Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros


Sérgio Pires 16/02/2018

POR DECISÃO DO TSE, CORREMOS O RISCO DE SERMOS GOVERNADOS APENAS PELOS RICOS

 

Vamos ser governados apenas por ricos e milionários? Os pobres estarão fadados ao fracasso em suas campanhas, já que, apesar dos discursos de que o eleitor escolhe aquele candidato que melhorar se apresentar a ele, a realidade é de que o dinheiro é que ganha campanhas políticas? Infelizmente, isso está muito perto de acontecer, caso o Supremo não modifique resolução do Tribunal Superior Eleitoral, que permite o autofinanciamento de campanhas até o limite máximo permitido pela lei. Para se ter ideia, um candidato rico a deputado estadual pode gastar, do próprio bolso, até 1 milhão de reais. Afora o que receberá do fundo partidário e de outras fontes, como uma tal de “vaquinha virtual”, uma das novidades da arrecadação de grana para a disputa de outubro. Um candidato rico, que quiser ser deputado federal, já começa firme e forte. Poderá investir até 2 milhões e 500 mil reais da sua própria grana. Na mini reforma eleitoral aprovada pelo Congresso, ano passado, o valor do autofinanciamento não poderia passar de 40 mil reais. Justo para todos. Mas o TSE mudou a regra, no andamento do jogo. Decidiu que os candidatos podem gastar até 100 por cento do que determina a lei, para o cargo que vão disputar, usando dinheiro próprio. Seu Joãozinho, lá do bairro, não vai chegar nunca a deputado, mesmo sendo um líder importante e dedicado, porque o riquinho da área poderá gastar parte da sua fortuna para se eleger. O professor e pastor Aluízio Vidal, da Rede, partido de Marina Silva, líder nas pesquisas para o Senado em Porto Velho, por exemplo, pode tirar seu time de campo, caso a norma seja mantida. Como, sem fortuna pessoal, ele poderá enfrentar candidatos poderosos, autorizados a gastar até 5 milhões e 600 mil reais para conquistar uma das duas cadeiras ao Senado? 

Os candidatos novos à Câmara Federal, que não são de famílias ricas, que não têm estrutura partidária e nem política, como conseguirão enfrentar os poderosos que  poderão investir até 2 milhões e 500 mil reais, apenas do próprio bolso, para a campanha de outubro?  Ou seja, os menos abastados, numa só canetada do TSE, estão sendo defenestrados da campanha. Tudo para os ricos e milionários e chances mínimas para quem não nasceu em berço de ouro ou ficou rico durante sua trajetória. É essa depuração na política que queremos? Foi para isso que se começou a fazer uma reforma eleitoral, mesmo que mínima? O que se espera é que haja bom senso e a verdadeira Justiça, já que vários partidos estão recorrendo ao Supremo contra essa decisão absurda do Tribunal Superior Eleitoral. Caso não seja mudada essa posição esdrúxula, poderemos ter nos parlamentos e nos governos, apenas os mais abastados. A pobretada que fique lá embaixo, como massa de manobra!

 

 

TRIO SALVA O ESTADÃO DO NORTE

Importante arquivo da história recente de Rondônia escapou de ir para o lixo, nesta quinta, por muito pouco. Pura sorte. Não fosse a descoberta do veterano jornalista Claudinho Paiva, com o imediato apoio da  jornalista Jussara Gottlieb, que faz parte da vida do Jornal O Estadão durante longos anos e ainda do empresário/jornalista Paulo Andreoli, praticamente todo o acervo do extinto jornal criado por Mário Calixto, nos anos 70, iria simplesmente desaparecer. Claudinho localizou os arquivos, que já estavam sendo removidos para irem para o lixo ou, quem sabe, queimados. Pediu socorro à Jussara e ela a Andreoli, que conseguiu uma camioneta, que ficou cheia, com os antigos arquivos daquele que foi o maior jornal impresso de Rondônia. Toda a carga foi levada para a sede do site Rondoniaovivo, ainda na tarde de quinta. Já com parte das páginas das edições que marcaram nossa história comidas por traças, Andreoli tratou de chamar uma empresa especializada, para tentar acabar com os insetos e salvar o que for possível. Quem conhece um pouco da história da nossa Rondônia,  sabe muito bem o que, para ela, representou o jornal O Estadão do Norte e uma das suas mais antigas funcionárias, a inesquecível colunista Jussara Gottlieb. Quis o destino que fosse ela a salvadora do acervo, com apoio de um jornalista da sua época e outro já experiente, mas bem mais novo em idade. Não fossem os três, mais uma parte importante do nosso passado recente desapareceria.

 

NOSSA HISTÓRIA NO LIXO

É inacreditável que um acervo como aquele estivesse prestes a ser jogado fora. A empresa que editava O Estado do Norte faliu, depois que seu fundador foi condenado e está ainda cumprindo pena. Mas isso nada tem a ver com a importância do que o jornal registrou, em milhares de suas páginas e em centenas de suas edições, durante cerca de três décadas e meia. O prédio sede, na avenida Tiradentes, próximo ao quartel principal da Polícia Militar do Estado, foi vendido para que parte das enormes dívidas da empresa que editava o jornal fossem pagas. Os arquivos ficaram no local e acabaram sendo jogados fora, na lateral do prédio, quando foram descobertos por Claudinho Paiva, que trabalhou no Estadão durante longos anos. É vital que as autoridades competentes, que as escolas de jornalismo,   que os órgãos de preservação do nosso patrimônio histórico, entrem imediatamente no circuito, para impedir que toda a história contada por aquele que foi um dos veículos impressos mais importantes da região norte, durante longos anos, apodreça e suma da memória rondoniense. Seria muito bom também que quem jogou toda essa riqueza histórica no lixo, ao menos pedisse desculpas à comunidade. Pode-se detestar a história deste ou daquele diretor ou membro da equipe do passado, de O Estadão do Norte. Mas sua história não pode ser confundido com esses interesses menores. A história do Estadão pertence a todos os rondonienses, goste-se ou não dela!

 

JUACY JUNIOR NA RECORD NEWS

As eleições deste ano formam o tema central da entrevista exclusiva que o advogado e ex juiz eleitoral Juacy Loura Júnior concedeu a Sérgio Pires, no programa Direto ao Ponto, que vai ao ar neste sábado. Ele fala sobre as novidades da eleição de outubro, sobre as normas do TSE que deverão ser divulgadas até 5 de março; sobre a complexa questão do voto impresso na urna eletrônica, sobre o auto financiamento de campanhas e muitos outros assuntos de grande interesse para o eleitor. Saiba tudo acompanhando a entrevista na Record News Rondônia, Canal 31, na TV aberta, a partir das 10h30 da manhã deste sábado. Simultaneamente, a atração vai ao ar na SKY, na TV fechada, Canal 331 e na Claro TV, Canal 441.1. Já a partir de domingo, você que não pôde acompanhar pela TV, pode assistir à gravação no site Gente de Opinião e em outros sites de notícias do interior do Estado, que reproduzem o programa. Não esqueça de agendar: é neste sábado, 10h30 da manhã.

 

SÓ ENXUGAMENTO DE GELO

Se o Poder Judiciário permitir e aprovar, porque abriu o precedente da última palavra, o presidente Michel Temer nomeará, em breve, o nome comandante do Ministério da Segurança Pública. É mais uma tentativa de concentrar esforços para tentar combater a onda de violência e criminalidade que assola o Brasil, em cada centímetro quadrado do nosso território, onde há gente vivendo. Mas que já se tornou epidemia nas grandes cidades, começando pela guerra civil imposta à população pela bandidagem no Rio de Janeiro. Como os tribunais superiores ignoraram a Constituição no caso da nomeação da ministra do trabalho (atribuição exclusiva do Presidente da República, por nossa Lei Magna), os dois principais nomes para comandar o novo Ministério, Raul Jungmann e José Beltrame, podem não passar nos crivos do Judiciário. Mas todos sabemos que, mesmo que passem e que o novo Ministério seja criado com as melhores intenções, pode até amenizar aqui e ali; ajudar aqui e ali, mas que, na essência, tudo continuará o mesmo. O problema não é a falta de segurança, mas sim o conjunto de leis de proteção ao crime e aos criminosos. Enquanto isso não mudar radicalmente, nem milagre divino resolve esse problema nesse Brasil do discurso e da incompetência.

 

A HORA DE PEDIR O CHAPÉU

Ezequiel Neiva deu muito bem conta do recado, como diretor geral do DER. Fez muitas obras, trabalhou em todo o Estado e soube gerir um órgão tão cheio de complexidade como esse. Obras importantes em rodovias; o Espaço Alternativo de Porto Velho e a quase conclusão do Anel Viário em Ji-Paraná, são apenas alguns exemplos. Mas Ezequiel está enfrentando um problema que, ao menos até agora, ele não soube administrar. Como pré candidato a deputado estadual (todo o mundo político já sabe disso desde o dia em que ele assumiu o DER), ele é um potencial adversário de vários dos atuais parlamentares. E ao invés de deixar o cargo dentro do prazo pedido pelo governador Confúcio Moura, ele está esticando a corda, ficando mais e mais e, obviamente, se transformando em alvo de seus futuros concorrentes. Corre até risco de uma tentativa de CPI, quando do retorno do parlamento às sessões normais, a partir da próxima terça. Ezequiel foi bem até a penúltima página. Ao não saber a hora de sair, para não ser alvo de críticas e ataques, pode não só correr riscos como representante do Governo, como, ainda pior para ele, prejudicar sua futura candidatura. Tem que se saber a hora de pedir o chapéu!

 

MUDANÇAS NO SIM

Para facilitar o atendimento e tirá-lo do centro da cidade, no Tudo Aqui, onde havia grande afluxo de gente, o Consórcio SIM mudou o local de atendimento aos estudantes que necessitam fazer seus recadastramento ou emissão da primeira via do Cartão SIM Digital. Desde esta quinta, o SIM passou a atender no auditório da Emater, na avenida Farquhar, bairro Pedrinhas, em frente ao Palácio Rio Madeira/CPA. A mudança deve-se a questões de segurança e visa proporcionar local mais amplo e acessível aos estudantes da capital. Para a emissão do cartão ou recadastro aos estudantes maiores de 18 anos é necessário levar: carteira estudantil, comprovante de matrícula (declaração escolar) e o comprovante de endereço. Já aos menores de idade, além destes documentos, é obrigatória a presença de um dos pais, pois estes devem assinar a autorização de uso de imagem dos filhos, uma vez que o cartão é personalizado, com a foto do aluno. Todo o pessoal de apoio do SIM está mobilizado para garantir qualidade no atendimento à população, que será sempre das  8h às 17h30, de segunda a sexta-feira e aos sábados das 8h às 12h.

 

PERGUNTINHA

É para começar a nos assustar as informações vindas do Acre de que, em alguns postos de combustível dos nossos vizinhos, a gasolina já está sendo vendida a 5 reais e 15 centavos?

 

Banner de Divulgação 1

Sérgio Pires 15/02/2018

A REVOLUÇÃO ESTÁ CHEGANDO. E NÃO TEM NADA DE FICÇÃO CIENTÍFICA!

 

Abundam na internet vídeos que apontam para o fim de várias profissões, algumas já desaparecidas e outras em vias de extinção. Há um deles que lembra a quebra da Kodak, empresa que, em 1998, tinha 170 mil funcionários e vendia 85 por cento de todo o papel fotográfico consumido no mundo. Em pouco tempo, o tipo de negócio da Kodak se tornou coisa do passado e a empresa faliu. Nos próximos dez anos, a previsão é de dezenas de indústrias e serviços não terão mais como existir da forma atual, como a poderosíssima indústria automobilística e profissões como médicos e advogados, onde apenas uma extrema minoria de grandes especialistas sobreviverá. Os softers vão avançar de tal forma que tornarão inúmeros produtos e serviços totalmente antiquados, numa velocidade assustadora. O mesmo acontecerá com a inteligência artificial, saúde, educação, veículos autônomos e elétricos, agricultura e empregos. Tudo será substituído pela facilidade dos softers, cada vez mais avançados, que modificarão praticamente toda a vida, como ela é hoje conhecida. Em muitos casos, antes de 2025, ou seja, daqui a menos de sete anos. Só pra lembrar, a Kodak era a maioria do mundo e sumiu em apenas três anos, engolida pelo smart fone e as fotos que abundam em todos os celulares do mundo, a custo zero. Um exemplo bem simples: o Uber não tem um só táxi, mas já é hoje a maior empresa de táxis do mundo. Já se fala que em uma década e meia, no máximo, o mercado não precisará mais de advogados, porque, segundo aplicativos e softers sobre o assunto, como, apenas como exemplo,  um só softer da IBM, dão aconselhamentos legais pela internet, com 90 por cento de exatidão, contra 70 por cento, quando dado por humanos. Nos Estados Unidos, advogados jovens já não estão conseguindo emprego. Começou...

O futuro muito próximo prevê o fim dos carros como os conhecemos. Serão elétricos e andarão sozinhos. Serão computadores sobre rodas. A carteira de habilitação será um documento para museu. Ninguém mais precisará dirigir. A previsão é que, com os softers que comandarão os veículos, acontecerão alguns milhões de acidentes a menos e pelo menos 1 milhão de vidas perdidas no trânsito, por ano, no mundo, serão poupadas. A previsão é de que em 2030, ou seja, daqui a apenas 12 anos, os computadores já serão mais inteligentes que os humanos. Ah, os catastrofistas do fim do mundo, que dizem que o Planeta morrerá de sede, estão ferrados. Os sistemas de dessalinização da água serão tão simples e baratos que haverá água em abundância para toda a Humanidade. De um lado é assustador, porque estamos no liminar de um novo mundo e muitos de nós sofreremos com todas as mudanças. De outro, viver neste Planeta se tornará muito melhor, mais saudável, mais tranquilo. Não é ficção científica. A mudança radical do mundo, via novas tecnologias, está batendo nas nossas portas!

 

 

OPÇÕES PARA SABER MAIS

Ainda sobre o mesmo tema: quem tiver curiosidade, pode pesquisar no Google ou no You Tube sobre vários vídeos abordando o tema. Alguns deles: https://www.youtube.com/watch?v=ybVP4K0Em0Q ; https://www.youtube.com/watch?v=u1H_ai9iIjw ; https://www.youtube.com/watch?v=yLbC5mUi26Q; https://www.youtube.com/watch?v=S54AoZEfPOA. Existem vários outros. No Facebook há outro vídeo, ainda mais completo, que você pode assistir acessando https://web.facebook.com/sergio.pires.96/videos/1556119834495686/. Ali há um resumo excepcional sobre informações que vão destroçar (palavras da narradora do vídeo) a maioria das atividades profissionais nas próximas duas décadas. Começando agora...

 

HORA DA DECISÃO AOS TUCANOS

Dias decisivos para a turma tucana. Um dos principais nomes do partido, Expedito Júnior, começa a definir seus rumos a partir de uma reunião que ocorrerá nos próximos dias, entre os membros da cúpula do partido. O PSDB está, senão dividido, ao menos com grupos com planos diferentes, em relação às eleições de outubro. A turma da deputada federal Mariana Carvalho; do irmão dela, o presidente da Câmara de Porto Velho, Maurício Carvalho e do pai de ambos, o ex vice governador Aparício Carvalho, estaria pensando para um lado e o grupo de Expedito, para o outro. Não há rompimento nem questões irreconciliáveis, mas o clima não está envolto na euforia de um partido que está indo bem nas eleições e que, além da excelente votação de Mariana à Câmara Federal, ainda elegeu o prefeito da maior cidade do Estado, Hildon Chaves. Oficialmente, ninguém fala nada sobre o assunto, mas o que se sabe é que Expedito, caso queira partir para uma carreira solo, sem os tucanos, partido onde é um dos principais líderes há quase uma década, já tem convite de várias siglas. Uma  delas é o PSD, do seu filho, o também deputado federal Expedito Neto. Em breve se terá notícias do que foi decidido no ninho dos tucanos.

 

DANIEL RESPONDE E EMPOSSA

O vice governador Daniel Pereira, leitor atento desta coluna, tão logo soube que há gente indo às secretarias para saber sobre contratos e outros detalhes, enviou mensagem, se posicionando sobre o assunto. Escreveu: “tenha certeza que a fonte que lhe deu essa informação está equivocada. Até porque todos os contratos públicos não são secretos”, afirmou, obviamente lembrando que são de fácil acesso a qualquer pessoa. “Qualquer cidadão tem direito a acessá-los”!, destacou. Daniel disse que quem encontrar algo fora da normalidade ou tenha suspeita de qualquer irregularidade pode procurá-lo. “Se tiver algo errado, será corrigido imediatamente”, garantiu. E acrescentou: “podem ter certeza que estou estudando tudo sobre o Governo. Caso confirme a renúncia do governador Confúcio Moura para a disputa ao Senado, é minha obrigação conhecer melhor a administração estadual, para ver como posso dar prosseguimento e, se possível, tentar melhorar onde puder”. Daniel, aliás, nesta quarta, prestigiou a posse Albertina Marongoni Bottega, a primeira mulher a presidir a Emater no Estado. Indicação dele, numa solenidade das mais concorridas.

 

POESIA GINASIANA

Todo o respeito merece a presidente do STF, a experiente e competente ministra presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Mas, convenhamos, desde que assumiu o comando da Corte, repetindo aliás o que têm feito outros ministros e outros ex presidentes, a ministra Carmem Lúcia anda falando mais do que deveria. E aparecendo mais na mídia do que deveria. Nos Estados Unidos, grande parte da população não conhece sequer os nomes da maioria dos membros da Suprema Corte. No Brasil, ao contrário, só falta eles saírem fantasiados em blocos de carnaval. A última da dona Carmem Lúcia é uma pérola. Ela disse que “a superação da violência no país passa por uma mudança na forma de olhar uma pessoa desconhecida”. Para ela, “ao invés de se tratar o outro com desconfiança e como inimigo, é preciso considerá-lo como um irmão e aliado”. Ora, numa poesia essas frases ficariam ótimas. Mas para uma ministra de um Tribunal Superior, num país onde o crime organizado toma conta de cima abaixo, não parece algo pueril e ingênuo, quase um texto de redação de alguém que começa a escrever no Primeiro Grau? Não seria o caso de a ministra e seus ministros recolherem os flaps, falarem menos e decidir mais, guardando a Constituição?

 

APOIO AOS BOLIVIANOS

Relações amistosas se fazem sempre mais com ações do que com palavras. É assim que tem agido o empresário César Cassol, que tem iniciado uma série de contatos comerciais de negócios do grupo que comanda, com nossos vizinhos bolivianos, mas que se preocupa, igualmente, com as questões sociais. Recentemente, além de doar medicamentos para a Prefeitura de Costa Marques, ajudando a comunidade daquela área de fronteira, César foi também “ao lado de lá”, demonstrar sua amizade e respeito com inúmeras famílias da Bolívia. Em San Joaquim, Província de Beni, fronteira com o Brasil, o empresário de Rolim de Moura, que hoje comercializa também calcário de excelente qualidade tanto no lado brasileiro quanto boliviano, entregou dezenas de medicamentos ao Hospital Dr. Henrique Beye. Ao ser recepcionado pela vice governadora de Beni, César destacou sua preocupação com a questão da saúde. “Fico feliz em contribuir não só com o povo de Costa Marques, mas também de Beni. Os problemas da saúde pública me sensibilizam muito”. Todos os medicamentos foram adquiridos por orientação de listas de produtos feitas por médicos da região. César Cassol, ao mesmo tempo em que expande seus negócios em toda a região, apoia iniciativas comunitárias e investe em ações de benemerência, tanto no lado brasileiro quanto no boliviano.

 

O AÇOUGUE DO CARNAVAL

Mesmo sendo menor que em anos passados, o número de  quase 340 atendimentos no João Paulo II,  neste carnaval é de assustar. Pior quando se sabe que do grande número de feridos, 43 foram atingidos em motos, quando transitavam pela Capital. É a tristeza de sempre. Motoqueiros despreparados e descuidados;  motoristas que desrespeitam as motos; caroneiros andando sem segurança, como o caso de uma garotinha que caiu de uma moto e por milagre não foi atropelada por um carro que vinha muito perto. Ali, a perícia do motorista e a rapidez da ação, salvaram a vida de uma criança que andava com a mãe, numa moto, sem os cuidados necessários. Pior de tudo: mesmo com todas as campanhas, com todos os pedidos, com todos os apelos, dezenas de motoristas e condutores de motos foram presos conduzindo seus veículos depois de ingerir bebida alcóolica. Só em Porto Velho, foram 70 presos. Em Guajará Mirim, cerca de 25. Em todas as cidades do Estado onde houve blitz da Lei Seca, houve gente presa.  O trânsito continua sendo um verdadeiro açougue, tirando vidas todos os dias.  No pais inteiro, são mais de 50 mil mortos por ano. E o carnaval continua sendo campeão em mortes.  Até quando vamos continuar lamentando tantas vidas perdidas em tão pouco tempo?

 

PERGUNTINHA

Agora que começou o ano de verdade, você lembrou que o 2018 tem Copa do Mundo e eleições para o Congresso, as Assembleias, Governos e até para Presidente da República?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 2

Sérgio Pires 13/02/2018

ENFIM, UMA VOZ COM CORAGEM PARA ENFRENTAR AS TRUCULÊNCIAS DO IBAMA

Dominado por petistas há anos (e a maioria deles ainda está lá), o Ibama segue a cartilha partidária, com apoio de parte do Ministério Público Federal e de parte do Judiciário, para impor sua vontade sobre as questões ambientais. Na maioria dos casos, cumpre a legislação, criada exatamente por parceiros ideológicos, tratando quem trabalha e produz na Amazônia como bandido. Claro que os há, até em profusão, principalmente madeireiros ilegais, destruidores da floresta e membros de grupos de sem terra que, onde invadem, transformam tudo em área arrasada. A única diferença é que, na maioria dos casos, quando a destruição ambiental é feita por gente do MST, da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e outros movimentos, aí não aparece nem Ibama, nem MPF e nem Judiciário para intervir. Rondônia tem sido vítima do Ibama e seus exageros há anos. O país trocou o governo dos petistas, derrubado por outro, que está caminhando para ser pior ainda, de Michel Temer, mas parece que os superpoderes do Ibama continuam intactos. O órgão manda até mais que o Judiciário. Legalmente. Seus fiscais podem, por exemplo, a seu bel prazer, destruir máquinas, equipamentos, balsas, dragas, incendiando-as e não precisando prestar contas a ninguém. Recentemente, na região de Humaitá, o que se viu foi uma reação dos garimpeiros (que estavam errados e deviam ser processados na forma da lei), que tiveram seus bens destruídos pelos membros do todo poderoso Ibama. Em represália, garimpeiros e suas famílias puseram fogo no prédio e em veículos do Ibama. Imediatamente representantes das Forças Armadas foram enviadas para lá, para conter os protestos. Nunca o foram para proteger as vítimas da força bruta do Ibama.

Agora, depois de tantos desmandos e tantas ações truculentas, ao menos ouve-se uma voz com coragem suficiente para vir a público e confrontar o Ibama. O órgão foi corresponsável  por um enorme prejuízo à exportação de madeira de Rondônia e até de vizinhos bolivianos, ao abrir cargas, em Manaus, que já havia sido vistoriadas e liberadas por aqui, em todos os níveis de fiscalização. Lá no Amazonas, as decisões dos mesmos órgãos foram ignoradas. Milhões de reais em prejuízos, empregos colocados em risco e, pior, grande perigo para nossas futuras exportações. Como o Ibama local, que tinha autorizado a madeira a ser exportada, não fez absolutamente nada para contestar o que o mesmo órgão fez em Manaus, o vice governador e futuro governador Daniel Pereira exigiu, em entrevista ao jornalismo da SICTV/Record, a imediata exoneração do superintendente do Ibama, Carlos Alberto Paraguassu Chaves. Ao menos alguém criou coragem para enfrentar esses abusos. Pode até não ser ouvido, mas Daniel está mostrando que não vai se calar ante essas decisões ideológicas que nos prejudicam.

 

 

JESUALDO VAI MESMO!

No carnaval, aparentemente há uma pausa nas questões da política. Só aparentemente. Porque todos os pré candidatos, muitos dos quais em campanha aberta, estão percorrendo o Estado atrás do eleitor. Há os que aproveitaram os últimos dias para reflexão e análise do quadro no Estado para, a partir daí, tomarem decisões. Foi o caso, por exemplo, do prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires, que está realizando uma das melhores administrações da história da cidade. Depois de muitas conversas, reuniões, encontros com amigos e correligionários, ele finalmente bateu o martelo: será sim candidato ao Senado, em outubro. Jesualdo deve renunciar ao cargo de Prefeito até o início de abril, passando o comando da cidade ao seu vice, o empresário Marcito Pinto, do PDT e se lançando numa grande batalha para ocupar uma das duas vagas ao Senado, Jesualdo começa já com o apoio do futuro governador Daniel Pereira, que assume em 5 de abril e que já avisou que vai apoiar dois nomes para a disputa senatorial: o próprio Jesualdo e o atual governador Confúcio Moura, a quem vai suceder. Na composição para a eleição, o PSB de Jesualdo apoiará Acir Gurcz para o Governo.

 

QUE DANIEL FIQUE SABENDO!

Por falar em sucessão no Estado, já que tudo se encaminha para que Daniel Pereira assuma o Governo na primeira semana de abril, já se nota movimentações de aliados em busca de informações no atual governo. Dicas quentíssimas, vindas de dentro de algumas secretarias, dão conta que há constantes visitas, estranhíssimas, de pessoas querendo ter acesso a informações sobre contratos, sobre convênios, sobre quando terminam determinadas contratações e coisas desses tipo. Não se ouviu, ao menos até agora, alguém que tenha feito pesquisa sobre o que pode ser feito para melhorar a vida da população, que novos projetos podem ser criados, que contratos devem ser encerrados ou ampliados no interesse público. Como se sabe quem é Daniel Pereira e sua forma de agir, com sua vida pública, ao menos até agora, vivida pela lisura, ele certamente não deve saber dessas excrescências. Espera-se que Daniel chame imediatamente essa turma e dê-lhes um Sossega Leão moral, para que caiam fora do Palácio e que nele não ponham seus pés, a não ser se tiverem ideias, iniciativas e projetos de interesse da maioria dos rondonienses. Fora, hienas do dinheiro público!

 

SOBRE UM CARNAVAL PASSADO...

Deve ser um recorde. E muito positivo. Num longo percurso e com a participação de mais de 100 mil pessoas, a polícia não registrou sequer uma ocorrência mais grave no sábado, durante a passagem da Banda do Vai Quem Quer. A Banda da Siça foi um espetáculo e alegria e paz, com raríssimas exceções. Na festa da Capital, a nota triste foi para o Carnaval da Jatuarana, onde algumas dezenas de vândalos destruíram lojas e enfrentaram a polícia. Alguns desses  vagabundos foram presos e logo depois liberados. Dezenas de outros canalhas continuam soltos. Já no trânsito, em Rondônia, lamentos, de novo!  Pelo menos meia dúzia de mortes (num dos acidentes, duas mulheres morreram, em Jacy Paraná) e muitos feridos deixaram ,um rastro de sangue nas ruas das cidades e nas rodovias, como em todos os carnavais, infelizmente. Em todo o país, no geral, o carnaval foi bom, no quesito paz. Nos desfiles das escolas no Rio de Janeiro, cidade que está vivendo uma guerra civil, houve poucas ocorrências. Mas, é claro, a violência ocorreu em vários pontos da cidade e nas favelas, como sempre. Estamos vivendo momentos de dor e tristeza, com tantos bandidos nas ruas. Mas ao menos no carnaval, as coisas foram um pouquinho menos terríveis. Uma pausa, apenas, infelizmente!

 

NÃO TEM MAIS COMO ENGANAR!

Quando a grande mídia, liderada pela Rede Globo, começou a tentar criminalizar as ações policiais, invertendo a ordem real da violência, criando um escudo para que os criminosos parecessem vítimas e os policiais criminosos, houve um grupo de intelectuais, ensandecidos por sua ideologia absurda e doente, que aplaudiu. A culpa era da sociedade, como sempre, que não dava oportunidade aos pobres coitados que, sem saída, tornaram-se membros do tráfico e do crime organizado. Essa teoria nojenta faz parte do mesmo pacote aquele, do tipo que diz que Lula é inocente de todos os crimes que cometeu e que a verdadeira culpada é a Justiça brasileira, que o condenou duas  vezes e, certamente, condenará mais umas dez. Agora que há um desespero generalizado, com crime brutais contra pessoas inocentes, contra crianças, contra jovens; quando os bandos atacam os turistas nas ruas e nas praias; quando os tiroteios à base de fuzis que abundam nas mãos do crime, não há mais como continuar enganando e nem impondo histórias baseadas na hipocrisia e nas teorias ideológicas. A verdade é simples: ou o Brasil muda tudo no combate ao crime ou entrega o país aos bandidos. Não tem mais meio termo.

 

INFORMAÇÃO  “APARELHADA”

Há uma grande crise  humanitária atingindo Roraima. A Capital, Boa Vista, teve sua população aumentada em perto de 15 por cento em menos de um ano, invadida por uma horda de venezuelanos, desesperados pela fome e pela violência, causadas pela ditadura de Nicolás Maduro. O presidente Michel Temer foi lá, acompanhado de ministros, para tentar encontrar saídas para essa terrível crise, que atinge milhares de pessoas e que pode levar uma cidade ao colapso. Qual o destaque da grande mídia? Ah, mais que tudo foi o protesto de menos de 300 pessoas, sindicalistas, membros dos partidos de esquerda, sem terra, ou seja, a minoria de sempre, gritando Fora Temer e outras palavras de ordem que já dão enjoo, por vazias. O esforço do Presidente e seu governo em encontrar uma saída para a situação dos venezuelanos ficou, no noticiário, quase como um detalhe insignificante. A mídia, dominada pela esquerda, decide o que o brasileiro deve ler e saber. E, para ela, é muito mais importante o grito de meia dúzia de tresloucados ideológicos do que o plano nacional para ajudar Roraima e os Venezuelanos. Uma vergonha!

 

A DIVISÃO DO PT

Depois de criticar duramente seu partido, o pré candidato ao Governo pelo PT, Marcos Pereira, deu uns passos para trás. Não quis ficar mal com todos os seus companheiros, a quem acusava, entre outras coisas, de terem se vendido para a candidatura de Acir Gurgacz, do PDT e de terem se transformado em quase tucanos, por estarem sempre em cima do muro. Ele divulgou nova nota, dizendo os nomes que apoiará nas eleições de outubro: Fátima Cleide e o Professor Pantera (que é do PCdoB) para o Senado; Padre Ton e Edson Silveira, para deputado federal e Roberto Sobrinho, para deputado estadual. Observe-se que Marcos ignora uma das principais lideranças do seu partido, o deputado de Jaru, Lazinho da Fetagro, que é o presidente regional do PT. E que, claro, não quer nem ouvir falar numa candidatura de Marcos Pereira, quem ele acha, embora não fale publicamente, que não tem chance alguma de concorrer pelo partido. Aliás, o PT, oficialmente, continua dizendo que não decidiu nada ainda em relação às eleições de outubro e que começará a se definit a partir de março.

 

PERGUNTINHA

Se você fosse premiar a melhor fantasia do carnaval que recém acabou, daria o troféu para a  do “Contribuinte Assaltado por Tantos Impostos e Taxas “ou para o “Otário que Paga um Preço Abusivo pela Gasolina?” 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 3

Sérgio Pires 10/02/2018

NÚMEROS OFICIAIS DA INFLAÇÃO ESTÃO LONGE DA REALIDADE DA CLASSE MÉDIA BRASILEIRA

 

Tem que ser economista, para entender como se calcula os índices de inflação. Na verdade, mesmo anunciada como um numero só, ela é dividida em várias categorias. Há vários índices que mostram o quanto os preços sobem ou descem em determinados períodos. Cada índice aponta uma inflação diferente. Isso acontece porque a alta de preços não atinge todo mundo da mesma forma. Quem tem carro, por exemplo, vai sentir mais no bolso a alta da gasolina; quem come mais carne vai sentir mais se esse produto subir. Assim, os diferentes índices usam, no cálculo, faixas de renda diferentes, regiões diferentes, itens diferentes e até períodos diferentes. É por esses cálculos que o brasileiro comum fica sem compreender como, com tantos aumentos que ele sente no bolso, quando chega o final do mês o governo comemora um recorde de inflação baixa, como o anunciado em janeiro, de menos de meio por cento, número que não se atingiu desde a implantação do Plano Real, no primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso, na década de 90. Em resumo, a inflação se mede com base em índices, como o IPCA, que ponderam os bens e serviços mais importantes para a população e medem o crescimento desses preços. Mas há diferenças importantes. Mas a "sua" inflação pode ser maior ou menor do que aquela medida pelos índices oficiais, tentam explicar economistas, ao defender o atual sistema de medição inflacionária. Para dar a eles mais segurança, é bom registrar que mensalmente, 260 pesquisadores do IBGE levantam preços de 22.500 produtos, para chegar à taxa final daqueles 30 dias. Na teoria, certinho. Mas e na realidade?

Vejamos: a botija de gás de 13 quilos, consumida por milhões de brasileiros, aumentou quase 22 por cento em um ano. Cadê esse percentual absurdo nos números finais da inflação? E a gasolina, que subiu nada menos do que 9,16 por cento em 2017? E o custo da energia elétrica, que em algumas regiões superou o aumento de 12 por cento e a média nacional de 9 por cento? Houve sim alguns alimentos que tiveram grande queda de preços, mas no geral, os hortifrutigranjeiros subiram, no ano de 2017, nada menos do que 8,62 por cento. Enfim, sem querer afirmar que os números da inflação são mascarados, até porque os critérios técnicos exigidos para o resultado final são cumpridos, pode-se, afirmar, com toda a segurança, que ela é muito diferente para alguns brasileiros do que para outros. A inflação da classe média, por exemplo, está longe de ser os 2,95 por cento apontados oficialmente. Para quem usa energia elétrica,, combustível, gás de cozinha e que consome frutas e legumes, os números foram, no mínimo, o triplo. Mas o que vale são os dados oficiais. Mesmo que não retratem a realidade.

 

 

LULA, BOLSONARO, DANIEL PEREIRA...

O  jogo da política, relacionado com a eleição deste ano, ainda está na fase do aquecimento. Os times ainda  não entraram em campo. Mas que aquecimento! Já há os que estão prontos para a peleja; há os que estão quase prontos; os que vão entrar em campo sabendo que serão caçados pelo jogo duro (senão ilegal) dos adversários e os que recém estão começando a reta final dos preparativos. O que se ouve nos bastidores é que alguma coisa do que está sendo anunciado, ainda pode ser mudada. Qual seria, então, a grande mudança, a poucos momentos dos times entraram em campo? Em nível nacional, seria Lula fora da disputa, deixando Jair Bolsonaro e algum dos demais contendores quase em situação de igualdade, em busca do segundo turno. E em Rondônia? Aqui, surpresa enorme seria , por exemplo, Daniel Pereira sair candidato ao Governo. Caso isso ocorresse, tudo o que está posto até agora poderia mudar completamente. Até duas semanas atrás, a possibilidade de uma candidatura de Daniel Pereira era zero. Agora, este percentual começa a se mexer – e muito -  para cima. Por isso, tanto tensão nos bastidores, mesmo faltando muito tempo para o jogo de verdade começar...

 

OS NOMES POSTOS

A relação ainda não está completa. Mas já estão postados como pré candidatos ao Governo de Rondônia: Ivo Cassol, Maurão de Carvalho, Acir Gurgacz, José Guedes, Marcos Pereira do PT, Vinicius Raduan Miguel, da Rede (partido de Marina Silva) e o ainda Procurador do MP, Héverton Aguiar. Dependendo do andar das negociações políticas, acordos, rasteiras, traições e decisões judiciais, ainda podem entrar nessa relação pelo menos dois nomes, considerados entre os peso pesados da vida pública rondoniense: o ex senador Expedito Júnior e o atual vice e futuro Governador por nove meses, Daniel Pereira. O empresário Pimenta de Rondônia pode fazer como repete há anos: entra na disputa pelo PSOL, mesmo sem qualquer chance de conquistar mais que 1 por cento do eleitorado. Entre os que estão postos e que teriam mais chances, nesse momento, há três: Ivo Cassol, Maurão e Acir Gurgacz. Mas, é claro, ainda está  longe da campanha começar. Não dá para fazer prognósticos, até porque muita coisa ainda vai mudar. Recém começou o pré jogo. E já está emocionante. Imagine-se como será a eleição!

 

ANDREY E JUDICIÁRIO FORTALECIDO

O presidente da OAB de Rondônia fez um discurso emocionado e com espírito de convocação de todos os setores da sociedade, para ajudarem a reerguer o país, porque, para Andrey Cavalcante, “desde o fim da ditadura militar e a consequente reabertura democrática, o país não enfrentava turbulências de natureza política tão intensas”. Foi mais longe. Afirmou que “séculos de privilégios e desigualdades, jamais serão passados a limpo, sem a necessária divisão dos custos morais implicados na luta do processo de renovação e reconstrução pelo qual estamos passando”. Lembrou, ao falar na sessão de abertura do Ano do Judiciário de Rondônia, na semana passada, que é este Poder que “está sendo convocado para o saneamento jurídico das práticas medievais que ainda persistem, de forma sistêmica, no nosso ordenamento político”, referindo-se ao câncer da corrupção.. Depois de acrescentar que o Judiciário brasileiro está sob uma forte pressão histórica, lembrou que o Poder existe não para si mesmo, mas sim para o povo. Por isso, sublinhou, é essencial que todas as forças vivas da sociedade defendam a independência e a força do Judiciário”. Andre ainda defendeu o império da lei e da Constituição, “impedindo que forças particulares colonizem o sistema de poder”.  O jovem presidente analisou a situação nacional e concluiu que o trabalho em defesa do país deve ser feito com aplicação, dedicação e sem medo.

 

ONDE ESTÃO AS OBRAS DA 364?

Os senadores Ivo Cassol e Valdir Raupp; os deputados federais Luiz Claúdio e Lúcio Mosquini são apenas alguns dos membros da bancada federal que estão berrando contra a demora do Dnit de determinar o início de obras de restauração da BR 364, cada vez mais perigosa, cada vez matando mais gente. Raupp discursou no Senado, protestando. “É lamentável que as empresas que venceram a licitação para restauração da rodovia não assinem o contrato para iniciar a execução das obras. O DNIT precisa encontrar uma solução emergencial para este problema”! Mosquihni também discursou, na Câmara, exigindo medidas imediatas para que a 364 seja recuperada.  Ivo Cassol fez mais: acompanhado do deputado federal Luiz Cláudio, ele se reuniu com o diretor-geral do DNIT, Valter Casimiro, exigindo investimentos e melhorias na nossa Rodovia da Morte. Cassol lembrou que, só no ano passado, foram disponibilizados 100 milhões de reais da emenda da bancada de Rondônia para que o DNIT possa viabilizar as melhorias nas estradas da região. Até agora, nada foi feito. A bancada federal garante que vai continuar pressionando, até ter uma resposta positiva.

 

TURBULÊNCIAS PARA HILDON

O prefeito Hildon Chaves está tratando de enfrentar mais duas fortes turbulências que atingiram sua administração, nos últimos dias. Ambas vieram com força e ao mesmo tempo. Uma, a questão da demissão de 900 vigilantes, que ficarão sem emprego quando o contrato com a empresa prestadora do serviço à Prefeitura encerrar em setembro e começar a funcionar um sistema de câmeras de vigilância. Hildon tem conversado com o sindicato dos vigilantes e com vereadores, além da empresa que deve ser responsável pelo monitoramento eletrônico. Já estariam garantidas vagas para 350 dos vigilantes, em outras funções. Outros 250 também poderiam ser aproveitados pela nova empresa. Tudo está na mesa de debates. A verdade é que, na questão da vigilância, hoje, a Prefeitura gasta 40 milhões de reais ao ano e passará a gastar 26 milhões, ou seja, uma economia anual de 14 milhões de reais. O segundo ponto complexo é o aumento abusivo da taxa de iluminação pública, para muitos contribuintes. Hildon já anda conversando com vereadores, para voltar atrás e amenizar o problema. Se resolverem esses dois pepinos, será um grande alívio para o Prefeito e sua equipe.

 

AQUI É O RIO DE JANEIRO?

Cena de filme de gângster ou, trazendo para mais perto, de alguma favela do Rio de Janeiro. Dois grupos rivais de bandidos se encontram, por acaso. Em plena rua, sem se preocupar se poderiam alvejar algum inocente ou até matar uma criança, começam a trocar tiros. E não são tiros comuns. As balas são .40, de poder mortal multiplicado.  Um projetil Ponto 40 amplia o poder destrutivo em tecido humano, causando hemorragias e um efeito psicológico tremendo no alvo. Geralmente é mortal. Cidadão comum que for pego com uma arma dessas, vai preso, porque não pode usá-la nem em sua defesa. Mas é um armamento que abunda na mão dos bandidos. O tiroteio, que acabou atingindo um dos gangueiros, transportado ferido para o hospital, aconteceu em dois bairros populosos de Porto Velho. Começou  no cruzamento das Ruas Protásio Alves com Constelação, no bairro São Francisco e terminou na Rua Antônio Fraga Moreira com Plácido de Castro, bairro JK, zona Leste de Porto Velho. Felizmente, nenhum morador foi atingido. Naquela região, aliás, gente de bem evita sair de casa à noite, porque os bandidos tomaram conta de tudo. Uma vergonha!

 

PERGUNTINHA

Tem espetáculo popular mais lindo e emocionante do que a passagem da Banda do Vai Quem Quer, com seus mais de 100 mil foliões, serpenteando e distribuindo alegria  pelas ruas de Porto Velho, como ocorreu de novo neste sábado?

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 4

Sérgio Pires 08/02/2018

TERIAM OS PRESOS ACESSO A DADOS PESSOAIS E FONES DE MILHÕES DE BRASILEIROS?

eriam presidiários em cadeias de cidades como Vitória, a Capital ou Linhares, no interior do Espírito Santo (o prefixo do telefone é 027), acesso à relação de fones de clientes da Sky, em todo o Brasil? Qual o sistema utilizado para que, usando o nome da empresa (certamente o fazem também em  nome de operadoras de celular e outras prestadoras nacionais de serviço), possam saber o nome e o número do fone de um morador de Porto Velho, por exemplo? Para ilustrar o assunto, basta contar a história de um porto velhense que, na última terça, entre sete horas da manhã e 11h30, recebeu nada menos 42 ligações e à tarde outras 15, sempre em nome da Sky. Em contato com a operadora de TV por Assinatura, numa conversa gravada, a vítima soube que nenhum dos contatos foi oriundo dela. Na medida em que não atendia as chamadas, por não identificar os números e nem os prefixos, o coitado foi recebendo uma ligação atrás da outra. Uma com o prefixo 011, de São Paulo, Capital. Outra com o prefixo 028, interior do Espírito Santo. Uma de  Recife, prefixo 081; outras do interior pernambucano. Mais duas dezenas do interior paulista (prefixos 013, 017, 012). Depois de falar com a Sky e saber que a operadora de TV não tinha qualquer contato registrado, a vítima decidiu atender algumas ligações. Numa delas, uma voz rouca do outro lado dizia o nome completo (com pronúncia completamente errada) e o número do celular do porto velhense, que se assustou. Em outras cinco, quando a vítima avisou que a ligação estava sendo gravada e dizendo-se policial, a ligação foi cortada na hora. Teriam vindo todas as ligações de dentro de presídios? Ou há também outras grandes estruturas de golpistas, fora das cadeias, mas igualmente com acesso a informações confidenciais de milhões de pessoas?

Golpes vindos de dentro das cadeias se tornaram comuns no país. Os celulares entram e saem aos borbotões, como se não houvesse controle algum ou a conivência com os criminosos fosse total e absoluta. Vítimas inocentes pelo Brasil afora caem no conto do sorteio, do sequestro de alguém da família, de prêmios que não existem; dão número de contas e senhas de bancos, imaginando estarem falando com as empresas com quem têm contrato. Como alguém tem acesso tão fácil aos nomes, dados pessoais e celulares das pessoas? E como essas informações percorrem as cadeias, de um extremo ao outro do país? Sem controle sobre as prisões e muito menos fora delas, onde o crime toma conta do país, as autoridades permitem que o cidadão comum fique à mercê da bandidagem. Do ministro da Justiça à todas as autoridades do setor, só se ouvem discursos e promessas. Mas a insegurança pública toma conta do Brasil e das vidas de todas as pessoas de bem. Estamos todos nas mãos do crime.

 

 

FALTA O DR. GILBERTO!

Depois da confirmação do nome do procurador do MP, Héverton Aguiar, como candidato ao Governo, falta ainda a decisão de outro personagem importante do mundo do Judiciário, que anda “namorando” com a possibilidade de começar uma vida na política, depois de longos anos dedicados à Justiça. Prestes a se aposentar, o desembargador Gilberto Barbosa tem sido instado por muita gente a realmente decidir por ingressar na vida pública, agora através do voto. Uma das figuras mais respeitadas no Judiciário rondoniense e de toda a região, Barbosa, contudo, ainda está reticente. De um lado, anima-se com a possibilidade de contribuir, com seu longo currículo e experiência, com a qualidade da política. De outro, imagina como conseguiria conviver num mundo onde a retidão e um currículo de serviços prestados à coletividade nem sempre têm valor e relevância. Não se sabe ainda o que o magistrado vai decidir, quando completar seu tempo no Judiciário e se aposentar. Sem dúvida, seria um grande acréscimo à política rondoniense, caso decidisse mesmo participar do processo. Vamos esperar por sua decisão...

 

LADO NOBRE E LADO PODRE

Em parte, o prefeito Hildon Chaves tem razão quando diz que o processo eleitoral de outubro está por trás da pesada campanha contra ele, vinda de parte de alguns vereadores e suas turmas, nos últimos tempos. Só em parte. Mesmo que nenhum vereador criticasse, a própria população sabe que a saúde pública,, por exemplo, está um caos, tenha eleição ou não neste ano. Que as alagações se espalham cada vez mais. Que as obras prometidas estão andando, mas algumas em ritmo lento demais. Que as estradas vicinais estão intransitáveis, em vários distritos, impedindo o escoamento da produção. Que a burocracia infernal continua atrapalhando o sistema de transporte escolar. Quanto a isso, não é preciso vereador-candidato para falar. Agora, quando se ignora as melhorias feitas na atual administração (como por exemplo, o domínio da administração pelo Prefeito, já que antes quem mandavam eram os sindicatos de servidores e seus representantes), é uma injustiça. Assim como o é ignorar várias melhorias na cidade, como na iluminação pública e em algumas questões do trânsito. Hildon recém começou. Contudo, já deveria saber que o jogo político tem seu lado muito nobre, mas também seu lado podre. Ele terá que se equilibrar entre ambos, para poder governar.

 

“VAMO PARÁ COM ESSE BARULHO?”

É o Brasil, dominado pelos criminosos. No Rio de Janeiro, mais de 500 soldados do curso de preparação da Marinha, num quartel, tiveram que cancelar seus exercícios e saírem do local. Por que? Porque um traficante de um morro vizinho, do Comando Vermelho, sentou no muro, armado de fuzil e ordenou que “parassem com esse barulho”! Isso mesmo! E quem relata isso, detalhadamente, é um relatório da própria Marinha, que não pode reagir aos marginais e manda-los para os quintos dos infernos, porque se o fizer, terá que prestar contas a autoridades de todos os níveis, inclusive todos aqueles que vivem às custas dos “direitos dos manos”. No mesmo quartel, dias depois, vários tiros foram disparados de dentro da favela para dentro do quartel, inclusive atingindo uma cama do hospital da guarnição, felizmente vazia. Se houvesse algum paciente ali, teria morrido. Os traficantes, desfilam em frente aos quartéis do Exército e Marinha, no Rio, fortemente armados, com seus fuzis de última geração e os representantes das Forças Armadas nada podem fazer. Que país é esse?

 

THIAGO, O DIFERENTE

Claro que o jovem prefeito de Ariquemes, Thiago Flores, está longe de ser uma unanimidade. Mas não se pode deixar de destacar a seriedade e a forma diferenciada com que ele trabalha. Mesmo principiante num cargo executivo, Thiago tem demonstrado bom senso, quando necessário e até mais rigidez, quando assim acha necessário, inclusive no trato com cidadãos mais agressivos. Dia desses, nas redes sociais, respondeu com dureza a um comentário fora do contexto aceitável e exagerado de uma pessoa que denegria a sua cidade. Antes, enfrentou, com apoio da coletividade, a fúria do MP, que exigia que fossem distribuídas nas escolas, material sobre sexo para crianças de menos de seis anos, o que o Prefeito não topou. Agora, nova medida daquelas que não são comuns entre os Prefeitos brasileiros. Aliás, não são comuns aos políticos em geral. Para conter os gastos com folha de pagamento, Thiago demitiu pelo menos 96 comissionados, um alto percentual entre os nomeados para seu governo. Quem tem coragem de fazer isso? É por essas e outras que a coluna avisa: fiquem de olho no Thiago! Por seu perfil, ele pode ir longe na vida pública.

 

ATÉ TU, CONFÚCIO?

Dessa vez, até o governador Confúcio Moura capitulou e decretou feriadão no serviço público estadual, durante o período de carnaval. Ele estava mantendo uma política de trabalhar duro, proibindo feriadões, que são a tônica no serviço público; causam enormes prejuízos ao país e só beneficiam meia dúzia, no contexto total da população. Mas, dessa vez, o Estado também vai parar até a quarta-feira, recomeçando suas atividades só na tarde do próximo dia 14. A Prefeitura da Capital e a maioria das cidades do interior também emendam o final de semana e não trabalham até a Quarta-Feira de Cinzas, a não ser nos serviços essenciais. Bancos também não funcionam na segunda e na terça, embora não seja feriado nacional nas duas datas. Os clientes que precisarem dos serviços bancários que se danem. Quem vão pular o carnaval e não encham o saco até que a festa termine! Triste, lamentável, mas verdadeiro. O comércio vai funcionar parcialmente. O Porto Velho Shopping atenderá também com horário diferenciado. Abrirá ao meio dia para o público, mas as lojas só às duas da tarde. Os serviços básicos não param e a maior preocupação na prefeitura de Porto Velho é que o atendimento à saúde pública funcione corretamente, nas UPAs. Espera-se que tudo dê certo e que, no meio da semana que vem, as coisas voltem ao normal...

 

SANTO ANTONIO E MORRINHOS

 

Enfim, prevaleceu o bom senso! A Santo Antônio Energia assinou na tarde de ontem um acordo com moradores do reassentamento Morrinhos e os Ministérios Públicos Estadual e Federal, atendendo as solicitações das famílias e colocando fim a mais esta Ação Civil Pública movida contra a empresa. No acordo, a empresa irá destinar um auxílio financeiro às famílias e à associação dos moradores para que possam realizar investimentos na produção agrícola dos lotes como a aquisição de insumos e maquinários. Ainda como incentivo à atividade agrícola, será contratada uma assessoria técnica para auxílio às famílias por um prazo de dois anos. Outras ações serão o repasse de recursos para a construção de dez poços tubulares para a captação de água e para obras de reforma e manutenção de fossas sépticas. A Santo Antônio Energia também já iniciou a entrega das Escrituras Públicas dos Lotes de Produção e da Reserva Legal. O reassentamento Morrinhos está localizado na margem esquerda do rio Madeira, distante 60 quilômetros de Porto Velho, e possui 48 lotes.

 

PERGUNTINHA

Se forem esses candidatos ao Senado da República (Confúcio Moura, Expedito Júnior, Valdir Raupp, Jesualdo Pires, Aluízio Vidal e Bosco da Federal), para ocupar as duas vagas de Rondônia,  em que você votaria? 

Banner de Divulgação 5

Sérgio Pires 06/02/2018

AGORA É DEFINITIVO: HÉVERTON AGUIAR ENTRA MESMO NA CORRIDA PELO GOVERNO DE RONDÔNIA

 

Agora é oficial. Haverá sim mais um nome no rol dos postulantes ao Governo de Rondônia. Já está decidido. O procurador do Ministério Público, Héverton Aguiar, está prestes a se aposentar e, antes de 7 de abril, deve anunciar sua pré candidatura pelo Podemos, o partido que substituiu o PTN, Partido Trabalhista Nacional, que fazia parte da enorme lista de siglas partidárias criadas apenas para abrigar lideranças políticas, em várias regiões do país. O Podemos é o mesmo partido que deverá lançar o ex governador do Paraná, Álvaro Dias, à Presidência da República. Em Rondônia, o nome ao Governo será de Héverton e ao Senado o partido lançará o policial federal (aposentado) Bosco da PF. Nesta semana ainda, Aguiar deve estar em Brasília, para definir os próximos passos e detalhes do lançamento do seu nome à sucessão de Confúcio Moura, provavelmente nas primeiras semanas de abril, tão logo ele deixe, já como aposentado, suas funções no Ministério Público. Perguntado sobre o assunto, Héverton Aguiar disse que “a pretensão de colocar meu nome para análise de nosso povo, na disputa pelo Governo do Estado, é real. Alguns pontos ainda estão sendo analisados, mas já fechei meu tempo e posso me aposentar a qualquer momento. Tudo deverá estar definido na data máxima de 7 de abril”, confirmou. Ou seja, há um novo ingrediente neste contexto da disputa em Rondônia. Um nome novo, vindo do Ministério Público, numa parceria com um representante da Polícia Federal, nesses tempos em que as duas instituições crescem no conceito da população, é sem dúvida um dado importante, que não pode ser ignorado.

Embora ainda pouco conhecido da maioria do eleitorado, já que estreia na política, Aguiar ficou famoso por sua atuação no MP, principalmente pela forma dura e implacável no combate à corrupção. Além de duas vezes Procurador Geral do MP no Estado, ainda se destacou nacionalmente, comandando por três vezes seguidas o Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado. Porto velhense de nascimento, ele também é professor universitário, lecionando em faculdades como a Faro, Ulbra, Uniron, São Lucas e Fundação Escola Superior do MP. Não se sabe ainda sobre suas ideias relacionadas com a política e nem suas prioridades a serem anunciadas durante a campanha, até porque ele fez questão de falar muito pouco sobre assuntos que não estivessem ligados à sua atividade profissional, enquanto ligado ao MP. Mas, dentro de algumas semanas, já aposentado, ele começa a tratar da sua pré candidatura. Terá chance? Os seus amigos e aliados acham que sim, porque ele se encaixaria num contexto exato do que parte do eleitorado procura: uma cara nova e com  um perfil de inimigo da corrupção. Isso lhe bastará para chegar ao Governo? Só o futuro poderá dizer...

 

 

 

LULA EM RISCO: STF MANDA PRENDER

Fedeu! O deputado federal João Rodrigues, do PSD de Santa Catarina, teve decretada sua prisão imediata, na tarde desta terça, por decisão do STF. O caso era emblemático, porque envolvia uma decisão do Supremo que pode afetar diretamente o julgamento do ex Presidente Lula. O deputado foi julgado pela primeira turma do STF e teve sua prisão confirmada, depois de condenação em segundo grau. A votação foi de 3x2 contra ele e o ministro Alexandre de Moraes votou pelo cumprimento imediato da pena. Com isso, ele se posicionou oficialmente sobre o caso, porque não se sabia qual seria sua decisão. A tendência do Supremo, portanto, é manter posicionamento  já emanado da própria Corte, de que condenados em duas instâncias devem começar a cumprir pena. Outro caso semelhante, que estava na pauta, ainda não havia sido julgado até o início da noite desta terça. Com isso, o ex Presidente Lula pode passar pelo mesmo crivo, ao tentar recorrer contra sua prisão, depois de condenado a 12 anos de prisão na segunda instância. Embora cada processo seja analisado de forma diferente, há risco concreto de que a mesma decisão se aplique a Lula. Ou seja, ele pode estar muito perto da cadeia...

 

NÃO DÊEM BOLA AOS IMBECIS!

Alguns “mi mi mi”, alguns comentários idiotas, algumas críticas. Foi isso o que ocorreu com dois vídeos em que alunos do curso de preparação da Polícia Civil aparecem brincando com a música “Que Tiro foi esse?”, uma dessas porcarias que fazem sucesso só mesmo no Brasil, onde o mau gosto cultural é uma espécie de câncer em estado terminal. Mas a essência do caso foi a tentativa de alguns (poucos, mas barulhentos), querendo transformar uma brincadeira inocente, sem qualquer outra conotação, num motivo de patrulhamento da doentia teoria do politicamente correto. São essas que tentaram acabar com o humor no país; que patrulham qualquer brincadeira que não seja dentro do que apregoam; dos que acham que há homofobia, racismo e outras questões, tentando criminalizar e enxertar suas teorias ideológicas na cabeça de todos, mesmo em casos em que as pessoas apenas extrapolam seu bom humor e sua criatividade. Que não sejam pressionadas as chamadas autoridades competentes a dar bola para esses imbecis. O que aconteceu foi uma brincadeira, criativa e sem qualquer dano, praticado por pessoas comuns, num momento de lazer. Ponto final.

 

INFERNO DOS 13 MESES

Não dá para ignorar que o prefeito Hildon Chaves está vivendo provavelmente o pior momento do seu governo, o inferno astral, nestes seus primeiros 13 meses à frente da Prefeitura da Capital. Seu maior problema é ainda a questão da saúde pública, que está longe de ser resolvida, embora não se possa negar que há um esforço muito grande, da administração, dos médicos e das equipes, para que as coisas melhorem logo. Além disso, Hildon enfrenta o que todo o Prefeito sofre, nestes tempos de inverno amazônico: as constantes chuvas, que alagam grande parte da cidade. Claro que ele não tem culpa, pessoalmente. Mas a população direciona o dedo contra o peito de quem está no comando da Prefeitura, exigindo o fim das alagações. Pra piorar tudo, a questão da nova taxa de iluminação pública tem causado protestos sem fim, de contribuintes irritados com o aumento de suas contas, em alguns casos multiplicados por dez. Em muitas coisas o governo de Hildon Chaves vai bem, muito melhor que seu antecessor. Mas nesses quesitos mais complexos, sem dúvida alguma ele ainda não encontrou o caminho para voltar aos braços do povão!

 

AS INTENÇÕES E A REALIDADE

Na reabertura do ano legislativo, na Câmara Municipal, o Prefeito fez um balanço do seu primeiro ano, destacou os avanços, a reestruturação e a economia feita, com a renegociação de contratos. Mas acabou sendo vaiado, por alguns dos presentes à solenidade (não se sabe se era claque de algum vereador adversário ou não), quando disse que a saúde pública está melhorando. Em seguida se corrigiu, dizendo que há ainda graves problemas a serem enfrentados, mas que ele e sua equipe estão fazendo o possível para melhorar também nesse quesito. Hildon Chaves tem ainda quase três anos de administração e certamente vai conseguir melhorar a cidade em vários aspectos. Mas, para quem estreia na vida pública, ele está sentindo na pele que nem tudo o que quer é possível; que nem todos que o cercam querem realmente o sucesso da administração e pensam na cidade, não em si mesmos; que se não tiver jogo de cintura, perde o jogo da política para quem já é experiente e malandro nessas questões. Hildon está com as melhores intenções. Se vai conseguir transformá-las em realidade? Ainda é cedo para dizer.

 

DANIEL VAI MUDAR SEUS PLANOS?

Nos meios políticos, o que se comenta é que o futuro governador Daniel Pereira, que assume dia 5, estaria sofrendo grande pressão para considerar a possibilidade de concorrer à reeleição, em outubro. Ele vai assumir o Governo por nove meses e  está apto sim, legalmente, a postular um segundo mandato. Há algumas semanas, numa declaração exclusiva a essa coluna, Daniel disse que não seria candidato de jeito nenhum. Mas tem sido procurado por tanta gente do PSB, seu partido; por aliados e correligionários, que já não fala com tanta segurança de que não aceitará qualquer postulação neste sentido. Nessa semana, numa reunião que durou longo tempo, ocorrida em Porto Velho, com a presença de alguns dos principais nomes do PSB, ele ouviu apelos e comentários elogiosos, pedindo que reconsidere a decisão de não disputar. Daniel tem, ao menos até agora, compromisso de apoiar o senador Acir Gurgacz, do PDT, ao Governo. E garantiu que vai apoiar Confúcio Moura, do MDB e Jesualdo Pires, do PSB, para o Senado. A verdade é que a conclusão dessa história ainda está sendo escrita. Muita águia vai rolar ainda, antes que tudo seja definido..

 

ACIR E O MDB: OBSTÁCULOS NO CAMINHO

O problema do atual vice governador, caso decida concorrer (o que, por enquanto, parece muito difícil), será transpor alguns obstáculos fortes que terá pela frente. O primeiro deles relaciona-se com compromissos firmados. Caso assuma o Governo, como tudo leva a crer, já que Confúcio Moura está pronto para a campanha ao Senado, Daniel teria que romper seus compromisso, de pelo menos três anos, com Acir Gurgacz. O senador de Ji-Paraná jamais aceitaria mudar seus planos, nesse momento, abrindo espaço para Daniel. O confronto, ao que tudo indica, seria sério e com danos para todos os lados. O outro obstáculo também é poderoso. Ele não teria, de jeito nenhum, o apoio do MDB, que fechou com Maurão de Carvalho e não aceita nem de brincadeira, falar numa mudança de planos. Ficaria contra Confúcio, a quem prometeu fidelidade, caso o atual Governador continuasse firme ao lado de Maurão? E o presidente da Assembleia, caso recebesse uma adversário inesperado, vindo do Palácio Rio Madeira/CPA, como aceitaria essa nova situação? Assembleia e Governo, que têm caminhado juntos, não ficariam em posições opostas, numa disputa eleitoral duríssima, como a que se avizinha? Enfim, como em todas as complexas negociações políticas, essa também tem ainda muito mais perguntas que respostas. Só se saberá realmente os rumos da sucessão estadual entre maio e junho deste ano. Até lá, muita conversa, especulação e....traições!

 

PERGUNTINHA

Será que o recurso do PT à ONU, exigindo anulação dos julgamentos e das condenações de Lula pela Justiça brasileira, podem acabar com as Nações Unidas declarando guerra ao Brasil?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 6

Sérgio Pires 05/02/2018

DECISÃO DO SUPREMO, NESTA TERÇA, PODE SER DECISIVA PARA COLOCAR OU TIRAR LULA DA CADEIA

Aparentemente, o dia será comum no Supremo Tribunal Federal. Não será. Nesta terça,  dois casos serão julgados e, dependendo do resultado, eles poderão mudar completamente a situação de condenados em segunda instância, como, é claro, o ultra super hiper inocente ex Presidente Lula da Silva. Os ministros do STF vão julgar os casos de um prefeito e de um deputado já condenados em duas instâncias e decidir se eles devem ou não ir para a cadeia, antes que tramitem todos os seus recursos. Por enquanto, está valendo decisão anterior, em que o Supremo decidiu, por 6 votos a 5, que é constitucional a prisão depois da condenação em segunda instância. É o que exige o Ministério Público e a Procuradoria Geral da República, por exemplo. Mas, desde o caso Lula, começou como uma marolinha, mas já estão se tornando uma onda bastante preocupante, as teorias de que o STF pode mudar de posição. Aliás, o ministro Gilmar Mendes, que naquela votação histórica disse sim à prisão em segunda instância, já teria avisado que vai mudar seu voto. Ao contrário da ministra Rosa Weber, que foi contra e agora estaria decidida a votar a favor. Se for para o voto de Minerva, em que a posição da presidente Carmem Lúcia será decisiva, fica como está e Lula e outros, nas mesma situação, estarão a um passo da cela. O novo ministro Alexandre Moraes , a essas alturas do campeonato, também será de grande importância nessa votação. Se ele for a favor da prisão em segunda instância, desequilibra a balança a favor do que já foi decidido. Se votar contra, pode mudar tudo. Quando foi questionado por senadores, antes de assumir, Alexandre saiu pela tangente. Disse que não considera inconstitucional a prisão depois da condenação em segunda instância, mas não se posicionou claramente sobre o assunto.

A verdade é que as decisões do STF desta terça, caso não mude a pauta na última hora, como muitas vezes acontece, julgando dois anônimos, pode influenciar diretamente no caso Lula. O ex Presidente, condenado a mais de 12 anos de prisão, já perdeu em todas as instâncias em que recorreu e todos seus recursos foram negados. Agora, quando está muito perto de ser preso, pode ser salvo pelo gongo. Se a maioria dos ministros, na decisão de agora, decidir que os dois réus nos processos em pauta não devem ser presos, vai ter festa na turma do lulopetismo, que, por incrível que pareça, ainda existe. Se for o contrário, que o nosso ex líder, aquele que prometeu transformar o Brasil no melhor país do mundo, mas só o fez para ele e sua turma, pode começar a preparar a malinha, porque a cela estará lhe esperando. Vamos ver para que lado vai o STF...

 

 

“FORMULADA” NO TANQUE

Há uma boa variação nos preços da gasolina, em Porto Velho e outras cidades do Estado, todos em alta, claro, mas há ainda outro problema que precisa ser analisado: a qualidade do combustível vendido nos postos. Uma tal de “gasolina formulada”, denunciada em todo o país (aqui, o assunto foi tratado com exclusividade no programa Papo de Redação deste sábado, na SICTVRecord), anda assustando os motoristas. Com qualidade muito abaixo do normal, a tal gasolina pode ser vendida, por autorização da Agência Nacional do petróleo (ANP), desde que haja aviso específico e bem claro nos postos que a comercializam. Já há denúncias de que a tal gasolina formulada está sendo vendida, sendo cobrado por ela o preço da gasolina normal, o que seria um crime contra o contribuinte. O assunto ainda vai dar muito pano pra manga. Já estamos pagando um preço absurdo e exorbitante pelos combustíveis e, mais essa, aí já é demais! Exige-se fiscalização urgente!

 

PLANO PARA 300 ESCOLAS

Daniel Pereira anda cheio de planos para quando assumir o Governo. Alguns deles já foram anunciados aqui mesmo nesse espaço, com exclusividade, como a prioridade à segurança pública e a indicação de: Albertina Marongoni como nova presidente da Emater. Mas já há outras ideias sendo elucubradas. Uma delas vai mexer com toda a estrutura das escolas estaduais, mais de 300, espalhadas por todos os recantos do Estado. Dabiel quer começar um programa de recuperação dos prédios, um por um, propondo que o trabalho prossiga no próximo governo, seja quem for que assumir o cargo. Ele quer dar o star, ou seja, começando um grande programa de renovação dos prédios, dando a eles um novo aspecto, com estrutura avançada e uma qualidade muito acima do que é hoje. Claro que durante os nove meses de seu mandato, pouco poderá fazer. Mas caso deixe um projeto em andamento, com recursos em caixa, é provável que seu sucessor toque o assunto em frente. Isso se houver sucessor, porque Daniel pode, se quiser, ser candidato à reeleição. Por enquanto, ele nega essa possibilidade.

 

 REAÇÃO EM NOME DA SOCIEDADE

Nem sempre os bandidos ganham. Vez por outra são eles que acabam morrendo, em confronto com a polícia ou até pela reação de suas vítimas. Na maioria das vezes, é claro, são esses criminosos cruéis que atacam e matam, muitas vezes apenas pelo prazer de matar. Mas vez por outra, a sociedade consegue se defender desses canalhas, mandando-os para os quintos dos infernos, que é onde eles merecem estar. Em Ariquemes, nesta final de semana, dois marginais foram cercados pela PM e, ao invés de se entregarem, ainda saíram atirando, tentando matar os representantes da lei. Deu pra eles, porque os PMs reagiram à altura e conseguiram balear os dois. Os bandidos, ousados e destemidos, normalmente com armamento muito melhor e mais sofisticado que o dos policiais, não respondem mais aos pedidos para se entregarem. Atiram e atiram para matar. A diferença é que os homens da lei estão preparados para eles e não são indefesos como a grande maioria das vítimas, muitas delas sacrificadas sem nenhum motivo ou sem nenhum sentido. Cada vez que um policial revida ao ataque de assassinos e os manda para o inferno, ele deveria ser homenageado pela coletividade. Aqui, nesse espaço, todos eles, os homens e as mulheres da lei, sempre o serão...

 

A VENEZUELA NOS INVADE

Eles já são 40 mil. Famintos, desesperados, abandonados. Famílias inteiras estão ao relento, aguardando, quando, ao menos uma vez por dia, recebem algum alimento: um copo de leite e uma fatia de pão, às vezes seco mesmo, às vezes com um pouco de manteiga. Comem e deitam ali mesmo, no chão, porque não há mais local para abriga-los. Já são perto de 10 por cento de toda a população de Boa Vista, capital de Roraima. Todos foram chegando em enormes filas, passando pela fronteira aberta e saindo de uma Venezuela destruída economicamente, onde falta tudo: da comida ao papel higiênico; de remédios mais simples até roupas, enfim, onde falta tudo. A Prefeitura de Boa Vista já não dá conta da maior mobilização de imigrantes que a história recente do Brasil já registrou, muito acima dos haitianos, que vieram para cá depois do terremoto. Com uma diferença: os haitianos se espalharam pelo país. Os venezuelanos estão todos no mesmo lugar, pedindo socorro. Não se houve uma só voz dos simpatizantes da ditadura de Nicolas Maduro, em defesa desta multidão de refugiados, fugindo do terror e da fome. No discurso, eles são ótimos. Mas quando é para falar em defesa dos pobres coitados e trabalhar por eles, nem um pio.

 

VÃO SAIR DO PAPEL?

Thiago Tezzari assumiu nesta segunda o comando da Empresa Municipal de Urbanismo, A Emdur, no lugar de Breno Mendes, que, aliás, estava fazendo um bom trabalho à frente do órgão. Thiago muda de posto, mas deixa pronto, como secretário executivo, um grande projeto de Parcerias Públicos Privadas, que a Prefeitura pretende começar a implantar ainda este ano. Entre as parcerias, onde o setor privado fará a maior parte dos investimentos, estão os setores de iluminação pública; gestão de cemitérios; o futuro sistema de estacionamento rotativo pago; o esgoto sanitário e áreas de distribuição de alimentos, como os que funcionarão no Shopping Popular. Só na área de esgoto, caso a parceria seja mesmo efetivada, o Município pretende receber investimentos de até 1 bilhão de reais. A empresa parceira nesse empreendimento, teria direito de exploração do serviço por, pelo menos, os próximos 35 anos. Na área de iluminação pública, a meta é conseguir investimentos de 100 milhões de reais. Tudo está sendo planejado, mas ainda não se sabe quanto as coisas sairão do papel.

 

SÓ DOIS NÃO VÃO À REELEIÇÃO

A Assembleia Legislativa volta ao normal dia 20, depois do carnaval, com pelo menos 22 dos atuais deputados tentando a reeleição. Quantos conseguirão? Apenas o presidente Maurão de Carvalho, que disputará o Governo e o jovem deputado Léo Moraes, que tentará uma cadeia à Câmara Federal, não irão tentar novo mandato no parlamento. Havia outras duas dúvidas, ambas já esclarecidas. Hermínio Coelho chegou a ensaiar uma tentativa de concorrer à Câmara também, mas desistiu porque não teria cacife financeiro para a batalha. Já em relação ao deputado Lebrão, a questão foi outra. Ele pensou seriamente em se aposentar da vida pública, depois de vários anos nela, com bastante sucesso. Mas recebeu tantos apelos e pedidos de amigos e eleitores da sua região (São Francisco do Guaporé e toda as comunidades próximas)l que reconsiderou e vai também para mais um mandato. A disputa será muito acirrada, já se sabe, até porque pelo menos 300 rondonienses vão lançar seus nomes para tentar conquistar uma cadeira na Assembleia. Dessa gente toda, pelo menos 10 por cento têm chances reais de chegar lá. Será daquelas disputas acirradíssimas.

 

PERGUNTINHA

Você está participando do carnaval no Bloco dos Duros e Desesperados ou no dos Otimistas Quase Psicopatas?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 7

Sérgio Pires 03/02/2018

DANIEL PRIORIZARÁ A SEGURANÇA PÚBLICA E CONFIRMA PRIMEIRO NOME DA SUA EQUIPE

 

Daniel Pereira está se preparando para assumir o Estado, no início de abril. Terá nove meses para governar e, hoje, já não se pode dizer que é definitiva sua decisão, anunciada há algumas semanas, de que não será candidato à reeleição, por exemplo, já que ele pode sim, se quiser, tentar mais quatro anos no poder. Dia 5 de abril, Confúcio Moura renuncia, para estar apto a disputar a uma das duas vagas ao Senado. Daniel assume e já tem, preparadas na sua cabeça, algumas medidas que pretende tomar, para colocar suas digitais no restante do tempo que falta para fechar o atual mandato. O que já se sabe é que, ao assumir, o novo Chefe vai dar prioridade a um grande projeto relacionado com a segurança pública. A princípio, Daniel não pensa em eventuais trocas de nomes na área, mas sim de mudança mentalidade e de ação. Ele vai exigir não só um planejamento diferenciado, mas principalmente resultados. Menos discurso, mais ação. Menos conversa, mais praticidade. Vai começar a implantar um projeto de retirada de presídios em áreas urbanas em algumas cidades do interior. Vai exigir soma de esforços, ações conjuntas e programas sociais que possam ajudar a diminuir a violência e a criminalidade. Coisa para começar a dar resultados rapidamente. Na área do agronegócio, Daniel também tem planos feitos. Quer ampliar o que está dando certo e buscar cada vez mais inovações. E trará para o seu lado, para comandar a Emater, uma mulher que tem se destacado inclusive nas iniciativas e negociações que envolvem a vitoriosa Rondônia Rural Show. Virá de Rolim de Moura a primeira mulher a presidir a Emater: Albertina Marongoni Bottega. É também o primeiro nome confirmado na nova equipe de governo. Em relação ao atual secretariado, diz que vai mudar muito pouco, afora, é claro, as trocas em relação aos sete que deverão deixar o Governo para concorrer em outubro.

O vice governador se diz pronto para assumir. Não se sente pressionado pelo momento político, por dois motivos, entre outros. O primeiro: simplesmente diz não aceitar pressões, venham elas de onde vierem. O segundo: não vai permitir que nenhuma estrutura do Governo que ele comandará, seja utilizada na futura campanha política, seja ou não aliado dele ou de seu partido. Em termos pessoais, Daniel certamente vai ouvir sua esposa, dona Ester, que tem dois mestrados, um na área de Enfermagem, outra na do Direito. E diz que tem o apoio da família para seguir seus projetos. Semblante tranquilo, muitas ideias na cabeça, experiente e cheio de planos, o novo Governador que Rondônia terá, prepara seus próximos passos. Estará, entre eles, o de enfrentar o desafio de tentar uma reeleição? Isso ainda é muito cedo para se saber...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREJUDICANDO O PAÍS

Quem será responsabilizado pelo enorme prejuízo, não só financeiro como na imagem, no caso das exportações de madeira da região, depois da desastrada intervenção do Ibama e da Polícia Federal do Amazonas, que ignoraram os dois órgãos locais que já tinham liberado mais de 440 containers de madeira para o exterior e os apreenderam, alegando irregularidades? Várias semanas depois da esdrúxula ação, apoiada pelo Ministério Público Federal, se concluiu que nada havia de errado. Mas daí, o leite já estava derramado, ou seja, os compradores de vários países, informados sobre a apreensão, começaram a cancelar não só os pedidos já feitos, como outros, que estavam a caminho. É uma vergonha que o Brasil aceite, impassível, que meia dúzia de órgãos que se adonaram das questões ambientais, possam tomar decisões nesse nível, causando graves prejuízos a empresas e podendo tirar centenas de empregos, no setor.  Foi a mesma coisa com aquela doentia denúncia contra nossas exportações de carne, que até hoje causam danos às vendas dos nossos produtos no exterior. Nenhum dos envolvidos no vergonhoso episódio antiBrasil sequer foi denunciado. Uma vergonha!

 

AS CHANCES DE ALUÍZIO

Nessa história toda da eleição de outubro, tem que se colocar no altar das possibilidades, o nome do pastor e professor Aluízio Vidal, que vai disputar uma vaga ao Senado pela Rede, de Marina Silva. Vidal é daqueles personagens da política que precisa ter uma oportunidade para mostrar que é mesmo diferenciado, como se apresenta ao eleitorado. Aliás, cada vez mais rondonienses acreditam nele. Na última disputa ao Senado, ele fez quase 78 mil votos, a maioria em Porto Velho. Ou seja, é um candidato com grande potencial e com um discurso que agrada milhares de pessoas. Se estivesse num partido um pouco mais forte e ainda se pudesse gastar um pouco mais, já que suas campanhas os gastos maiores são a sola de sapato e a palavra, Aluízio Vidal poderia sim ser considerado nome quentíssimo para uma das duas vagas a que Rondônia tem direito. Há quem diga que se ele fosse candidato à Assembleia Legislativa ou até à Câmara Federal, teria enormes chances de se eleger. Mas, por enquanto, a meta é o Senado. É daqueles personagens que podem surpreender numa disputa política. Esperemos para ver até onde ele vai, mesmo enfrentando nomes poderosos e de peso, da nossa política.  

 

O CARNAVAL E A  BANDIDAGEM

O carnaval já começou de verdade, com desfiles de vários blocos e muita festa, mesmo em tempos de crise, de riscos de enchente, de dinheiro curto e muita violência. Uma efeméride dessas, que deveria ser apenas de alegria, todos sabemos que, lamentavelmente, nunca é só isso. E surpreende o fato da Polícia Militar estar anunciando quase 850 policiais para cuidar do carnaval, principalmente em relação às questões do trânsito. Ora, com um efetivo limitado, atendendo até mais que uma centena de ocorrências por dia, em períodos normais, como a PM vai fazer,  utilizando tanta gente apenas para controlar os desfiles; segurar os bêbados, cuidar do trânsito e tudo isso que compõe o efeito colateral de grandes concentrações de público? Está na hora de recomeçar os debates acerca do uso da segurança pública, que tem que ser retirada de ações que combatem o crime, para cuidar destas festas populares. Não há, é claro, uma receita pronta, mas debater o assunto, tentar encontrar alternativas e parcerias, é o que se pede. Colocar mais de oito centenas de policiais militares apenas para cuidar do carnaval, é quase um convite para que a bandidagem tome conta da cidade. Não é mais possível deixar grande parte da população semiabandonada, enquanto a polícia vai cuidar de festa.

 

ADEUS, AUMENTO SALARIAL!

Já está valendo a série de novas regras do controle de gastos com pessoal, na administração do prefeito Hildon Chaves. Decreto nesse sentido foi assinado dia 1º

, quinta passada e determina, entre outros medidas duras, o corte imediato de 20 por cento dos cargos comissionados. O prefeito já havia sido alertado pelo Tribunal de Contas sobre a iminência dos gastos com servidores ultrapassar o limite permitido pela legislação. Hildon analisou a situação e alegando vários motivos, entre os quais a queda de arrecadação no Município, decidiu que era hora de começar a cortar mais profundamente na carne. O decreto proíbe ainda cedência de funcionários para outros órgãos, com ônus para a Prefeitura. Outra norma, certamente, dará muita dor de cabeça ao Prefeito da Capital: a suspensão de qualquer tipo de negociação salarial com todas as categorias de servidores. Isso sim, será um grande problema, porque em ano eleitoral, vários vereadores que vivem do voto dos funcionários municipais, têm nas batalhas salariais seus principais motes de campanha. Agora, perderam o argumento!

 

DUAS LUTAS PERDIDAS

Não é só o PSDB que tem seu problema interno, com a postulação de José Guedes ao Governo, exigindo que o presidente Expedito Júnior se decida logo e indique a ele, Guedes, como o nome tucano na disputa. A batalha do tucano histórico é perdida, porque Expedito só se decidirá na 25ª hora e depois de todo  quadro da sucessão estadual estiver muito bem claro. Tão perdida quanto a do advogado Marcos Pereira, autocandidato do Partido dos Trabalhadores ao Governo de Rondônia. Com declarações duríssimas, numa carta aberta e em entrevistas, Marcos tem denunciado que o PT “se vendeu para Acir Gurgacz”, considerando uma traição do comando petista aliar-se novamente ao senador, que agora quer ocupar o comando do Palácio Rio Madeira/CPA.  Numa carta aberta, um trecho, apenas para ilustrar, demonstra bem a fúria do petista relegado: “vou detonar também aqueles falsos petistas, que não têm a coragem de assumir uma postura de oposição, que ficam em cima do muro como se tucanos fossem. O povo de Rondônia não mais elegerá seus traidores”, protesta. O comando do PT ainda não se pronunciou sobre o assunto.

 

MAURÃO NADA DE BRAÇADA

Enquanto as demais pré candidaturas ainda estão em fase de conversações e busca de alianças, além da do líder das pesquisas, Ivo Cassol, ainda não estar confirmada, o presidente da Assembleia, deputado Maurão de Carvalho, nada de braçada. Ele está na estrada há vários meses, visitando cada recanto do Estado, conversando com a população, levando benefícios, acompanhando o governador Confúcio Moura ou sendo acompanhado por um séquito de políticos bons de voto em suas respectivas regiões, com a certeza de que será o nome do MDB na disputa e com chances reais de chegar lá. Maurão tem em mãos várias pesquisas em diferentes regiões do Estado, que apontam seu potencial para chegar no segundo turno e depois ganhar a eleição. Claro que ainda é muito cedo para qualquer análise mais próxima do que o futuro apontará, mas, nesse momento, a postulação de Maurão de Carvalho está se tornando cada vez mais sólida. Claro que os desafios até o final da campanha serão imensos, mas o cinco vezes deputado e duas vezes presidente da ALE anda com um sorriso de toda a boca, com as perspectiva que rondam sua pré candidatura e suas chances de chegar ao Governo.

 

PERGUNTINHA

O Carnaval, que já está nas ruas de todo o país e em toda a Rondônia também, ainda é a mesma festa popular do passado ou está se esvaindo, como muitas das antigas tradições?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 8

Sérgio Pires 01/02/2018

SOCORRO, AMAZÔNIA! A RAINHA DAS ONGS PODE SER A NOVA PRESIDENTE DO BRASIL

Com Lula fora do páreo, as fichas da esquerda festiva, a que opina e decide sobre a Amazônia em suas salas de ar condicionado, a alguns milhares de quilômetros, já tem sua nova musa. Trata-se de ninguém menos do que a Rainha das ONGs internacionais; a que se deita no barro, para que os grandes interesses do mundo sobre nossa floresta não sujem seus pés. Em pesquisas para a Presidência da República, sem Lula, a turma do esquerdismo festivo; das teorias superadas; do domínio do Estado sobre tudo; do quanto pior, melhor, vai ter em Marina Silva a sua principal opção. O problema é que, do outro lado, liderando as pesquisas sem Lula, está outro perigo para o país: o extremismo de Jair Bolsonaro. Será que nessa terra tão fértil, de tanta gente boa, de tantas possibilidades de se achar alguém competente e que nos tire do lamaçal para onde nos empurraram os últimos governos, vamos acabar entre o servilismo e a conversa fiada de Marina Silva ou a ultra direita de Bolsonaro? Marina é inimiga do desenvolvimento, do progresso, da visão de futuro e, principalmente, da Amazônia. Tem um discurso retrógrado e ineficiente, defendendo teorias antiquadas e que, na prática, jamais deram certo. Tem uma visão tacanha do país, mas seu discurso verde, em defesa do meio ambiente, cativa milhões de brasileiros. A grande maioria não sabe que ela serve a interesses internacionais, com sua parceira com ONGs que abundam na Amazônia, tentando nos tirar tudo o que podem. Alguém ouviu falar que Marina Silva tenha usado seu relacionamento com as ONGs do mundo inteiro para, por exemplo, propor ações que ajudem a salvar os miseráveis, que abundam no Nordeste brasileiro e que não têm ONGs para ajudá-los? Já na Amazônia não. Basta acessar o Google e perguntar quantas dessas entidades atuam nesta nossa maravilhosa e rica região.  A resposta é de apavorar: mais de 100 mil ONGs estão registradas por aqui. Quase zero no Nordeste. Deu pra entender, não deu?

E é com essa gente que Marina sonha governar, colocando nossas riquezas a disposição dos interesses do mundo. São eles que sonham em dominar toda nossa floresta, como já o fazem, aliás, muitos representantes estrangeiros, que circulam livremente em áreas em que nós, brasileiros, estamos proibidos de andar, em determinados horários, como ocorre na região da Reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima. A partir do anoitecer, brasileiro não podem circular na região. É esse o sonho de Marina e seus seguidores não só aqui dentro, mas principalmente fora do país. Americanos, ingleses, japoneses, chineses, russos, franceses e representantes de algumas dezenas de outras línguas vão invadir nossa floresta, com o aval da Dona Marina, levando tudo o que puderem, enquanto, para nós, ela defenderá seu gasto discurso da “sustentabilidade”. Socorro!

 

 

O BARULHO DE BRENO MENDES

Com uma mídia pessoal muito forte, tornando-se muitas vezes maior que os cargos que ocupou, pelo espaço tomado na mídia, o jovem advogado Breno Mendes uniu em torno de si alguns amigos, mas também muitos inimigos, durante sua passagem pela administração Hildon Chaves. Nesta quinta ele foi exonerado, voltou ao cargo uma hora depois e acabou sendo definitivamente defenestrado perto do anoitecer, quando sua saída da administração municipal foi, enfim, publicada no Diário Oficial do Município. Breno ocupou a chefia de gabinete nos primeiros meses do governo de Hildon e era praticamente o braço direito do Prefeito. Caiu do cargo, depois de ter sua cabeça pedida por vereadores e até por secretários, colegas seus. Foi para a Emdur, trabalhou duro, conseguiu iluminar boa parte da cidade, mas sua ânsia por espaços nas redes sociais, acabou por colocá-lo em confronto com vários setores, tanto na Câmara de Vereadores quanto dentro da própria administração. Provável candidato a deputado, Breno tornou-se alvo de outros políticos que também vão concorrer. Ele sai sob a suspeita de estar usando o cargo para fazer campanha. Mas desmentiu essa tese dos adversários, ao desfiliar-se ontem mesmo do PSDB e anunciar que não concorrerá a nenhum cargo nas eleições de outubro. Breno ainda vai ser assunto de muitos debates, apoios e críticas. Sua passagem pelo governo municipal certamente foi barulhenta e o som se ouvirá ainda por algum tempo, pelo menos.

 

SEIS MESES ANTES

Mesmo neste período de intensas chuvas, as obras dos viadutos da Campos Sales, sobre a BR 364, não param. A boa notícia foi dada pelo Dnit e confirmada pelo prefeito Hildon Chaves, num vídeo que ele postou nas redes sociais, essa semana. Ao lado do empresário Glauco Omar, da Madecon, empresa responsável pela obra, Hildon afirmou que mesmo com o cronograma prevendo que o trabalho poderia ir até dezembro, a estrutura que vai melhorar significativamente o trânsito em toda aquela área, provavelmente será entregue com grande antecedência, o que é incomum em obras públicas. O engenheiro Emanuel Nery, do Dnit, também já tinha comentado o assunto, em postagens feitas no Facebook, avisando que ao invés de dezembro, o complexo dos viadutos da Campos Sales será entregue entre o final de junho e meados de julho próximo, ou seja, em pouco mais de seis meses. O sistema de aterramento que está sendo feito, pode ser realizado mesmo no período de chuvas, o que vai possibilitar o andamento muito mais rápido dos trabalhos. Ou seja, parece que, finalmente, toda a estrutura dos viadutos e elevadas, programadas há mais de oito anos para Porto Velho, finalmente ficará pronta. Quem não acreditava nisso, como esse jornalista, quebrou a cara!

 

PEDÁGIO SÓ COM DUPLICAÇÃO

Já começou a contagem regressiva para a privatização da BR 364, em todo o trecho que começa no Mato Grosso e atravessa Rondônia, até o Acre. Nada menos do que 11 bilhões de reais deverão ser arrecadados pelo Governo Federal, quanto forem privatizados os vários trechos (a concorrência vai prever pelo menos uma dezena de trechos, cada uma podendo ficar sob o comando de uma empresa diferente). Ao menos na teoria, o objetivo principal com a privatização é que 364, que se transformou num verdadeiro matadouro, seja duplicada, melhorando o tráfego de veículos e diminuindo os incríveis índices de acidentes. Em seus 808 quilômetros, desde Comodoro até a fronteira com o Acre, na Ponta do Abunã, a rodovia que atravessa Rondônia de sul a norte, poderá ter até onze postos de pedágio. E aí é que entra o perigo. Já há informações que consórcios interessados estariam negociando a participação nos leilões dos trechos, já solicitando autorização para o funcionamento dos Pedágios antes das obras de duplicação, ou seja, já arrecadando apenas para “manutenção” da rodovia. É bom que o Governo de Rondônia e a bancada federal fiquem de olho, para que não sejamos enganados numa concorrência deste tipo e que não se permita a cobrança de nenhum centavo, nos trechos a serem privatizados e neles instalados pedágios,  sem que as obras de duplicação estejam concluídas.

 

METRALHADORA NAS RUAS

Num só dia, a quarta-feira, 31 de janeiro, resumiu muito bem a quantas anda a segurança pública em Rondônia. Em menos de 24 horas, a Polícia Militar registrou nada menos do que 122 ocorrências, apenas na Capital, Porto Velho. Numa delas, a PM descobriu que um foragido estava portando uma metralhadora, dessas capazes de disparar centenas de tiros e causar mortos e feridos. Aliás, entre a centena de casos policiais registrados, quase 20 por cento envolveram ou foragidos do sistema prisional ou presos, nas ruas, que receberam algum tipo de benefício legal. Enquanto o tráfico de drogas e de armas aumenta em toda a região, até pelas fronteiras desguarnecidas, a violência se multiplica na periferia, como nunca antes aconteceu. Vários assassinatos já foram registrados nas últimas semanas. Não há efetivo que chegue para atender tantas ocorrências em tão pouco tempo. A cada hora, pelo menos cinco ocorrências foram atendidas, muitas delas envolvendo violência, em apenas um dia. Até quando?

 

PARCERIA PELA SAÚDE

Ao menos uma boa notícia para a saúde pública municipal, em Porto Velho, que anda vivendo dias de noticiário extremamente negativo. A boa nova é que a Semusa fará uma parceria com a Secretaria de Saúde do Estado, para o reforço do atendimento médicos nas Unidades Básicas de Saúde durante o período de carnaval. Já é um passo importante. O ideal seria se essa parceria fosse ampliada também para o pós carnaval, porque os postos de saúde e as UPAs estão vivendo momentos muito ruins. Os secretários da Capital, Orlando Ramirez e o do Estado, Williames Pimentel, têm larga experiente e sabem que podem, juntos, ao menos amenizar a situação crítica em que se encontra a estrutura de atendimento da Prefeitura. Pimentel foi um secretário municipal bem sucedido e faz o mesmo sucesso comandando a gigantesca estrutura do Estado, com índices de avanços invejáveis. Tem muito a contribuir. Orlando Ramirez está tentando de tudo para resolver as coisas. Até agora não tem conseguido, mas com esse esforço concentrado e com o apoio da Sesau, as chances de uma melhora no setor crescem  bastante. Tomara que tudo dê certo, porque a população doente de Porto Velho já não aguenta mais tanto sofrimento.

 

ALMIR SURUÍ SERÁ CANDIDATO

Um personagem de Rondônia conhecido no mundo interior, o cacique Almir Suruí, está se preparando para enfrentar um novo desafio este ano. Ele é um dos 102 nomes escolhidos pelo Movimento Raps (Rede de Ação Política Pela Sustentabilidade), para receber o apoio de empresários e lideranças políticas de partidos que apoiam o grupo, todos liderados pelo fundador da Natura, o megaempresário Guilherme Leal, que chegou a se envolver diretamente na política, ao ser o candidato a vice presidente na chapa que era liderada por sua guru, Marina Silva. Almir Suruí está no pacote que recebe apoio, inclusive financeiro, junto com personalidades pouco conhecidas, como o jovem João Campos, filho do presidenciável Eduardo Campos, que morreu num acidente aéreo em São Paulo, quando andava pelo país em campanha. Outros personagens a serem apoio pelo Movimento Rapps: a transexual Giowana Gambrone Araújo; O diretor nacional da Frente Favela Brasil, Wanderson Maia e o ex ministro da cultura, Marcelo Calero, aquele que denunciou o então ministro Gedel Vieira Lima, que queria obrigá-lo a emitir um parecer favorável para construção de um prédio enorme, numa área proibida de Salvador. Todas essas figuras conhecidas aqui ou ali, mas distantes do grande eleitorado, terão apoio da entidade, apartidária, segundo o fundador da Natura. Vamos ver no que vai dar...

 

PERGUNTINHA

Você concorda ou não que, ao declarar que “e inadmissível e inaceitável agredir a Justiça”, na abertura do ano Judiciário, nesta quinta, a presidente do STF, ministra Carmem Lúcia, estava se dirigindo ao ex Presidente Lula, mesmo não tendo citado o nome dele?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 9

Sérgio Pires 01/02/2018

COMO VÃO SE PORTAR OS ALIADOS DE HOJE, QUANDO SE ENFRENTAREM NO PALANQUE ELEITORAL?

O jogo de xadrez da política começa a ficar cada vez mais complicado. A nove meses da eleição, o quadro ainda é nebuloso, até porque podem acontecer surpresas, rolos, traições e tudo aquilo que se sabe de uma disputa como essa. Além disso, os principais nomes da política de Rondônia estão, no geral, muito próximos, alguns interligados, outros quase siameses. Como farão, a partir de julho, quando a campanha começar? Por exemplo, o candidato ao Governo Acir Gurgacz irá para o palanque falar mal de Confúcio Moura, de quem é aliado de primeira hora? Caso a campanha esquente, Gurgacz vai usar na linha de frente o arqui-inimigo do Governador, o deputado Hermínio Coelho, quando quiser mandar recados duros ao já candidato ao Senado? No mesmo palanque, Jesualdo Pires, amigo do senador Valdir Raupp e muito próximo a Confúcio,  a quem ajudou a eleger, o que dirá quando estiver pedindo votos ao Senado? Como ele tratará Raupp, hoje um importante aliado de Ji-Paraná e sua administração?  Jesualdo terá que fazer campanha para Gurgacz, seu aliado político, mas o fará contra Maurão de Carvalho, seu parceiro e amigo de longos anos?  E Maurão de Carvalho, como irá tratar no palanque seus adversários, a maioria deles hoje fazendo parte de sua importante rede de ligações políticas, pelo cargo que exerce, como Presidente da Assembleia? Como agirá Daniel Pereira, já na condição de Governador, a partir de abril, para apoiar Confúcio Moura, do PMDB e Jesualdo Pires, do seu PSB, sabendo-se que ele tem estreita relação de amizade e também política com Valdir Raupp e Maurão de Carvalho?  E Expedito Júnior, será o único adversário de todos, caso concorra ao Senado ou ao Governo? Terá apenas o apoio dos seus tradicionais aliados e do grupo de Ivo Cassol, que ainda não sabe se concorrerá ou o tucano conseguirá se aproximar de outras turmas, que hoje não estão na linha de frente da disputa?

A verdade é que os grupos que lideram a política rondoniense estão muito próximos. Há uma oposição mais forte entre a turma do governo passado e a do atual, com seus respectivos parceiros. Afora isso, as alianças que mantiveram as relações políticas bastante suaves, nos últimos tempos, entre o Governo; boa parte da bancada federal e a Assembleia Legislativa, podem ser rompidas com a proximidade de uma campanha que se avizinha difícil. Ela será em alto nível ou, quando a disputa começar pra valer, será comum qualquer chute até abaixo da linha da cintura? Como se comportarão os aliados de hoje, quando estiverem em trincheiras opostas, pedindo o voto do rondoniense? E a oposição, de Cassol e Expedito, como agirá na corrida pelo Palácio Rio Madeira/CPA e pelo Senado?  A cerca de 270 dias da eleição, há perguntas demais, para respostas de menos...

 

 

 

GUEDES QUER PRESSA...

Ainda sobre a sucessão estadual: o tucano Expedito Júnior está com uma pedra no sapato. E não é uma pedra qualquer. O ex prefeito e ex deputado  José Guedes, até hoje uma figura destacada na história da política de Porto Velho e do Estado, está criticando publicamente seu companheiro tucano, dirigente regional do PSDB, “por sua indecisão”. Ou seja, Guedes, que se auto lançou candidato ao Governo, esperava criar uma situação em que seu nome fosse ao menos avaliado em convenção do seu partido. Como a situação ainda está extremamente nebulosa, porque Expedito Júnior ainda não decidiu se disputará o Senado ou o Governo, Guedes quer que ele, o presidente regional dos tucanos, anuncie uma decisão imediata. Obviamente, com toda a sua experiência, o competente e dedicado José Guedes vai esperar sentado. O PSDB e Expedito só vão se definir na 25ª hora, apenas depois da decisão sobre a candidatura ou não de Ivo Cassol, do PP, ao Governo. Antes disso, o  ninho tucano não se mexe.  

 

AS DUAS MÃOS DE DANIEL

Vão começar provavelmente nesta próxima semana, as mudanças da equipe principal do governo Confúcio Moura. Pelo menos oito secretários, dirigentes de estatais e gente do primeiro escalão vão cair fora, para disputar as eleições de outubro. Desde 9 deste mês, conforme solicitado pelo próprio Confúcio Moura, todos os seus assessores entregaram seus pedidos de exoneração. Três semanas depois, nada aconteceu. Mas há uma explicação para isso. Segundo uma importante fonte palaciana, “as mudanças começam nestes primeiros dias de fevereiro e serão feitas em harmonia com o vice governador Daniel Pereira”. Traduzindo para a linguagem dos simples mortais: a nova equipe que assume, terá sim não só o dedo, mas as duas mãos de Daniel Pereira, que assume o Governo por nove meses, a partir de 5 de abril, quando Confúcio renuncia para concorrer a uma vaga ao Senado. Como há ainda questões a serem discutidas e apoios políticos a serem acordados, as nomeações ainda não começaram. O jogo começa a esquentar a partir de agora, garantiu uma fonte muito próxima ao poder central do Estado. Daniel Pereira, a partir de agora, passa a ser “o cara”, na administração estadual.         

 

A PERSEGUIÇÃO DA JUSTIÇA

A sucessão de derrotas judiciais do ex Presidente Lula deixa claro que os magistrados, desembargadores e ministros do Judiciário não se intimidaram nem um segundo, com toda a pressão do comando do PT e alguns poucos aliados que ainda insistem em mentir para a população, dizendo que as condenações (duas até agora, em duas instâncias, mas virão muitas outras, em breve!), são um conluio para tirar Lula da disputa Presidencial. Para seus aliados, a maioria já sabendo que será execrada pelo país, tão logo o maior líder seja preso, impedido de concorrer e entra no rol dos réus condenados, será impossível manter a mentira e o discurso raivoso por longo tempo. A última piada de mau gosto, agora, é de que os lulistas vão denunciar o Judiciário brasileiro na ONU, acusando-o de estar  perseguindo não o chefe da maior quadrilha de achaque ao dinheiro público já registrado em nossa História, mas sim um pobre coitado, inocente, cujo único pecado foi lutar pelos pobres. Nas pesquisas eleitorais, Lula ainda tem preferência da maioria do eleitorado, principalmente entre os menos informados.  Mas isso tudo vai ruir, quando o Chefão for levado ao xilindró, pela roubalheira que permitiu, aceitou e, em alguns casos, participou pessoalmente. Pelo menos outros seis processos estão em andamento. O próximo, que vai condená-lo também, é o do sítio de Itatibaia, que ele usou por anos e que, segundo jura, nunca foi dele...

 

BANDIDO AOS ONZE ANOS

Aconteceu em Porto Velho, uma cidade  que, como a maioria dos municípios brasileiros, está sob o domínio do crime. Uma criança de onze anos (isso mesmo: apenas onze anos de idade), participou de um assalto, junto com outros dois “dimenor” e atirou à queima roupa contra a cabeça de uma avó, que tentou proteger seus netos do trio de criminosos assaltantes. Para sorte da vítima, a criança não conseguiu segurar a arma direito e, ao disparar, o projetil foi direcionado à perna da vovó, deixando-a ferida. Os bandidos fugiram, levando consigo a criança de onze anos. Pegos logo depois (apreendidos, na linguagem podre e hipócrita da legislação brasileira), o pequeno atirador já está livre, porque criança com menos de 14 anos não pode sequer admoestada. Neste país da vergonha, da proteção à bandidagem e do abandono às pessoas de bem, numa situação dessas só resta agradecer pela vida da vovó, que levou um tiro na perna. Se tivesse morrido, além da sua família, quem mais choraria por ela?

 

MANTÉM-SE O RADICALISMO

Em mais uma das suas pesquisas eleitorais, daquelas que a gente sempre tem que ficar com um pé atrás, pela parcialidade, o Instituto DataFolha apresentou números que pouco mudaram em relação ao que ela vem divulgando há alguns meses. Se a eleição presidencial fosse hoje, Lula, do PT, iria para o segundo turno para enfrentar Jair Bolsonaro, ainda no PSC. Lula tem mais que o dobro das intenções de votos de Bolsonaro: ele conta com 37 por cento, contra 16 por cento do seu principal adversário.  Na mesma relação, Geraldo Alkmin e Ciro Gomes têm 7 por cento; Joaquim Barbosa (que nem se sabe se entrará na disputa) tem 5 por cento; Álvaro Dias, do Podemos, chegou a 4 por cento e o indefectível Collor de Mello, do PTC, que se lançou candidato há poucos dias, chega aos 2 por cento. Vários outros nomes que podem entrar na corrida Presidencial não passaram do 1 por cento ou ficaram no zero. A situação, se realmente está retratando a realidade atual, deixa claro que os extremos são os únicos que têm posições permanentes nas pesquisas. Lula, o esquerdista e Jair Bolsonaro, o direitista, estão dividindo o país em duas alas radicais. Se não surgir um nome mais centrado, com um discurso que não seja do ódio e do confronto, para cair no gosto do eleitorado, o que não apareceu até agora, teremos uma eleição das mais complicadas para o país. É sempre bom sublinhar que dificilmente Lula será candidato, mas a maioria dos institutos de pesquisa ignora esse “detalhe insignificante”.

 

EXPORTAÇÕES PREJUDICADAS

Mais um absurdo está sendo praticado contra a economia do Estado. A exportação de madeira, via porto de Manaus, está sendo extremamente prejudicado, por uma ação do Ministério Público Federal e do Ibama, que não aceitam documentos de liberação da madeira, a não ser que se cumpra uma série de outras exigências. Pelo menos 440 containers prontos para exportação estão sendo retido há semanas, causando um enorme prejuízo financeiro para , até agora, mais de uma dezena de empresas e fazendo com que os futuros negócios com compradores estrangeiros sejam extremamente prejudicados. A ação, baseada em exigências até agora não bem claro, dá prazo de até 180 dias para que madeiras para exportação eventualmente retidas por problemas de documentação, tenham até 180 dias até que sejam liberadas. Ora, isso é um tiro no sistema de exportação de um dos nossos principais produtos, que fazem a economia girar e nos dão, a Rondônia principalmente, grande diferença positiva na questão da balança comercial. A mercadoria sai daqui com toda a autorização para chegar aos compradores no exterior, incluindo aval do Ibama e da Polícia Federal. Quanto chega em Manaus, o mesmo Ibama e a mesma Polícia Federal são acionados para reter nossa madeira. Nessa semana, o vice governador Daniel Pereira reuniu-se com empresários do setor e com o superintendente da PF no Estado, exigindo solução imediata para o problema. Até agora, nada aconteceu e os prejuízos só aumentam. Também nesse quesito, quem manda é o MPF. Obedece quem tem juízo!

 

PERGUNTINHA

Neste exemplo, quem está certo: os americanos ou os brasileiros? Lá, menino de sete anos que agrediu professora, saiu algemado da escola. Em Porto Velho, criança de onze anos que atirou numa vovó para matar, mas só a feriu na perna, nem sequer foi detido. Estão certos eles ou estamos certos nós?

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 10

Sérgio Pires 29/01/2018

NÃO IMPORTA A PUREZA DA IDEOLOGIA: LADRÃO É LADRÃO, CRIMINOSO É CRIMINOSO

 

Estamos recém completando um ano novo e, na maioria dos casos, nossos problemas são velhos. Mais que velhos, dinossáuricos. Há questões que se arrastam há décadas, como o fosso social que separa ricos e pobres no Brasil,  um abismo cada vez maior. Mas há casos novos, como a inacreditável corrupção que passou a ser normal e aberta em todo o país, principalmente durante os recentes governos esquerdistas. Não que a esquerda seja mais corrupta que a direita. Nada disso. Ambos o são. Mas a esquerda, como considera que o Estado lhe pertence, dentro da sua ideologia, obviamente acha absolutamente normal o  achaque aos cofres públicos, tratando o assunto como legal e não criminoso. A direita rouba, mas nunca por ideologia....Já para a esquerda, é apenas  expropriação, para usar a linguagem da guerrilha dos anos 70, durante os governos militares. E é esse o caso de agora, com tudo o que está envolvendo a situação do ex Presidente Lula. Ele teve sim méritos em seus dois mandatos, principalmente na área social. Mas a soberba determinada por sua filosofia política; do seu partido e dos aliados, acabou o colocando à mercê de uma série de irregularidades, ilegalidades e crimes, que, no pensar dele e seus parceiros, foram apenas ações políticas/ideológicas. Nada mais errado. Lula ajudou os pobres brasileiros? Ajudou sim, mas, entre outros erros gravíssimos,  à revelia das leis, doou milhões de dólares a governos estrangeiros, não por coincidência, todos esquerdistas, comunistas. Nenhum que não cantasse a música ideológica petista e aliada, recebeu nada de um governo que representava o povo brasileiro, jamais consultado sobre essas benesses político/partidárias só para alguns. Toda essa dinheirama não ajudaria muito mais os miseráveis do nosso próprio país? Nem isso pesou na balança. Na hora da escolha, tudo para os amigos. Os outros, que se danem!

O Lula que sonhava com um Brasil melhor ficou pelo caminho, lá longe, no passado. Foi substituído pelo Lula que quis ficar rico, ser igual aos ricos; ter imóveis de luxo; sítios em regiões onde os ricos os têm;  poder, dinheiro. Afinal, para ele e seus partidários, o dinheiro público pertence ao Estado e o Estado pertence a ele e aos seus. Que crime há nisso? Talvez por esse raciocínio idiota e essa paixão primarista, é que haja tanta gente apaixonada por Lula, pelo PT e pela esquerda, vociferando contra decisões judiciais que o têm mandado para a cadeia. Para essa gente, toda a roubalheira de Lula, toda sua prepotência, toda a sua adoração incondicional pelo poder, jamais podem ser criticados. Ele é como um Deus, para essa gente que coloca suas ideias, seus gostos, sua ideologia pessoal, acima de tudo e de todos. Para eles, afora seu próprio umbigo e suas crenças, nada mais existe. Infelizmente para eles e para Lula, existe sim. E o que existe ainda dá cadeia à ladrão e criminoso, não importando a pureza da sua ideologia.

 

 

MESMO TIME, POR ENQUANTO...

Há 20 dias, todos os secretários e assessores mais próximos ao governador Confúcio Moura, incluindo presidente e diretores de estatais, entregaram seus pedidos de exoneração para o chefe, cumprindo ordem vindo de cima. Nomes quentes do primeiro escalão, mesmo os que não vão disputar a eleição de outubro, enviaram seus pedidos à mesa do comandante. Confúcio teria, então, a partir dali, liberdade total para fazer uma ampla reforma na sua equipe. Não foi o que aconteceu, ao menos até agora. Nenhum dos possíveis candidatos (como os secretários Williames Pimentel, da Saúde. Evandro Padovani, da Agricultura; o diretor geral do DER, o candidatíssimo Ezequiel Neiva, entre outros), continuam firmes em seus postos. Como esse tipo de informação de bastidores raramente emana dos lados do Poder, o que se imagina é que Confúcio pode até esperar até o final de março, deixando para que seu sucessor, Daniel Pereira, faça as mudanças que quer fazer, para um governo de nove meses. Mas nem sobre isso há confirmação. Nas hostes palacianas, o assunto só é tratado da porta para fora. Segredo de Estado?

 

GARÇON E GURGACZ EM VANTAGEM

Dois partidos, um consolidado e outro que cresce muito em Rondônia, poderão ser muito beneficiados com recursos do Fundo Partidário e do financiamento público de campanha, para as eleições deste ano. Pela distribuição de valores, em nível nacional, o nanico PRB, por exemplo (aqui, seu principal nome é o do deputado federal Lindomar Garçon), receberá cerca de 53 milhões de reais a mais do que recebeu na eleição passada, quando era muito menor. Outro que pode ter os cofres cheios para a campanha, vindos do grana a ser distribuída aos partidos, é o PDT, do candidato ao Governo, o senador Acir Gurgacz. O PDT receberá, em nível nacional, perto de 54 milhões de reais a mais que na disputa eleitoral passada. O PDT terá candidato à Presidência, Ciro Gomes, que certamente levará boa fatia dessa grana toda. Mas Gurgacz tem importante vantagem também. Se for confirmado como único candidato ao partido a Governador (é o que se desenha, ao menos até agora!), ele terá acesso a uma fatia muito mais significativa no bolo partidário. Os valores oficiais somente serão divulgados a partir do final de março. Os grandes partidos perderam dinheiro, nessa nova distribuição. Mesmo assim, é muita grana saída dos cofres públicos para patrocinar campanhas políticas.  

 

DÁ PRA ACREDITAR DESSA VEZ?

Será que dessa vez dá pra acreditar? Pela quinquagésima vez (exagero, é claro, mas apenas para sublinhar o quanto de promessa feita e jamais cumprida!) o Governo do Estado anunciou obras de um Centro de Convenções, junto com o Bumbódromo e uma passarela para desfiles de carnaval, tudo no mesmo lugar. O ponto escolhido foi a área do Parque de Exposições, conhecido como Parque dos Tanques e que há 30 anos sediou grandes eventos, inclusive feiras agropecuárias de grande sucesso, como a Expovel. Já há até uma verba de 14 milhões e 500 mil reais, já liberados pelo Ministério do Turismo, para que a obra, até que enfim, seja realizada. Mas é sempre importante lembrar: a promessa de que Porto Velho recebesse tais obras vem de longos anos, pelo menos desde que fomos transformados de Território em Estado. A última promessa chegou a ser feita no governo Roberto Sobrinho, quando o projeto estava sendo direcionado para a área do Aeroclube, na Estrada dos Japoneses. Claro que tudo não passou de projeto e promessa, como sempre. Agora, o Governo rondoniense garante que não haverá surpresas desagradáveis e que a obra sairá, com abertura de licitação a partir do segundo semestre deste ano. A coluna, cética, registra: só acredita, vendo!

 

SÓ PAPO FURADO

Aliás, há cerca de um ano, o Governo rondoniense anunciou – e divulgou lindas fotos e maquete – da nova Rodoviária de Porto Velho, que seria construída pelo DER, com apoio da Prefeitura de Capital. Parceria firmada, projetos criados, divulgação feita. A notícia, na época dada em primeira mão nesta coluna, incluindo as fotos, vistas com exclusividade por aqui, atraiu milhares de leitores. Só no site Rondônia Dinâmica, por exemplo, um dos 40 que reproduzem a Opinião de Primeira, em menos de 48 horas, houve 37 mil acessos. Vários outros sites também registraram números expressivos de acessos, com o rondoniense curioso e vibrando com a possibilidade de ter uma nova e moderníssima Rodoviária. Até hoje tanto a coluna quanto a população continuam esperando que a promessa, feita com tanto alarde, seja cumprida. Hoje, por exemplo, não se tem ideia se um dia, ainda nesta década, teremos uma Rodoviária à altura da nossa Capital. Por enquanto, tudo não passou de papo furado. Muito furado!

 

IMPEDINDO A VISÃO

Na segunda, começou a funcionar o novo sistema de trânsito no centro da Capital, com a abertura da Duque de Caxias ao trânsito, com pista única em direção ao centro (avenida Farquar) e muitas travessas no caminho dos motoristas. Claro que o primeiro dia é sempre mais difícil para se avaliar as coisas, que só se acomodarão com o passar dos dias. Mas viu-se, de cara, que a Semtran poderia ter tomado algumas medidas, para dar mais segurança dos motoristas que andam pela região. Um dos problemas é a falta de semáforos em alguns cruzamentos mais perigosos. Outro: a liberação de estacionamento dos dois lados da Duque, nas esquinas, todas com trânsito muito perigoso. Ou seja, o motorista, que agora tem que parar nas ruas transversais, já que a nova rua é preferencial, precisa ir até quase metade da pista, ao atravessá-la, para poder enxergar. Em plena esquina, caminhões e camionetas impedem a visão, deixando a travessia extremamente perigosa. Falta de conhecimento de uma coisa simples: para maior segurança, numa avenida dessas, com tanto trânsito e tantos riscos, estacionar nas esquinas, dos dois lados e em todas as travessias, têm que ser proibido. Terceiro ponto: onde andavam os agentes de trânsito, neste primeiro e problemático dia? Espera-se que a Semtran corrigida logo os problemas, para que não se registrem mais acidentes do que já os temos, em nossa Porto Velho.

 

INFOVIA NO ESPAÇO ALTERNATIVO

Nem tudo são más notícias, quando se trata de obras públicas. No caso do Espaço Alternativo, por exemplo, mesmo no período de chuvas, o trabalho para conclusão de toda a estrutura está andando com bastante rapidez. A nova passarela está sendo montada e em breve vai ficar pronta, embelezando o local de uma forma especial, com sua estrutura como poucas vezes a população viu algo parecido. O Governo também começa a trabalhar para concluir a área de estacionamento para 2 mil veículos. Outra notícia especial: a implantação de uma Infovia já está concluída e todos os frequentadores terão wi-fi grátis, para poderem fazer suas caminhadas em companhia da internet, que hoje faz parte da vida de todos em quase todas as horas. Faltam ainda detalhes sobre como será feita a fiscalização do trabalho dos ambulantes, que tomam conta do local e o controle do uso do espaço apenas por pedestres, principalmente na super passarela, onde não poderão circular nem ciclistas e nem quem usa patins. O Espaço começa a chegar na reta final e certamente se tornará uma das mais importantes obras de lazer não só de Porto Velho e Rondônia, mas também de toda a região norte. A inauguração oficial está prevista agora para o final de fevereiro.

 

PERGUNTINHA

Depois de pagar o IPTU; amenizar as dívidas dos cartões; correr às lojas para pagar as prestações do Natal; gastar uma fortuna de material escolar para quem tem filhos que vão para a escola, sobrou ainda alguma grana pro carnaval?

 

 

 

 

Sérgio Pires 27/01/2018

BENEMERÊNCIA COM O DINHEIRO ALHEIO: PREFEITURA APLICA GOLPE NO CONSÓRCIO SIM

Não é surpresa o Poder Público usar a iniciativa privada, fazendo dela mote de campanha política, com medidas populistas, mas às custas do suor e do trabalho de quem já luta para sobreviver, sugado de todas as formas pela carga tributária pornográfica e por tantas taxas e emolumentos, já que não se cobra apenas pelo ar respirado, embora isso não esteja fora de questão, para breve. Foi o que aconteceu em Porto  Velho. Não será a última vez, porque explorar quem dá duro, não importa a que custo, para fazer um agrado a determinados setores da sociedade, é câncer que nunca será extirpado. No transporte coletivo, a Prefeitura anunciou a criação de uma "Tarifa Social” para os estudantes, que ao invés de pagarem o preço de 3,80 pelas passagens, só pagariam 1 real. Depois de algumas negociações, o sistema foi implantado em julho passado. Como dinheiro não cai do céu, ficou acertado que a diferença do custo seria bancado pelo Consórcio SIM, com a contrapartida da Prefeitura, que promoveria uma isenção do ISSQN, o tributo municipal, como forma de subsídio. Mais que isso: no acordo feito, a Prefeitura negociaria com o Governo do Estado, para criação de um projeto de lei para isentar do ICMS na compra de combustíveis, para o sistema de transporte coletivo. Na teoria, uma beleza! Na prática, pura conversa mole e a mesmice de sempre: o poder público desrespeitando as empresas, como muitas vezes o faz, deixando para ela todos os ônus e nenhum bônus. Meses depois do acordo feito, enquanto o consórcio dos ônibus já implantou há meses a Tarifa Social e está pagando, do seu bolso, toda essa benemerência, nada da contrapartida está sendo cumprida. É assim mesmo; empresas sendo tratadas como se fossem um braço da ação política, mas apenas para explorá-las, nunca para ajudá-las a se desenvolver.

É apenas um exemplo, entre tantos. A questão dos ônibus em Porto Velho sintetiza a forma como muitas administrações usam e abusam de empresas privadas. Querem que elas resolvam problemas sociais, que deveriam ser resolvidos é por quem administra o vultoso dinheiro público. Ora, tanto o Consórcio SIM como qualquer outra empresa, seja em qualquer área, não sobrevive pela benemerência. Têm custos, têm trabalhadores a pagar, têm que cobrir a carga tributária mais alta do Planeta e ainda buscar o lucro, que é a essência da iniciativa privada. Neste caso e em tantos outros exemplos, sejam próximos ou em outas regiões do país, os administradores públicos sugam tudo o que podem das empresas e ainda exigem que elas resolvam problemas sociais, que nada têm a ver com suas atividades. . O SIM já está no prejuízo financeiro. Vai ainda ter que usar o chapéu de otário, enganado numa negociação em que nada do que lhe foi garantido está sendo cumprido. É assim que as empresas são tratadas por aqui e em praticamente todos os cantos e recantos deste Brasil! Lamentável!

 

GRITARIA GERAL

 Para acrescentar algumas informações sobre o mesmo tema: desde julho, o golpe aplicado no Consórcio SIM está em andamento, com a empresa absorvendo todos os custos e correndo sérios riscos de se tornar inviável financeiramente, já que 30 por cento dos seus passageiros são estudantes, que usam a Tarifa Social. Sem saída, a tendência é que a tarifa a 1 real seja cancelada em poucos dias e que tudo o que foi prometido, como (quase) sempre, não seja cumprido, por parte do Município. Passados sete meses da implantação da Tarifa Social a 1 real, sem que tenha havido um retorno de 1 centavo que seja, no contexto da negociação com a Prefeitura, o SIM começa a se preparar para cair fora da armadilha, até para não quebrar. Mesmo com todas as tentativas, cobrar a contrapartida do município se tornou algo aparentemente impossível de conseguir. Vamos ver a gritaria quando a tal “Tarifa Social”, bancada apenas pela iniciativa privada, seja definitivamente cancelada.

 

CORRIDA PELA CÂMARA FEDERAL

Dos oito deputados federais que compõem a atual bancada rondoniense, quantos conseguirão se reeleger? Atualmente, todos os oito estão dando duro, trabalhando muito, para conseguirem se manter no posto, Mas é claro que nem todos conseguirão, até porque há sempre uma renovação natural. Duas mulheres, que foram campeãs de votos na última eleição, ambas com um eleitorado acima dos 60 mil (Marinha teve 61.419 votos e Mariana 60.324), repetirão a performance em 2018? Marcos Rogério, do DEM de Ji-Paraná, tem mesmo todos os votos que o colocam como virtual reeleito nas pesquisas até agora feitas? É sempre bom lembrar a força de Lúcio Mosquini, que vem de Jaru e região e de Nilton Capixaba, um político experiente e sempre com boa votação. O jovem Expedito Netto e Lindomar Garçon, já experiente e com muitos seguidores, conseguirão voltar às suas cadeiras? E como será a votação de Luiz Cláudio da Agricultura, que nunca perdeu uma eleição? Nomes poderosos como os de Jaqueline Cassol e Evandro Padavoni, entre tantos outros, querem chegar lá. Muitos outros nomes quentes ainda virão. O eleitor rondoniense manterá seus deputados em Brasília ou decidirá por mudanças? Respostas só depois de 7 de outubro...

 

DINHEIRO NO BOLSO

Os servidores do Estado receberam o primeiro salário do ano exatamente no dia estipulado no calendário anunciado, ainda no final de 2017, pelo Governo. Na sexta-feira, todos os que estavam aptos (porque perto de 7 mil ficaram sem receber, por não terem feito o recadastramento exigido) estavam com a grana em suas contas. Por aqui, a notícia é corriqueira. Há pelo menos 15 anos não atrasam mais os vencimentos dos servidores, diferente da grande maioria dos Estados brasileiros. Desde o primeiro governo de Ivo Cassol, passando pelos dois mandatos de Confúcio Moura, o desespero que tomava conta do funcionalismo, que chegou a ficar seis meses sem receber em dia, acabou de vez. Agora, resta saber onde estão os sete mil que, mesmo avisados com enorme antecedência e cobrados todos os dias, não se recadastraram. Pelos lados do Governo, o que se pensa é que o motivo principal foi mesmo o relaxamento. Muita gente foi deixando, deixando, até que o prazo passou. Agora, certamente, todo esse pessoal está correndo desesperadamente para cumprir a exigência. Os que não o fizerem, é porque estavam recebendo ilegalmente.

 

O LAMENTO DE PIMENTEL

Tem razão o secretário de saúde do Estado, Williames Pimentel, em usar as redes sociais para pedir, encarecidamente, mais cuidado no trânsito aos nossos motoristas. Ele lembra que a superlotação no Pronto Socorro João Paulo II é causado por pessoas acidentadas. De cada 10 pacientes, sete são vítimas de colisões, atropelamentos, capotamentos. No ano passado, foram 5.197 acidentes; mais de 14 por dia; um a cada duas horas; muitos deles com mortos e feridos, com casos em que as vítimas ficam hospitalizadas não dias ou semanas, mas por vezes, por vários meses. Pimentel lembra que 70 por cento da estrutura do João Paulo II, é comprometida por vítimas de acidentes de trânsito. A grande maioria dessas vítimas é de motociclistas ou seus caroneiros.  “A demanda sobrecarrega o único Pronto Socorro da Capital, que também atende a pacientes do interior e Estados vizinhos. Peço a toda a população; precaução e consciência no trânsito”, clama o titular da Sesau.  

 

FALTA MUITO, AINDA!

Depois de mais de um ano, a administração do prefeito Hildon Chaves faz a primeira e importante mudança no trânsito da cidade. A partir desta segunda, começa a funcionar o novo sistema para a área central, com a abertura definitiva, para o tráfego, da Rua Duque de Caxias, alargada, revitalizada, bem sinalizada e com o fluxo apenas no sentido bairro-centro, ou seja, na direção do rio Madeira. Não é lá uma Brastemp, mas já é um começo. Muito mais precisa ser feito para melhorar o funcionamento do sistema de trânsito na área central de Porto Velho. Uma delas é a volta do estudo para que a avenida Sete de Setembro troque de mão, para também o sentido bairro-centro. Do jeito que está, o tráfego anda de costas para o rio, nossa maior atração. Mas isso já é outra história, porque a Prefeitura, no governo Mauro Nazif, perdeu 900 milhões de reais que tinha a sua disposição, com verbas federais, para revitalização do centro. Provavelmente nunca mais teremos esse dinheiro de novo. A emergência agora é a implantação do sistema de estacionamento pago, que ao invés de ser amplamente discutido, pelo atraso que sua não existência representa para uma cidade como a Capital rondoniense, teve projeto retirado da pauta na Câmara de Vereadores. Querem absurdo maior?

 

CINCO ANOS DE UMA TRAGÉDIA

O sábado marcou o triste aniversário de cinco anos de uma das maiores tragédias brasileiras, quando 242 jovens perderam a vida, numa boate em Santa Maria, uma cidade universitária no coração do Rio Grande do Sul. O acidente foi considerado a segunda maior tragédia no Brasil em número de vítimas em um incêndio, superado apenas pela do Gran Circus Norte-Americano, ocorrida em 1961, em Niterói, que vitimou 503 pessoas. Teve ainda características semelhantes às do incêndio ocorrido na Argentina, em 2004, na discoteca República Cromañón, com dezenas de mortos. Classificou-se também como a quinta maior tragédia da história do Brasil, a maior do Rio Grande do Sul, a de maior número de mortos nos últimos 50 anos no Brasil.  Foi o terceiro maior desastre em casas noturnas no mundo, colocando uma cidade média do interior brasileiro, nos mapas da tristeza mundial. Cinco anos depois, o terror que ceifou tantas vítimas continua impune e provavelmente continuará assim para sempre. As famílias jamais se recuperarão dessas perdas terríveis e, pior que tudo, é que a tragédia não ajudou a melhorar em quase nada a segurança em muitas casas noturnas país afora, que continuam sendo armadilhas para seus frequentadores, apesar de toda a promessa que, no pós Boate Kiss, melhoraríamos nessa questão. Se melhorou, foi aqui e ali, No geral, tudo continuam igual.

 

PERGUNTINHA

Alguém ainda tem saco para ler, ouvir e assistir vídeos em que petistas continuam tentando dar ao povo brasileiro a pecha de totalmente idiota, argumentando que o Chefe da Quadrilha é apenas um pobre inocente, perseguido pela Justiça?

Sérgio Pires 26/01/2018

A CANALHICE COMEÇA POR AÍ: PODEREMOS TER MAIS DE 100 PARTIDOS POLÍTICOS EM BREVE

A baderna em que se transformou a política brasileira, tem inúmeras explicações. Todos sabemos sobre a maioria delas. Mas há uma que parece sintetizar todo esse quadro lamentável e dantesco, porque, por si só, mostra o desrespeito, a bandalheira, a esculhambação com que algo sério como um partido político, parece se tornar piada de mau gosto. Existem hoje nada menos do que 35 siglas partidárias, a grande maioria delas, não menos que 80 por cento, senão mais, apenas balcões de negócios e negociatas. Essa grande maioria, sem qualquer filosofia política, sem ideologia clara, sem preocupação alguma com o país, mas apenas de olho no Fundo Partidário, ao invés de melhorar o sistema democrático, pode se transformar num tipo de câncer, corroendo o sistema democrático ainda incipiente. Ora, é legal, porém absolutamente imoral, que se crie uma sigla partidária apenas de olho em negociações e dinheiro público. A legislação atual permite essa excrescência, num sistema criado não para melhorar o país, mas para encher os bolsos de alguns poucos. Isso não é a mais clara corrupção, protegida por uma legislação estrábica, desfocada em relação às reais necessidades da evolução das relações políticas em nosso país?

O pior de tudo ainda está por vir, neste contexto doentio. Há nada menos do que outros 73 novos pedidos de criação de partidos no TSE, a maioria entre o absurdo e o doentio, mas, cumprindo pequenas exigências legais, todos poderão se registrar. O Brasil passaria a ter mais de 100 siglas partidárias, ao custo de milhões e milhões de dinheiro público (Fundo Partidário) para sustentar todo esse pacote de obscenidades. Pelos nomes de alguns dos partidos que pedem registro, fica claro que  os que pedem, levam o assunto sem seriedade. Você saberia dizer a filosofia de um tal Partido das Sete Causas ( a sigla é PSETE). Que porcaria é essa? Mas tem também pedido de registro do Partido Nacional Corintiano (PNC): o Partido Carismático Social  (PCS) e até voltas no tempo, com a recriação da Aliança Renovadora Nacional (ARENA, o partido que deu sustentação aos governos militares. Há ainda aberrações como o Partido da Segurança Pública (PSP), o União Pela Defesa Nacional (UPDN); o Partido Militar Brasileiro (PMB), o Partido do Manancial (o que será que é isso?), além da volta do estranhíssimo  Partido da Reedificação da Ordem Nacional, o PRONA, aquele mesmo que lançou o falecido Enéas Carneiro (Meu nome é Enéas!). Ou seja, essa gente goza com a nossa cara e brinca com a Justiça Eleitoral, que nada pode fazer a não ser autorizar o funcionamento dessas porcarias, se elas cumprirem as exigências legais. É aí, nesta esculhambação, que está a essência e a raiz do que de pior existe na política brasileira.

 

 

O LULA CADA VEZ PIOR

Quanto mais fala, mais porcaria exala. O condenado Lula da Silva, que infelizmente governou esse país por oito anos, ataca a tudo e a todos, tentando manter a mentira de que nunca roubou e nunca praticou crimes, embora já sentenciado a mais de 12 anos de cadeia, em segunda instância. A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT e a deputada Maria do Rosário também andam dizendo uma sucessão de asneiras que, ao invés de ajudar seu líder maior (e chefe) acabam piorando ainda mais a situação dele. Lula fez uma série de absurdos, cometeu um crime atrás do outro; usou o cargo para auto enriquecimento e para enriquecer muita gente no seu entorno, mas continua se dizendo o sujeito mais inocente do Planeta e da História. Perto dele, Jesus Cristo foi um grande pecador.  O problema de Lula e toda a sua turma é que vivemos não no país que eles sonharam dominar, tomar conta, avançar nos cofres e destruir a economia. Vivemos num país que é democrático, embora numa democracia ainda jovem, mas em que as instituições estão funcionando. E quando elas funcionam, gente dessa laia não tem espaço para sobreviver.

 

ESTAMOS NO RETROCESSO

A nova legislação trabalhista foi aprovada, mas ainda não está em vigor. Ao menos em Rondônia, onde um sindicato consegue paralisar todo o comércio. Primeiro foi em Cacoal, onde a loja Havan, mesmo depois de ter feito acordo com seus funcionários, foi impedida de abrir suas portas num domingo, numa controvertida decisão da Justiça do Trabalho. Foi a única loja da rede, de mais de uma centena, que não atendeu o público naquele domingo, Pois tudo se repetiu em Porto Velho, no feriado municipal de quarta-feira. Outra vez, pedido de um sindicato de trabalhadores acabou com sentença judicial impedindo que todas as lojas abrissem, incluindo as do Porto Velho Shopping, que podem funcionar inclusive aos domingos e feriados, com horário especial. Está na hora da nova lei de relações do trabalho começar a valer pra valer e não só no papel. E, mais que nunca, devemos discutir se queremos, para o nosso país, uma República Sindicalista e uma Justiça do Trabalho que impedem, juntas, que a economia se desenvolva. Os prejuízos com o fechamento das lojas na quarta-feira são incontáveis. Mas, para alguns sindicatos e para a Justiça do Trabalho, isso não tem qualquer importância. Lamentável!

 

GUERRA ENTRE HAVAN E O PT

Por falar em Havan, o dono das lojas, empresário Luciano Hang, quebrou o pau com seus ex amigos do PT. Ele avisou nas redes sociais que soltaria 13 minutos de fogos, em Brusque, Santa Catarina, para festejar a condenação do ex presidente Lula. Pra que? Seu ex amigo deixou o presidente do PT do Acre, deputado estadual Daniel Zen, muito irritado. Quando foi inaugurada a Havan de Rio Branco, Hang e o deputado petista estavam lado a lado, saudando um ao outro. Agora, Zen publicou texto chamando o dono da Havan de burro. Um texto bastante estranho, por sinal. Entre outras preciosidades, o deputado do PT do Acre: “É tão burro que não se deu conta de que os clientes da sua loja, cujos produtos são de qualidade questionável são, em sua grande maioria, os beneficiários do Bolsa Família. Ficou rico às custas da inclusão social de milhões de pobres no mercado de consumo, que puderam passar a comprar em suas lojas graças aos programas sociais do Governo Lula.” Como se a Havan tivesse só clientes do Bolsa Família, o que é um absurdo. Mas, enfim, o rompimento de relações entre o empresário e o PT é mais um dos efeitos colaterais da nova condenação de Lula.

 

A INDÚSTRIA DA BOATARIA

 Estava demorando, mas já começou a temporada da boataria. Sem se imaginar de onde surgiram, lá vem ela, a série de fakes,  com a intenção de mexer com as estruturas dos adversários ou para supervalorizar quem se quer apoiar, sempre tentando causar alvoraço nas paliçadas dos do lado de lá. É uma pena que ainda haja gente, um minoria, é claro, mas até no meio da imprensa, que ainda se presta para isso, mas, lamentavelmente, faz parte do jogo. Do lado ruim do jogo, porque há sim, ainda, o lado bom das disputar políticas e do crescimento da plena democracia. Nessa semana, surgiram conversas absurdas, por exemplo, de que Maurão de Carvalho e Acir Gurgacz poderiam abrir mão de suas candidaturas ao Governo. Que Confúcio e Maurão estariam prestes a um rompimento. Que Ivo Cassol e Expedito Junior, estariam comandando as nomeações na Prefeitura de Porto Velho; que Confúcio e Daniel Pereira estariam em rota de colisão. A bem da informação: NENHUMA dessas pseudonotícias têm qualquer fundo de verdade. Nem meio por cento. Nada. Então, a partir de agora, e sempre bom checar as informações a que se tem acesso. Certamente grande números delas será fake, boatos ou maldades. Uma pena que esse lado dark da política, ainda continue se destacando nas campanhas eleitorais.

 

SOLTINHOS DA SILVA

Num dia sete. No outro cinco. No anterior, quatro. Todos os dias, guarnições da Polícia Militar prendem foragidos do sistema prisional ou condenados, que escaparam da ação da lei e estão nas ruas, obviamente praticamente todos os tipos de crime. Na última quarta-feira, apenas uma das guarnições da PM botou no xilindró nada menos do que sete foragidos, todos pegos nas ruas de Porto Velho. Não se computam aí prisões feitas em todo o interior. Ou seja, o sistema prisional rondoniense está um queijo suíço, com os detentos saindo a hora que querem. A PM, que tem cada vez menos pessoal, em relação às suas necessidades, é obrigado a deslocar um efetivo importante, apenas para recapturar criminosos a quem já prendeu, em alguns casos, três ou quatro vezes. Também é preocupante o número de detentos com tornozeleira eletrônica que estão nas ruas e ainda praticam vários delitos. A situação da segurança pública é caótica, pela inacreditável legislação criada para proteger criminosos e punir, pela insegurança, as pessoas de bem. Além disso tudo, ainda temos um sistema prisional terrível e que permite tantas fugas que alguns presídios se assemelham a hotéis de alta rotatividade. Não está na hora de acabar com essa baderna?

 

POLITICAGEM É A PRIORIDADE

Os confrontos políticos chegaram também à pequena Alto Paraíso, próximo a Ariquemes. A prefeitura Helma Amorim e a Câmara de Vereadores da cidade estão em rota de colisão, ao ponto de ter sido criada uma CPI, para tentar tirá-la do cargo. O início de tudo foram denúncias encaminhadas por um ex secretário da Prefeita que, demitido, tratou de dizer que a ex Chefe tinha cometido vários delitos, no cargo. É a história de sempre. Uma pequena comunidade, dividida pela política, já não consegue andar quase nada à frente quando a administração municipal e a Câmara trabalham em conjunto. Imagine-se agora, quando cada grupo defende única e exclusivamente seus interesses, quem perde ainda mais? Claro que a coletividade. Alto Paraíso há anos está enrolada nos mesmos problemas. Não avança. Tem graves deficiências, como por exemplo suas ruas esburacadas e abandonadas e o sistema de abastecimento de energia elétrica que é perto do ridículo. Ao invés de batalharem juntas para melhorar a cidade, as lideranças políticas estão é de olho na próxima eleição. A CPI agora vai paralisar a cidade ainda mais. No final das contas, a quem interessa a onda de denuncismo, principalmente em ano eleitoral? Pobres moradores de Alto Paraíso! Ao que parece, mais uma vez erraram na escolha dos seus representantes, tanto na Prefeitura quanto na Câmara.

 

PERGUNTINHA

O fato de a Justiça Federal ter mandado recolher o passaporte do ex Presidente Lula e impedi-lo de viajar ao exterior, seria uma prevenção para que ele não pudesse, eventualmente, pedir asilo em algum país, para escapar da primeira condenação e de outras, que poderão ainda vir?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 13

Sérgio Pires 24/01/2018

CONFÚCIO CONFIRMA DISPUTA AO SENADO E DANIEL ASSUME O GOVERNO EM 5 DE ABRIL

O que tinha que ser dito, foi dito. Confúcio Moura comunicou oficialmente ao seu vice, Daniel Pereira, que vai deixar o governo no dia 5 de abril, renunciando ao cargo, para que esteja legalmente apto a disputar uma cadeira ao Senado, em outubro próximo. O Governador disse que a decisão foi tomada depois de longa maturação e que considera que pode contribuir muito, com sua experiência e depois de dois mandatos, que somados chegam a quase sete anos e meio, para que Rondônia continue no caminho do crescimento e do progresso. O comunicado, numa longa conversa entre ambos, realizada na tarde da última terça, oficializou a situação e Daniel Pereira começa a preparar o terno de posse, para governar o Estado durante nove meses. Quando foi sua vez de falar, Daniel resumiu a Confúcio o que já estava anunciado. Que ele, Daniel, não será candidato em 2018. Que manterá toda a estrutura de governo deixada por Confúcio, talvez mexendo aqui e ali, para ter pessoas mais próximas a si (Daniel), durante sua administração. Disse a Confúcio que vai fazer campanha ao Governo para o senador e empresário Acir Gurgacz, conforme orientação do seu partido, mas também aproveitou para elogiar bastante o nome do MDB ao Governo, o deputado Maurão de Carvalho. A quem, aliás, Daniel já avisou que tomaria esse caminho. No encontro, o governador que assume em 5 de abril, quando Confúcio renunciar, fez outros comentários. Afirmou que ele e seu partido vão apoiar incondicionalmente o nome de Confúcio para uma das vagas ao Senado. A outra, que terá seu aval e do PSB, será a do prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires. Na conversa, Daniel também relatou ao seu amigo e companheiro de governo, que já avisou aos seus aliados que não utilizará a máquina ou tomará qualquer medida para fazer campanha para esse ou aquele nome, seja do PSB ou seja de qualquer partido aliado.

O governo vai trocar de mãos, mas não de filosofia, foi o que se deduziu do encontro. Confúcio não fez, ao menos que se tenha conhecimento, a exigência de que Daniel Pereira apoie todos os candidatos do MDB, porque se o tivesse feito, não haveria acordo. Experientes na política, com um relacionamento pessoal e formal como poucas vezes se viu em Rondônia entre um Governador e seu vice, Confúcio e Daniel marcaram posições, mas sem desrespeitar um ou outro. O quadro pode mudar? Claro que sim. Na política, a verdade de hoje não é necessariamente a de amanhã. Mas, se não houver surpresas, Confúcio sai em abril para concorrer ao Senado e Daniel assume o Governo até 31 de dezembro. O enredo é esse. Mas quem o escreve pode, muitas vezes, mudar tudo. O final de verdade só se saberá lá pelo final de março.

 

 

FOI O MELHOR PARA O BRASIL

Enfim, a Justiça foi feita! A confirmação da condenação do ex Presidente Lula, pelo trio de Desembargadores da 4ª Região, na capital gaúcha, era o resultado esperado ao menos por oito em cada dez brasileiros. Apenas uma minoria de cegos, fanáticos e uma pequena legião de desesperados, que vão perder suas boquinhas quando os petistas e seus aliados sumirem do mapa, ainda imaginavam que Lula sairia ileso, depois de todos os males que causou ao país. Não se pode ignorar a força política que o lulismo ainda representa, mas o que estava em discussão era o uso de um cargo Presidencial para receber benesses pessoais. Lula misturou tudo isso (prova que está respondendo a mais meia dúzia de processos) e ainda liderou a maior quadrilha de achaque aos cofres públicos não só na História do Brasil, mas também como um dos maiores roubos de todos os tempos, em todo o Planeta. A destruição da economia; a quase quebra da Petrobras; o avanço aos cofres do Estado como plano de governo e poder; a mentira como programa oficial de um partido e de um governo e tantos outros crimes, não podem ficar impunes. Lula vai passar à História como sempre foi: um engodo. O enganador está desmascarado. Mas o Brasil continuará crescendo e será cada vez mais forte.

 

DONA ADA ESTÁ CERTA!

A vereadora Ada Boabaid anda levando pedradas de todos os lados, por sua defesa da ideia de que locais que vendam bebidas alcóolicas sejam fechados a partir da meia noite. Como se ela, uma vereadora, eleita, com todos os seus direitos, não pudesse apresentar à comunidade um tema para ser debatido. Ou seja como se o assunto fosse alienígena. Não é. Desde 2011, por exemplo, ao menos 60 cidades brasileiras adotaram o projeto, ao menos temporariamente, como forma de combater o tráfico de drogas, a presença de crianças e menores na noite e também o grande número de acidentes de trânsito causados por pessoas embriagadas ao volante. Ada alega que, apenas as blitz da Lei Seca, por exemplo, já diminuem em 30 por cento as internações de acidentados no Hospital João Paulo II. Com o toque de recolher, ela acha que muitas outras vidas seriam poupadas. A ideia da vereadora não é de toda errada, até porque já houve resultados concretos em outras cidades. Mas é ilegal e inconstitucional, segundo decisão exarada, desde 2011, pela Justiça Federal. Mesmo assim, o assunto levantado pela vereadora merece respeito e atenção. Ela não quer impor nada, apenas discutir um tema de interesse público.  Ora, se uma vereadora não tiver o direito de trazer um assunto à discussão da coletividade, quem o terá?

 

GRANDES DESAFIOS DA PF

Ele ainda é jovem, mas muito experiente, Veio do Mato Grosso o novo superintendente da Polícia Federal de Rondônia, empossado nesta terça, numa cerimônia realizada na sede do Ministério Público Federal, na Capital. Caio Rodrigo Pelim chega com a missão de dar continuidade ao trabalho da PF no Estado, principalmente em relação ao combate ao tráfico de drogas e ao crime organizado, mas também terão atuação forte na luta contra a corrupção, que tem caracterizado as ações da PF em praticamente todo o país. O também recentemente empossado o diretor-geral da PF, Fernando Segovia, veio de Brasília para prestigiar o evento e dar posse ao seu comandado. Caio Pelim substituiu no cargo ao delegado Araquém Tavares, que teve uma passagem sem grandes alardes por Rondônia e que agora assumirá a superintendência do Rio Grande do Norte, lá, sim, uma área conturbada pela crise na segurança pública.  O novo titular da PF rondoniense tem grandes desafios pela frente. Com pouca gente, com estrutura muito aquém das necessidades, a PF tem entre suas responsabilidades o policiamento de fronteira, por onde entram, todos os dias, enormes quantidades de armas e drogas. Não será fácil o que o novo delegado tem pela frente, em termos de desafios.

 

A EFMM, OS CHATOS E O TRENZINHO

O prefeito Hildon Chaves anunciou, no dia do aniversário de 103 de instalação do município de Porto Velho (feriado, em plena quarta-feira) , um grande projeto de revitalização da Praça da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, com investimentos que vão chegar a mais de 23 milhões de reais, investimentos que serão feitos pelo Consórcio Santo Antônio Energia. Nosso maior patrimônio, que tem uma infinidade de instituições e entidades dando pitaco, mas onde ninguém resolve nada na prática, parece que finalmente será apadrinhada pelo Prefeito, que cumprirá uma promessa repetida várias vezes em sua campanha. Isso se os tais “amigos”  da EFMM, uma infinidade de chatos, incompetentes e que se acham donos da área, quando na verdade só adoram discursar, sem realizar nada de prático, deixarem Hildon e seu time trabalhar. A má notícia no lançamento de revitalização é que em nenhum momento sequer foi citada a possiblidade do trenzinho Maria Fumaça voltar a andar no trajeto da beira do rio até Santo Antônio. Sem isso, tudo o que se fizer no local será apenas paliativo. Esperemos, pois, para ver no que vai dar...

 

NEM JUNTANDO NUM CALDEIRÃO

Álvaro Dias, Artur Virgílio, Geraldo Alkmin, Ciro Gomes, Cristovam Buarque, José Maria Emayel, Fernando Collor de Mello, Jair Bolsonaro, João Amoedo (Partido Novo, quase um desconhecido), Levy Fidélix, Lula da Silva, Manuela D´Ávila, Marina Silva, Valéria Monteiro, ex apresentadora da Globo: esses são os nomes citados na mídia nacional como possíveis candidatos à Presidência da República neste ano. Colocando todos num caldeirão, sairia o nome ideal para dirigir um pais tão complexo, problemático e dividido como o Brasil? Além de Amoedo, um empresário que se lança numa aventura, via outro nanico na enorme relação de partidos políticos do país, teria alguma chance, apesar por dizer que representa o Novo?  Valéria Monteiro, bela e competente jornalista, seria levada a sério pela população?  De todos os nomes, aquele que parece ter mais predicados e experiência seria Cristovam Buarque, mas mesmo assim, ele não tem aparecido com destaque em ações que o colocassem numa posição de vanguarda na política brasileira e muito menos antes a opinião pública. Desses aí, os dois que lideram todas as pesquisas representam os extremos: Lula, muito à esquerda; Bolsonaro, muito à direita. Dai volta-se à discussão inicial nesses casos: o eleitor é quem não sabe escolher ou são os candidatos que são ruins, sem exceção?

 

CARNAVAL É PRIORIDADE OU NÃO É?

Bem que fez a Prefeitura de Ji-Paraná em não gastar 40 mil reais em apenas um  Baile Popular de Carnaval. Decidiu destinar o dinheiro para outras atividades. Recentemente, o município havia feito pesados investimentos na sua decoração natalina e festas de final de ano, reunindo milhares de pessoas. Para que então, pegar toda essa grana e torrar tudo num só evento, para algumas centenas de foliões, quando pode usar o dinheiro muito melhor em ação que beneficiem toda a comunidade? Claro que essa decisão (e nem as de quem concordam com ela) se destina a que se acabe com o carnaval. Pelo contrário. Só que carnaval e outros eventos semelhantes, devem ter apoios comerciais privados. Quando maiores forem, mais investimentos tendem a conseguir. As verbas públicas gastas com festejos e carnaval, que não seja eventos de grande porte, que envolvam toda a coletividade, são mal gastas. Veja-se o caso da Banda do Vai Quem Quer, em Porto Velho, a maior de toda a região norte. Tem o apoio da Prefeitura e órgãos públicos  em parte da segurança, controle do trânsito e eventuais ajudas consideradas corriqueiras. A grande verba é buscada entre seus mais de 100 mil seguidores. A Banda deu exemplo. Ji-Paraná também está dando. Tomara que essas decisões de bom senso e respeito ao dinheiro público se ampliem.

 

PERGUNTINHA

Em relação ao resultado de ontem, exarado pelo Tribunal Federal de Porto Alegre, ao julgar o caso envolvendo o ex Presidente Lula, você acha que houve a verdadeira Justiça ou ficou longe do que o país poderia esperar?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 14

Sérgio Pires 24/01/2018

ESPERA-SE QUE A JUSTIÇA, OUTRA VEZ, SEPARE OS BANDIDOS DOS QUE SÃO DO BEM

 

De onde vem a dinheirama para pagar o translado e a permanência em Porto Alegre, de alguns milhares de militantes dos chamados movimentos sociais, para apoiar o ex presidente Lula, durante o julgamento em que ele é réu (condenado em primeira instância a nove anos e meia de prisão), nesta quarta-feira? Essa é apenas uma das tantas perguntas que precisam ser feitas, nesse dia em que Rondônia, assim como todo o Brasil, vão parar para sabermos se vivemos realmente num país decente e democrático ou se vamos baixar as calças para a pressão; se vamos aceitar que criminosos decidam nosso futuro; se vamos permitir que líderes de quadrilha, que limparam os cofres públicos durante quase uma década e meia, saiam ilesos e possam voltar ao poder. Vamos decidir muito mais do que o futuro de Lula. Vamos decidir que tipo de futuro queremos para nosso país. Se a verdade vai prevalecer ou se serão a falácia e a mentira as grandes vencedoras do mega julgamento deste dia histórico. Valerá para nosso Brasil a lei ou a truculência? Será a verdade ou a invenção absurda e mentirosa que sobreviverão ou teremos a Justiça na sua essência, separando os bons e os maus, colocando os bandidos e os responsáveis pela quase destruição do nosso país em seu devido lugar, ou seja, atrás das grades?  Lula tem ao seu lado uma militância cega e os intelectuais que dominam parte da opinião pública, além de grande parte da grande mídia, que aprendeu com o PT e seus aliados, que a verdade é apenas aquela versão que beneficia o partido e sua turma. Lula tem ao seu lado patrocínios financeiros incontáveis, ao ponto de conseguir levar de um lado ou outro do país, de ônibus, com alimentação e hospedagem, algumas milhares de pessoas, a maioria delas que não trabalha, mas vive dos tais movimentos sociais, movidos a muita grana, cuja origem um dia ainda todos saberemos. Mas o povo brasileiro tem ao seu lado a verdade, a História e uma Justiça competente, que não se intimida. Há equilíbrio.

Não adiantaram os arroubos de prepotência. Não deram certo as ameaças veladas e outras nem tanto e nem as tentativas, via redes sociais, de destruir a imagem do juiz Sérgio Moro (adorado pela grande maioria dos brasileiros) e muito menos do sistema judicial. Ficou como um arremedo de argumentação, as constantes declarações de Lula e seus seguidores (muitos deles ainda cumprindo pena, pelo envolvimento em crimes sem fim), de que não há provas contra o ex Presidente. A sentença de Moro, que tomara, seja confirmada pela Justiça Federal de Porto Alegre, as apresenta em profusão. Ninguém deu bola, a não ser como uma demonstração de desespero, à frase da tresloucada presidente, do PT, Gleisi Hoffmann, de que para prender Lula teria que matar muita gente. Nada disso vai acontecer. Os bandidos continuarão sendo bandidos e os mocinhos continuarão sendo mocinhos. Espera-se que nesta quarta, em Porto Alegre, o Judiciário deixe isso bem claro, mais uma vez. (Sérgio Pires)

 

 

A PREFEITA VAI DORMIR MELHOR

A prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues, vai poder voltar a dormir melhor, a partir do início de fevereiro. Ela andava passando noites em claro, em busca de soluções para alguns dos graves problemas da sua cidade, como por exemplo, a buraqueira que tomou conta das ruas. Sem dinheiro, como a grande maioria das Prefeituras, Glacione pediu socorro. Não ao Chapolin Colorado, mas ao governador Confúcio Moura e ao presidente da Assembleia, seu antigo colega de parlamento, Maurão de Carvalho. Nesta semana, seus pedidos foram atendidos, Confúcio e Maurão visitaram a cidade e o Governador anunciou um grande programa de asfaltamento para Cacoal, incluindo, é claro, uma operação tapa buracos. Deslocará equipes do DER e ainda vai levar para a cidade uma usina de asfalto, para atender a toda a demanda. Enfim, uma boa notícia para Cacoal e para sua prefeita que, ao final do primeiro ano de governo, ainda sofre com a herança que recebeu da administração do Padre Franco, que lhe deixou uma série de enormes problemas para resolver. O trabalho garantido pelo DER já será um alento, porque a população já andava chiando com a buraqueira em que se transformou a cidade.

 

DINHEIRO JOGADO NO MATO

Denúncia apresentada pelo jornalismo da SICTV, nesta semana, é apenas mais um exemplo do absurdo do dinheiro público jogado no lixo. O repórter Eduardo Kopanakis descobriu, no meio do mato, completamente abandonados, dois enormes prédios, semi prontos e que nunca foram utilizados. Um deles construído para ser sede da Funai, em Nova Mamoré, é um primor. Já foram investidos alguma coisa em torno de 1 milhão de reais e o prédio está quase pronto, com todas as suas instalações em condições de uso. O problema é que ele vem sendo depredado e está atirado no meio do mato há cerca de oito anos, segundo informações de moradores da região. Igual foi o problema descoberto com um hotel de selva, no distrito de Iata, em Guajará Mirim, construído pela União para ser doado à Universidade federal de Rondônia. O financiamento foi feito através da antiga Rio Mar, ligada à Universidade e à Suframa. Qual sua utilidade? Ninguém sabe. A Fundação Rio Mar nunca  prestou contas de 183 mil reais liberados para parte da obra. A Unir diz agora que não tem nada a ver com o problema. A Suframa diz que o problema é da Unir. O Tribunal de Contas está em cima, mas nada foi esclarecido. Ninguém sabe, ninguém viu. E o dinheirinho dos nossos impostos está enterrado numa obra imensa, sem utilidade alguma.

 

GUAJARÁ INTERLIGADA AO ESTADO

Por falar em Guajará Mirim, o deputado Dr. Neidson, que representa a região, rasgou elogios ao Dnit, nesta semana, pela atuação do órgão em trabalhar duro tanto na BRH 364 quanto na BR 425, evitando que a cidade ficasse isolada do resto do Estado, por causa de graves problemas nas duas rodovias, causados pelas fortes chuvas. o serviço de recuperação do trecho da BR 425, ainda, que paliativo, foi essencial para que o tráfego na região se mantivesse. Na BR 425, o Dnit fez uma obra emergencial, corrigindo parte da rodovia que foi destruída com a força das águas. Não fosse isso, Guajará ficaria inacessível, até que passasse a temporada de chuvas e o trabalho pudesse ser feito em definitivo. Já na BR 364, próximo ao distrito de Abunã, o Dnit utilizou  pedras e taludes, para impedir que a rodovia fosse coberta pelas águas. A atuação do Dnit nos dois episódios, foi destacada pelo parlamentar, em pronunciamento na Assembleia. Ele agora pede que, tão logo passe a temporada do inverno amazônico, o Dnit faça um serviço definitivo, corrigindo os graves problemas que atingiram a BR 425, que liga a 364 até Guajará e à fronteira com a Bolívia.

RONDONIENSE É DESTAQUE NO CINEMA

“É um conteúdo intimista, um relato pessoal muito sensível e pra lá de bem escrito, sem apelo sensacionalista”, assim definiu o diretor de cinema Hique Montanari ao falar sobre o artigo do jornalista Vinicius Canova, do site Rondônia Dinâmica, sobre a história que dá vida ao premiado longa-metragem  Yonlu – O Filme (2017). O texto, destacado na página oficial do filme no Facebook, coloca Rondônia em destaque na rota do público que alimenta o cinema nacional. Canova abordou o trágico enredo de seu xará, Vinícius Gageiro, um jovem músico talentoso que se matou aos 16 anos de idade, deixando belas canções à posteridade, sua herança coletiva. Vale a pena conferir tanto o texto quanto o filme de Montanari, que deve percorrer o Brasil em 2018. Para ler o belo artigo sobre tema tão complexo e saber de detalhes do filme sobre a trágica história do menino gaúcho, a, basta clicar no link  https://www.facebook.com/yonlufilme/posts/1454623821313175.

 

O LAMENTO DO GOVERNADOR

O assunto já foi mote nesta coluna inúmeras vezes. Agora serviu para um artigo de lamento, assinado pelo governador Confúcio Moura. Ela comenta, no texto, as milhares de mortes por violência e no trânsito, que vão representar mais de 100 mil vidas perdidas num ano. “Poderemos perder cerca de 60 mil vidas neste ano.  Não mortes por doenças. Não mortes por velhice. E sim, por assassinatos frios. Os mortos, em maioria,  são jovens em plena força e atividade. Sessenta mil mortes por violência. Inacreditável número, maior que as guerras nos últimos dez anos no mundo. Esta é a triste profecia: a violência como uma das principais causas de morte em nosso país. Pode ainda se somar a  este gigantesco número, outras mortes também, por acidentes de trânsito. Que as duas violências são extremamente humilhantes para o nosso país – mais de 100 mil mortes”. Para Confúcio, não há uma fórmula pronta para resolver essa tragédia. “O que se pode fazer é o conjunto de ações conectadas, vindas de todas as partes, nas mais variadas frentes – como a repressão costumeira, a prevenção necessária nas escolas e ruas, a fiscalização das nossas fronteiras, a promoção do emprego, a profissionalização do jovem e o intransferível papel dos pais (família), colocando freios (regras) em seus filhos, desde a primeira infância”. A meta, diz ele, “é economizar vidas”...

 

“NÃO EXISTE DINHEIRO PÚBLICO”

Mais um feriado no meio da semana, nesta quarta-feira, dessa vez pelo aniversário de Porto Velho e em homenagem à sua santa padroeira e, outra vez, o comércio sofre enormes prejuízos. Quando as lojas fecham suas portas, por comemorações que não acabam nunca, milhões de reais são perdidos, embora todos os impostos tenham que ser pagos religiosamente, assim como os salários dos funcionários. Quem planeja e autoriza tantos feriados, certamente imagina que tudo gira em torno do funcionalismo, que recebe seu dinheiro quer trabalhe ou não; quer produza ou não. Na iniciativa privada, quem não der duro todos os dias (menos nos finais de semana, é claro!), não sobrevive. Mas a mentalidade paternalista, o Estado gestado para uma minoria, a dos servidores; a política do que há de seu pior, que é aquela para agradar esse ou aquele segmento, em detrimento do todo, deixam claro que o Brasil muda aqui e ali, mas não muda na essência. Continua sendo governando e elegendo gente que vive do populismo, que está se lixando se há emprego ou desemprego; se as empresas podem quebrar ou não, já que o Estado tudo pode e tudo sustenta. Esquecem-se, esse néscios, que dinheiro não dá em árvore e não existe dinheiro público. Como dizia Margareth Tatcher, cada centavo gasto pelos governos sai da mesa dos trabalhadores.

 

PERGUNTINHA

Você acha que Lula será absolvido por 3x0; absolvido por 2x1; condenado por 2x1; condenado por 3x0 ou terá sua pena inicial ampliada pelos juízes do TRF de Porto Alegre, no julgamento de hoje?

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 15

Sérgio Pires 23/01/2018

É JUSTO TRANSEXUAIS JOGAREM CONTRA MULHERES NAS QUADRAS DE VÔLEI?

 

Será homofobia discutir a participação de transexuais no esporte?. Não se deve temer ao menos debater, em alto nível, um assunto que está tomando conta de atividades esportivas que separam muito bem os sexos, mas que, por causa do politicamente correto e de novas legislações, abrem espaço para que homens que viraram mulheres, possam participar da prática de esportes femininos, disputando contra mulheres de verdade, que não têm a força e nem a complexidade física dos ex machos. Essa questão, aliás, está sendo levada ao COI (Comitê Olímpico Internacional) e outros organismos, sob forma de protesto. O caso mais recente é o da atleta transexual Tiffany Abreu, que nasceu Rodrigo Pereira de Abreu, jogou em equipes masculinas grande parte da sua vida e que, ao voltar ao Brasil, já com sua complexão física formada e com todo o diferencial de homem para as mulheres (principalmente a força, que é muito maior), recebeu aval para jogar por equipes femininas. Onde, obviamente, ganha fácil de todas as suas “colegas”. Nada há de homofobia nessa discussão. É apenas uma questão fisiológica e científica. Homens são mais fortes que mulheres fisicamente. Muito mais fortes. Mudar de sexo não tira deles a força masculina. O que, também obviamente, dá aos homens que decidiram virar mulher, uma força descomunal em relação às demais participantes do esportes. É por isso que Rodrigo/Tiffany é um às no vôlei feminino, batendo todos os recordes em pontos e outros quesitos que se possa analisar numa partida do vôlei feminino.

Ana Paula, quem não lembra, uma das maiores atletas de todos os tempos, participante de quatro Olimpíadas, representando nosso país, que fez uma dupla incrível com Hortência, é  uma das personalidades que querem que o assunto seja revisto. Seus argumentos nada tem a ver com questões de opção sexual. Ela enviou carta aberta às entidades do vôlei mundial e brasileiro, dizendo que é um absurdo que uma pessoa do sexo masculino,  seja aceita num time feminino. Tudo baseado em dados científicos. Escreveu Paula: “um dos pontos questionados foi de que a transição dela aconteceu quando a atleta já tinha 29 anos, ou seja, quando as estruturas óssea e muscular já estavam devidamente formadas, para o corpo de um homem. Além disso, o hormônio da testosterona é objeto de outras críticas, uma vez que ele garante maior força e competitividade à atleta”. Tanto o COI quanto a Federação Internacional de Vôlei decidiram rever o assunto. Quando o politicamente correto invade a correção e a isenção da disputa, passa a ser incorreto. Tomara que essa norma absurda seja modificada, com urgência, sob pena de manchar as competições do vôlei nacional e mundial.

 

 

 

INTERESSES DIFERENTES

A terça-feira começa sob o manto da expectativa, para o mundo político de Rondônia. Não se sabe se ainda de manhã ou se à tarde, Confúcio Moura e Daniel Pereira deverão se reunir, para traçar os próximos passos de ambos, o que, aliás, influirá completamente tanto na vida da população, como na eleição de outubro próximo. Confúcio está com a roupa comprada para sair às ruas e iniciar sua campanha para o Senado. Terá então que deixar o governo até 7 de abril (mas já avisou que sairá dois dias antes, dia 5, uma quinta-feira). Em seu lugar, para completar os nove meses de governo restantes, quem sobe para a cadeira de Governador é o vice, Daniel Pereira. Todos os detalhes ligados ao governo e à administração estão resolvidos e acordados. A reunião desta terça (foi transferida do final de semana), deverá definir as questões políticas, que ainda não foram definidas. Confúcio quer que Daniel se comprometa em apoiar nomes da turma atual do governo (ele mesmo, Confúcio, Raupp e o pré candidato ao Governo, Maurão de Carvalho), mas o vice já avisou: apoiará Confúcio e Jesualdo Pires para o Senado e Acir Gurgacz para o Governo. No final do dia se saberá se o impasse foi resolvido.

 

QUEM MANDA MESMO?

A Justiça brasileira está sob a mira de toda a população. Nesta semana decisiva, o julgamento do ex presidente Lula, nesta quarta, em Porto Alegre, vai sacudir o país. Se ele for condenado em segunda instância, vai dar barulho. Se for absolvido, vai dar estrondo. Se tiver a pena ampliada, gritaria. Se for determinada sua prisão (embora isso só deva acontecer depois de analisados todos os seus recursos, no próprio TRF4), nem se sabe o que pode acontecer. O Judiciário estará no centro das atenções, como está no caso do empossa/não empossa a deputada Cristiane Brasil, convidada pelo presidente Temer para ser a ministra do Trabalho, mas que a Justiça, interferindo numa decisão que é apenas do Chefe da Nação, não autoriza ser colocada no cargo. Nessa confusão toda, em que em muitos casos é a Justiça e não o Executivo quem governa o país, a população fica atenta ao que vai acontecer nas próximas horas. Lula sairá ileso ou, enfim, vai pagar pelos crimes pelos quais já foi condenado em primeira instância? E a ministra, trapalhona, condenada pela Justiça do Trabalho,  receberá enfim o aval para que um dia, ainda neste governo, assuma o posto? Afinal de contas, há mesmo independência de poderes no Brasil ou apenas é algo para inglês ver. É uma semana em que a Justiça estará sob os olhos de milhões e milhões de brasileiros.  Vamos ver como ela se sairá desse pacote de saias justas...

 

NAIARA: UM DIA DE TRISTEZA

Amanhã, quarta, dia 24, marca mais uma data triste para Rondônia.  Completam-se cinco anos do brutal assassinato da jovem Nayara Karine, morta com requintes de crueldade, por vários homens, praticamente todos já condenados. Foram denunciados pela prática do crime Marco Antônio Chaves, Francisco da Silva Plácido, Wagner Strougulsky de Souza e Richardson Bruno Mamede das Chagas. Naira Karine foi violentada, asfixiada e esfaqueada pelo menos 29 vezes, no dia 24 de janeiro de 2013, em um local ermo, um sítio localizado na Lagoa do Sapo, próximo ao presídio Urso Branco, em Porto Velho. Todo esse tempo depois, não se tem clareza sobre os motivos do crime e nem se há mais gente envolvida. Houve muita fofoca, acusações absurdas e doentias, mas a polícia não conseguiu colocar mais ninguém na cena do crime e nem no planejamento dele, a não ser os condenados. Depois da morte da jovem, seus pais ainda receberam várias ameaças, ao ponto de terem que se mudar de Rondônia, retornando à sua terra, o Rio Grande do Sul. Será que algum dia se saberá exatamente toda a tragédia do caso Naiara ou a verdade ficará enterrada com ela, como ocorreu na morte do senador Olavo Pires, outros daqueles crimes insolúveis?

 

EVO MORALES RECUA

Paixões políticas, mentiras deslavadas, multiplicação de informações falsas: tudo isso está sendo feito em relação a Bolívia. Neste final de semana, até um vídeo em que a polícia boliviana teria invadido uma igreja e matado fieis foi distribuído nas redes sociais. Puro fake!  Um absurdo. O que há de verdade? El Diario de La Paz, por exemplo, publicou nesta segunda-feira que, pressionado por multidões que foram às ruas protestar contra mudanças no Código Penal e na Constituição, o presidente Evo Morales estaria recuando da suas decisões. Ele teria pedido à Assembleia Nacional Legislativa, o Congresso do país, que revogasse todas as medidas aprovadas em relação tanto nas questões do Código como nas constitucionais. A radicalização das leis bolivianas, que transformaria o país praticamente numa ditadura socialista, causou protestos em todas as regiões, fazendo com que Morales decidisse recuar. O Jornal Opinion de Cochabamba, um dos maiores do país, confirma a decisão de Morales, informando: “Evo anuncia revogação do Código”. Enfim, uma boa notícia para nossos vizinhos, enquanto os canalhas irresponsáveis continuam mandando notícias falsas pela internet. Essa gente tem é que ser presa!

 

EXCEÇÃO: ENFIM, UMA LEI QUE FUNCIONA!

A Lei Seca continua causando polêmica, mas não há dúvida de que é uma lei brasileira, entre as poucas, que verdadeiramente “pegou”. Nos últimos dias, em Rondônia, foi preso até um procurador do Ministério Público, que se apresentou como “Desembargador”, o que causou protesto da Associação dos Magistrados de Rondônia, a Arom, já que o detido nada tem a ver com o cargo de Desembargador, segundo nota oficial da entidade. Também foram pegos dirigindo depois de ingerir bebida alcóolica (mesmo que seja em pequenas quantidades, o bafômetro flagra), policiais, médicos, jornalistas, advogados, donas de casa, enfim, representantes de todos os segmentos da sociedade, que dirigem. O caso mais incrível ocorreu em Vilhena, onde o chefe da operação tentou proteger um policial rodoviário federal e teria falsificado o exame do bafômetro. Foi preso na hora. Entre os que estão habituados às milhares de leis brasileiras que não pegaram, por causa da impunidade e do jeitinho, há protestos contra a Lei Seca. Mas a grande maioria da população está apoiando todo o pacote de multas, detenções e apreensões de veículos. Até que enfim, uma lei que é utilizada com todo o rigor para todos. Sem exceção...

 

O CASOS NA SAÚDE MUNICIPAL

A situação da saúde pública em Porto Velho teve mais um final de semana problemática, com falta de médicos para atendimento nas UPAs e postos de saúde e falta de medicamentos e infraestrutura. O Cremero fez um levantamento da situação física dos prédios, onde a população é atendida. O resultado é assustador. Na maioria deles, a estrutura é lamentável, não há como negar. Médicos, funcionários e pacientes têm que conviver em locais insalubres, com banheiros sujos, com goteiras, com o mofo tomando conta das paredes. Agora, o que se espera é que o Cremero faça a mesma fiscalização em relação aos médicos que, mesmo escalados, não cumprem seus plantões. E que responda às acusações públicas feitas pelo prefeito Hildon Chaves, de que entre 20 por cento e 30 por cento de todos os médicos contratados pela Prefeitura, estão boicotando o atendimento dos serviços de saúde prestados à população. As denúncias do Prefeito estão gravadas. Basta pedir o áudio do programa Papo de Redação (Rádio Parecis FM), do dia  14, quando Hildon participou de um debate com os Dinossauros do programa, sobre o assunto. O MP entrou na jogada e exigiu a exposição das escalas de plantão nos postos. O Prefeito garante que as coisas vão melhorar. Mas tem que começar já, agora. Não dá para esperar mais...

 

PERGUNTINHA

Você acha que poderá haver mesmo confrontos entre partidários de Lula e seus adversários, como se anuncia para esta quarta-feira, em Porto Alegre ou tudo não passa de blefe dos dois lados?

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 16

Sérgio Pires 20/01/2018

OLHA SÓ QUEM VOLTOU! COLLOR DE MELLO QUER VOLTAR À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

 

Lá vem Elle de novo! Com dois ‘éles”. Isso mesmo. Fernando Collor de Mello anunciou no final de semana que será candidato à Presidência nas eleições deste ano. Ele entrou para a História por ser o primeiro mandatário do país (ficou no Poder apenas dois anos, entre 1990 e 1992) eleito democraticamente, a sofrer impeachment, graças a uma série de denúncias e às campanhas duríssimas lançada contra ele, pelo Partido dos Trabalhadores, na época, com amplo apoio da mídia, do Congresso e da opinião pública. Até a Rede Globo, que o criou, voltou-lhe as costas. Eventualmente, as coisas acabam se repetindo e, décadas depois, tudo se inverteu. Todas as inúmeras denúncias contra Fernando Collor não foram acatadas pelo Supremo. Ele foi considerado inocente em  100 por cento dos processos. Perguntou, em 2007, quando voltava a um mandato eletivo, depois de ter perdido seus direitos políticos por oito anos: “e agora, "quem me devolverá o que me foi tomado”? Para dar cores ainda  mais dramáticas, tempos depois foi uma petista, a ex Presidente Dilma Rousseff, quem sofreu impeachment. Uma espécie de vingança da História? A verdade é que o atual senador achou que, no quadro atual, há espaço para seu discurso, novamente. Ele anunciou oficialmente sua pré candidatura numa entrevista no interior das Alagoas. Vai disputar pelo PTC, o partido que sucedeu o PRN, que havia sido criado apenas para elegê-lo e que, depois do impeachment de 92, desapareceu do cenário da política brasileira. Mesmo denunciado novamente por falcatruas, agora por envolvimento em esquemas da Lava Jato, Collor vai usar um discurso que o brasileiro comum se apaixona: o da vítima inocente; o do injustiçado;  o de quem poderia ter feito muito mais pelos pobres, mas “as elites” não deixaram. A gente não conhece já um pouco a mais desse tipo de vitimismo?

Defensor ferrenho do Parlamentarismo, Fernando Collor de Mello chega para entrar na corrida Presidencial quase como mais uma figura exótica, com o ultradireitista Jair Bolsonaro e o condenado por chefiar a maior quadrilha de ladrões do país, o ex Presidente Lula. Collor vai se apresentar como uma alternativa de centro. Inocentado de todas as falcatruas que envolveram seu nome; destruído pela imprensa.; arrasado pelo Congresso, com quem ele não dialogou e por isso também foi cassado, o coronel das Alagoas quer voltar ao Poder. Tem todo o direito. A tristeza nisso tudo é que, num país tão rico e com perspectivas de um grande futuro, como o nosso Brasil, se tenha que escolher entre as figuras que estão aí, na vida pública, para nos conduzir novamente. Lula, Bolsonaro, Collor de Mello: merecemos isso?

 

 

 

SÁBADO SILENCIOSO

Foi transferida para terça próxima, dia 23, a reunião entre o governador Confúcio Moura e seu vice, Daniel Pereira, que decidirá os rumos de ambos daqui para a frente. Estava agendado para o sábado, mas não foi possível realizá-la. A tendência é que Confúcio renuncie mesmo ao poder, dia 5 de abril e que Daniel assuma, para completar o mandato, até 31 de dezembro próximo. Durante a semana houve várias informações de bastidores de que as coisas não se resolveriam com simplicidade, já que Daniel aceita as exigências de Confúcio em relação a manter os rumos do governo e mexer pouco na equipe, mas não as aceita quando se trata de acordos políticos que envolvam  apoio seu a outras lideranças, que não o próprio Governador. Daniel  já disse que Confúcio terá todo o seu apoio (e de seu partido, o PSB), na corrida pelo Senado. Mas que os acordos terminam aí. Ninguém mais do grupo do MDB terá aval dele e da sua sigla, que fecharão acordo para a disputa ao Governo com o senador Acir Gurgacz. O que se esperava é que a decisão fosse anunciada neste final de semana, mas em função de compromissos do Governador, ela foi empurrada para terça. O local do encontro não foi divulgado.

 

SEM FEBRE AMARELA

Nos anos 70 e até meados dos anos 80, andar por Rondônia só vacinado. E bem vacinado. Principalmente contra a febre amarela. Era uma doença presente na vida da região e o foi durante décadas. Enquanto isso, na maioria dos estados brasileiros, pouco se falava sobre a doença. Hoje, as coisas se inverteram. Enquanto em várias regiões do país a doença está matando, por aqui ela está totalmente controlada, segundo palavras do próprio secretário de saúde do Estado, Williames Pimentel. O último caso de contaminação pela doença, em Rondônia, foi registrado em 2001, há 17 anos, portanto. O próprio Ministério da Saúde considera muito baixo o risco de contaminação por aqui, até pelas constantes campanhas de vacinação que foram realizadas, com amplo sucesso, em anos passados. Macacos que apareceram mortos numa reserva, perto de São Carlos, no Baixo Madeira, não pereceram por causa da doença. Por aqui, ao menos nesse quesito, estamos em momentos de tranquilidade.

 

A ENCHENTE ESTÁ CHEGANDO

O mesmo já não se pode dizer em relação ao risco de uma nova e forte enchente, atingindo a Capital e vários distritos, até além da divisa com o Acre. O rio Madeira já atingiu, neste final de semana, a cota de maior risco. A partir desta segunda-feira, é muito provável que ele comece a transbordar em vários locais, incluindo partes das proximidades do região central de Porto Velho. A expectativa é de que a cheia deste ano não seja tão avassaladora quanto o foi a de 2014, mas as pesadas chuvas na Bolívia e no Peru, em afluentes que enchem o Madeirão nessa época do ano, preocupam muito as autoridades. O Dnit está fazendo grande esforço para evitar que a água cubra a BR 364, na direção do Acre, mas dependendo da força das chuvas nas cabeceiras, o trabalho pode se tornar inócuo. Várias famílias ribeirinhas já estão sofrendo com a enchente e muitas delas começam a ser retiradas das áreas de risco. Uma pena que, tão pouco tempo depois, a natureza nos castigue novamente com uma enchente daquelas de assustar a todos os rondonienses. Lamentável!

 

OS GOVERNISTAS CANDIDATOS

Os dados ainda não são definitivos, mas ao que tudo indica,  sete dos atuais assessores direitos de Confúcio Moura vão deixar seus cargos, em breve, para começarem suas pré campanhas para disputar as eleições de outubro. Todos eles já pediram exoneração de seus cargos, mas ainda não foram substituídos, até porque algumas mudanças farão parte do pacote de acordos que serão feitos entre Confúcio e Daniel Pereira, caso haja acordo para que o atual governador deixe o posto para concorrer ao Senado e Daniel assuma por nove meses. Dois dos sete poderão concorrer à Câmara Federal: Evandro Padovani, secretário de Agricultura e Anselmo de Jesus, o único petista ainda no governo e que dirige a Idaron. Os outros cinco, se não houver mudança de planos, vão disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, alguns com chances reais de chegar lá: Williames Pimentel, secretário da Saúde; Ezequiel Neiva, diretor geral do DER: Chiquinho da Emater, o chefe geral do órgão no Estado; Marcos Rocha, da Sejus e Mary Braganol, da Seagri.  Na próxima semana, as definições já deverão ser anunciadas, com as  saídas dos pré candidatos, que desembarcarão do governo para a campanha. 

 

ECONOMIA DE 80 MILHÕES EM CINCO ANOS

Já é dado como certo o novo programa da Prefeitura da Capital, com a extinção de cargos de vigilantes nas escolas e postos de saúde, substituindo-os por câmeras de vigilância, exatamente como fez o governador Confúcio Moura. No Estado, desde que os profissionais da segurança foram retirados das escolas, o número de roubos e ataques cresceu tremendamente. Mas ainda assim, o total dos prejuízos não chega a 10 por cento do que o Governo gastava com tanta gente, realizando contratos milionários e algumas vezes sob suspeita com empresas do setor. O prefeito Hildon Chaves está pensando na mesma direção. O problema mais grave é o social, já que perto de 900 trabalhadores ficariam desempregados. A questão é que a modernidade exige tecnologia e custos menores, o que, em algumas profissões, exclui o trabalhador. Infelizmente, não há outra saída. E é  nesta batalha para manter o sistema funcionando, sem encarecer ainda mais o custo da administração para o cidadão, que Hildon Chaves está raciocinando. No caso da Prefeitura da Capital, os investimentos com as câmeras chegarão a mais de 12 milhões de reais. A economia prevista para os cofres públicos serão de 80 milhões de reais em cinco anos.

 

POLUIÇÃO DE AMBULANTES

Do início do Espaço Alternativo até o aeroporto da Capital, há cerca de três quilômetros, em duas pistas, além da pista central, que ainda está sendo concluída e que terá uma bela passarela, em fase final de obras. Pois nesse pequenos trecho, a Prefeitura da Capital vai autorizar a nada menos do que 60 ambulantes e outros vendedores de atrações (como pula-pula e coisas assemelhadas), a se instalarem legalmente. Numa conta simples, haverá nada menos do que 20 ambulantes por quilômetro andado, vamos dizer assim. Haverá uma seleção ainda dos que serão autorizados a atuar no local, pagando uma taxa inicial de 25 reais e taxas mensais na faixa de 75 reais. Hoje, sem controle algum, trabalham no local algo em torno de 70 ambulantes, o que já enche os saco dos frequentadores do local, muitas vezes interceptados e importunados em suas caminhadas, pelos produtos que lhes são oferecidos. Vão diminuir dez, mas a “poluição” de ambulantes continuará. E agora oficializada. E ainda haverá vários outros, fixos, nos quiosques que ainda estão sendo concluídos. E aí, Prefeitura: não dá pra revisar esses números para baixo?

 

PERGUNTINHA

Com a série de protestos e manifestações marcadas para os próximos dias, por causa do novo julgamento do ex Presidente Lula, se você participasse, iria para o grupo de apoio a ele ou iria para a turma que quer é vê-lo na cadeia?

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 17

Sérgio Pires 18/01/2018

DECISÃO TOMADA: DANIEL VAI DIZER A CONFÚCIO MOURA QUE APOIARÁ GURGACZ AO GOVERNO

 

Falta ainda uma conversa definitiva. Deveria ter ocorrido há alguns dias, mas foi transferida porque o  Governador teve que mudar sua agenda na última hora, para comparecer ao funeral da filha do deputado Edson Martins. Mas o encontro vai acontecer neste sábado, também conhecido como amanhã. Confúcio Moura e Daniel Pereira vão sentar, olhar nos olhos um do outro e começar a definir os compromissos políticos daqui para a frente, planejando o futuro de ambos e do Estado. Quando o encontro terminar, se saberá se Confúcio Moura será mesmo candidato ao Senado e renunciará em 5 de abril, abrindo caminho para que Daniel assuma o governo por nove meses ou se o atual Governador fica onde está, não concorrendo a nada e sem que seu vice seja o sucessor ainda neste mandato. A tendência, a princípio, era de um grande acordo, que já estaria alinhavado. Mas declarações de Confúcio Moura, a uma TV de Ariquemes, podem mudar o quadro. Porque do que ele disse, Daniel aceita tranquilamente a metade. A outra, não topa. E é aí que a coisa pode complicar. O que Daniel Pereira dirá ao seu companheiro de mandato? Primeiro, que manterá toda a estrutura de governo, as metas, as realizações e os projetos. Mexerá muito pouco na equipe. Vai dizer que o governo de Confúcio é diferenciado para melhor e vencedor. E que ele, Daniel, apenas colocará suas digitais aqui e ali, mas, na essência, nada vai mudar. Essa parte da exigência de Confúcio ele topa. Já topou. O problema é a parte política. Na entrevista de Ariquemes, Confúcio afirmou que só deixará o governo caso Daniel se comprometa com o seu (dele, Confúcio) grupo político. Daniel, como líder partidário do PSB, não vai topar. O que ele prometerá ao Governador é que o nome de Confúcio Moura será apoiado na disputa ao Senado totalmente por ele e por seu partido. Mas o  PSB lançará um segundo nome, muito provavelmente o de Jesualdo Pires, o sempre elogiado prefeito de Ji-Paraná, para a outra vaga ao Senado. Ponto final. A partir daí, não tem mais acordo.

O que Daniel afirma é que ele e seu partido cumprirão um antigo  acordo político com o PDT e seu líder maior no Estado, o senador Acir Gurgacz e que será ele, Acir, o nome aliado dos socialistas para concorrer ao Palácio Rio Madeira/CPA, nas eleições deste ano. Numa conversa com amigos e parceiros, Daniel encheu a bola do presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho, que é o candidato do MDB e de Confúcio ao Governo. Mas reafirmou: “acho Maurão um grande candidato, mas meu partido vai apoiar Acir Gurgacz”. Essa questão, segundo tem repetido o vice governador, não é negociável. Esperemos para ver...

 

 

VAI TER ACORDO OU NÃO?

Até agora, esse é o resumo da ópera. Caso Confúcio aceite o apoio incondicional de Daniel à sua candidatura ao Senado e se contentar com isso, estará tudo resolvido. Mas se o Governador bater pé na exigência de que seu vice teria que abrir mão de outros compromissos partidários, para apoiar os nomes do MDB, como deixou transparecer na conversa com o repórter da TV de Ariquemes, não vai dar acordo. O jogo político está andando. Neste final de semana saberemos, enfim, se Confúcio sai do governo para disputar o Senado; se Daniel assume o poder, até 31 de dezembro próximo ou se tudo fica como está. O funil em direção às eleições de outubro está com seu bocal cada vez mais estreito. Todos os partidos e candidatos se mexem. O caso Confúcio/Daniel é um dos mais emblemáticos. No início da próxima semana, já se saberá o que os dois poderosos da política rondoniense decidiram. Acordo ou não? Respostas em breve. 

 

HOMENAGENS À DONA SUZANA

Do jeito que está o Brasil, em breve a assassina dos pais Suzana Von Richthoffen será libertada, depois de cumprir menos da metade da sua pena de 39 anos e alguns meses. Já tem vários benefícios, mas sua liberdade é iminente. Os pais que ela matou, segundo a baderna jurídica que beneficia criminosos, poderiam ser convocados para cumprir o restante da pena no lugar dela, mas infelizmente não vão poder comparecer, por motivo de força maior. Ela poderá, em breve, ser convidada para uma novela da Globo, onde faria o papel de um transexual que se acasalará com um alienígena, sob o patrocínio da Coca Cola. Será lançada candidata por algum partido de esquerda, com apoio total dos defensores dos direitos dos bandidos, com a bandeira da defesa dos pobres coitados que, apenas por matar os pais, são obrigados a ficar um tempão na cadeia. Desfilará, como homenageada, por ter ajudado a manter o controle de natalidade (matou os pais e eles não poderão mais ter filhos, deu pra entender?), em alguma Escola de Samba do Rio e sua vida virará um filme, produzido com recursos da Lei Rouanet, onde poderá concorrer a um Oscar, representando o cinema brasileiro. É uma tristeza se pensar num país em que toda essa ironia corre o risco até de se tornar realidade. Lamentável!

 

BEM VINDOS, NOVOS VIZINHOS!

Decisão da justiça federal do Rio de Janeiro transfere para o presídio federal de Porto Velho, mais um daqueles criminosos que  faz parte do rol dos grandes inimigos da sociedade brasileira. E ele virá exatamente para encontrar-se com quem? Isso mesmo: com seu maior rival. Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, que aterrorizou  favelas do Rio de Janeiro, tentando tomar o poder que era de Antônio Bonfim Lopes, o Nem,,, esse outro bandidão já está numa cela do nosso Presídio Federal, vão se encontrar.  Agora, dois dos maiores rivais do crime, que certamente trarão para seu entorno parceiros e seguidores, como outros já o fizeram, estarão se confrontando dentro de uma cadeia considerada de segurança máxima, mas que pode, com essa decisão infeliz, se transformar num verdadeiro caldeirão. Ora, a decisão, que pode ter sido emanada de alguém que ainda acha que Porto Velho é capital de Roraima, deixa clara a não preocupação em manter, juntos, dois criminosos deste porte, que mesmo dentro da cadeia, continuam mandando no crime do lado de fora.  E que continuarão seus confrontos, seja no Rio de Janeiro, seja por aqui mesmo. É daqueles presentes gregos que enchem o saco da gente. Mas reclamar pra quem? Ninguém que nos representa protesta com veemência contra esses absurdos.

 

NAZIF E A MELHOR VOTAÇÃO

Ele voltou! Depois de longo tempo distante das ruas, o ex prefeito Mauro Nazif está de volta. Vai participar da eleição deste ano, concorrendo a uma vaga à Câmara Federal. O otimismo ronda ele e sua turma. O vice governador Daniel Pereira comentou, essa semana, que o partido não só quer eleger Nazif, mas o quer com a maior votação entre todos os candidatos a deputado federal, em outubro. Nazif teve passagens bastante vitoriosas pelo parlamento. Tanto na Assembleia como na Câmara, sempre teve atuação destacada. Seu problema foi com o Executivo. Eleito Prefeito de Porto Velho, depois de um mandato controvertido e abaixo de críticas, de apenas quatro anos, ele tentou a reeleição, mas sequer chegou ao segundo turno, ficando com uma votação muito aquém do esperado.  O PSB considera que a administração de Mauro Nazif foi bastante positiva e que sua história como parlamentar que seu partido considera diferenciada, podem levá-lo a uma eleição consagradora. Vamos ver se esse otimismo se confirmará nas urnas!

 

PT AINDA NÃO DECIDIU NADA

Marcos Pereira, membro do PT, é um nome quase desconhecido da porta para fora do partido, em Rondônia. Mas teria sido lançado como pré candidato ao Governo, há alguns meses. Só que a cúpula petista nunca confirmou oficialmente essa decisão. A tal ponto que o presidente regional, Lazinho da Fetagro, emitiu nota oficial contestado a indicação. Diz o texto, ao se referir diretamente ao assunto: “O Partido dos Trabalhadores não definiu e nem discutiu nenhum nome para representar a sigla nas eleições de outubro de 2018. A Executiva Estadual vem analisando o quadro político e discutindo com as bases do partido e no momento oportuno irá propor ao Diretório e a militância, a tática eleitoral a ser implementada em Rondônia pelo nosso partido”. Ou seja, qualquer indicação de nomes, seja para que cargo se quiser comentar, não tem ainda o aval do diretório estadual. Obviamente que, além do próprio Lazinho, o PT tem analisado candidaturas como as de Fátima Cleide, Roberto Sobrinho e Padre Ton, seus principais nomes hoje, no Estado. Mas, por enquanto, não há nada oficial sobre futuras candidaturas tanto ao Governo como ao Congresso ou à Assembleia.

 

SE NÃO É DITADURA, É  O QUE?

Como chamar um projeto de governo que acaba com a liberdade individual e com a liberdade religiosa;  que quer engessar a imprensa, ameaçando com  julgamentos sumários e penas duríssimas, a jornalista que escreverem contra os poderosos de plantão? Qual o nome que se daria a um governo que pretende ter o controle das empresas e as propriedades privadas? Pode-se chamar de democracia, um governo que pretende criminalizar as manifestações legítimas da população, a menos que elas lhes sejam favoráveis? Tem algum apelido, que não ditadura plena, a tentativa de criminalização da atuação dos médicos, dos caminhoneiros e que pretende até  controlar o deslocamento da população dentro do país? E isso é apenas uma pequena parcela das intenções do presidente da Bolívia, Evo Morales, em eternizar-se no poder e transformar seu país num estado socialista, onde só o governo tem razão, mexendo profundamente no Código Pena e na Constituição. Ora, se isso não é ditadura, o que é então? Qual o novo nome que se pode dar a isso tudo? Certamente que nem arremedo de democracia é. Respeita-se as opiniões em contrário, é claro, mas Don Evo está sim tentando transformar seu país no quintal de sua propriedade ideológica. É, claramente, tentativa de impor uma ditadura!

 

PERGUNTINHA

O que você achou das declarações da senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT e do senador  Lindenberg Farias, de que a esquerda tem que radicalizar contra a Justiça e que se prender Lula, “vão ter que matar muita gente”?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 18

Sérgio Pires 18/01/2018

LIBERDADE TOTAL OU CENSURA? COMO RESOLVER O CAOS DA CULTURA BRASILEIRA?

 

Será censura, protestar contra a letra de uma música que exalta o estupro e a transformação da mulher apenas como um objeto sexual descartável? Será censura exigir que manifestações culturais como as que colocam uma criança, uma menina de seis anos, tocando um homem nu numa exposição, seja extirpada do circuito de exposições culturais? Será censura os constantes protestos de alguns pais, Brasil afora, contra a exposição sexual em horário nobre de TV?  Serão apenas censores os que berraram contra cenas de lesbianismo e beijo gay entre duas garotas, numa novela para crianças e jovens, no final da tarde? Afinal, o que é arte e o que é censura? Alguém deveria ter o poder de censurar o que quer que se analise, num país onde a democracia é plena e a liberdade total? Todas essas perguntas vêm a calhar, nesse momento em que o Brasil se racha no meio, também nesta questão. De um lado estão os artista e seus seguidores e patrocinadores, que não aceitam controle algum sobre a criação cultural, seja nas artes, no cinema, na música, na poesia, no teatro. De outro, os que acham que criança junto com homem nu é cena impossível de se aceitar. Que acham que beijo gay entre meninas é forçação de barra. Que pensam que quando um cantor de funk, (um tal MC Diguinho), faz uma música de sucesso, compartilhada por milhões de pessoas nas redes sociais, dizendo, por exemplo: “só uma surubinha de leve, com essas filhas da puta; taca bebida nelas, depois taca a pica e abandona na rua”! é um absurdo. Isso é arte?  MD Diguinho diz que é. E avisa: se essa minha música é um incentivo ao estupro, muito prazer, sou o novo estuprador na praça!”. E agora?

Há sim uma parcela do mundo das artes com criatividade, bom gosto, senso crítico, exagerado até, às vezes; mas também é verdade que o domínio do que há de pior nas artes e na cultura foi solto, de uma só vez, na vida brasileira. Muitas músicas, adoradas por multidões, são horrorosas, sem poesia, sem criatividade, com rimas forçadas. Há muitos anos não surge algo que preste na musica popular brasileira. Não há textos novos no nosso teatro e os que aparecem, raramente, são sofríveis. As novelas ensinam sacanagem e putaria, mas pouco de cidadania e de respeito às famílias e às pessoas que não concordam com tudo isso.  Qual a última grande exposição de um artista brasileiro que mereceu destaque, a não ser por mau gosto e escândalos?  “Nossa música chegou à fase anal!”, lamentou o cantor Lulu Santos. É um resumo, mas infelizmente, é apenas uma pequena parte da triste e lastimável verdade: a porcaria cultural registra e toma conta do nosso país.. E cresce porque tem público!

 

 

O DEDO APONTADO, SEM HIPOCRISIA

Por que, então, estamos nesse profundo abismo do mau gosto e da baixaria? Ah, resposta fácil. Então, para se responder a todas essas perguntas, não se pode ser hipócrita. Tudo isso só cresce no nosso país porque tem público. O povão adora sacanagem, letras de músicas horrorosas,  de sentido duplo; adora cenas de sexo na TV e as aplaude, mesmo que seus filhos estejam crescendo com essa distorcida visão das coisas; aplaude um doido que escreve uma música transformando as mulheres em objetos, como se elas merecessem  serem maltratadas, estupradas e jogadas no meio da rua. Como se isso não ajudasse a piorar a situação, num país em que, todo o ano, 50 mil mulheres são estupradas.  Nenhuma dessas coisas terríveis que abundam na nossa cultura, teria qualquer chance de sucesso, se não tivesse o aval do público. Os que dizem que vivemos uma época de horror em termos culturais estão errados? O que disse Lulu Santos retrata a realidade, mas é apenas um resumo, uma pequena parte da triste e lastimável verdade: a porcaria cultural se amplia e toma conta do nosso país. E cresce apenas por um motivo: porque tem público!

 

DOIS PARTIDOS NA MÃO

Tem fofoca, tem conversa de bastidores, tem muita coisa falsa. Informação que é bom, pouca! Por exemplo: não há qualquer pingo de realidade na história de que o candidatíssimo ao Senado (ou ao Governo)  Expedito Júnior, estivesse pensando em trocar de partido, saindo do PSDB, por discordâncias com a presidente regional Mariana Carvalho. As divergências existem sim, mas estão distantes de uma ruptura. Expedito estaria assinando um atestado de burrice, caso deixasse que o ego o engolisse nesse episódio. Primeiro, porque ele só não tem a Presidência do partido tucano no Estado. Todos os demais cargos da Executiva são nomeações dele. Segundo, porque ele tem o total apoio do PSD, dominado no Estado por seu filho, o deputado federal Expedito Neto. Ora, se tem nas mãos duas siglas, porque abriria mão de uma delas? Só se fosse neófito na política ou ingênuo, coisas, aliás, que Expedito Júnior está longe de ser. Pelo contrário. Ele é experiente e conhece toda a malandragem do jogo político. Fica onde está e vai disputar ou o Senado (o que é muito mais provável) ou o Governo do Estado, pela sigla dos tucanos. E com parceria forte de todo o PSD, a menos que aconteça um grande terremoto político, o que está muito longe de ocorrer.

 

MACONHA PARA O GUINESS

Segundo informações de sua assessoria, a Polícia Rodoviária Federal, em Porto Velho, apreendeu a maconha mais cara do Planeta. Vai acabar indo para o livro de recordes do Guines. Enquanto o quilo “da boa” no mercado, comprando-se já por preço aviltado, não passa de 4 mil reais, para a PRF, sua apreensão de 27 quilos da droga, representou um prejuízo de 1 milhão e 300 mil reais aos traficantes. Ou seja, 48 mil e 150 reais o quilo. Um quilo de cocaína comum, no mercado, pode ser encontrado por até 25 mil reais Pois a maconha apreendida pelos patrulheiros, perto do centro de Porto Velho, dentro de uma camioneta, valeria muito mais. Se fossem 27 quilos de cocaína, o valor seria algo em torno de 675 mil reais, ou seja, a metade da apreensão. É importante que, quando as informações são repassadas à comunidade, que haja um mínimo de conteúdo, para que se tenha credibilidade. Colocar o quilo da maconha a mais de 48 mil reais, é algo tão fora do contexto, que, ao invés de se elogiar a ação eficaz dos policiais, o que se comenta é o superpreço da droga apreendida. Menos, menos! Ah, e para que não se diga que o colunista conhece tudo sobre drogas, nada disso. Basta pesquisar no Google que os preços estão todos lá!

 

OS PISTOLEIROS AGEM

Os crimes de pistolagem continuam ocorrendo em Rondônia e, infelizmente, a maioria deles jamais são punidos, simplesmente porque a polícia não descobre autores e nem mandantes. Na manhã desta terça, mais um desses assassinatos brutais e covardes foi registrado em Porto Velho. Dois motoqueiros, armados com pistolas Ponto 40 (aquelas que o cidadão comum jamais pode ter para se defender, mas que abundam nas mãos dos bandidos), fuzilaram, numa rua movimentada e em plena luz do dia, um ancião de 70 anos, fazendeiro. Não se sabe ainda os motivos do crime. Pode ser por questões de terras ou por dívidas, segundo teria comentado um dos familiares da vítima. O que surpreende é a facilidade com que esse tipo de assassino transita no meio da comunidade. Espera-se que esta brutalidade a mais, não entre também para o rol dos que nunca são esclarecidos. Matar já é uma moleza. Com a legislação de proteção à bandidagem, então, tornou-se melhor ainda para a prática de crimes de morte. Mata-se por meia dúzia de tostões, até porque os assassinos sabem que as chances de irem para a cadeia e/ou cumprirem longos penas é tão grande quando a do Sargento Garcia prender o Zorro. Lamentável!

 

NÃO HÁ POLÍCIA PRA TANTO LADRÃO!

Mais uma operação nacional da Polícia Federal e, outra vez, rondonienses também estiveram no alvo das investigações, em Porto velho, Ji-Paraná e Vilhena. Operação que busca desbaratar um grande esquema de importação ilegal de equipamentos médicos, foi realizada em 18 Estados e 43 cidades. Equipamentos sofisticados e caríssimos, como mamógrafos, tomógrafos, aparelhos de densitometria, que custam muito caro, eram trazidos para o país com notas falsas, como se fossem equipamentos tipográficos. Tudo para escapar das tributações e, ainda, sem passar pelo aval da Anvisa, já que só ela pode autorizar tais importações. Nas três cidades de Rondônia, foram apreendidos vários equipamentos, cujas notas fiscais emitidas por uma empresa de São Paulo, que os distribuía a todo o país, tinham valores de menos de 10 por cento  do seu custo real. Mesmo com todas as mudanças que o país está passando; com a descoberta, denúncia e prisão de corruptos, a sacanagem continha grassando país afora. É tanta gente roubando, corrompendo, fazendo mutretagens, que se chega a perder a esperança de que, algum dia, conseguiremos nos livrar dessa canalhada toda. Não há polícia suficiente para prender tanto corrupto e tanto ladrão...

 

PSL/LIVRES FICA COM BOLSONARO

Muda pouco no PSL (Livres), de Rondônia, depois que o partido se reuniu para definir quantos dos seus membros aceitariam continuar na sigla, depois do ingresso nele do presidenciável Jair Bolsonaro. Tão logo o polêmico deputado que quer suceder Michel Temer e sua equipe assumiram o PSL/Livres, em vários diretórios do país houve burburinho e vozes contrárias. Em Rondônia não foi diferente. Mas, reunida no último sábado, a cúpula do partido no Estado decidiu que permanecerá nele a maioria dos membros. A principal perda foi a do jovem empresário Augusto Pellucio, que chegou a ser cogitado até como pré candidato ao Governo, como uma cara nova na política. Pellucio decidiu abandonar o projeto de integrar o partido, mas continuará sua outa pela renovação na política. Ele é um dos poucos representantes da região, participantes de projeto nacional exatamente na direção de uma total renovação da filosofia e dos nomes na política brasileira.  Mas agora o fará fora do partido que  estava liderando. Os demais integrantes da sigla, contudo, vão ficar onde estão e apoiar o nome de Bolsonaro para a Presidência, nas eleições de outubro deste ano.

 

LOURA JUNIOR E A FIDELIDADE PARTIDÁRIA

Um porto velhense ilustre, especialista em Direito Eleitoral e que, aliás, já atuou como juiz na Justiça Eleitoral do Estado, recebeu um honroso convite: Ele partiu de grandes autoridades no assunto, entre as quais o ministro Luiz Fux, do TSE e do STF. O advogado Juacy Loura Júnior foi convidado para escrever artigo que fará parte de uma obra coletiva, relacionada com profundas questões da legislação eleitoral brasileira e que será apresentada em junho próximo, durante o VI Congresso Brasileiro de Direito Autoral, que acontecerá em Curitiba, de 22 a 26 de junho próximo. O convite, assinado por Fux e por especialistas como os professores Luiz Fernando Pereira e Walter de Moura Agra, propõe que Loura Júnior escreva, usando todo o seu conhecimento na área, sobre o tema “Fidelidade Partidária: Evolução do Seu Conceito e Perspectiva”! O texto informa que o convite ao rondoniense foi feito “em razão de sua elevada estima intelectual e da grande contribuição de sua produção acadêmica, além da destacada atuação profissional com o Direito Eleitoral do nosso país. É sem dúvida uma homenagem a Rondônia e a um dos seus representantes.

 

PERGUNTINHA

Você concorda com a possibilidade, que está sendo discutida, de que o famigerado cheque especial, aquele que tem os juros mais altos do mundo, seja liberado por apenas alguns meses por ano aos clientes dos bancos?

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 19

Sérgio Pires 17/01/2018

A DITADURA BOLIVIANA, O FIM DE DIREITOS E A MÃO PESADA SOBRE O POVO

 

Circulam nas redes sociais e em toda a mídia da Bolívia, vários textos, denúncias e gravações sobre a radicalização de um sistema ditatorial, que pode começar a ser implantada no nosso vizinho, a partir dos próximos meses. Caso isso se confirme, que estejamos preparados: em breve, assim como temos uma invasão de venezuelanos desesperados nas nossas fronteiras, poderemos ver a repetição, com nossos irmãos bolivianos. O governo Evo Morales, enfim, tirou a máscara e tenta implantar um novo Código Penal em forma de ditadura, assim como muda questões importantes da Constituição. Quando a nova legislação vigorar, provavelmente no ano que vem, ela representará o fim de vários direitos da população civil. Ficará proibida, por exemplo,  qualquer manifestação, a não ser a favor do governo. Será o fim da  liberdade religiosa, abrindo uma perseguição sem precedentes a evangélicos e católicos; haverá proibição da livre circulação de cidadãos pelo país; reduzirá o direito à propriedade privada. Enfim, se implantado, o novo pacote de leis poderá transformar a Bolívia numa nova Cuba, semelhante à Venezuela. Questões polêmicas como a liberação total do aborto (abortar só dependerá da decisão da mulher) e o aumento do volume de drogas que podem ser traficadas e consumidas, com penas mínimas, também estão no novo Código. Os médicos estão ferrados. Qualquer erro poderá significar não só a perda do registro profissional, como pesadas penas de prisão e indenizações a eventuais vítimas. Há um desespero entre os profissionais da área, porque qualquer denúncia, representaria o fim de suas carreiras e de suas liberdades.

Tem mais: em casos de vítimas de acidentes trânsito, mesmo os culposos, sem intenção de matar, qualquer motorista poderá ser condenado a até oito anos de prisão, além pesadas indenizações. Jornalista que escrever o que for considerado  injúria, calúnia ou difamação (e é o governo quem vai decidir os critérios para esses casos), pode sofrer penas duríssimas. Os jornalistas terão julgamento sumário, por um tribunal ordinário, que anunciará a pena em  24 horas. A condenação pode representar cadeia em até oito anos. É sempre bom lembrar que a primeira coisa que as ditaduras fazem, quando querem dominar, é calar a imprensa. Há alguns i­­tens do novo Código Penal que parecem ser positivos, em defesa da população. Mas só parecem. Ao ignorar o amplo direito de defesa; ao impor vontade do governante de plantão; ao retirar direitos civis, a Bolívia corre o risco de mergulhar numa longa e terrível ditadura. E temos que considerar que é bem aqui, ao nosso lado. Estamos começando a ser cercados pelas ditaduras socialistas e comunistas. Os anos 60 voltaram, agora sob novas máscaras e discursos. É há os que querem fazer com o Brasil. Permitiremos?

 

 

 

INFERNO ASTRAL DA SAÚDE

Era esperada a série de problemas que o prefeito Hildon Chaves estaria enfrentando, nessa época do ano. As pesadas chuvas, as alagações, a possibilidade de nova enchente e a necessidade de obras da cidade, muito maior do que a Prefeitura consegue realizar, são fatores que não se podem ignorar, em todos os invernos amazônicos. Hildon, contudo, acabou tendo nas mãos um outro problema, gravíssimo e inesperado, mesmo depois de 13 meses no poder: a crise na saúde pública. Essa questão, nevrálgica na administração, tem tornado os dias do Prefeito de Porto Velho num verdadeiro inferno astral. Ele e sua equipe estão dando duro para tentar ao menos amenizar a situação, mas não está fácil. Com parcela dos médicos (que o próprio prefeito diz que são entre 20 por cento e 30 por cento do quadro), boicotando as ações da administração, só com muito jogo de cintura, decisões firmes e sem temor do confronto com os que não querem trabalhar direito, se poderá amenizar a crise. Claro que há médicos ruins, como ruins e incompetentes existem em todas as profissões. Mas a grande maioria trabalha direito e cumpre rigorosamente seu dever. Não dá para colocar toda a culpa nos profissionais. A Prefeitura tem é que remontar toda a sua estratégia para a saúde pública, enquanto faz as depurações necessárias. Soluções claras? Só muito mais à frente. Talvez em meses, não em semanas...

 

GENARO, CASSOL, EXPEDITO, HILDON...

Ainda sobre a Prefeitura, a grande novidade é a volta de José Genaro, o super secretário de Finanças do governo de Ivo Cassol, competente e com uma vida pública recheada de conquistas e lisuras, que será o homem das finanças da administração Hildon Chaves. Mais do que trazer um nome de peso para compor sua equipe, Hildon se aproxima do grupo de Cassol e, ao mesmo tempo, a indicação, que tem o aval de Expedito Júnior, representa, ao menos para qualquer análise do quadro político do Estado, de que o trio está começando a andar junto, em direção às eleições deste ano. Cassol, Expedito e Hildon, a nova liderança tucana, certamente andam falando a mesma linguagem, sobre a disputa de outubro. José Genaro é o elo de ligação entre eles. Além disso, o Prefeito da Capital ganha, ainda, um dos melhores e mais respeitados nomes para a área das finanças municipais. Se não houver mudança de última hora, Genaro assume a Semfaz na manhã desta quarta. Os grupos políticos começam a se formar, para a disputa deste ano.

 

NENHUMA MUDANÇA NO GOVERNO

Uma semana depois que seus assessores diretos entregaram seus pedidos de exoneração, não houve qualquer mudança, ao menos até esta terça, na equipe de governo Confúcio Moura. Nenhum dos pré candidatos (entre eles Evandro Padovani, Williames Pimentel, Ezequiel Neiva), deixaram seus cargos e nem seus substitutos foram indicados. Confúcio apressou-se a pedir que seus secretários e membros do primeiro escalão pedissem suas exonerações, para poder remontar sua equipe. Acontece que a partir de agora, quando sua pré candidatura ao Senado está resolvida e já se sabe que Daniel Pereira assumirá o governo em 5 de abril, a nova equipe certamente terá que passar pelo crivo do futuro comandante, que é quem vai governar até 31 de dezembro. Confúcio quer conversar muito com seu vice e até já avisou que fará várias exigências, antes de oficializar sua renúncia. Os dois têm um diálogo extremamente positivo e a tendência é que de haja um grande acordo, permitindo que Confúcio renuncie e Daniel assuma. Mas, nos bastidores, sabe-se que há, aqui e ali, algumas questões ainda pendentes, em relação a quem Daniel vai apoiar na disputa pelo Governo, principalmente. Será o esclarecimento dessa posição dele, a definição final sobre se o desembarque de Confúcio será mesmo efetivado. Nos próximos dias, o acordo entre ambos poderá ser selado. Mas ainda não está tudo OK...

 

 OS COVARDES DA INTERNET

“Não é terra de ninguém!”  Essa frase, no contexto de uma sentença da juíza Valdirene Clementele, de Pimenta Bueno, resume muito bem que a internet, enfim, começa a punir quem a utiliza para, imaginando-se anônimo e sem risco de punição,  atacar quem quer que seja, sempre de forma covarde. Na decisão, a magistrada determinou que o réu pague uma indenização de 10 mil reais ao presidente da Câmara Municipal da cidade, Paulo Brito Pereira, que foi o ofendido. O réu, em seu perfil, assacou várias acusações, com palavreado chulo, contra o político. Na visão da juíza Valdirene Clementele, a internet já é indispensável na vida das pessoas, porém, “deve-se ter consciência de que não é terra sem lei”. Destacou ainda que embora  não exista um diploma legal exclusivamente para tratar das relações virtuais, “aplica-se todas as regras da vida em sociedade, inclusive as de educação, etiqueta e bons modos”. O réu também foi condenado na área criminal. É um ótimo exemplo, para começar a controlar linguarudos, irresponsáveis e covardes, que, imaginando-se fora do alcance da lei, usam as redes sociais para ofender e agredir. Cadeia neles. Pesadas multas de reparação também!

 

MELHORIA NO EMPREGO

Há sim melhorias significativas na economia. Os sintomas são claros e tem se ampliado no dia a dia. Um exemplo deixa essa afirmação muito forte. O Sine, em meados do ano passado, conforme foi registrado aqui mesmo nessa coluna, passou boa parte de 2017, até perto do último trimestre, oferecendo meia dúzia de vagas aos desempregados. A coluna registrou, numa segunda-feira de agosto, que, para uma cidade de meio milhão de habitantes e milhares de desempregados, como Porto Velho, naquele dia o Sine oferecia apenas 11 vagas de emprego. As coisas mudaram, em poucos meses. Nesta última quinta-feira, dia 11 de janeiro, por exemplo, o mesmo Sistema Nacional de Emprego já mostrava outros dados, muito mais promissores. Eram oferecidos, naquela data, nada menos do que 140 empregos na Capital. A maioria ainda na área de vendas, deve-se destacar, mas havia vagas para diferentes profissionais, incluindo uma curiosidade: uma delas era para alfaiate, uma profissão que se imaginava, caminha para a extinção, como o datilógrafo e o sapateiro, entre tantas outras. O mercado começa a reagir lentamente, mas reage, O país continua tendo mais de 13 milhões de desempregados, mas a expectativa é que esse número caia muito em 2018, pelos avanços na economia. Rondônia deve seguir os mesmos passos.

 

HERMÍNIO, SEMPRE EM GUERRA!

O deputado Hermínio Coelho, que estava pensando seriamente em disputar  uma cadeira à Câmara Federal, parece que desistiu de vez do projeto e vai mesmo tentar a reeleição para a Assembleia. Um dos parlamentares mais polêmicos das últimas legislaturas, opositor ferrenho do governo Confúcio Moura (ao que parece é o único que tem enfrentado o Palácio Rio Madeira/CPA, nos últimos anos, ao menos), ele vai buscar mais um mandato, no meio do eleitorado que estaria descontente com o governo e que o considera um bom representante, para tentar continuar seu trabalho no parlamento rondoniense. Ex cobrador de ônibus, ex líder sindical, ex vereador, ex Presidente da Câmara de Vereadores e ex Presidente da Assembleia,, Hermínio é um político que se notabilizou em não ter papas na língua e de nunca abrir mão de suas convicções. Sua oposição a Confúcio Moura se acentuou quando, numa operação policial, um dos filhos do deputado foi preso, confundido com outra pessoa. O jovem ficou preso alguns dias, num dos casos de maior injustiça já praticados contra um inocente no Estado. Hermínio jamais perdoou o governo por essa situação e, por isso, não há e nem haverá diálogo entre ele e Confúcio, a quem culpa pessoalmente pelo episódio. 

 

PERGUNTINHA

Nesses tempos de crise, desemprego, violência, julgamento de Lula, confrontos ideológicos, o carnaval ainda tem o poder de dar uma pausa em toda essa confusão nacional? 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 20

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros