de punição exemplar; incentivados por uma legislação pífia, uma sociedade medrosa, um Judiciário politizado e um Congresso irresponsável, transformam os presídios em matadouros. Ás vezes as vítimas pertencem a um grupo; às vezes a outro, mas os pobres coitados, os que acabam na cadeia por crimes menores, que poderiam ser recuperados caso o sistema penitenciário não fosse apodrecido, se tornam sempre vítimas dos bandidões, esses sim, os donos de tudo dentro das penitenciárias. Há quem viva discursando em nome dos direitos humanos desses facínoras. E há alguns poucos que acham que a sociedade como um todo, deveria sim se preocupar com as vítimas dos criminosos, que as autoridades fazem de conta que não existem. Cada um que discurse em defesa do que acredita. Essa coluna fica sempre ao lado das vítimas...

 

ILEGALIDADE NA CÂMARA

Na Câmara Municipal, a eleição para Presidente, por dois anos, do jovem  Maurício Carvalho, tucano como o prefeito Hildon Chaves, foi transparente e dentro de toda a normalidade. Sem contestação. O problema foi a decisão de fazer nova votação, totalmente ilegal, fora do regime interno da Casa e obviamente inconstitucional, para votar uma nova Mesa Diretora, para 2018 a 2020. O presidente escolhido foi Edwilson Negreiros. Um grupo de seis novatos, incluindo o mais votado, Aleks Palitot e Ada Boabaid, considerou um golpe contra o sistema democrático que deve reger as disputas eleitorais na Casa. Ada já anunciou que entrará na Justiça, contra a eleição do mandato de Negreiros. Mais uma vez, a Câmara começou mal. Imaginava-se que essas jogadas, essas malandragens, esses “vamos levar na marra e os outros que engulam!” mudariam com a renovação de 70 por cento da Casa. Mudou nada, cara pálida!

 

PERGUNTINHA

Que medida grandiosa, surpreendente e animadora o prefeito Hildon Chaves preparou para Porto Velho, para ser implantada nessa terça-feira, em seu primeiro dia útil no comando da Prefeitura?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 15

Sérgio Pires 31/12/2016

FUMAÇA TUCANA SAINDO DA CHAMINÉ: HABEMUS PREFEITO!

Não foi fácil a administração de Mauro Nazif. Mesmo bem intencionada, mesmo cheia de planos, os quatro anos da sua administração foram muito mais voltados para dentro da Prefeitura do que para fora. Tudo o que se esperava dele, pela batalha que Nazif chegar à Prefeitura e  com uma rica história de vida pública, acabou não se confirmando. Tudo foi feito com lentidão, em slow motion, quase parando, quando a cidade exigia rapidez de um carro de Fórmula 1.  Tudo foi feito sem grande divulgação, sem contato com o povo e os resultados foram pífios. A esperança ficou pelo caminho. E agora? Nesse domingo, teremos novo Prefeito. Não será a fumaça branca do Vaticano, mas a fumaça azul e amarela dos tucanos, que assumem o comando da Capital  com o até há seis meses atrás desconhecido Hildon Chaves.  Com uma campanha séria e competente; apresentando-se como o novo, como um empresário de grande sucesso e preparado para cuidar de Porto Velho, ele se elegeu com uma votação recorde.

Fazer campanha é difícil, custa caro, mas vencê-la é apenas uma parte  alegre e festiva, que caracteriza as vitórias. Agora é que vai começar o Baile dos Horrores, na verdade. Hildon Chaves terá pouco tempo para mostrar a que veio, antes que a insatisfação latente do porto velhense comece a se manifestar. Terá que agir não só como empresário, mas também como político e homem público. Terá que conviver com um funcionalismo tratado pelos últimos dois prefeitos, como se estivéssemos num país rico. Terá que engolir sindicatos e lideranças como as da vereadora Elis Regina, eleita, reeleita e reeleita não para defender sua cidade, mas apenas seus companheiros de sindicato e funcionalismo. Ela é só um exemplo dos que estão na vida pública apenas para si e os seus. Com raríssimas exceções, todos são iguais. Acabou a festa para Hildon Chaves. A partir de agora, ele terá que mostrar a que veio. Tomara que faça tudo o que prometeu, cuide mesmo de Porto Velho como prometeu e recoloque no caminho do desenvolvimento. É essa a torcida. De todos nós...

 

 

VAMPIROS À SOLTA

O que ficou de bom de 2016? A não ser em determinados setores, em determinadas empresas, em determinadas vidas, no geral pouco há o que se comemorar desse ano que parecia que nunca iria terminar. Claro que é apenas uma  mudança no calendário, algo mais emocional e psicológico do que real. Mas mesmo assim, é uma mudança. Ela traz em seu bojo alguma coisa boa, alguma esperança, alguns sonhos que ainda podem ser realizados. O Brasil teve um ano  terrível. Derrubamos um governo legitimamente eleito, esperando por uma transformação ao menos moral e o que se vê é o mesmo do mesmo: Temer, Renan e toda a troupe que há décadas vampirizam nosso país. O pior é que as opções fora deles são Lula e Marina Silva. Eta paizinho azarado esse nosso!

 

COMO OS ITALIANOS?

O jovem juiz Sérgio Moro é, sem dúvida alguma, o personagem do ano. Talvez da década. Graças a ele, o tapete putrefato não foi só foi levantado, mas os ratos que nele se abrigavam começaram a ser dedetizados. Mas, infelizmente, foi  apenas o começo. Provavelmente vamos repetir a Itália. Quando a Operação Mãos Limpas italiana começou a devastar o mundo do poder no país, incluindo o Judiciário, houve um consenso de que ela deveria parar. Os italianos até hoje se arrependem, porque a corrupção se institucionalizou e o país só anda para trás, tal qual caranguejo. É um risco que corremos, porque se a Operação Lava Jato chegar ao sistema bancário e invadir a área do Judiciário, corremos o risco do país implodir. Não haverá cadeia suficiente para todos. Não sobrará pedra sobre pedra. E agora, Moro? Vamos ser iguais à Itália ou acharemos uma solução à brasileira?

 

ANDANDO PARA TRÁS

Uma enorme regressão legal foi mantida, ampliando a insegurança e dando aos bandidos carta branca para tomar conta do Brasil, através de um crime organizado bem estruturado e sem ser confrontado. Em todas as áreas do poder, da Presidência da República, passando pelo Congresso, pelo Ministério Público, por todo o Judiciário, pelo sistema policial (que aliás, em muitas regiões também está apodrecendo, por causa da corrupção), a guerra civil imposta pelo crime, parece que está ocorrendo na Transilvânia e não na nossa casa. A lei de proteção ao crime é mantida e ampliada; os benefícios aos bandidos surpreendem e apavoram as pessoas de bem, enquanto defensores dos direitos humanos defendem quem trucida e mata e juízes soltam, horas depois, criminosos que cometeram os mais terríveis delitos. São todos responsáveis pelo que está ocorrendo nas ruas ensanguentadas de Rondônia e de cada cidade desse país.

 

UM ANO AZUL

Rondônia fecha o ano de 2016 no azul. Ou no verde. É uma espécie de ilha, embora também pobre e necessitada, como as demais unidades da Federação. A diferença foi a mão forte do Governo, que não abriu as pernas para a pressão dos servidores públicos e suas reivindicações, muitas delas justas mas que, se atendidas, quebrariam nossos cofres como estão quebrados os da maioria dos Estados. Os poderosos Rio de Janeiro, Minas e Rio Grande do Sul vivem crises históricas, pela sucessão de desmanados, de irresponsabilidades, de conivência com o erro e com a burrice, praticada por governantes que só pensaram no voto e nunca no povo. Confúcio Moura termina o ano por cima. Claro que não é unanimidade, muito longe disso. Mas provou que é possível sim gerir um Estado sem ceder aos encantos da popularidade conquistada apenas à custa de demagogia e irresponsabilidade. Merece, pois, aplausos, nesse quesito.

 

THOMÉ NA EQUIPE

O site Rondoniagora, que tem tido informações privilegiadas sobre a nova administração municipal, anunciou nesse sábado que o empresário Marcel Thomé, presidente da Federação das Indústrias, a Fiero, será o secretário especial de Desenvolvimento de Porto Velho. A secretaria vai reunir várias outras numa só, será enxuta e vai criar toda a estrutura de planejar a cidade para o futuro. Caso se confirme a informação, Hildon Chaves ganha um parceiro de qualidade acima da média. Thomé é jovem, com uma cabeça voltada ao desenvolvimento e uma liderança emergente no Estado. O que agora vai se analisar é quem substituirá Thomé no comando da entidade, se ele vai se licenciar ou se tentará jogar nos dois times, o que seria muito complicado e até uma temeridade. Mas que o nome dele é dos que merecem todas as apostas de que terá sucesso, nisso não há dúvida!

 

PERGUNTINHA

Você está entre os otimistas que acham que 2017 será muito melhor ou entre os pessimistas, que dizem que vamos sentir saudades de 2016?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 16

Sérgio Pires 30/12/2016

A INDIGNAÇÃO DE QUEM VÊ A ECONOMIA DESMORONAR

Vale a pena repicar aqui, texto inserido nas redes sociais pelo conhecidíssimo Dinossauro Beni Andrade, que anda por São Paulo. Indignado, ele postou quase três dezenas de fotos de lojas fechados pela crise. Vejam só o texto do Beni: “Aqui está um pequeno grão de areia, do grande legado dos governos petistas! Uma coisa é ouvir falar da crise na qual meteram esse País; outra é você vivenciar no olho do furacão e ver a nossa triste realidade. No bairro do Brás na capital paulista, o exemplo. Quem conhece, sabe que  é o maior centro distribuidor atacadista e varejista de tecidos e confecções do Brasil. Caminhei por um pequeno trecho deste conhecido Centro Comercial. Confesso que fiquei estarrecido com que presenciei. São centenas de lojas e fábricas fechadas. Parecia estar andando numa cidade fantasma. Fiquei imaginando, os milhares de trabalhadores que perderam seus empregos. Não tenho nenhuma alegria e satisfação em estar postando isso. Pelo contrário, me sinto deprimido. Se na maior economia do País o quadro é esse; o quê podemos esperar?”. Beni, ao seu estilo, termina o texto com alguns impropérios, mandando esses vagabundos que colocaram o país nessa situação para os quintos dos infernos.

O respeitado Beni Andrade tem toda a razão. Hoje são mais de 12 milhões e 100 mil brasileiros, a grande maioria com experiência; gente jovem e adulta; gente com curso médio e superior, entrando 2017 na penúria do desemprego. Felizmente Rondônia ainda não chegou nesse triste patamar, até porque o agronegócio ainda está segurança os postos de trabalho. Mas em Porto Velho já se sente sim o drama do desemprego, principalmente entre jovens. Tanto o governo do Estado como a Prefeitura têm obrigação de unir forças, em busca de alternativas que deem chances de trabalho a essa gente toda. Mas não com discurso, conversa fiada e promessas sem fim. Tem que ser com ações práticas. Rondônia está à frente do país em vários quesitos ligados à economia. Prova disso é que enquanto o PIB nacional despenca, o nosso cresce. Mas só haverá verdadeira justiça social, quando tivermos oportunidades para nossos milhares de desempregados.

 

 

 

 

VADE RETRO 2016!

Ufa! Até que enfim! Esse ano terrível ainda vai durar um segundo a mais do que os outros, para a correção mundial da hora certa. Será um segundo a mais de medo e sofrimento, nesse 2016 que deve ter sido um dos piores anos não só para o Brasil, mas também para vários países e para o mundo. Por aqui nos livramos de Dilma e do PT, mas a cabeça da cobra, conhecida como Lula, continua de pé. A economia está destroçada. As perspectivas de melhora são distantes. No mundo, o incendiário Donald Trump pode trazer mais insegurança, mas sua eleição, a má notícia dela, foi nesse 2016 tenebroso. O terrorismo aumentou no mundo, os acidentes naturais se multiplicaram; a floresta Amazônia foi mais devastada; as guerras se ampliaram; a morte de milhares de brasileiros assassinados ou no trânsito não diminuem. O avião da Chapeconese matou sonhos e enlutou o país, por causa da ganância do dono da companhia aérea, que preferiu morrer a gastar um pouco mais com combustível.

 

UM GESTOR NA SAÚDE

O problema da saúde pública não é de falta de dinheiro. É falta de gestão. Certamente foi com essa intenção que o prefeito eleito Hildon Chaves foi buscar Alexandre Porto para comandar a saúde em sua administração. Ele é um especialista em generalidades, conhece muito bem a política, e, ao que se sabe, é um administrador competente. Sua passagem pelo comando da Uniron, o teria credenciado para assumir esse posto tão importante na administração de Porto Velho. Alexandre, que deve ser confirmado junto com o secretariado neste domingo, quando da posse oficial de Hildon Chaves, caso assuma mesmo estará à frente do ponto mais nevrálgico do governo porto velhense. Espera-se que ele dê conta do recado. Todas as pesquisas apontam que a saúde é o maior problema da Capital, destacado pela grande maioria da população. Até mais que a (in)segurança pública.

 

TORCIDA PARA QUE FUNCIONE

Vários outros nomes estão sendo anunciados para a equipe de Hildon, mas ele prefere não anunciar oficialmente. Esperou todo esse tempo porque teve dificuldades em montar sua equipe e, ao mesmo tempo, para não queimar nomes. Mas já se sabe que aqueles que se apresentavam como “futuro secretário” de Hildon Chaves, ficaram pelo caminho. Nenhum dos que iam para a mídia se anunciar como “convidado”, foi confirmado pelo comandante em chefe. O nome para a Educação, outro setor nevrálgico da cidade, está sendo apontado como o de Zenildo Souza Santos, um desconhecido presidente do Conselho Municipal de Previência,. O nome de Zenildo teria surgido numa lista tríplice, com o novo Prefeito cumprindo o compromisso que fez com a categoria, de nomear alguém escolhido por ela. Vejamos se vai dar certo...

 

UMA JUSTA HOMENAGEM

Já fazia muito tempo que o prefeito Mauro Nazif, que deixa o poder neste domingo, não aparecia em solenidades públicas. E nem parecia tão satisfeito como nesta sexta, quando foi entregar um novo oposto de saúde na Capital, no bairro Floresta. Num dos seus últimos atos à frente da administração. Nazif prestou homenagem das mais justas a um médico que dedicou anos de sua vida ao atendimento à saúde. Morto prematuramente, o nome dado ao posto, do dr. Misvald Cardoso do Vale, o inesquecível Dr. Misvald, enterneceu não só seus familiares, presentes ao ato, como ao próprio Nazif, médico também e todos os que tiveram a sorte de conviver com o homenageado. Misvald foi uma figura popular, trabalhador incansável, com uma história de luta, que marcou sua infância e juventude. A sua batalha para realizar o sonho de ser médico, é daquelas histórias que deveria ser escrita, para ficar para as futuras gerações. Mauro Nazif encerra com uma homenagem muito especial a um colega, sua passagem pela Prefeitura.

 

O DEUS LULA

Ridícula, risível, cômica não fosse trágica, o monólogo/entrevista do Presidente Lula, apontando soluções muito fáceis para os graves problemas nacionais, como se tivesse nas mãos deles o milagre da saída para uma crise sem precedentes. Inacreditável que Lula fala como se fosse outra pessoa, não aquele que liderou quase uma década e meia de destruição do país; que está sendo acusado de ser o comandante em chefe do maior esquema de corrupção do Brasil; que cobrava mais de 1 milhão de reais por palestras que jamais ninguém comentou ou colocou no you tube ou nas redes sociais. Que recebia grana preta para falar bem de uma determinada cerveja, quando ainda estava no poder. Que viu a Petrobras ser quase destruída. Que tem vários dos seus mais importantes companheiros e colaboradores atrás das grades. Lula não se emenda mesmo. Pior é que tem milhões de pessoas que ainda acreditam nesse tipo de conversa fiada, emanada de um sujeito que, certamente, perdeu a noção da realidade. Lastimável!

 

PERGUNTINHAS

Nesse último dia de 2016, não dá a sensação que está indo embora um dos piores anos que nosso país viveu nas últimas três décadas? Ou houve coisa pior e a gente apagou da memória?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 17

Sérgio Pires 30/12/2016

CONFÚCIO VAI MUDAR E HILDON ESTÁ PRONTO PARA ANUNCIAR SEU TIME

Se não for hoje, será amanhã. Se não, será nos próximos dias. Mas não há mais dúvida de que o governador Confúcio Moura começará as mudanças nos nomes do seu primeiro escalão pela Seduc. Claro que o assunto, ao menos até ontem, era tratado a sete chaves, nos corredores palacianos, mas não tinha cunho oficial em nenhum momento. Mas há cerca de três semanas, a decisão foi tomada. Confúcio  anunciou a alguns assessores mais próximos e já decidiu, naquela ocasião, o perfil de quem gostaria de ter para assumir a dura missão. Dentro do que o Governador estava pensando, muito perto dele havia um nome que se encaixava perfeitamente nas exigências que o próprio Confúcio queria para o posto. O nome é muito conhecido nos meandros palacianos. É aceito em todas as áreas do poder; respeitado e bem relacionado, além de uma proximidade quase familiar com chefe. A indicação não foi divulgada até agora a pedido do próprio indicado. Ele ainda está colocando na balança todos os prós e contras, mas as chances de aceitar são de mais de 95 por cento.  Haverá ainda outras modificações, embora mais do segundo escalão para baixo. Confúcio não está satisfeito com os resultados da educação, mas também tem cobrado insistentemente resultados melhores de outras pastas. Inclusive de secretários que adoram uma mídia e as redes sociais, mas pouco têm produzido de prático para o Estado.

Montar um bom time de governo não é fácil. Que o diga também o prefeito eleito de Porto Velho, Hildon Chaves, que ainda precisa encontrar alguns secretários com o perfil que ele exige. Alguns nomes procurados disseram não. Nas redes sociais, fala-se que a ação social ficaria com a esposa do vice, Edgar do Boi. A verdade é que Hildon não anunciou oficialmente nenhum nome. O fará nessa sexta ou vai esperar para fazê-lo só na posse, no domingo? Não se sabe se é estratégia pura e simples ou dificuldades mesmo de montar uma equipe: o prefeito eleito até agora fez silêncio sobre seus parceiros. Ele quer começar bem. Confúcio quer terminar bem. Ambos conseguirão?

 

AMORAL É A PALAVRA

Se for verdade, não é uma boa notícia. É ilegal? Claro que não. É imoral? Um pouco. É amoral? Sim. Mas, pior do que tudo, é o mesmo do mesmo, caso se tornar verdade. Repercutiu mal informação não oficial de que o prefeito Hildon Chaves destinaria o comando da Secretaria de Ação Social para a esposa do seu vice, Edgar do Boi. Hildon havia garantido que faria um governo sem conchavos, sem indicações políticas, nada parecido com o sistema tradicional de administração. Claro que a esposa do vice deve ser uma ótima pessoa, preparada, com os requisitos para assumir o posto. O problema é, contudo, de base. Começaria errado, colocando num posto importante alguém ligado exatamente à estrutura político-partidária. Quase como nomear um parente. Certamente o prefeito eleito está colocando tudo isso na balança, antes de decidir. Tomara que decida corretamente, sem decepcionar os mais de 148 mil porto velhenses que votaram nele e todos os outros, ambos esperançosos de um governo municipal diferenciado. Em todos os sentidos...

                                       

RECHEADO DE ESPERANÇA

A solenidade de posse será nesse domingo, a partir das 16 horas, no auditório da Unopar, mesmo local onde os eleitos foram diplomados, recentemente. É um belo auditório, com mais de mil cadeiras e que pode abrigar grande público. Hildon vai assumir com grandes missões, mas, a principal delas, mais imediata, é a de reaver a esperança da população e sua crença na administração municipal. Porto Velho avançou quase nada nos últimos anos e precisa de uma injeção de ânimo, para recomeçar a se tornar a grande cidade que seus mais de 500 mil habitantes sonham. Não será tarefa nem perto de fácil. Pelo contrário. Mas há bons fluídos animando Hildon Chaves e seus parceiros. Até porque, mesmo que começar fazendo pouco, já começará a dar um alento que a população, no governo de Mauro Nazif, teve muito pouco. Hildon Chaves, vencedor nas urnas e empresário de sucesso, começará a mostrar a que veio. Tomara que seja tudo aquilo que se espera dele.

 

TIREMOS O CHAPÉU

Quem chega ao final de 2016 como um dos poucos líderes políticos satisfeitos com o ano que termina (e que foi terrível para a grande maioria dos brasileiros), é Confúcio Moura. Chega ao 2017 com um Estado enxuto, com as contas pagas, com o funcionalismo com os bolsos cheios, recebendo rigorosamente em dia. E começa o Ano Novo como um dos poucos governadores que podem dizer que não estão com um rombo nas contas. Claro que ante o funcionalismo, principalmente, as medidas adotadas por Confúcio não foram nada simpáticas. Mas para os demais 1 milhão e 450 mil rondonienses que não pertencem ao serviço público, a forma como Rondônia está sendo governada foi extremamente positiva. Nossa terra, sempre na mídia nacional por uma imprensa ávida em nos esculhambar, começa agora a aparecer como exemplo para o país. Tire-se, nesse quesito, o chapéu para Confúcio Moura.

 

DESRESPEITO NA RECEITA

Desrespeito ao contribuinte é o que não falta nos órgãos públicos. Nessa semana, um rondoniense foi à Receita Federal para pedir um documento de liberação de viagem para um veículo que exigia tal maluquice. Tudo bem. Lei é lei, por mais idiota que seja. O problema é que o cidadão chegou às 8h em ponto, quando a Receita abre e pediu para falar com a pessoa responsável pela expedição da autorização. Foi informado que ele, o servidor, pago com o dinheiro do povo, “costuma chegar só depois das 8h40, mais ou menos!”... Indignado, o contribuinte reclamou e pediu para falar com o chefe do funcionário atrasado. Caiu de costas, quando lhe foi informado de que o chefe “só chega depois das nove!”. Bastou para que o irritado porto velhense fosse embora, depois de fazer quase um discurso de protesto. Atrase-se um dia para pagar seu imposto de renda, contribuinte idiota, para ver o que a Receita faz com você!

QUE NINGUÉM SE ENGANE!

Mesmo com mais policiais nas ruas, o número de roubos e assaltos continua cada vez maior, em todos os bairros da Capital. Tem que se falar com franqueza: muitos desses ataques são determinados de dentro dos presídios. Também há os que ganharam Indulto de Natal e que cometeram crimes para pagar contas com os líderes das cadeias. Eles não mandam só lá dentro. Mandam fora também. Quando algum dos presos de menor potencial saem às ruas, via benefícios legais, temem voltar sem cumprir as ordens dos chefões. Porque não só eles, os presos reféns dos bandidões, mas suas famílias também são ameaçadas. Isso acontece em Rondônia e acontece em todo o país. Logicamente que essa bandalheira, esse acinte contra as leis e o povo brasileiro, são ignorados pelas chamadas autoridades competentes, como se isso não estivesse acontecendo. Atenção: não nos deixemos enganar. Quem manda nas cadeias são os membros do crime organizado. E só eles!

 

PERGUNTINHA

Agora falta pouco, mas você é um dos que ainda estão temerosos de que o tenebroso e “já vai tarde!” 2016 ainda traga, nas suas últimas horas, mais alguma desgraça?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 18

Sérgio Pires 28/12/2016

EM PORTO VELHO, TRÊS VEZES MAIS FUNCIONÁRIOS DO QUE PARIS

Mais que 100 por cento de aumento em 12 anos.  De seis mil para bem mais de 12 mil. Isso mesmo. Em 2004, o número de funcionários públicos na Prefeitura de Porto Velho não passava de seis mil servidores. Agora, levantamento recente entregue ao prefeito eleito Hildon Chaves, aponta para essa aberração. Paris tem quatro mil servidores. A Casa Branca, que serve ao Presidente dos Estados Unidos, tem 487 funcionários. Porto Velho tem o dobro disso só em cargos comissionados. O Palácio do Planalto, do Presidente brasileiro, emprega 18 mil pessoas. Desses, mais de seis mil (isso, um terço!), “trabalha” fora de Brasília, principalmente morando junto às belas praias do Rio de Janeiro ou no centro nevrálgico do país, São Paulo. Na Casa Branca, o maior salário não é do Presidente. É de um assessor de segurança, que ganha cerca de 30 mil reais, sem penduricalhos. No Brasil, dependendo da cara do freguês e do setor em que atue; dependendo dos padrinhos que tenha e ainda mais se for do  Judiciário, o salário pode bater fácil nos 150 mil reais. Mais de 20 vezes os vencimentos mensais de Barak Obama, o homem mais poderoso do Planeta. Aqui não é diferente. A Porto Velho abandonada, suja, esburacada, com obras inacabadas, com mau cheiro, sem asfalto, sem água potável e sem esgoto, é a Oitava Maravilha do Mundo para centenas e centenas de apaniguados, encostados no serviço público por aqueles que consideram que os cofres que deveriam ser de todos, pertencem a eles e a seus amigos e companheiros de partido.

Faz muito bem o prefeito eleito em decidir por uma devassa na folha de pagamento, conforme anunciou com exclusividade (já que fala apenas com parte da imprensa), ao competente site Rondoniagora. Hildon Chaves não entende como uma cidade como a Capital que ele irá administrar, tão problemática, possa ter uma folha de pagamento que passa dos 60 milhões de reais. É bom que mande investigar a fundo. Porque quando a ponta do tapete for levantada, aí sim se entenderá porque grande parte do dinheiro arrecadado nessa cidade suja e pobre, vai sempre para os mesmos bolsos...

 

 

 

 

VOTAÇÃO SECRETA?

Na mesma linha de raciocínio: foi numa votação secreta que os vereadores decidiram aumentar os salários de futuros secretários de Hildon Chaves para 19 mil reais? Ou as informações que correm nos bastidores são apenas invencionices? Ora, os atuais salários são de 12 mil. Tinham sido autorizados para subir para 15 mil, um reajuste de 25 por cento, o que já é exagerado, numa inflação que não chegou aos 7 por cento neste ano. Agora surge uma informação surpreendente, de dentro da Câmara. Escamoteado dentro da proposta que gerou a autorização financeira para que a Prefeitura pague o quinquênio aos servidores que têm esse direito, foi aprovado novo reajuste, dessa vez, para 19 mil reais para os secretários. O percentual de aumento passaria para os exagerados 58 por cento. O pior é que, oficialmente, ninguém confirma a manobra, que beneficiaria também adjuntos, chefes de departamentos e outros. Só o salário do Prefeito seria mantido nos 25 mil reais. Será que tem algum fundo de verdade nessa história? Se há, é segredo absoluto, porque foi tramado em portas trancadas...

 

O PACOTE JÁ ESTÁ FECHADO?

Por falar em Câmara, a composição da nova Mesa Diretora, que será escolhida em 1º de fevereiro, já está na ordem do dia. Praticamente certo o nome do jovem Maurício Carvalho para comandar a Casa. Um grupo de novatos que não fechou com o de Maurício, liderado pela também nova vereadora Ada Dantas Boabaid, ficará fora da Mesa e provavelmente será independente dentro da casa. O mais votado, o professor e historiador Aleks Palitot (mais de 4 mil votos), não abriu ainda seu posicionamento. Estava mais para o grupo de Ada, mas pode fechar com o de Maurício. Jurandir Bengala, o atual presidente da Casa, representará os reeleitos, ocupando a vice presidência. O quadro desenhado é mais ou menos esse, mas quando se trata de política, a palavra empenhada poucas vezes têm valor. Ou seja, o que está acertado hoje, pode mudar amanhã. Esperemos para ver...

 

UMA CADEIRA NA JUSTIÇA

O presidente da Assembleia, deputado Maurão de Carvalho, deu posse ao empresário Geraldo da Rondônia, na cadeira que pertencia à deputada Glaucione Rodrigues, eleita prefeita em Cacoal. A posse está oficializada, mas abre certamente, uma grande disputa judicial. É que o quarto suplente, José Santos, o Neto da Canaã, quer a cadeira, alegando que os outros três suplentes deixaram o partido e não têm o direito à posse. Outro que poderia entrar na briga é o vereador eleito de Porto Velho, Marcel0 Cruz, que ficou na segunda suplência. Ele era do PSC, mas não deixou o partido, foi excluído dele. Ora, se não saiu por vontade própria, teria direito a reivindicar o posto? Enfim, o caso vai longe ainda. Primeiro, o caso será analisado pelo TRE. Se o tribunal eleitoral considerar que o caso extrapola sua alçada, o assunto vai para a Justiça Comum, no Tribunal de Justiça do Estado. Novidades nos próximos dias...

 

DINHEIRO QUE NUNCA ACABA

Lotérica lotadas, em Porto Velho, no interior e em cada cidade brasileira. A poucos dias do fim de 2016, cresce a expectativa para o sorteio da Mega-Sena da Virada. O  prêmio já está em 225 milhões até agora e pode aumentar até o sorteio, que ocorre neste sábado, às sete da noite, horário de Rondônia.  As apostas para garantir uma vida milionária já fazem parte dos rituais de mudança de ano de muitos brasileiros. As apostas para a Mega da Virada podem ser feitas até ao meio dia de sábado em qualquer casa lotérica do Estado. A possibilidade de haver apenas um ganhador, que colocaria no seu bolso mais ou menos 65 milhões de dólares, é de uma em 50 milhões. Todos os anos, desde que a Mega Sena da Virada foi criada, apenas bolões foram premiados. Não houve até agora um ganhador individual. Já pensou um rondoniense ou um grupo deles, entrarem o Ano Novo com os bolsos recheados de grana e sem qualquer preocupação com dinheiro para os próximos 100 anos???

 

O NOJO DESSES INCOMPETENTES

Dá nojo. Dá ânsia de vômito. Dá vontade de mandar toda essa gente incompetente,  que ocupa importantes cargos públicos nesse país, para os quintos dos infernos, sem escala. Nada funciona, quando é para proteger os pobres e necessitados. Só funciona quando é malversação, sacanagem, corrupção, roubalheira. Pior que pouca gente vai presa e ninguém apodrece na cadeia. O caso das mulheres grávidas, que recebem o Bolsa Família e que foram abandonadas à própria sorte, sem sequer os repelentes prometidos pelo Governo, para protegê-las do zika vírus, é de enlouquecer qualquer cidadão de bem. Um ano se passou da promessa, a maioria dos bebês nasceu (alguns sim, com microcefalia) e até hoje nenhuma delas recebeu a porcaria do repelente, prometido pelo Ministério da Saúde no final de 2015. Porta vozes do Ministério ainda têm coragem de vir a público e dizer que a culpa é da burocracia. Ah, se aqui fosse um país sério! Essa gente podre estaria presa ou proibida, para sempre, de ocupar qualquer cargo público...

 

PERGUNTINHA

Faltando dois dias para terminar esse tenebroso 2016, será que ele ainda nos reserva alguma maldade, antes de morrer e entrar para a História?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 19

Sérgio Pires 27/12/2016

TEMER ENSAIA O MAIOR CRIME LESA PÁTRIA DOS ÚLTIMOS ANOS

Há algo de muito podre, putrefato, fedorento, não no Reino da Dinamarca, mas no do Brasil. Outra vez! Num país quebrado pelo PT e por seus aliados; numa terra onde não se sabe como será o dia de amanhã; no Brasil onde funcionários públicos do Rio de Janeiro, governado por ladrões, têm que recorrer a cestas básicas para não passar fome, porque não recebem seus salários, o governo de Michel Temer toma uma medida anti povo, anti Pátria, contra todo o bom senso e a realidade. Ao doar para as empresas de telecomunicações mais de 100 bilhões de reais, pergunta-se: com que moral Temer quer que o brasileiro comum aperte seus cintos? É uma vergonha total e absoluta. Um desrespeito e, no final, um enorme e perigoso sintoma de corrupção. Que vozes têm se levantado contra essa bandalheira? Parece mentira, mas a principal delas tem sido a deputada Vanessa Graziotin, do Amazonas, até há pouco abraçada com aqueles que passaram quase duas décadas enterrando a Nação num emaranhado de corrupção e roubalheira dos cofres públicos. Embora Dona Graziotin não mereça credibilidade em quase tudo o que faz, ao menos dessa vez ela está certa. Liderou uma mobilização, aliás, que fez com que o Supremo não permitisse a aprovação da lei de doação dos 100 Bi nas coxas, como queriam os partidários de Temer, hoje maioria folgada no Congresso. Ficou evidente, também, a pressa de alguns senadores em tocar o projeto à frente, mesmo sabedores do grande mal que ele causará ao país. Cada um está de olho, claro, nos seus interesses. E o Brasil que vá pro raio que o parta!

Como um país quebrado vai perdoar dívidas das bilionárias operadoras de celular e comunicações e ainda doar a elas todo o patrimônio e a estrutura pertencentes ao povo brasileiro? Como perdoar as dívidas da Oi, empresa estrangeira, dirigida por estrangeiros, gerida do exterior, que está quebrada e tem uma dívida de 65 bilhões de reais? Porque a grande mídia (Globo, Estadão, maiores sites do país) faz de conta que nada está acontecendo, com exceção da Rede Record? Ah, se essa safadeza for concretizada, tomara que o povo volte às ruas, para derrubar mais um governo anti Brasil. Pronto, falei!

 

RODOVIA LÚCIA TEREZA

Se há homenagens justas, são aquelas em memória da deputada Lúcia Tereza, que morreu nessa semana, aos 70 anos. Lúcia era um dos personagens mais queridos da política rondoniense. A Assembleia Legislativa, onde ela brilhou com seu talento e bom humor em quatro mandatos, já decidiu aprovar projeto que dá o nome dela ao trecho da BR 364, de Porto Velho a Pimenta Bueno. Outras homenagens virão. Mas essa é das mais justas. O presidente da ALE, Maurão de Carvalho, é um dos amigos que está inconformado com a perda da amiga e colega de parlamento. Ele chegou a dizer que, se pudesse, mudaria o nome de Espigão do Oeste para Lúcia Tereza, tal a importância da deputada para sua cidade. Obviamente foi apenas um elogio a mais, já que a mudança é apenas uma figura de linguagem. No velório e no sepultamento de Lúcia Tereza, antes do Natal, compareceu um público calculado em mais de cinco mil pessoas.

 

FERIADO TROCADO

 

Não caiu bem entre historiadores e muitos rondonienses, a decisão do Governo de antecipar para a segunda-feira, dia 2, o feriado de instalação do Estado, comemora no 4 de janeiro. A intenção até que foi boa: criar mais um feriadão, emendando com as festas de final de ano. A alegação dos historiadores é óbvia: não dá para se mudar datas oficiais, como o 7 de Setembro; a Sexta-Feira Santa: a Terça de Carnaval; o 21 de Abril. Comemorar a data de instalação do Estado de Rondônia no dia correto, é obviamente o mais correto. Mas, por outro lado, é bom se analisar como seria o início de ano, com os festejos de Ano Novo, dois dias de trabalho e outro feriado. O colunista Zé Katraca, Silvio Santos, personagem respeitado da nossa história, contudo, questiona: já pensou mudar a data do Natal? Enfim, o assunto é polêmico mesmo...

 

CHANTAGEM AÉREA

Primeiro, foram a Gol e a Azul. Agora foi a vez da Latam (TAM): as companhias aéreas estão fora da rota Porto Velho/Rio Branco, alegando que ela dá prejuízos. A verdade, contudo, é um pouco diferente. O que as empresas querem é pressionar o Governo de Rondônia, para que ele diminua para um custo muito baixo, o ICMS sobre o combustível. Usando esse tipo de chantagem, as grandes companhias querem jogar, na tributação exagerada, o motivo para desistirem dos voos entre as duas Capitais. O governador Daniel Pereira, interinamente no comando do Estado, disse que até topar dialogar com as empresas sobre o ICMS, desde que elas deem alguma contrapartida, como por exemplo, diminuir o preço abusivo das passagens aéreas. É claro que não vai dar em nada. As companhias querem todos os benefícios, mas não aceitam abrir mão de nada. Tratam-nos como uma região de terceira categoria. Ou quarta...

 

PLANOS DE HILDON

Abrindo uma exceção (já que evita falar com jornalistas) o prefeito eleito Hildon Chaves concedeu entrevista ao site Rondoniagora,  sobre alguns planos da sua administração, já quando ela estiver começando. Entre outras informações, ele disse que vai fazer uma verdadeira devassa na folha de pagamento da Prefeitura, que hoje chega a 60 milhões de reais e que abriga mais de 14 mil servidores. Há mesmo necessidade de tanta gente?  Hildon contou ainda que pretende recuperar créditos não cobrados pelo município, de tributos federais que têm parcela para a Prefeitura e não são cobrados, o que poderia chegar a até 300 milhões de reais em dinheiro não repassado aos cofres do município. Sobre o IPTU, virá com tudo. Quer inclusive colocar na lista de devedores, incluindo aí protesto em cartório, dos que não cumprirem com suas obrigações de pagar o tributo. O que a Prefeitura arrecada hoje, disse ele ao Rondoniagora, mal dá para pagar os serviços de recolhimento de lixo.

 

NAZIF E O FUTURO

A menos de 96 horas de deixar a Prefeitura, o prefeito Mauro Nazif mantém um silêncio sepulcral sobre seu futuro. Ele praticamente não fala em público desde que ficou fora do segundo turno, na eleição municipal, ficando sem chance de reeleger-se. Nazif tentou durante vários anos ser o Prefeito da sua cidade. Quando conseguiu, sua administração ficou muito aquém do que se poderia esperar. Derrotado nas urnas, com uma rejeição altíssima, o prefeito que deixa o posto às 16 horas do próximo domingo, dia 1º, não dá qualquer sinalização sobre seus planos futuros. Mauro ainda está muito abalado com a perda. Esperava ser consagrado nas urnas, mesmo com todas as pesquisas apontando uma rejeição recorde. Disputará uma cadeira à Câmara Federal, daqui a dois anos? Por enquanto, ele não toca no assunto.

 

PERGUNTINHA

Não seria justo, já que o governo de Michel Temer quer doar 100 bilhões de reais às operadoras de telefonia, fazer o mesmo com os brasileiros endividados e ajudá-los a pagar suas contas?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 20

Banners Direita

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros