Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros


Sérgio Pires 09/12/2017

CADASTRO AMBIENTAL RURAL: DADOS SIGILOSOS SÃO DIVULGADOS PARA AS ONGS INTERNACIONAIS

Claro que pode ser apenas paranoia, mas que há algo podre no ar, há sim. A utilização de dados sigilosos do Cadastro Ambiental Rural (CAR), criado por legislação federal e que deveria não só proteger o meio ambiente, como também a produção e o produtor agrícola, pode estar sendo desvirtuada. Já há denúncias de que o CAR, concebido como porta de entrada do setor rural nas novas regras ambientais da Lei 12.651, tenha virado um instrumento de perseguição e punição dos produtores rurais. Quando lideranças do setor produtivo aceitaram o novo cadastro, exigiram que fossem incluídos entraves legais para que os dados fornecidos não chegassem aos bancos doe dados das ONGs nacionais e internacionais, que vivem em função dos interesses contrários ao crescimento da produção agrícola do país, incluindo as que claramente defendem os produtores de outros países, exigindo que nos mantenhamos uma terra apenas de proteção ambiental, sem concorrer com seus patrões no exterior. Os vários discursos feitos no Congresso, principalmente por uma das principais lideranças do setor no país, o senador Ronaldo Caiado, de Goiás, sempre demonstraram a preocupação de que informações extremamente sigilosas, privadas, acabassem chegando a mãos erradas, principalmente das ONGs e fossem usadas contra os interesses dos produtores rurais. Houve promessa explícita de que isso jamais aconteceria. A própria lei determina sigilo total das informações.

O que fez, contudo, o ministro do Meio Ambiente, José Sarney? Tão logo o CAR começou a receber um bom volume de informações, Sarney Filho não levou em consideração os entraves legais para evitar que as ONGs acessem os dados e determinou a publicou das informações na Internet. Sites de defesa da produção publicam protestos veementes contra isso, mas a União continua ignorando a posição dos produtores e mantendo a divulgação pública dos dados. Mas tem mais. Também fora do acordo, as informações, que deveriam ser sigilosas, estão sendo repassadas ao Ministério Público Federal, Ibama e as ONGs, segundo lideranças do setor, “correndo o risco de alimentar ainda mais a guerra santa contra os produtores e a tentativa de demonizá-los” segundo um porta voz do setor. As informações também estão chegando ao sistema da Receita Federal. É desse jeito que o agronegócio brasileiro, o que mais cresce e o que mantém ainda nosso PIB num nível que não seja de recessão, é tratado pelas autoridades do nosso país, que deveriam protege-lo e incentivá-lo. Aqui, no nosso meio ambiente, mandam a ideologia e as ONGs, principalmente as internacionais. Os produtores, que caíram na pegadinha do CAR, estão de cabelos em pé. Espera-se que o assunto seja tratada com a seriedade que merece e que prevaleçam os interesses nacionais. E não os das ONGs...

 

 

MAIS UM VIADUTO PRONTO

A inauguração deveria ter sido na sexta, mas a agenda do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, não permitiu. Por isso, ele virá nesta segunda pela manhã, acompanhado de autoridades rondonienses (a bancada federal em peso, pessoal do Governo do Estado e da Prefeitura da Capital), para comandar a solenidade de inauguração do viaduto sobre a BR 364, na saída para a Três e Meio, ligando definitivamente e de forma segura, a zona sul de Porto Velho à cidade. Foram anos, até que a obra pudesse finalmente ser entregue. Uma série de problemas e paralisações por longos períodos, privaram a Capital de um viaduto tão importante para melhoria do seu sistema de trânsito, mas, até que um dia, tudo foi concluído. Certamente os motoristas vão demorar alguns dias para entender o novo sistema, mas sem dúvida a ligação com a zona sul será extremamente melhorada. Com isso, o Dnit dá mais um passo importante para concluir o sistema de complexo de elevadas e viadutos de acesso à cidade. Fica faltando agora a elevação da BR 364, na altura da Campos Sales, na região do Pronto Socorro João Paulo II, para que os dois viadutos ainda sem utilidade, sejam enfim concluídos. Esperemos que o sejam o mais breve possível. Do início das obras viárias na Capital, com o complexo de viadutos, já se passaram oito anos.

 

CARRO ZERO, DIAMANTES E GÁS...

As fotos nos sites dos grandes jornais e até nas redes sociais deixam o brasileiro desconcertado: pobres tentando cozinhar seus parcos alimentos em fogões a lenha improvisados. O número de pessoas queimadas em Pernambuco saltou, nas últimas semanas, porque os mais pobres começaram a usar álcool para cozinhar e muitos acabaram sofrendo queimaduras graves. As charges mostram botijas de gás, nas vitrines, ao lado de caros de luxo e diamantes. Uma vergonha. O preço da botija saltou quase 70 por cento, enquanto o governo brasileiro “comemora” a menor inflação dos últimos anos. Claro que a inflação caiu em vários setores, até pela recessão. O tomate despencou de preço. O leite também. Mas a gasolina e o gás, que influenciam muitos outros custos, parece que têm suas altas pornográficas ignoradas pelos economistas que calculam os índices inflacionários. A coisa ficou tão séria que o governo foi obrigado a recuar e anunciou novos sistema de cálculos para o reajuste do gás de cozinha, uma alta vergonhosa, que afeta a vida de milhões de brasileiros. Vamos ver se essa promessa será mesmo cumprida ou o se é apenas mais uma conversa fiada, para enrolar trouxa, como têm sido tratado o povo brasileiro há décadas.

 

CONFÚCIO E A RECEITA FEDERAL

Até pode não se gostar do governador Confúcio Moura e do seu governo, mas há coisas que ele tem feito que, realmente, dão a ele uma caraterística diferente da média, pela criatividade. Dias atrás, outro exemplo disso ocorreu. Confúcio conseguiu, junto à poderosa Receita Federal, uma parceria realmente produtiva e importante ao Estado. Numa reunião com Jorge Rachid, o homem forte da Receita, ficou acertado que produtos apreendidos país afora (máquinas, implementos agrícolas, produtos de informática, roupas e outros materiais), poderão ser doados ao Instituto Abaitará, que atende alunos indígenas, oriundos de quilombolas e filhos de agricultores. Tudo virá de graça. Em troca, o Estado colocará na planilha dos estudantes do Abaitará uma matéria sobre educação fiscal. Pode-se dizer: ué, mas uma coisa tão simples, qualquer governo pode fazer. Por que então não o fizeram? Rondônia fez. E os bons resultados em breve serão conhecidos. Confúcio pode até ser meio poeta, mas quando age, como o fez no caso da Receita Federal, o faz diferente e bem feito.

 

TAMBÉM VAIARAM O AÉCIO?

As principais lideranças do tucanato rondoniense participaram, neste sábado, da convenção do partido, que escolheu, quase que por unanimidade  (faltaram quatro votos), Geraldo Alkmin como o novo presidente nacional. É também o virtual nome do PSDB para a Presidência, em 2018. A presidente regional Mariana Carvalho; o prefeito Hildon Chaves; o ex senador Expedito Junior, um dos principais nomes do partido no Estado, junto com o presidente municipal, Lindomar do Sandubas, estiveram no encontro. Não se sabe, porque ao menos publicamente ninguém falou, se o grupo dos tucanos de Rondônia participou do momento mais comentado da convenção: a tremenda vaia que a militância do partido deu no seu ex antes todo poderoso, Aécio Neves, que agora caiu em desgraça. Por única e exclusiva culpa dele mesmo, diga-se de passagem. O PSDB também decidiu apoiar totalmente a Reforma da Previdência e outras iniciativas do Presidente Temer, mesmo depois de desistir desembarcar do governo. Logo depois da convenção, o grupo tucano voou de volta para Porto Velho.

 

O DINHEIRO SUJO

Bomba! A revista Veja está circulando com uma denúncia de tal gravidade que, se comprovada mesmo, mais à frente, pode acabar de vez com a carreira do ex presidente Lula e até comprometer a existência do Partido dos Trabalhadores. Delação premiada do ex ministro Antônio Palocci, teria documentos e provas em abundância de que tanto Lula quanto seu partido receberam 1 milhão de dólares do ex ditador líbio Muammar Kadaffi, para a campanha eleitoral de 2002, quando o petista foi para o segundo turno contra o tucano José Serra e venceu a eleição.  O próprio Palocci teria recebido a missão de trazer o dinheiro para o Brasil e apagar todos os vestígios. A Veja destaca que a legislação brasileira não admite qualquer tipo de apoio financeiro a candidatos ou partidos políticos, ainda mais na disputa pela Presidência e uma fato desses, se comprovado, poderia significar o cancelamento do registro do PT, como partido e duras punições legais contra Lula. Palocci está preparando uma série de denúncias contra seu ex companheiro, com quem rompeu. A coisa é tenebrosa, como, aliás, muitas coisas que envolvem a passagem pelos petistas pelo poder.

 

MENOS DISCURSO, MAIS AÇÃO...

Enquanto não sair do papel e do discurso a entrega de documentação definitiva de terras em Rondônia, as mortes no campo vão continuar. Em Candeias do Jamary, nesta semana, mais um morto e dois feridos, além de tiroteio e carros incendiados. Foi num local conhecido como Flor do Amazonas II. Invasores e outro grupo que se diz dono da terra entraram em conflito pela enésima vez. Em várias outras regiões do Estado, os confrontos são iminentes, porque não há ações rápidas para a regularização fundiária, tão decantada em tantos discursos. O problema é grave em todo o país e há a promessa de que, daqui para a frente, a entrega de documentos de propriedade cresça muito, até pela nova legislação que dá aos Estados o poder de regularizar suas terras. O problema é o de sempre: burocracia, lentidão, falta de estrutura. Quanto mais demora a solução definitiva para o assunto, mais riscos de mortes e confrontos. Não está na  hora de resolver de vez esse grave problema de Rondônia e, na verdade, em todo o país?

 

CASA DE PASSAGEM

Nosso Natal e o Ano Novo podem ser mais apavorantes do que já se podia imaginar. Neste final de semana, pelo menos 12 perigosos bandidos fugiram do Presídio 470 em Porto Velho, mais um dos prédios que poderiam ser chamados de hotel de alta rotatividade ou apenas de casa de passagem para a bandidagem. A facilidade com que eles conseguem fugir, tanto na Capital como em Ariquemes e outras cidades rondonienses é algo que mereceria um estudo mais aprofundado. Não é possível que com tanto agente penitenciário, com tanto policiamento, com toda essa gente contratada exatamente para impedir a fuga dos bandidos, eles consigam sair das cadeias com tanta facilidade. Aliás, sabe-se que já foi pedida, há bastante tempo,  uma investigação mais profunda do Ministério Público, sobre essa moleza dos presídios em saírem das cadeias, mas ou ela está sendo feita em total sigilo ou simplesmente não está ocorrendo. Só nos primeiros onze meses de 2017, a PM recapturou nada menos do que 2.200 foragidos. Outros tantos sumiram.  Então, MP e demais autoridades deste Estado: vamos ver o que está acontecendo?

 

PERGUNTINHA

C

om todo o dinheiro que está sendo liberado para os políticos, para que votem a favor da Reforma da Previdência, será que ao menos uma parte chegará às comunidades brasileiras ou tudo ficará pelos mesmos bolsos de sempre?

            

 

Banner de Divulgação 1

Sérgio Pires 08/12/2017

TIRIRICA FOI BEM ATÉ A 25ª HORA: DAÍ, CAIU NO ÚLTIMO SALTO TRIPLO CARPADO

“Não tem nenhum nome assim, que mereça. Mas eu vou votar no Lula. Ele foi o melhor Presidente do Brasil, ao menos para os pobres, nos últimos tempos”. O repórter pergunta: “Mas mesmo ele sendo condenado a nove anos de prisão?” Resposta: “ah, se ele for condenado, não pode ser candidato, né? Dai fica complicado. Eu acho que ele foi o melhor Presidente, mas você vem falando aí sobre esse negócio de processo, daí fica complicado, né?” O diálogo faz parte de uma entrevista do deputado federal Tiririca, logo depois de ter feito seu primeiro e único pronunciamento, anunciando que não se candidatará à reeleição e abominando o mundo político brasileiro. Falou exatamente o que a maioria do povo gostaria de fazer: esculhambou com a atual podridão no Congresso. Disse verdades que o brasileiro comum queria dizer, caso pudesse ir aos microfones do parlamento. O problema de Tiririca é o de muita gente como ele: de um lado, fala duro contra a corrupção e roubalheira; sobre a preocupação da classe política consigo mesma; sobre o “golpe”; de outro, perdeu a memória sobre a roubalheira que assolou o Brasil, comandada por Luiz Inácio Lula da Silva e sua turma. Boa parte da mídia brasileira, dominada pela esquerda, fez um estardalhaço sobre o pronunciamento de Tiririca, que arrasou com a tradicional e incompetente classe política do país. Poucas linhas, contudo, sobre o contrassenso de defender a pureza, a qualidade da representação popular, a busca do novo para corrigir os erros do passado e, ao mesmo tempo, dizer que vai votar naquele que é chamado de chefe da maior quadrilha que assolou os cofres públicos da Nação em toda a sua História.

Tiririca foi eleito com 1 milhão e 300 mil votos e reeleito com 1 milhão e 100 mil votos não por sua inteligência, criatividade, liderança. Nada disso. Foi uma gozação do eleitorado, um protesto bem humorado, um deboche à tradicional política. “Com Tiririca, pior não fica!”, dizia ele, no seu famoso mote. Um dos humoristas mais queridos do país, ele foi para o parlamento como um arremedo. Saiu-se bem, no geral. Foi um dos mais assíduos, apresentou um ou outro projeto beneficiando sua categoria, mas, é claro, não teve um só momento de relevância em benefício do país. Foi coerente quanto votou pelo impeachment de Dilma (como o fez, exigindo punição ao Presidente, nas duas vezes em que a Câmara negou autorização de processo contra Michel Temer). Tiririca foi bem até a 25ª hora. No final, deu o tiro de misericórdia na sua retidão: disse que votaria num ladrão, como dizem nas pesquisas que vão fazer milhões de outros alienados do país. Uma saída quase perfeita, mas uma queda feia, que esculhambou tudo, no último salto triplo mortal carpado,  como se diria na linguagem dos ginastas. 

 

 

ENFIM, FAZ-SE A LUZ....

Finalmente o Natal começa a chegar em Porto Velho. Nesta sexta, a superestrutura do Palácio do Governo (Rio Madeira/CPA), com a iluminação que encantou a cidade nos últimos anos, será apresentada ao público novamente. A noite terá música, festa e muita luz, com aquela  decoração que deixa o público encantado. Solenidade será no final da tarde, com a presença do governador Confúcio Moura e inúmeras autoridades. Outra boa noticia é que a Prefeitura de Porto Velho, que tinha decidido investir muito pouco na decoração da Capital, voltou atrás e escolheu onze dos principais pontos para colocar a iluminação natalina. Locais como a Praça de Ferro Madeira Mamoré, o Viaduto da Três e Meio (que será inaugurado oficialmente nesta segunda); o Mercado Cultural, o Prédio do Relógio e as três principais avenidas comerciais de Porto Velho (Sete de Setembro, Jatuarana e José Amador dos Reis), serão decorados e iluminados. Toda a equipe da Emdur vai se envolver no projeto, que será concretizado nesta final de semana. Enfim, uma boa notícia sobre o embelezamento da nossa cidade, que anda tão feia...

 

A VOLTA DE CHAGAS NETO

O nome dele está ligado à História de Rondônia, principalmente na área da habitação. Foram mais de 20 mil famílias beneficiadas, em 27 conjuntos habitacionais, um dos quais entregues totalmente de graça para mais de 2.200 famílias, em Porto Velho. Foi assim que nasceu o bairro Marcos Freire. Deputado Constituinte e líder do setor da construção civil, o que mais emprega, Chagas Neto está se preparando para retornar à vida pública. Ele conta a Sérgio Pires seus planos e relembra parte da sua história, que se confunde com a do crescimento de Rondônia, no programa Direito ao Ponto desta semana. A atração da Record vai ao ar neste sábado, a partir das 10h30 da manhã, simultaneamente na Record News, TV aberta, Canal 31; na SKY, Canal 331 e na Claro TV, Canal 441.1. No domingo, a íntegra da entrevista pode ser vista no site Opinião de Primeira, um dos mais respeitados de Rondônia. Não perca a entrevista exclusiva de Chagas Neto, que passou pela política e saiu com seu nome ilibado e que quer retornar a ela, como deputado estadual.

 

EMANCIPAÇÃO VOLTA À PAUTA         

Emancipações e criação de novos municípios será pauta prioritária no início do ano que vem, na Assembleia Legislativa do Estado. A Ponta do Abunã, que já decidiu por plebiscito se emancipar há vários anos e o distrito de Tarilândia, em Jaru, são as duas localidades que querem que o tema volte ao debate. Há quase uma década os distritos, um localizado na fronteira com o Acre e outro na região central do Estado, estão aptos a se tornarem municípios. Nunca o conseguiram, porque a decisão final depende de Brasília e os pedidos desesperados de emancipação têm sido ignorados. Nesta semana, o presidente Maurão de Carvalho já marcou audiência pública na Ponta do Abunã, para março próximo, quando o tema voltará à pauta principal do parlamento rondoniense. Um dos líderes da mobilização pela emancipação de Extrema e da Ponta do Abunã, Aparecido Bispo, informou ao presidente Maurão que o relator do projeto de lei sobre o assunto, em tramitação no Congresso, o deputado Carlos Gaguim, do Tocantins, estará presente ao encontro de março.

 

SERÁ PURO VANDALISMO?

Há algo incompreensível em relação ao roubo de fios em Porto Velho. Mesmo que a Prefeitura tenha trocado  os valiosos fios de cobre por alumínio, que não tem praticamente nenhum valor comercial, a roubalheira continua. Uma fonte da Prefeitura diz que um dos principais problemas se relaciona com “noiados”, dependentes de drogas que arrancam os a estrutura da iluminação pública para vender e fazer algum dinheirinho para sustentar o vício. Outro problema é a falta de resultados das investigações policiais. Obviamente que não existam tantos locais onde esse material possa ser vendido. Ou seja, o número de receptadores deve ser bem restrito. A questão é que já foi roubada toda a fiação da área urbana da BR 364 (duas vezes) e todos os dias, mal a Emdur coloca os fios, eles já são furtados. Por incrível que pareça, nem os ladrões e nem os receptadores são presos. Nas últimas semanas, vários contatos entre Prefeitura e Polícia já foram feitos, no sentido de que se intensifiquem as investigações. E, no final de tudo, ainda fica uma duvida: sem valor comercial, por que os ladrões estão agora levando o alumínio? Será por puro vandalismo? A polícia tem obrigação de responder esses questionamentos o mais breve possível.

 

“DICAS” ÀS PESSOAS DE BEM

Houve tempo no Brasil que bandido tinha medo de polícia. Tinha que ter coragem para agir, sabendo que corria o risco de ser pego e, quando pego, pegar longo tempo de cadeia. Mas isso, lamentavelmente, foi num passado longínquo, quando havia  separação clara da lei entre cidadãos de bem e criminosos. Hoje as coisas mudaram.  Como não tem gente suficiente e muitas vezes nem armamento para enfrentar os bandidos, além, é claro, de ter que enfrentar a dura fiscalização dos defensores dos direitos humanos dos delinquentes, a polícia tem que partir para “orientações” à população.  Nos útimos anos, quando chega o período das festas natalinas e quando há mais dinheiro na praça, ao invés de tirar os bandidos das ruas, as polícias partem para dar “dicas” aos cidadãos, sobre os cuidados que devem ter para se proteger, nas ruas, hoje dominada pelo crime e não pela lei defensora das pessoas de bem. Repete-se tudo de novo: muito cuidado ao sair do banco; muito cuidado para não deixar seu carro aberto; olho aberto em motoqueiros perto de bancos; não viajar sem deixar alguém cuidando do que é seu.  Prender bandido que é bom...

 

AMEAÇANDO AS TESTEMUNHAS

Usando métodos cruéis, sempre bem armados, bandidos andam atacando escolas. Nesta semana, dois criminosos atacaram a Escola Broto do Açaí, na zona sul da cidade. Ali estavam crianças de quatro anos para cima, quando o bandido, surpreendido por um vigia, atirou quase à queima roupa, ferindo o guarda e por pouco não o matando. Preso poucas horas depois, o criminoso está sob prisão preventiva, mas pode ser solto a qualquer hora. Por que? Ora, por que familiares do criminoso andam rondando a área do educandário, ameaçando professores e funcionários para que não reconheçam o bandido e para que ele possa ser solto. Isso numa escola. Isso em Porto Velho. Isso em pleno século 21. Não parece uma daquelas histórias do Velho Oeste, onde pistoleiros ameaçavam testemunhas? Ou do grupo organizado nas favelas do Rio, onde os traficantes dizem quem pode falar e quem não pode? O vereador Aleks Palitot fez a denúncia, colocou sua equipe para tentar ajudar a escola, mas mais que isso não pode fazer. Naquela região da cidade, tem uma família de malfeitores que manda e desmanda, Quem sabe um dia desses a polícia não fica sabendo disso e vai lá acabar com essa vergonhosa situação?

 

PERGUNTINHA

Você tem coragem de sair às ruas, nessa época de final de ano,  depois de todas as orientações da polícia, para que tenhamos cuidados com os bandidos soltos por aí?

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 2

Sérgio Pires 06/12/2017

JOÃO GONÇALVES, DE JARU, É O PREFEITO MELHOR AVALIADO NO PAÍS

Uma nova pesquisa,  feita em todos os municípios do Estado por empresa especializada, têm a maioria dos seus resultados, ao menos por enquanto, guardados a sete chaves. O colunista teve acesso a apenas alguns dados. O principal deles, interessa diretamente ao Governo de Rondônia. Os índices de aprovação da administração de Confúcio Moura continuam extremamente altos. Chegam, na soma de ótimo e bom, a nada menos do que 79 por cento das opiniões dos entrevistados. Uma melhoria acentuada na qualidade da saúde; o controle das finanças o pagamento em dia dos salários do funcionalismo e, mais em destaque que tudo, o apoio ao agronegócio, que impulsiona a economia do Estado, foram fatores lembrados para se chegar a esse número tão positivo. Na corrida pelo Governo, Ivo Cassol continua à frente. Maurão de Carvalho e Acir Gurgacz também aparecem bem no levantamento, mas com números semelhantes às pesquisas anteriores. Outros nomes eventualmente citados como prováveis na corrida pelo governo, ficam ainda em patamares pequenos. A exceção é Expedito Júnior, que tanto para o Senado quanto para o Governo (mais no primeiro do que no segundo), é destaque entre as opções do eleitorado. Em relação às últimas pesquisas feitas, Expedito teve performance menor. Explicações: a indecisão se vai concorrer em um ou outro cargo e o distanciamento temporário da mídia, nas últimas semanas. Entre os prefeitos, Rondônia tem o melhor avaliado do país, sem qualquer dúvida. Com 81 por cento de aprovação, o jovem João Gonçalves, de Jaru, é “o” cara, na administração municipal. Destaca-se também nesse contexto dos caras novas da política, o prefeito de Ariquemes, Thiago Flores. Entre os mais conhecidos, Jesualdo Pires, de Ji-Paraná, aparece em grande destaque.

Há muitos outros dados da pesquisa, que estão ainda sendo analisados. Poucas informações há sobre outras questões abordados. Mas há um fator importante, que precisa ser destacado. Mais de 45 por cento do eleitorado ainda não pensa nos candidatos ao Governo e só irá se definir no ano que vem, quando a campanha começar de verdade e todos os nomes estiverem postos. Por enquanto, a pesquisa é só um retrato do momento. Pouco mudou das últimas que foram feitas durante este ano. A consolidação do governo de Confúcio Moura, que está chegando ao final do segundo mandato com aprovação excepcional merece destaque. Afora isso, o eleitorado rondoniense tem se mostrado tradicional, ao apontar suas preferências para a escolha do sucessor. Já em relação aos Prefeitos, uma mescla de caras novas com gente experiente deixa claro que o que importa ao cidadão não é a cara do sujeito, mas a qualidade do trabalho que ele entrega à coletividade. Em breve tem mais informações sobre a pesquisa...

 

 

STF DECIDE SOBRE CASSOL

Por falar em Ivo Cassol, a quinta-feira poderá ser decisiva para ele. O STF julga os últimos embargos e, segundo vários especialistas no Direito, há chances muito grandes de que, ao final da sessão (caso ela ocorra mesmo), o senador e ex governador sairá com a autorização legal de concorrer em 2018. Líder em todas as pesquisas, mesmo com sua situação jurídica bastante complicada, caso possa sair mesmo para a disputa, sem mais entraves legais, o ex prefeito de Rolim e ex governador vai entrar de corpo e alma na campanha, a partir de março. Ouve-se nos bastidores inclusive que ele já teria um nome para compor sua chapa: o do ex prefeito e ex deputado federal Carlos Magno. Essa informação, contudo, ainda não é oficial. A eventual entrada de Cassol, caso ocorra mesmo a liberação pelo STF para que ele concorra, muda bastante o quadro da sucessão no Estado. Expedito Júnior, por exemplo, só entraria na briga pelo Governo caso Cassol não entrasse na disputa. Ele iria, nesse caso, concorrer ao Senado, aí sim numa disputa sensacional contra Confúcio Moura, Valdir Raupp e até o professor Aluízio Vidal, líder nas pesquisas da Capital, pelas duas vagas senatoriais. O 2018 que vem aí promete!.

 

PREJUÍZOS AO EJA

A militarização da Escola Claudio Manoel da Costa, na zona Leste, decidida pelo governo do Estado, está causando discussões e pressões, coisa, aliás, que nunca era feito pela comunidade, quando a escola era dominada pela marginalidade, por minoria que apavorava a todos os frequentadores e até professores. A única questão muito razoável e que merece sim ser extremamente debatida, é a que se refere ao risco de que grande número de estudantes do EJA (ensino para jovens e adultos, noturno), possam ficar sem onde estudar, caso a escola seja mesmo fechada à noite. Pelo menos 700 pessoas, de várias idades, estudam no EJA, na Cláudio Manoel e correm o risco de ficarem sem estudo, caso não seja tomada alguma medida nesse sentido. Nessa semana, membros da comunidade e da Escola foram à Assembleia,, pedir apoio ao presidente Maurão de  Carvalho e aos deputados Léo Moraes e Hermínio Coelho, para pressionarem o Governo a cancelar o decreto de criação do sistema de administração militar na Claúdio Manoel. O assunto ainda vai render muitos debates, até que tudo seja definido.

 

QUER DIZER QUE NÃO HÁ INFLAÇÃO?

Em um ano, a energia elétrica no Brasil deu um salto no seu custo ao consumidor. A botija de gás, em poucos meses, saltou para aumentos na ordem de mais de 51 por cento. Em Porto Velho ainda é vendido próximo a 65 reais, mas está prestes a aumentar de novo. A gasolina sobe toda a semana. Já está andando célere para a faixa dos 5 reais, coisa aliás que já aconteceu no nosso vizinho Acre. Claro que há produtos alimentícios que baixaram de preço e outros, de consumo, que não subiram ou até tiveram deflação. Mas, e daí? Como a população vai acreditar numa inflação de apenas 3%, alardeada pelo Governo? Esses aumentos absurdos em produtos que influenciam toda a estrutura da economia (afetam, por exemplo, o custo do transporte de mercadorias, tanto internamente nos Estados, como no sistema interestadual), não têm incidência pesada sobre os índices inflacionários? Não precisa ser economista para se compreender que há alguma coisa muita errada com os índices oficiais da inflação, que, obviamente, podem até ser tecnicamente corretos, mas estão ignorando altas importantes no contexto do custo de vida. Estão, outra vez, dando a nós, o povo brasileiro, o título de Zé Mané! Como sempre!

 

CONFUSÃO NA SEMFAZ

Não é moleza ser secretário do prefeito Hildon Chaves. O homem é dureza. Já trocou uma dezena de assessores diretos. Embora esse seja o quadro real, não foi Hildon quem decidiu mudar o comando da secretaria da Fazenda. A verdade é que, numa linguagem popular, quebrou o pau entre o agora ex titular da Semfaz, Luiz Henrique Gonçalves e sua adjunta, Sandra Madeira.  Nem o Prefeito quis dar mais detalhes sobre o assunto, durante entrevista à SIC TV, na noite dessa quarta. Apenas lamentou que ambos tem pedido exoneração (foi em caráter irrevogável) e elogiou os dois como excelentes profissionais. Tanto Luis Henrique quanto Sandra voltam às suas funções normais, já que são servidores do quadro da Prefeitura. Interinamente, assume a Semfaz o cada vez mais poderoso (aliás, por merecimento), Luiz Fernando Martins, que acumula a secretaria geral da administração municipal. O assunto que causou a mudança das duas principais cabeças da Semfaz, uma secretaria nevrálgica e onde Hildon Chaves pretendia impor várias inovações e melhorias, é tratado com muito cuidado, a tal ponto do Prefeito, na entrevista que concedeu ao repórter Eduardo Kopanakis, ter dito que não iria falar mais sobre o tema “para não colocar mais gasolina no fogo!”

 

WALTENBERG COMANDA O TJ

Tem posse no comando do Judiciário rondoniense nesta quinta. O desembargador Walter Waltenberg Junior, uma das vozes mais respeitada da Justiça do nosso Estado, assume  a presidência do Tribunal de Justiça. O desembargador Renato Mimessi será o vice presidente e o também desembargador José Ribeiro da Luz é o novo Corregedor Geral de Justiça. A cerimônia  que ocorrerá a partir das cinco da tarde, no Tribunal Pleno, no 5º andar do edifício-sede. Ainda no contexto da nova direção do TJ, como diretor da Escola da Magistratura de Rondônia tomará posse o desembargador Marcos Alaor Diniz Grangeia. O juiz Guilherme Baldan será reempossado como vice-diretor. O mandato vai até o final de 2019. Também assumem desembargadores Raduan Miguel Filho e Daniel Ribeiro Lagos como novos membros do Conselho da Magistratura. Na solenidade, o desembargador Sansão Saldanha fará um balanço das atividades do Judiciário durante seu mandato, que foi, como desde há muitos anos, extremamente positivo. O Judiciário de Rondônia é um dos mais respeitados do país. Certamente sob o comando de Walter Waltenberg será ainda mais...

 

OS DECENTES PAGAM A CONTA

Na cara de pau, pelo menos meia dúzia de empresas madeireiras de Candeias do Jamari furtavam energia elétrica, trabalhando a pleno vapor, através de ligações clandestinas e que representam perdas muito dinheiro aos cofres da Eletrobras Rondônia, também conhecida como Ceron. Em nível estadual, a Eletrobras tem prejuízos que ultrapassam 140 milhões de reais ao ano, apenas com os “gatos”, apelido dado às ligações clandestinas. Pior fica para o pobre consumidor que paga religiosamente suas contas de energia. O prejuízo de mais quase 140 milhões de reais apenas em nosso Estado, acaba sendo pago por quem é correto e usa dentro da lei a estrutura de energia. Na hora de formar o preço final, os quase 40 por cento que são desviados através dos “gatos”, como o fazem milhares de consumidores e inúmeras indústrias, como o faziam as madeireiras de Candeias, são colocados na balança. Alguém tem que pagar pelo prejuízo. E adivinhe quem paga? Isso mesmo, o cidadão comum, trabalhador, que não comete crimes e que é decente. Sobra sempre para esses, pagar a conta da sacanagem e da falcatrua.

 

PERGUNTINHA

Quantos políticos, incluindo aí algumas das figuras mais importantes e poderosas da República, sentiram tonteira, boca seca, tremedeira e tiveram princípio de diarreia, ao se encontrar com o Juiz Sérgio Moro, num evento dessa semana, em São Paulo?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 3

Sérgio Pires 06/12/2017

PÁGINA DA TRANSPARÊNCIA FALA DE MUITOS MÉDICOS NOS POSTOS E NA UPA. ONDE ELES ESTÃO?

Claro que a saúde pública é e continuará sendo, durante anos, o calcanhar de Aquiles da administração pública, em todos os níveis. Na maioria dos casos, o problema é de gestão, porque dinheiro tem. As dificuldades são imensas, a começar por uma afirmação que poucos gostam de fazer: o brasileiro é um povo doente. A procura é sempre muito, mas muito maior que a oferta! O problema é que os números de pessoas atendidas, no geral são tão pífios, ante a enorme necessidade, que esse calcanhar para já ter sido atingido por várias flechadas. Uma citação apenas: há quem espere 10 anos por uma cirurgia. Precisa dizer mais? Afora isso, o povo está mais esperto, para fiscalizar, aprendendo a buscar informações junto às redes sociais, para saber o que está realmente havendo. A saúde do Estado melhorou sim, embora longe do ideal. Mas o mesmo não se pode dizer da municipal, em Porto Velho. Mesmo com todo o dinheiro investido, com todos os gastos, com projetos e alguma estrutura, a saúde não sai do lugar. Falta de gestão? Também. Mas um porto velhense atento trouxe à coluna dados que se impõem discutir, porque ele pesquisou e ficou pasmo. Por exemplo: na Página da Transparência, da Prefeitura, há a informação de que a Policlínica Ana Adelaide tem 36 médicos para atender ao público. A UPA da Zona Leste tem outros 26. Onde estão esses profissionais? Na Ana Adelaide, desde o governo de Roberto Sobrinho, a qualidade do atendimento despencou. Era ali o protótipo da qualidade do serviço de saúde da cidade.

Ganha um prêmio quem encontrar ao menos parte destes 36 médicos que, segundo a Transparência, estão lotados naquela unidade. E a UPA da Leste? Cadê os 26 médicos? Neste final de semana, por exemplo, na maioria do tempo havia apenas um profissional de plantão. O que está acontecendo? A Prefeitura não está pagando corretamente seus médicos? Se não está, eles devem ir correndo à Justiça, buscar seus direitos. Mas se estão recebendo certinho, é a população que tem que cobrar fiscalização, dureza, comprometimento e até a substituição de profissionais que eventualmente não estejam cumprindo seus compromissos e seus plantões. Não há outra alternativa.

 

 

 

HORA DE FALAR A VERDADE

As deficiências da saúde pública são formadas por um pacote imenso de desrespeito, lava mãos, “os outros é que resolvam”,  “já fiz a minha parte” e a “culpa é de quem administra”. Tudo isso é correto se dizer, mas é importante também que os profissionais, contratados e pagos, cumpram seus compromissos religiosamente. Não é possível que apenas alguns o façam. De parte da Prefeitura, está na hora de começar a falar com clareza o que está acontecendo e porque não há fiscalizando e dura cobrança, até porque nenhum dos seus contratados está fazendo favor ou um trabalho gratuito. Todos ganham e ganham bem. E se não ganham, logicamente que o correto é deixar o lugar para quem quer fazer o trabalho corretamente. São só os médicos os culpados? Claro que não. Mas quando uma unidade de saúde tem 36 profissionais recebendo e a boa parte  deles não é encontrada no trabalho, alguma coisa está muito errada. E quem achar ruim, que faça como o porto velhense que fiscaliza: vá à Página da Transparência da Prefeitura e verá que se está falando claramente a mais pura verdade.

 

O BRASIL DOS OUTROS

Fazer as coisas certas, é obrigação dos outros. Lutar contra a corrupção é coisa dos outros. Tudo deve ser justo e correto, mas para os outros. Levar vantagem é isso. Muitos brasileiros vão  às redes sociais, na base da hipocrisia, alardear seu protesto contra a podridão que tomou conta do país. Por culpa dos outros. É inacreditável esse sentimento que domina a maioria das pessoa. Em Porto Velho, ocorreu um exemplo desses, nesta semana. Mãe de uma Miss (dessas que abundam em concursos que escolhem todo o tipo de representantes, todos de olho num dinheirinho), exigiu, publicamente, que a secretária Ivonete Gomes, dos Esportes, conseguisse um patrocínio, com dinheiro público, para que a filha dela representasse Rondônia num desses concursos que inundam as colunas sociais e que, é claro, jamais devem ser regados a verbas públicas. Quem quiser participar, que o faça, mas às suas custas ou de patrocínios privados, senão os cofres públicos viveriam só para abastecer essas coisas. Mas exigir publicamente dinheiro público, para estadia e passagens de uma “Miss”, tirando-o de projetos sociais, onde cada centavo é vital, daí já é demais. A secretária Ivonete não aguentou e deu uma dura na mãe pedinte. Com toda a razão!

 

O BASA E A ENERGIA SOLAR

A partir de 2018, o FNO, o Fundo Constitucional do Norte, começará a financiar projetos de pessoas físicas para instalação de placas de energia solar em suas casas. Isso vai beneficiar milhares de pessoas que pagam preços exagerados pela energia que consomem e a terão barata  e de qualidade, com investimentos baixos, tudo financiamento pelo Banco da Amazônia, via FNO. Há, neste contexto, um outro enorme benefício. A energia que não for consumida pela residência onde o sistema é implantado, por ser comercializada, ou seja, ter energia solar em casa, além de diminuir muito o custo do consumo, ainda pode se tornar uma renda extra. O empresário Kruger Darwich, um dos pioneiros da implantação da energia solar em Rondônia, através da empresa Eletrowatt Solar (contato pelos fones 99903 2212 e 99219 90050), comemora a inovação. Kruger batalha há longo tempo para que esse tipo de energia, abundante, pura e sem qualquer agressão ambiental chegue nas empresas, na zona rural e nas residências urbanas. Com o financiamento do BASA, a juros baixos, a inovação pode dar um salto no Estado e em toda a região norte.

 

NÃO MAIS QUE 600 ANOS

“Se a Humanidade não se tornar uma espécie espacial nos próximos cinco séculos, talvez seja extinta. O crescimento populacional e o aumento do consumo de energia transformarão a Terra em uma bola de fogo até 2600. Por isso, é imprescindível desenvolver tecnologias que possibilitem a colonização de um outro planeta com a maior urgência possível, para que a Humanidade possa sobreviver”. As palavras de Stephen Hawking, o cientista mais respeitado do mundo, assustaram todos os participantes de um evento sobre o futuro do Planeta, na China. Ele foi mais longe e sugeriu a busca do Planeta Ross 128 b com o 'novo lar' para os terráqueos. De acordo com Hawking, há várias ameaças para a humanidade que podem provocar a extinção da nossa espécie, tais como as alterações climáticas e a superpopulação. O supercientista, de 75 anos, que criou a Teoria do Buraco Negro e, mesmo com uma doença degenerativa irreversível, é uma das figuras mais respeitadas do Planeta, na sua área, anda muito pessimista em relação à Terra.

 

O 5º BEC ATACA NA ZONA LESTE

Prefeitura e 5º BEC formalizaram convênio, semana passada, para obras de infraestrutura e asfaltamento de mais de 27 quilômetros, nos bairros Mariana e uma parte menor no São Francisco. O prefeito Hildon Chaves comemorou, via redes sociais, o início dos trabalhos, que devem durar cerca de dois anos e transformar para muito melhor a vida da comunidade de toda a região. Há ainda um aspecto muito positivo nesse contexto: obra do 5º BEC é sempre obra de qualidade. Cada vez que as equipes do Exército atuam em frentes de trabalho, os resultados são dos mais positivos. Além, é claro, de outra questão: não há denúncias de  malfeitos. O canteiro de obras já começou e os moradores dos dois populosos bairros estão contando as horas para que o serviço comece. Aliás, falando em zona leste, um alerta à Prefeitura: se não usar logo o dinheiro de um convênio para construção de um centro esportivo naquela região da Capital, os 4 milhões de reais já liberados, vão voltar aos cofres da União e Porto Velho vai perder toda essa grana. Está avisado!

 

COZINHANDO NO ÁLCOOL

Onde estão os números reais da inflação? Ora, sabe-se que os preços dos combustíveis influenciam altas generalizadas em praticamente todos os produtos consumidos. Num país onde tudo depende da malha rodoviária e do transporte de cargas via terrestre, cada vez que há um reajuste na gasolina ou no óleo diesel, a tendência é que outros preços cresçam também. Pois a ciranda de aumentos da gasolina, que em breve vai bater nos pornográficos  5 reais em todo o país e em Rondônia pode subir ainda mais, parece que não afeta em nada os números oficiais da inflação. Muito menos o custo da botija de gás de cozinha, que chegou a um preço proibitivo para milhões de famílias brasileiras, que estão voltando a usar ao fogão a lenha. Em Pernambuco, por exemplo, o número de queimados subiu assustadoramente. Motivo? Gente cozinhando seus alimentos com álcool e, sem os devidos cuidados, sofrem queimaduras graves. Porque não têm mais dinheiro para comprar gás. Ora, o que está acontecendo neste Brasil? Com esses aumentos brutais, não há reflexo na inflação? O governo continua anunciando que ela nçao passará dos 3 por cento neste ano. Alguém aí que vai às compras, abastece seu carro ou usa gás para cozinha, acredita numa história dessas>

 

PERGUNTINHA

Se a botija do gás chegar a 200 reais no ano que vem, pela evolução dos preços, você vai jogar seu fogão no lixo e construir um velho forno à lenha, para poder sobreviver? 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 4

Sérgio Pires 04/12/2017

O ESPÍRITO DE REPUBLIQUETA NÃO DÁ OUVIDOS AO QUE DIZEM AS URNAS

Fazer o eleitor de idiota é comum nas republiquetas que fazem de conta que são democráticas. Recentemente, na Bolívia, viu-se a repetição do engodo: a população foi às urnas e, em sua maioria, disse não a mais uma reeleição de Evo Morales, o Eterno. Não adiantou nada. Manobrando e usando de subterfúgios, com apoio do Judiciário, a voz da maioria foi ignorada e Morales poderá concorrer pela enésima vez. Em Honduras, aliás, está acontecendo algo semelhante, agora. Certamente bolivianos e hondurenhos aprenderam conosco. Em 2005, quase 95 milhões e 500 mil brasileiros foram às urnas, participar de um referendo. A pergunta era sobre a liberação ou não do uso de armas para os cidadãos comuns, esses que se tornaram carne de açougue, atacados por bandidos, esses sim, sempre fortemente armados. Foi um banho: 59 milhões e 109 mil brasileiros disseram que não, não queriam a proibição da venda de armas. Foi 63 por cento do total dos votantes. O número dos que queriam o desarmamento da população  foi de apenas 33 milhões e 330 mil. Quem queria ver o brasileiro comum desarmado? Isso mesmo: as esquerdas, o MST, as igrejas cristãs, mas também setores do PFL (atual DEM), PMDB e PSDB. Derrotados nas urnas, todos eles se uniram (lembremo-nos que o Presidente era Lula, do PT), eles, os que acham que a população deve andar desarmada e não se defender da bandidagem que assola nossa Nação. Simplesmente ignoraram o resultado das urnas. Até hoje. Usaram o argumento que o Estatuto do Desarmamento, aprovado anos antes, é que deveria ser o mantra do assunto. Fizeram o eleitorado de idiota, fizeram  o país gastar milhões de reais num referendo que mobilizou a Nação, apenas para um jogo de cartas marcadas. Não importou o resultado, porque a decisão deles já estava tomada antes mesmo de fazer o povo de idiota. 

 É bom lembrar que os ideólogos do pacifismo apenas para as vítimas, fizeram de conta que não perderam nas urnas, em praticamente todos os Estados brasileiros. Os que queriam a liberação das armas ganharam com percentuais altíssimos em três estados: Rio Grande do Sul, Acre (terra do petismo até hoje) e Roraima (mais de 87 por cento). O apoio às teorias governistas, antiarmamento, ganharam em pequenas regiões, nos estados de Pernambuco e no Ceará. No resto, foi peia. Quem perdeu foi a maioria dos brasileiros, que mesmo usando as urnas para tentar ter o direito de se defender, viram vencer o teatro irreal das teorias de que a proibição ia pacificar o Brasil e sepultar a violência, algo totalmente absurdo. É o país onde as armas só estão nas mãos dos bandidos. É o país dos 50 mil assassinatos por ano. Voto? Pra que voto, se “eles” sempre sabem o que é bom para nós, ignorantes, que ainda corremos às urnas, sonhando com um país melhor e mais seguro?

 

 

 

PREFEITOS QUEREM 100 MILHÕES

Mais de 80 por cento das Prefeituras do Estado estão correndo o sério risco de terminar o ano no vermelho. Algumas no MUITO vermelho! Para tentar ao menos amenizar a situação, há uma grande pressão de parlamentares, da Assembleia como um todo, da Associação dos Municípios, no sentido de que o Governo do Estado repasse pelo menos 100 milhões de reais para cobrir esse enorme buraco nas finanças municipais. As informações são seguras: o Governo Confúcio tem, em caixa, mais de 200 milhões de reais para realizar inúmeras obras, no último ano da atual administração. É desse dinheiro que os Prefeitos querem que saia ao menos a metade para salvar as finanças das Prefeituras, muitas delas nessa situação por incompetência  dos administradores. O Governo avisa que não tem como fazer o repasse legalmente, nem desse dinheiro e nem de verbas de convênios, que não podem ser usadas a não ser para suas finalidades explícitas. A busca agora é de encontrar caminhos legais, que estão sendo procurados com insistência, para pressionar o Governo a liberar a grana até depois do Natal. É daqueles casos complexos. Se não receberem dinheiro extra, a grande maioria das Prefeituras de Rondônia vai terminar 2017 em situação financeira bastante difícil.

 

AUMENTO DA LUZ NA JUSTIÇA

“Rondônia tem suas usinas que geram energia para abastecer cerca de 40 milhões de residências Brasil afora. Somos autossuficientes em energia e contribuímos para o abastecimento do Brasil. Não é justo que os rondonienses paguem uma conta proporcionalmente mais alta do que aquele que mora aqui no Distrito Federal. Quem mora aqui paga uma conta de luz inferior à que pagamos no estado de Rondônia, embora sejamos geradores de energia para o nosso estado e para muitos estados brasileiros. Isso é inaceitável, injusto, desproporcional. Isso é uma afronta a um estado que contribui com a geração de energia elétrica para todo o Brasil”. A crítica, na tribuna da Câmara, é do deputado Marcos Rogério, do DEM. Ele avisou que vai à Justiça para tentar reduzir a conta de luz. ”Nós já pagamos bandeira amarela, bandeira vermelha, e agora, mais um aumento na tarifa elétrica. Rondônia não aceita. Os rondonienses não merecem passar por isso, pelo esforço que fazem em contribuir com o Brasil e com a geração de energia”, protestou. A Eletrobras Rondônia alega que os valores do reajuste anual são definidos pela Aneel. O parlamentar não quer saber quem é o pai da criança. Quer é que o aumento seja impedido via decisão judicial.

 

PROJETO DA BANDA VERDE

A deputada Mariana Carvalho também entrou na jogada. Divulgou nas redes sociais projeto de lei de sua autoria que, segundo ela, pode acabar com o absurdo dos aumentos exagerados da energia, como o que recaiu agora no bolso dos consumidores rondonienses. “Luto para que os estados com grande capacidade de produção de energia elétrica paguem sempre a bandeira verde. Ou seja, as menores tarifas do mercado. Não é justo pagar por uma conta que não é nossa. A população de Rondônia merece respeito”, disse a parlamentar, fazendo coro aos protestos. Mariana lembra que os “quase 9 por cento” autorizados a mais nas contas de energia, representam “um dos maiores reajustes do país”. Certamente outros membros da bancada federal e do próprio Governo do Estado engrossarão o coro das reclamações. É inacreditável que estejamos gerando energia em abundância e pagando cada vez mais caro por um serviço que, todos os que vivem neste Estado, está muito longe sequer de ser considerado bom. 

 

COMPLICOU PARA A ESQUERDALHA

Há um claro sentimento de pânico em boa parte da esquerda brasileira, refletida em todo o seu tamanho na mídia dominado pelas canetas esquerdizantes, com a possibilidade de Lula não poder concorrer em 2018 e, pior de tudo, se concorrer, contra todas as possibilidades lógicas, perder a eleição. Com a mesma intensidade, os discursos desse grupo (uma minoria que imagina dominar a opinião pública, mas, é claro, está longe disso!) são todos como Exoceds contra o segundo colocado em todas as pesquisas, o representante da direta, Jair Bolsonaro. Quanto mais se divide a sociedade brasileira, divisão aliás, forçada e reforçada exatamente pela turma de Lula e seus aliados, mais cresce Bolsonaro, como a única opção real de combate a tudo o que a esquerda fez, na tentativa de destruir o Brasil e suas instituições. O problema é que a mídia e os partidários das palavras de ordem e das mesmices que ninguém mais acredita, quando mais atacam Bolsonaro, mais ele cresce. Na última pesquisa, da Data Folha, Lula já caiu para 34 pontos e Bolsonaro subiu par 17 por cento. A coisa vai ficar complicada para a esquerdalha. Já pensaram se o líder da direita ganha a eleição?

 

TRÊS MILHÕES PARA O NATAL?

O diretor da Emdur, Breno Mendes, comemora a implantação de novos 8 mil pontos de iluminação pública em  Porto Velho, desde que ele assumiu o posto, em 26 de julho. É realmente um resultado bastante positivo. Quase dois mil pontos por mês; 66 por dia. Breno tem realmente que divulgar suas ações, como o faz diariamente pelas redes sociais. Mas, por outro lado, andou exagerando na questão da iluminação de Natal. Postou no Facebook que  a Prefeitura, ao invés de gastar 3 milhões de reais com iluminação de Natal, optou por gastar 3 milhões na iluminação pública. Menos, caro secretário! Ji-Paraná, que tem a mais bela iluminação do Estado e uma das mais belas de toda a região norte, gastou apenas 140 mil reais para fazer o que fez. Um encanto de luzes natalinas. Claro que como em Porto Velho praticamente nada foi feito para preparação do Natal (será que alguém esqueceu que todo o mês de Dezembro tem essa que é a maior festa religiosa e comercial do país?), os gastos poderiam ser um pouco maiores. Mas 3 milhões de reais? Daí já é exagero. Só se fosse pra iluminar a Brodway, em Nova York. O que se espera, na verdade, é que, para o ano que vem (atenção, em 2018 tem Natal de novo!), a Prefeitura da Capital e a Emdur se preparem devidamente, para iluminar e deixar a  cidade bonita como ela merece.

 

A PERDA DE JACOB ATALLAH

Rondônia perdeu mais um dos seus pioneiros, um daqueles nomes que vão ficar, para a eternidade, na História dessa terra. O dr. Jacob Atallah partiu aos 82 anos, deixando uma vida inteira dedicada à Medicina e à coletividade. Foi prefeito, deputado estadual e sempre um exemplo de vida. Um dos grandes oradores da política rondoniense, coisa que praticamente não existe mais nos parlamentos e nem na vida pública. Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil no Estado, os maçons também sentiram profundamente sua perda. Idealista, realizador, dedicado profundamente às causas públicas, Jacob Atallah estava hospitalizado há mais de um mês no Hospital Central, onde faleceu no  primeiro domingo de dezembro. Em sua longa vida pública, esse médico exemplar, formado  em 1961, em Belém do Pará, tinha especialidade em pediatria. Foi sempre um líder da sua categoria e fundador do  Conselho Regional de Medicina na década de 1960, junto com os médicos Hamilton Gondim, Ary Tupinambá Pena Pinheiro e José Cerqueira Cotrim. Deixa saudades e uma vida exemplar, como legado à sua terra.  

 

PERGUNTINHA

Você tem esperança de que em 2018 os índices terríveis de violência no país vão diminuir ou acha que será mais um ano de desgraça para milhares de famílias brasileiras, chorando seus mortos?

 

 

 

Banner de Divulgação 5

Sérgio Pires 02/12/2017

QUEM SABE PORTO VELHO NÃO APRENDE A LIÇÃO QUE JI-PARANÁ ENSINA?

O investimento da Prefeitura foi de apenas 140 mil reais. Com criatividade, inventividade, parcerias, envolvimento da comunidade, Ji-Paraná se transformou, novamente, nesta época de final de ano, através de um convênio com a CDL, num verdadeiro ponto turístico do Natal. O dinheiro é pouco, mas se bem utilizado, como tem sido, dá resultados inacreditáveis. Os recursos são utilizados para a aquisição, manutenção, instalação e recuperação da iluminação natalina. Na segunda maior cidade do Estado, a Prefeitura, através das equipes de artesãos, produz e restaura os adornos com material reciclado, feitos com garrafas pets. As garrafas são arrecadadas pela população e por alunos das escolas municipais que participam dos projetos de educação ambiental durante todo o ano. A cidade neste período é considerada a mais iluminada do Estado e transforma-se num dos principais pontos turísticos de Rondônia, tendo como ponto alto, a abertura da Casa do Papai Noel, que acontece tradicionalmente em 2 de dezembro e repetiu-se neste sábado.  A iluminação e os enfeites de material reciclado ficarão montados até o dia seis de janeiro de 2018. Até a data da retirada, a cidade deverá receber cerca de 10 mil visitantes por dia, vindos de todos os municípios de Rondônia e até de outros Estados. Uma pequena lição, simples, de que é possível fazer grandes coisas com poucos recursos. Tem que haver, é claro, integração, espírito comunitário, renúncias, esforço redobrado.

 No final das contas – e Ji-Paraná prova isso -  a festa não é só da própria cidade, mas de milhares de visitantes, encantados com o mais belo Natal de Rondônia. Está na hora de Porto Velho (e outras cidades de maior porte também), aprenderem a lição. Na Capital, por falta de recursos, a Prefeitura vai iluminar alguns poucos pontos. Ji-Paraná, com 140 mil reais dos cofres públicos e muitos apoios da iniciativa privada, está dando um show de luzes com 45 pontos super iluminados e coloridos. Quem sabe as equipes da Prefeitura da Capital e empresários lojistas, decidam fazer uma visita de trabalho à Jipa, para aprender como é que se faz, sem precisar fazer investimentos colossais? Planejar, envolver a coletividade, gastar pouco e bem; imaginar uma cidade mais linda, colorida, com uma iluminação de dar inveja e que ainda traz grandes benefícios também ao comércio como um todo, é um caminho simples de fazer as coisas. Queixar-se de falta de dinheiro e fazer quase nada é a via de escape mais  comum. Porto Velho precisa aprender um pouco com Ji-Paraná e não só na decoração natalina!

 

 

O DILEMA DE ALUÍZIO VIDAL

Aluízio Vidal. Anote esse nome.  Ele é pré candidato ao Senado pelo partido de liderança única, Marina Silva. Da Rede. Pois Aluízio, num partido nanico, sem dinheiro, sem estrutura, sem coligações, é o líder das pesquisas ao Senado em Porto Velho. Embora o poderio dele acabe na ponte sobre o rio Candeias, já que dali em diante seu poderio eleitoral enfraquece significativamente, ele sairia, numa eventual disputa ao Senado, com votação maior que os pesos pesados Expedito Júnior, Valdir Raupp e até Confúcio Moura, na preferência do eleitorado porto velhense. O problema de Aluízio é que fora da Capital ele tem muito poucas chances de cooptar votos suficientes para se eleger. É por isso que seu partido, a Rede, está pressionando para que ele seja candidato a uma das vagas à Câmara Federal, onde poderia ser eleito apenas com os votos de Porto Velho.  A Rede está de olho é no percentual  eleitorado, porque se não atingir o mínimo de votos, perderá o tão cobiçado Fundo Partidário. Aqui em Rondônia, o único nome da sigla que pode ajudar nesse sentido é Aluízio. Será que ele toparia não disputar o Senado, onde teria votação expressiva na Capital, mas provavelmente não se elegeria, por concorrer a uma cadeira à  Câmara? O futuro dirá.

 

A CONFUSÃO NO TRANSPORTE

A segunda-feira vai começar com muita polêmica na Capital. Os taxistas, desesperados com a perda de passageiros para os aplicativos, como o Uber (que podem cobrar muito mais barato, já que não pagam os absurdos impostos e taxas pagos pelos táxis), vão lançar um programa alternativo de transporte. Será o táxi compartilhado, para não chamar de lotação. Os passageiros, não importa em que região da cidade sejam apanhados e onde sejam levados, pagarão apenas 5 reais. Os táxis também não cobrarão a tradicional bandeira 2 nas corridas de dezembro e anunciam 20 por cento de desconto nas demais tarifas, incluindo no cartão de crédito. Ou seja, a concorrência será duríssima. O problema é a ilegalidade do projeto. O sindicato dos motoristas e cobrados de ônibus, o Sutetuperon, emitiu nota de protesto na sexta, alegando que a inovação não tem qualquer apoio legal. Diz, num trecho da nota, por exemplo: “esse transporte clandestino prejudicará todos os usuários do transporte coletivo, começando pelas gratuidades de meia passagem,  com preço menor, para estudante, idosos e portadores de deficiência”. Enfim, um enorme  abacaxi  para a Semtran começar a descascar...

 

CRÍTICAS À BANCADA FEDERAL

No encontro de governadores da região norte, no final de semana, em Manaus, o governador Confúcio Moura criticou a forma isolada como as bancadas federais dos estados da Amazônia atuam. Não citou nominalmente os Estados, mas é claro que ele se referiu principalmente às bancadas do Amazonas e de Rondônia: “As bancadas não parecem ser da Amazônia. São bancadas de si próprias. Elas têm que trabalhar entrosadas, trazer para perto do discurso nossos deputados federais de todos os partidos. Não tem partido, na verdade. A Amazônia é o nosso partido, somos nós”!. Confúcio falava na falta de ações integradas entre os representantes da região no Congresso Nacional. Já o governador amazonense, Amazonino Mendes, não poupou críticas à falta de planejamento do país. “Neste país em que não há planejamento algum, temos que estar mobilizados para pressionar o governo federal a atender nossos pleitos. Como não há planejamento, as coisas funcionam só na base da pressão”, protestou. Os governadores da região se encontraram durante a sexta-feira, para discutir temas regionais de interesse comum. 

 

O TRIO ATRÁS DO ELEITOR

Os pré candidatos ao Governo, pelo menos o trio que aparece com maior destaque nas pesquisas, aproveitam mais um final de semana para percorrer cada metro quadrado de várias regiões do Estado. Não há ainda sequer data das convenções que vão oficializar as candidaturas em 2018, mas Ivo Cassol, Mauro de Carvalho e Acir Goraz não perdem tempo. Os dois senadores e o Presidente da Assembleia não perdem tempo em se reunir com lideranças do agronegócio, com produtores, com famílias e amigos tanto na sede dos municípios como nas áreas rurais. Claro que não há ainda pedido explícito de voto, porque a legislação proíbe e ninguém quer burlar a lei eleitoral, mas que a campanha já está em pleno andamento, está sim. Os demais postulantes, ainda também pré candidatos, não têm como andar pelo Estado, ao menos por enquanto. Como em muitos casos são personagens pouco conhecidos (a exceção é Expedito Júnior, que ainda pode decidir disputar o Governo e tem grande popularidade), o trio que aparece com destaque nas pesquisas até agora é o que se destaca. Além dos contatos com os eleitores, eles aproveitam também para conceder entrevistas para emissoras de TV, de Rádio, das pequenas emissoras comunitárias e até para a Voz do Poste.

 

OS ATAQUES AOS ÔNIBUS

O professor e vereador Aleks Palitot entrou de corpo e alma na luta, ao lado dos estudantes da Unir, para exigir segurança e o combate duro dos órgãos de segurança contra os constantes assaltos que vitimam universitários que estudam à noite. Na sexta, ele teve reunião em seu gabinete com representantes do Diretório Acadêmico da Unir e outros organismos que representam o corpo discente da Universidade, para formalizar protestos, queixas e exigir que haja uma ação concatenada, imediata e dura no combate à criminalidade que apavora os estudantes. Nesta segunda-feira pela manhã, Palitot, não se sabe se acompanhado por estudantes, terá uma reunião com o coronel Caetano, secretário de segurança do Estado, para discutir o mesmo assunto. Já foram registradas várias ocorrências de ataques contra universitários, dentro dos ônibus que os levam às aulas, sem que os bandidos tenham sido sequer identificados. O caso ainda vai render muita batalha dos estudantes e os que estão ao lado deles, para que o assunto tenha a prioridade que merece, da segurança pública.

 

PSICOPATAS  NA SALA DE AULA

As cenas são revoltantes. O canalha, covarde, psicopata  não gostou da nota que o professor deu a uma prova dele, que deve se achar um gênio e agrediu o pobre mestre. O fato ocorreu na zona sul de São Paulo, nesta última semana, quando repetiu-se o que está acontecendo quase todos os dias em várias regiões do país. Os anormais, protegidos pela vergonhosa lei brasileira que colocou o professor como vítima (quando ainda não são eles os declarados culpados por apanharem), fazem o que bem entendem. Quando são “dimenor”, esses marginais são tratados como pobrezinhos, produtos de uma sociedade que os oprime e bla bla bla, que se ouve nos discursos dos defensores dos direitos dos criminosos e inclusive de algumas autoridades do Ministério Público e do Judiciário, lamentavelmente.  Quando são de maior, como no último caso de São Paulo, o desajustado, covarde, violento e anormal, é considerado como vítima, mesmo que seu ato cause a maior revolta entre as pessoas de bem deste país, que são, ainda bem, a grande maioria e não foram aparelhadas pelo PT e seus aliados. Até quando a sociedade brasileira vai suportar isso?

PERGUNTINHA

Não é extremamente preocupante o acentuado crescimento de casos de Aids no país inteiro  e em todas as Capitais, como Porto Velho, onde num ano só ano surgiram mil novos casos?

 

 

 

Banner de Divulgação 6

Sérgio Pires 01/12/2017

DINHEIRO DA INDÚSTRIA DA MULTA PODE IR TAMBÉM PARA OS COFRES DAS ONGS

A família Sarney ainda é muito poderosa. O patriarca É José Ribamar, que parece estar no poder desde sempre, incluindo o período em que a Presidência caiu no seu colo, com a morte de Tancredo Neves. Todos sabem o que ele fez para o Brasil. Sua filha Roseana governou o Maranhão, um dos estados mais pobres do país, cujos  dirigentes estão cada vez mais ricos e poderosos. O terceiro nome é o de Sarney Filho, que há anos manda e desmanda nas questões ambientais, área que parece ter sido entregue, numa bandeja, à poderosa família.  O que avançou, de real, o meio ambiente no país, sob Sarney? É amigão das ONGs (brasileiras e internacionais), um poderoso aliado que tem o poder da caneta para criar, por exemplo, leis que transformaram seu Ministério numa máquina de multas, beneficiando não  apenas interesses do seu grupo, mas também os de parceiros e das ONGs, que recebem parte do dinheiro arrecadado. O último sinal concreto disso é um decreto publicado em outubro, que, claro, não passou pelo Congresso ou por qualquer mãos que não sejam as de Sarney, criando mais uma impressionante indústria de multas, feita não para proteger regiões afetadas, mas sim para encher os cofres da União e dos amigos. O decreto, abusivo e divulgado quase ás escondidas em páginas internas do Diário Oficial, é mais uma ação pornográfica, para achacar quem trabalha e produz e ainda tem aspectos que, num país sério, provocariam grita geral.

O esquema, resumidamente, é o seguinte:  tanto as multas já lavradas, quanto aquelas que ainda serão assacadas contra eventuais agressores do meio ambiente, serão encaminhadas, ao menos em parte, para projetos de terceiros,  incluindo ONGs. E a escolha de quem será beneficiado será única e exclusivamente do Ministério do Meio Ambiente, sem prestar contas a ninguém.  Agora, veja-se  a pegadinha que o decreto impõe ao pobre coitado que recebe as multas, geralmente milionárias. Infratores que quiserem usar parte do valor das multas em projetos de recuperação, terão um desconto de 35 por cento do total devido. Mas os que aceitarem “financiar” um programa escolhido pelos ambientalistas do governo (seja qual for, incluindo grana  para ONGs internacionais), o desconto sobre a multa será de 60 por cento do valor. Deu pra entender a malandragem? Uma coisa vergonhosa, mas que demonstra mais uma vez como nossas autoridades tratam quem trabalha e quem produz.  O decreto não fala em fiscalizar a forma de escolha e nem na forma como o dinheiro será aplicado. Caixa Dois? Porque não, se não haverá fiscalização! É mais uma contribuição dos Sarney para piorar o Brasil. Lamentável!

 

 

MAURÃO NO DIRETO AO PONTO  

Pré candidato ao Governo, o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho, fala sobre seus planos, sobre sua atuação em 26 anos de vida pública; sobre a eleição e reeleição por unanimidade para comandar o Parlamento; sobre o Hospital do Câncer; o futuro Hospital de Pronto Socorro de Porto Velho e muitos outros assuntos numa entrevista exclusiva ao programa Direto ao Ponto. Na entrevista concedida a Sérgio Pires, Maurão comentou muitos outros temas de interesse do Estado e destacou ações que considera prioritárias para que Rondônia continue como diferenciado sob vários prismas positivos, como têm sido nos últimos anos. Não deixe de assistir na Record News Rondônia, Canal 31, a partir das 10h30 deste sábado, 2 de dezembro. No mesmo horário, a entrevista vai ao ar pela Sky, no Canal 331 e pela Claro TV, Canal 441.1. A partir de domingo, você pode acompanhar a entrevista na integra no site Gente de Opinião, um dos mais respeitados de Rondônia, além de outros sites de notícias do Estado.

 

O BUROCRATA GENIAL

Algum burocrata, destes que se acha um gênio perdido no meio do seu trabalho meia boca, acordou um da com uma ideal sensacional, que resolveria de vez todos os problemas da travessia de BRs, país afora. Coisa simples e prática. Bastaria se colocar faixas para pedestres, em determinados pontos, não importa onde e se o tráfego é pesado ou não; se há perigo de que os veículos, dependendo da velocidade, não consigam parar a tempo; não importa se vidas fiquem em risco. O burocrata deve ter vibrado, quando sua ideia genial foi implantada.  Sua genialidade chegou a todo o país, incluindo aqui, a assassina BR 364, onde, ao invés de mais e mais passarelas, criaram-se faixas de pedestres em locais extremamente perigosos. Não dá outra. De vez em quando, mais um morre. Como aconteceu essa semana, com um trabalhador de 64 ano, que tentava atravessar pela faixa do gênio, criada para protegê-lo. Faltou combinar com o motorista de caminhão que não conseguiu frear a tempo e o atropelou, causando sua morte na hora. Faltou combinar com motoristas em todas as rodovias onde as faixas da morte foram criadas. O burocrata, contudo, deve continuar achando sua ideia algo indescritivelmente genial!

 

ENGANANDO ATÉ O MPF!

Depois de ser enrolado várias vezes pela sempre incompetente Eletrobras Rondônia (o nome pomposo dado à Ceron), o Ministério Público Federal decidiu processar a estatal. Durante os últimos anos, a empresa empurrou com a barriga por várias vezes a solução para o programa Luz para Todos, que, em Rondônia, já deveria estar atendendo cerca de 20 mil famílias a mais. Em 2010 a Eletrobrás/Ceron, quando questionada pelo MPF sobre o andamento do programa, avisou que até 2012 haveria energia elétrica em uma determinada comunidade. Em 2012, ao ser cobrada novamente, já que não cumpriu a promessa, mudou a data para 2014. Cobrada em 2014, passou a responder que atenderia até 2016. “A Eletrobrás continua com a tática de postergar para anos que virão o cumprimento de metas que já deveriam estar todas cumpridas”, diz o Procurador da República Raphael Bevilaqua, autor da ação. Ou seja, a Eletrobras pode enganar a população durante anos, porque ela é indefesa. Mas quando faz o mesmo com o Ministério Público, aí o buraco é mais embaixo...

 

FESTA DA GAUCHADA

Parte da gauchada que vive em Porto Velho (e é muita gente, porque tem até CTG, o conhecido Centro de Tradições Gaúchas, na cidade), vibrou com a conquista do tricampeonato da Libertadores da América pelo Grêmio, nesta quarta. A festa pós jogo teve até carreata, com a participação de mais de 100 veículos. O ponto final de encontro dos gremistas foi junto à estátua do ex governador Jorge Teixeira, um torcedor fanático do clube gaúcho, que é um dos mais tradicionais do país, que recebeu, novamente, uma camiseta do Grêmio. Dessa vez não houve polêmica, como a recente, quando o secretário  Antônio Ocampo, revoltado com o fato da estátua ser vestida com a camiseta de um clube, pôs fogo no que a fanática torcida gremista chama de “manto sagrado”. Não houve qualquer problema e a festa, embora rápida, foi muito curtida pelo grupo de torcedores. Quem ficou trancado dentro de casa foram os colorados, torcedores do Internacional, maior rival do Grêmio no Rio Grande. Os fanáticos pela camiseta vermelha estão quietos, porque seu clube vive um péssimo momento, recém chegado da Série B, onde sequer conseguiu ser campeão. Enquanto seus rivais...

 

NENHUM SUSPEITO PRESO

Protestos, faixas e até fechamento da Sete de Setembro por alguns momentos:  estudantes da Unir foram protestar contra a violência que os atinge, com os seguidos assaltos aos ônibus que os transportam para as aulas, nos últimos tempos. O que surpreende no episódio é o silêncio das autoridades, inclusive no sentido de explicar porque até agora, mesmo com várias denúncias, com a descrição dos bandidos (eles, aliás, estão agindo com cada fez mais violência e crueldade, sem temer represálias),  nenhum suspeito foi preso. Os bandidos agem sempre da mesma forma: embarcam no coletivo em alguns pontos do trajeto, como na parada da  Vila Princesa, onde entraram no ônibus no último ataque. Sem qualquer segurança, os estudantes que batalham todos os dias para cumprir sua rigorosa vida universitária, até chegar ao sonhado diploma, têm que enfrentar mais esse perigo praticamente todos os dias. É uma espécie de loteria, até que os criminosos atacam. E o fazem com requintes de crueldade, agredindo covardemente os estudantes, como fizeram novamente. Será que nossa competente polícia não vai colocar as mãos nesses canalhas? E a segurança pública, não vai agir para proteger os universitários?

 

PARA RIR OU PRA CHORAR?

No ano passado, o povo boliviano foi às urnas, participar de um plebiscito. Em jogo, a possibilidade de que um ocupante de cargo público, aí obviamente incluindo seu Presidente da República, pudesse concorrer tantas vezes quantas quisesse ao mesmo cargo. Na ocasião, mais de 51 por cento de todos os eleitores disseram Não. Ou seja, o presidente Evo Morales, que já está no cargo porque pôde concorrer depois de mexer na Constituição e ter apoio do Judiciário (mas não da maioria do povo), teria que encerrar sua série de mandatos em 2019. Mas os bolivianos não contavam com a Justiça aparelhada. Ignorando o resultado do Plebiscito,  um tal de Tribunal Constitucional Plurinacional, uma dessas maravilhas criadas em governos socialistas, disse que Evo Moraes pode concorrer quantas vezes quiser, porque impedí-lo seria ferir os direitos humanos dele. Obviamente que num país sério, isso seria motivo de risadas e ele, o Presidente, da chacota geral. Mas não onde a esquerda domina. Lá, todos que não pensam como ela, são fascistas e querem destruir suas adversários. Imagine-se do que nos livramos, com Lula, Dilma, José Dirceu e toda essa turma...

 

PERGUNTINHA

Você acha que o governo Michel Temer ficará melhor ou pior do que já é, com a saída do PSDB como partido da base de apoio ao Presidente da República?

 

 

 

 

Banner de Divulgação 7

Sérgio Pires 29/11/2017

ATÉ QUANDO VAMOS ACEITAR A DITADURA DO CRIME EM NOSSAS VIDAS?

Cena de filme de violência: dois bandidos, armados, entram num ônibus escolar. Ameaçam, agridem, apontam as armas, ferem, subjugam estudantes universitários. Roubam tudo o que podem de gente que, muitas vezes, têm que fazer grande sacrifício para poder estudar. Tudo isso em Porto Velho, uma Capital como tantas outras país afora, onde os vagabundos assumiram o poder, pela força das armas, atacando, ferindo, humilhando, deixando suas vítimas, muitas vezes, traumatizadas por anos a fio. O assalto vitimou vários estudantes que iam de ônibus para o Campus da Unir. Os bandidos subiram no coletivo na altura da Vila Princesa e fizeram o que quiseram durante longo tempo. Ninguém foi preso. O ir e vir desses jovens que lutam desesperadamente para se formar, enfrentando as maiores dificuldades, muitos trabalhando duro o dia inteiro e ainda estudando à noite, está proibido pela criminalidade. Aqueles a quem os defensores ardorosos dos direitos humanos dos bandidos (eles ainda existem e estão cada vez mais ativos) dizem que são apenas “pobres vítimas de uma sociedade injusta”, estão mais violentos, mais cruéis, menos temerosos da lei, porque sabem que a maioria delas foi feita para protegê-los. Os estudantes da Unir, pobres vítimas, têm que ter cuidado. Ao denunciar esses canalhas, podem ser taxados de  fascistas, porque agora defender bandido é a moda da esquerda, que quer nos impor o espírito do gado, que deve ir silenciosamente para o matadouro.

Não há polícia suficiente. Atendendo uma ocorrência a cada dez minutos, nas 24 horas do dia, a Polícia Militar precisaria ter, ao menos, o dobro do efetivo, para conseguir ampliar significativamente sua presença nas ruas. E ainda tem que desviar recursos e homens para correr atrás de foragidos. Em dez meses, foram recapturados 2.250 bandidos, que deveriam estar das grades, mas com a moleza da legislação saem e não voltam às cadeias ou simplesmente fogem dos presídios rondonienses,  alguns deles praticamente hotéis de alta rotatividade. Enquanto o número de canalhas cresce de forma assustadora, todos sem temor das leis, porque elas lhes são “amigas”, aqueles que lutam, que batalham, que trabalham, que suam para sobreviver e ter algum futuro, ah!, para esses não há defesa alguma de direitos humanos e nem dó. A preocupação é com essa camarilha de canalhas que toma conta do nosso país, do nosso Estado, das nossas cidades, das nossas ruas, vivendo do bem bom do crime e, na maioria  dos casos, na impunidade. Depois, quando o nome de Jair Bolsonaro salta nas pesquisas, porque até agora é o único que avisa que vai acabar com a criminalidade impune no Brasil, aí saltam as vozes de que ele representa a ditadura. Mas o que a bandidagem está impondo à nossa vida já não é uma ditadura?

 

 

ACIDENTES CUSTAM 52 BILHÕES

O trânsito de Porto Velho continua cada vez pior. Motoristas irresponsáveis e motoqueiros malucos disputam espaço, alguns deles andando em velocidade de autódromo, pelas ruas perigosas e quase sem  fiscalização da cidade. São números assustadores. Segundo dados da Polícia Militar, mais de  260 mil veículos, quase um para cada dois habitantes e a estrutura das ruas não se adequa à essas necessidades. Além disso, toda a falta de educação, de controle emocional dos condutores, de cuidados, de bom senso acaba desaguando no sempre super lotado Pronto Socorro João Paulo II, onde durante o ano, milhares de feridos, alguns com gravidade e com sequelas para toda a vida (afora os que morrem antes, durante e após atendidos), se amontoam numa estrutura onde é impossível de resolver tantos casos ao mesmo tempo. O secretário Williames Pimentel, da saúde, tem comentado seguidamente esse assunto. Lembrou inclusive essa semana que o Brasil já gasta 52 bilhões de reais por ano, só com os danos causados pelos acidentes. Esse valor é metade de tudo o que é investido na saúde pública do país. Em Rondônia, os números proporcionais não são muito diferentes. Esse quadro dantesco tem que começar a mudar, senão, em breve, quase todos os recursos da saúde só servirão para atender acidentados do trânsito. Aqui e no Brasil todo...

 

AÍ VEM OUTRO PAULISTA!

Por falar em trânsito, nessa quinta assume o novo titular da Semtran. Um paulista vai substituir outro paulista. Saiu Marden Negrão, que chegou com a fama de especialista e que não deu certo e entra Fábio Sartori Vieira, engenheiro em computação e mestre em engenharia de transportes. Ele estava atuando na Prefeitura de Vilhena, mas deixou o posto e agora virá para Porto Velho. Não há muitas informações sobre o novo titular da Semtran, mas sabe-se que o prefeito Hildon Chaves teve longas conversas com seu novo assessor e teria ficado bastante satisfeito com o que ouviu. Fábio chega com a missão de começar a fazer algumas mudanças, mesmo localizadas, para tentar melhorar o trânsito de Porto Velho, já que nos dez meses em que se manteve no cargo, seu antecessor pouco conseguiu fazer. Marden enfrentou graves dificuldades, principalmente na relação com alguns vereadores que teriam tido seus interesses contrariados nos negócios com a Semtran e por isso teria desistido de continuar no cargo. Os mesmos problemas ainda continuam e Fabio Sartori Vieira terá a missão de mexer no trânsito e, ao mesmo tempo, administrar a voracidade com que alguns políticos têm em relação a negociações com a secretaria de trânsito. Vamos ver no que vai dar...

 

LABIRINTO NOS TRANSPORTES

A segunda-feira, 4 de dezembro, marcará um evento inédito em Porto Velho. Durante seis a sete horas, todos os táxis da Capital que participarão do novo programa de Táxi Compartilhado (um programa dos taxistas para combater o Uber e outros aplicativos concorrentes), vão transportar passageiros gratuitamente. Pelo novo programa, os taxistas poderão apanhar passageiros em todos os bairros da cidade, fazendo uma espécie de lotação, com custo  a 5 reais por pessoa, não importa para que região da cidade elas vão. A intenção é criar, em breve, um aplicativo para que o passageiro que queira compartilhar a viagem, possa combinar, marcar horário, acertar itinerário e dividir o custo da corrida com outras pessoas. Desesperados com a concorrência dos carros dos aplicativos e de muitos outros que simplesmente transportam passageiros ilegalmente, pegando-os até nas paradas de ônibus, os taxistas querem reagir. O problema é que a ideia deles não tem aparato legal. Pelo contrário, a Semtran está ameaçando os participantes do projeto, com a aplicação de pesadas multas e até apreensão dos veículos. E ainda há a questão do Consórcio Sim, que neste novo sistema poderá perder muitos passageiros. Ou seja, a situação do sistema de transporte de Porto Velho pode entrar num labirinto sem saída. É todo esse pacote de problemas que o novo secretário da Semtran terá que enfrentar, já nos primeiros dias do seu mandato.

 

NATAL MENOS ILUMINADO

Numa postagem nas redes sociais, o prefeito Hildon Chaves falou pela primeira vez na iluminação de Natal da cidade. Ele informou que, em função de problemas orçamentários, priorizou a iluminação pública, atendendo vários bairros da cidade, onde, aliás, a Prefeitura não coloca mais cabos de cobre, por causa dos roubos, mas apenas de alumínio. Depois, disse que serão iluminados com luz natalina só alguns locais da cidade, como  a Praça Madeira Mamoré, a Praça adas Caixas D´Água, viadutos sobre a BR 364  e apenas alguns outros pontos. As luzes serão reforçadas com a iluminação especial colocada pelo governo do Estado na área do Palácio Rio Madeira/CPA, como tem sido feito desde a inauguração do conjunto de prédios do Governo do Estado. Hildon explica que utilizou toda a verba disponível para implantar um programa inédito de iluminação pública em diferentes regiões da cidade e, portanto, não há recursos disponíveis para um atendimento mais amplo e feérico, para a Capital do Estado. Espera-se também uma ação especial do governo do Estado, em relação ao Espaço Alternativo. Como a inauguração está prevista para o dia 22 deste dezembro, a perspectiva é que  ali haja também uma iluminação muito especial.

 

MEIO MILHÃO ATENDIDOS

Era Shopping Cidadão e agora é Tudo Aqui. Mudou o nome, mas os serviços prestados continuam extremamente positivos. Lançado no  governo de José Bianco, foi no de Ivo Cassol quem se deu um plus na estrutura, inclusive com a implantação de subsedes em Ji-Paraná e Rolim de Moura. Na atual administração de Confúcio Moura a sede em Porto Velho foi totalmente reformada, dando ainda maior qualidade ao atendimento à população. Nos últimos quatro anos de Cassol, o então Shopping atendia uma média de 20 mil pessoas/mês, algo em torno de 240 mil por ano. É mais ou menos o mesmo o mesmo número de atendimento dos últimos anos, embora tenha havido um pequeno crescimento. Pelos números do Tudo Aqui de agora, nos últimos dois anos foram atendidas meio milhão de pessoas. Num mesmo local, o cidadão encontra serviços de um Balcão Multisserviço; do  Banco do Brasil; da  Caerd; dos Correios; da Defensoria Pública. Detran, Ministério Público, Secretaria da Fazenda do Estado e vários outros órgãos. É um serviço público de sucesso, a disposição da coletividade.

 

MILHÕES CADA VEZ MAIS POBRES

O Brasil é o país das desigualdades. Isso é o que se sabe há muitos anos. Mas agora o IBGE traz novamente provas concretas disso. Pesquisa nacional divulgada essa semana, revela que metade dos trabalhadores brasileiros, ganha menos que o salário mínimo. Uma coisa que parece inacreditável. Tem mais:  o rendimento dos que ganham mais é 360 vezes maior do que o dos trabalhadores que têm renda mais baixa. Alguém conhece abismo social mais profundo? O levantamento  da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) comprova que dos quase 90 milhões de trabalhadores ocupados no ano passado, cerca de 45 milhões recebiam, em média, 747 reais por mês, quando o salário mínimo era de 890 reais.  A lei brasileira prevê um salário mínimo para os trabalhadores com carteira assinada. O rendimento abaixo desse valor é possível entre a população com emprego informal e os trabalhadores por conta própria, como vendedores ambulantes e donos de pequenos negócios. Os pobres neste país aumentam cada vez mais. Isso sem contar os 13 milhões de desempregados!

 

PERGUNTINHA

Você concorda com o prefeito Hildon Chaves, que priorizou a iluminação pública nos bairros à de Natal ou acha que ambas deveriam ser feitas ao mesmo tempo?

 

 

 

Banner de Divulgação 8

Sérgio Pires 29/11/2017

LUZ NO FIM DO TÚNEL: POLÍCIA BOLIVIANA DEVOLVE CAMIONETAS ROUBADAS NO BRASIL

Alvíssaras! É o que se gritaria nas comemorações do passado, para registrar a exclamação de alegria por uma notícia extremamente feliz!  Até que enfim! Depois de um longo e tenebroso período em que nada evoluía, finalmente aparece um pequeno passo que pode representar uma reviravolta na angustiante situação de brasileiros, que perdem seus bens para bandidos que os levam para a Bolívia. O site Rondoniaovivo  registrou nesta semana, um acontecimento até há pouco praticamente  inédito. Autoridades policiais da Bolívia devolveram, a policiais brasileiros, duas camionetas Hilux que haviam sido roubadas no Mato Grosso, uma na Capital, Cuiabá e outra em Cáceres. Centenas, senão  milhares de veículos, principalmente motos, mas também carros, camionetas e caminhões, roubados nos últimos anos no Brasil e levados para a Bolívia, acabavam nas mãos de bandidos ou até de autoridades do governo, incluindo policiais, que tomavam posse como se deles fossem. Um sistema de vigilância de fronteira, introduzido no Mato Grosso, começa a fazer efeito. Os contatos com autoridades bolivianas que querem que a lei prevaleça, fazem parte desse pacote. O evento da devolução de veículos roubados é quase um grão de areia na extensa praia, já que a grande maioria dos veículos nunca mais volta às mãos dos seus donos. Carros de luxo, levados de vários estados brasileiros, enfeitam as ruas de cidades bolivianas e garagens de casas de autoridades de vários naipes. Quando um cidadão roubado tenta ir à Bolívia recuperar o que é seu, pelo menos é o quadro até há pouco, é corrido de volta para o Brasil, quando não sobre ameaças até de morte.

Espera-se que as coisas neste contexto melhorem. Há um esforço dos dois lados, embora ainda embrionário, para que o crime organizado não continue usando os bens roubados no Brasil, como moeda de troca pela cocaína boliviana. Uma fiscalização rigorosa das fronteiras ajudaria muito, mas o governo federal já anunciou  que não há dinheiro para qualquer ação neste contexto. Restam então iniciativas isoladas, como as boas relações da banda limpa das policiais brasileira e boliviana, que conversam, trocam informações e começam a se ajudar. Os dois governos não conseguem sequer abrir caminhos viáveis e menos burocráticos para o comércio bilateral, imagine-se nas questões mais complexas da segurança pública! Mas o que aconteceu com as duas camionetas de Mato Grosso (já houve outros episódios isolados e raros), pode ser o começo de uma nova relação.  Quem sabe nossos vizinhos comecem a cumprir as leis internacionais e devolverem o que foi roubado? Quem sabe o governo brasileiro cria vergonha na cara e se envolve no assunto, para ajudar no avanço das conversações, já que não investe nada na defesa das linhas de fronteira? 

 

 

 

OS NÚMEROS DA PM

No seu aniversário de 42 anos, a Polícia Militar de Rondônia tem números bastante positivos para mostrar. Para se ter ideia, apenas nos primeiros dez meses deste ano, a instituição policial atendeu nada menos do que 55 mil ocorrências, ou seja, 5.500 por mês; mais de 183 por dia;  mais de sete por hora, uma a cada 10 minutos. Prendeu de novo 2.940 foragidos; recuperou  mais de 2.200 veículos roubados e ainda apreendeu mais de mil armas.   A PM rondoniense tem sim o que comemorar. É uma das mais atuantes do país, mesmo com todas as dificuldades que enfrenta; nunca esteve entre as mais violentas; o índice de corrupção envolvendo membros da instituição é pífio, se comparado ao que está acontecendo no restante do país. A PM ajuda Porto Velho, por exemplo, a ser a 16ª Capital do país entre as mais violentas. São Luiz do Maranhão é a detentora do triste título. Ainda, claro, estamos longe do ideal, porque a PM não tem efetivo nem perto do que precisa e ainda parte importante dele, que deveria estar nas ruas, está a serviço de políticos e de órgãos que nada têm a ver com a segurança pública. Mesmo assim, nossos policiais fardados têm alcançado números bastante positivos no combate ao crime. Longe do que merecemos, mas positivo dentro das condições que a PM têm.

 

LUIZINHO TEM SORTE

Sorte tem o deputado Luizinho Goebel, de Vilhena. Ele viaja de ônibus ida e volta, toda a semana, entre sua base eleitoral e Porto Velho, para participar das atividades da Assembleia Legislativa. Sempre à noite, tanto na ida quanto na volta. Nesta semana, por compromissos acumulados na sua região, o sul do Estado, Luizinho decidiu não viajar à Capital, para poder cumprir extensa agenda tanto em Vilhena como em várias outras cidades do Cone Sul. Já havia inclusive reservado passagem no ônibus da Eucatur que sairia na noite de segunda e que chegaria à Rodoviária de Porto Velho na madrugada de terça. Como desistiu da viagem, Luizinho Goebel escapou de um acidente. O ônibus que o traria e que vinha quase lotado de Vilhena, colidiu com a ponte sobre a BR 364, causando grande susto na maioria dos passageiros e resultando em pelo menos quatro feridos, com alguma gravidade. Chovia muito no momento do acidente e o ônibus acabou batendo na mureta de proteção, na ponte do rio Preto do Crespo, em Itapuã do Oeste. O motorista teve fratura exposta. Luizinho escapou do acidente, porque não viajou na última hora.

 

MONUMENTO À BUROCRACIA

Vai começar a ciranda. O governo federal vai gastar milhões de reais com um estudo de viabilidade para uma futura duplicação da BR 364. Ora, sabe-se muito bem o que isso representa: tempo e dinheiro perdidos, meses de vai e volta; falta de dinheiro no meio do caminho, enquanto os candidatos vão usar o tema nos palanques, como se a duplicação fosse acontecer amanhã de manhã. Uma empresa especializada vai ser contratada através de concorrência para apresentar estudos de “impacto ambiental” e outras coisinhas mais que todos já conhecemos. Depois ainda tudo passa por “trocentos” órgãos, que ajudam a manter o Brasil sob o jugo da burocracia infernal e, quem sabe dentro de alguns anos, depois de todos os obstáculos serem transpostos, vamos receber a maravilhosa notícia de que, sim, a BR 364 pode ser duplicada. Ora, qual o rondoniense de bom sendo que não sabe que essa é uma obra vital, que deveria começar ontem de manhã e não daqui a uma década? Vamos continuar assistindo mortes e mais mortes no tenebrosa Rodovia da Morte, enquanto os burocratas comemoram seus feitos, atrasando o quanto podem o desenvolvimento do nosso país.

 

VIERAM A PÉ DE WOODSTOCK

Dois idiotas, trintões mas com mente infanto/juvenil, daqueles que vieram a pé de Woodstock, foram presos na Capital, por pichação de um muro enorme na avenida  Dom Pedro II, perto da BR 319 ( avenida Jorge Teixeira), na Capital. Dizendo-se universitários (ele com 30, ela com 29) a dupla de débeis mentais escreveu longas frases, saudando o centenário da “Revolução Socialista”, os dois certamente aprenderam muito sobre depredação do patrimônio alheio, mas muito pouco nos cursos que frequentam, já que não se formaram até agora, mesmo com idade em que já poderiam ter seus diplomas há pelo menos cinco anos.  Essa gente, idiotizada pelas palavras de ordem; bonecos de ventríloquo da mesmice esquerdista, ainda têm algum tom de ingenuidade, por acreditarem em babaquices e palavreado que a História já provou, serem destruidoras e não construtoras da Humanidade. Os dois vão responder pelo crime em liberdade, mas deveriam mesmo é receber a punição pública de terem que repintar o muro que esculhambaram e ainda pagar ao proprietário por danos morais. Mas, com o sistema legal que temos, obviamente que isso nunca vai acontecer. Pelo contrário: a impunidade vai gerar mais idiotas. Lamentável!

 

“CONFÚCIO FICA NO PMDB”

Amigo pessoal de Confúcio Moura há muitos anos, o jornalista Osmar Silva escreveu texto, nessa semana, deixando claro que o Governador não deixará o PMDB. Os dois se conhecem há décadas. Osmar sabe o que seu amigo e parceiro político pensa e, partindo dele,  tem que se acreditar no que foi escrito. Resumidamente: “o discurso do governador Confúcio Moura, na inauguração do Hospital do Amor da Amazônia, defendendo as realizações do PMDB e de Michel Temer, enterra de vez a tese de áulicos que insistem em achar qjue ele deixará o partido de Ulysses Guimarães, em busca de uma cadeira ao Senado. Isso não acontecerá nem que a vacada tussa”, brinca o jornalista e advogado. Osmar escreveu ainda que Confúcio “não rasgará sua biografia partidária” e analisa que se houvesse qualquer chance de que isso ocorresse, “o melhor Governador do país”, segundo ele, Osmar Silva, “não defenderia seu velho PMDB, num evento de repercussão nacional”. Como é muito próximo de Confúcio Moura há muitos e muitos anos, Osmar Silva certamente sabe muito bem o que está escrevendo.

 

BOLSOS ESFARRAPADOS

Lá vem. De novo! Outro aumento para o pobre consumidor rondoniense, cujo bolso já é atacado de todos os lados e por todas as formas que se possa imaginar. Depois do gás, cujo preço saltou às alturas e do combustível, que está no mesmo patamar, agora é a vez da energia elétrica. O governo autorizou aumento nas contas, em média de 8,27 por cento  já a partir dessa semana. No total, mais de 630 mil unidades de consumo vão levar mais esse tiro no bolso, já todo esfarrapado, do pobre trabalhador. Uma parte desse abuso é paga pelo consumidor que está em dia com suas contas, porque entra na cálculo o consumo total, incluindo os milhares de “gatos” que a empresa não consegue combater e, é claro, sobra para os otários de sempre. Aliás, é bom que se aproveite o ensejo para dizer que os números tão baixos da inflação não podem estar retratando a verdade, depois de tantos aumentos em produtos de primeira necessidade. Que cálculo é esse? Se baseia só no preço de alguns produtos ou é baseado em toda a cadeia de consumo? Se for assim, o 3 por cento de inflação comemorado pelo governo é, apenas, mais um engodo!

 

PERGUNTINHA

O que você acha da decisão do campeoníssimo de votos, o  humorista e deputado federal Tiririca de abandonar a política e voltar à TV, depois de dois mandatos na Câmara Federal, alegando que não quer mais ser tão cobrado pelos eleitores?

 

 

Banner de Divulgação 9

Sérgio Pires 27/11/2017

NA AMAZÔNIA, TODO O PODER AO IBAMA: É POLÍCIA, É JUSTIÇA E EXECUTA A SENTENÇA

Uma legislação antipovo, antiAmazônia, vinda de cima para baixo, cumprida rigorosamente contra quem trabalha (embora, claro, não se possa negar que há muitos criminosos que também são combatidos), está causando uma verdadeira guerra dentro da nossa região, embora ainda com pouca repercussão. Uma pena que autoridades de outros setores não usam a dureza da lei para combater os crimes comuns, com a mesma forma dura e com a mesma extrema fúria. Os assassinatos bárbaros. Os grandes traficantes. Os líderes de organizações criminosas. Não há exemplo de cumprimento tão rigoroso da lei quanto o que dá os funcionários do Ibama, coordenados por decisões ideológicas, cumpridas à risca. Usando artifícios legais que dão a eles o poder de polícia e de Justiça, alguns  fiscais cometem os mais duros ataques que se tem notícia na Amazônia. Ao invés de apreender equipamentos, os incendeiam. As invés de apreender implementos inutilizados ilegalmente, os destroem. Ao invés de levar à Justiça os casos em que fazem apreensões, tomam a si a decisão (protegidos pela lei, sem dúvida!), de fazer o que bem entendem, nem que isso signifique acabar com o ganha pão de centenas de famílias, sem lhes dar alguma opção. Nesse contexto, as reações têm sido também muito duras. Prédios e carros do Ibama têm sido atacados e incendiados pelo povo da Amazônia nos últimos meses.  Por exemplo: foram queimadas uma carreta com oito camionetes na rodovia BR 163 (em Mato Grosso) em julho passado. Em outubro,  prédio e carros do Ibama foram destruídos e queimados em Humaitá (AM), em represália à ação em que fiscais queimaram mais de 50 balsas de garimpeiros que atuavam ilegalmente na região. Outro ataque aconteceu em Colniza, também no Mato Grosso, semanas atrás.

Ao sufocar as formas tradicionais de vida na região, sem dar alternativa de sobrevivência aos antigos moradores de áreas em que não há opção para sobrevivência, às ações, há reação. O Ibama é um dos órgãos onde as leis do aparelhamento esquerdista mais são apoiadas, mesmo que ela atendam muito mais os interesses das ONGs (nacionais e internacionais), do que aos do povo brasileiro, morador em regiões abandonadas e que não têm como se sustentar, sem fugir às duras regras ambientais. É o Ibama também que sufoca o progresso da região, apoiado por setores do Ministério Público e do Judiciário, impedindo, por exemplo, a conclusão da BR 319, que liga Porto Velho a Manaus. Áreas em que as famílias podiam trabalhar há anos atrás, foram transformadas em regiões protegidas e todos são expulsos, não importa se tenham uma vida inteira de trabalho jogada no lixo. Quando os fiscais agem como incendiários, apoiados pela lei de parceria com os grandes interesses internacionais da Amazônia, a reação desesperada está se tornando comum. E o governo brasileiro, do alto da sua incompetência,  continua lavando as mãos. Todo o Poder ao Ibama!

 

 

O VIADUTO E O ESPAÇO

Porto Velho ganha duas grandes obras no mês de dezembro. Numa visita às obras do novo viaduto sobre a BR 364, na Três e Meia, o senador Ivo Cassol e o deputado Luiz Cláudio (que conseguiu os recursos para a conclusão dos trabalhos), foi anunciada a data oficial de inauguração. Será no dia 8 de dezembro, com a presença de autoridades federais, estaduais e municipais. É aquela obra que vai ajudar muito a ligação com a zona sul, encurtar caminhos, desobstruir o trânsito e diminuir significativamente os perigos que a travessia de um lado ao outro da rodovia, na Capital, causa ao pesado trânsito naquela área. Outra data importante para o porto velhense será a de 22 de dezembro, coincidentemente a data em que foi assinada a criação do Estado de Rondônia. Numa quinta-feira, a três dias do Natal, o governo pretende entregar, cem por cento prontas, todas as obras do Espaço Alternativo. Segundo o governador Confúcio Moura antecipou numa entrevista e Sérgio Pires, da SICTV, o evento será uma grande festa natalina em homenagem à população e à cidade. Tomara que ambas as inaugurações aconteçam mesmo e que não haja mais prorrogações.

FALTA A ALFÂNDEGA

Autoridades do setor produtivo comemoram os primeiros passos concretos para a internacionalização do aeroporto Jorge Teixeira, em Porto Velho. O presidente da Federação das Indústrias, a Fiero, Marcelo Tomé, tem falado com entusiasmo sobre o assunto. O presidente Michel Temer, quando esteve na Capital, semana passada, assinou Ordem de Serviço para a implantação do sistema de “Finger”. Aqui serão instalados os equipamentos chamados ELO, que vão ligar o terminal de passageiros às aeronaves estacionadas no pátio. Para Marcelo, “Rondônia é um grande celeiro na produção de alimentos e estamos vizinhos ao mercado andino, com mais de 100 milhões de consumidores. E isso não podemos ignorar. Essa ordem de serviço é um primeiro passo para a internacionalização completa do aeroporto”. Ou seja, o empresário comemora um primeiro passo de uma longa caminhada para a definitiva internacionalização, que precisa passar ainda por várias etapas, como a instalação de um sistema de alfândega e de várias outras melhorias. Mas já é um começo...

GUAJARÁ NÃO FICARÁ ISOLADA

O Dnit foi ágil, em relação à BR 425. Logo depois que um bueiro rompeu, em função das intensas chuvas, na rodovia que ainda está em fase de conclusão, equipes do Dnit começaram a batalha pela recuperação da área. Segundo o engenheiro Emanuel Nery, que esteve no local com equipes do Dnit, houve um colapso de um antigo sistema de canalização de ferro, não trocado quando a obra foi realizada. Agora, tudo será refeito, com uma estrutura nova, de concreto, o que representará o fim definitivo do problema. O Dnit está trabalhando duro, agora, no sentido de manter a rodovia aberta, ao menos em parte, para que a ligação com Guajará Mirim não seja interrompida. Os trabalhos já iniciaram e serão realizados paralelamente às atividades de recuperação definitiva do bueiro. Ou seja, não haverá risco de isolamento de Guajará. Espera-se que tudo seja feito o mais rapidamente possível. O Dnit garante que está fazendo tudo para que a obra seja concluída o mais rápido possível.

PÔNCIO PILATOS E A VIOLÊNCIA

Vários assassinatos, mortos e feridos no trânsito; bêbados flagrados  dirigindo, inclusive um PM; homens agredindo mulheres; gangueiros matando uns aos outros; outro menor ladrão atacado, surrado e amarrado por populares, quando praticava mais um furto; assaltos sem fim, violência e mais violência: nada de novo no final de semana em Porto Velho, em Rondônia e em todo o país. Um dos casos mais tristes aconteceu no interior, em Chupinguaia, onde um homem bêbado matou um inocente e depois foi morto a tiros de espingarda pelo tio da vítima. Todos os finais de semana são assim: brigas, violência, tiros, agressões, roubos, assaltos, alcóolatras caindo nas blitz da PM. O Brasil vive um dos piores momentos da sua História, com impunidade absurda; com inversão de valores (no domingo, a Rede Globo vez mais uma reportagem extremamente facciosa , tentando transformar policiais em vilões e os bandidos em vítimas inocentes); com a covardia grassando; com o álcool e as drogas usados como combustíveis para tanta desumanidade e tristeza. Não há luz no fim do túnel, até porque as autoridades que deveria tratar do problema, continuam agindo tal Pôncio Pilatos: especializaram-se em lavar as mãos.

BOATOS? RUMORES? VERDADE?

Mesmo depois de vários dias da saída de Marden Negrão do comando da Secretaria de Trânsito, a Semtran, a boataria não para. Rumores intensos de que ele teria sido queimado por ter contrariado interesses comerciais de vereadores e grupos políticos são a tônica das conversas de bastidores, nos meios políticos de Porto Velho. Como o prefeito Hildon Chaves não se pronuncia sobre o assunto, ao menos publicamente, a boataria continua correndo solta. Uma fonte da coluna chegou a comentar que chegou a haver suspeita até de sabotagem nos semáforos da cidade, já que mais de 15 deles queimaram praticamente ao mesmo tempo, uma possibilidade praticamente nula, normalmente. Claro que por enquanto tudo não passa de conversa não oficial. Mas é bom lembrar que há alguns meses, quando participou do programa Papo de Redação, com os Dinossauros do Rádio, na Parecis FM, o próprio Hildon Chaves confirmou que estava recebendo pesadas pressões contra Marden Negrão, pelos interesses que ele estaria contrariando. O Prefeito não deu nomes, mas deixou claro que as pressões vinham sim dos lados da Câmara de Vereadores. Até hoje, toda a história não está esclarecida.

 

MOTIVO PARA COMEMORAR

O Magnifico Reitor da Unir, Ari Ott, tem motivo especial para comemorar seu primeiro ano à frente da instituição universitária, completado neste mês de novembro. Nesta segunda, o Ministério da Educação deu nota 4 (a nota máxima é 5), para o curso de Medina da entidade comandada por Ott.  O Conceito Preliminar de Curso,  indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação  e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição, foram publicados no Diário Oficial, dando esse destaque à Universidade Federal de Rondônia. O curso de Medicina da Unir aparece com média 4, ficando entre os melhores do país. Já outras duas importantes instituições de ensino privado de Rondônia, a Fimca e a São Lucas, também tiveram desempenho positivo e ficaram na faixa de nota 3, na avaliação geral. As informações referem-se à avaliação feita no ano passado, em relação ao Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) que contemplou 18 áreas de avaliação, 4.300 cursos e 195.757 participantes no exame. As informações referem-se a 2016 e contemplou 18 áreas de avaliação, 4.300 cursos e 195.757 estudantes que participaram do Enade.

PERGUNTINHA

Você lamentou ou está satisfeito  e aliviado pelo fato do apresentador Luciano Huck ter desistido de disputar a Presidência da República em 2018?

 

Banner de Divulgação 10

Sérgio Pires 25/11/2017

BUROCRACIA INFERNAL: RONDÔNIA JOGA DINHEIRO FORA, PERDENDO GRANDES NEGÓCIOS COM A BOLÍVIA

Estamos perdendo milhões de reais. Nosso prejuízo aumenta cada vez que uma nova barreira surge; cada vez que um obstáculo burocrático é colocado. Rondônia poderia dar um salto nas suas exportações. E para nossos vizinhos mais próximos. Não fosse a infernal burocracia e, também, a corrupção que grassa em vários setores, estaríamos hoje vendendo inúmeros produtos primários para a Bolívia (como milho, feijão, café e muitos outros), além de milhares de toneladas de calcário, que temos em abundância e eles não têm e trazendo, para cá, sal e ureia, que temos que importar de rotas distantes. As dificuldades são tão imensas, como barreiras invisíveis colocadas nos dois lados da fronteira, que os empresários têm que ter muita coragem e persistência, para não mandar tudo para os quintos dos infernos e desistir de continuar trabalhando duro para que o comércio bilateral Brasil/Bolívia prospere. Além da burocracia e da corrupção, ainda outros ingredientes que prejudicam nossas negociações com os vizinhos. Uma delas é o sistema de transporte e áreas de preservação. Só um exemplo: é proibido que carretas, necessárias ao transporte de mercadorias, possam rodar próximo ao Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques, fronteira com a Bolívia. Há necessidade de que o DER abra e torne transitável uma estrada alternativa, que facilitaria o envio e o recebimento das mercadorias, quando os negócios forem feitos. O Governo já prometeu a obra, mas até agora não fez nada em relação a ela. Nesse vai e vem, empresários dos dois lados lamentam as perdas, porque conhecem o potencial deste negócio,  que seria extremamente positivo para ambos.

O empresário César Cassol, dono de uma das maiores minas de calcário da região, que tem investido pesado nas possibilidades de negócios com a Bolívia, tem sofrido na pele todas as dificuldades que lhe são impostas. E ele é apenas um exemplo. Há dezenas de outros. Mesmo com todos os esforços que têm depreendido, as dificuldades encontradas são de tal monta que, se ele não fosse obstinado, desistiria deste mercado. “Sou apenas um empresário. Quem tem que resolver essas questões burocráticos e de facilitação dos negócios é a classe política, são governantes e os que detém o poder”, comenta. E o faz com razão. Há poucas ações concretas para resolver a parafernália burocrática, por exemplo. O vice governador Daniel Pereira tem trabalhando muito nesse sentido, mas por enquanto parece uma andorinha, solitária, tentando resolver a complexidade do que há a enfrentar. Mesmo com tudo o que um enorme mercado bilateral pode significar para Bolívia e Rondônia, estamos ainda vivendo de querelas e questiúnculas  que impedem que os negócios cresçam. Estamos, nós e os bolivianos, perdendo muito dinheiro, por falta de ação e de visão. Até quando vamos continuar perdendo?

 

 

ALAGAÇÕES E TORNEIRAS SECAS

Uma parte da cidade fica embaixo d´água. Noutra, tem é seca, mesmo em tempos de inverno amazônico. Vários locais de Porto Velho são atingidos pelas alagações, muitos deles com a contribuição dos porcalhões que jogam de tudo dentro dos canais (nesta semana, o prefeito Hildon Chaves mostrou nas redes sociais a retirada de uma bicama de dentro de um deles, algo absurdo) e em outras regiões, onde até há água suja que invade as casas, as torneiras estão secas. Centenas de famílias ficam uma e até duas semanas sem água. Num desses episódios, grande número de moradores do Residencial Porto Belo II, ao lado do Orgulho do Madeira, fecharam a Rua Osvaldo Ribeiro, na Zona Leste. Estavam há exatos 12 dias, sem abastecimento d´água. A Caixa Federal, responsável pelo condomínio popular, ignora os pedidos desesperados de solução dos moradores.  Para a Caerd, essa gente não existe. Não há quem os defenda nem quem resolva o problema deles. Restou apenas fechar a rua, colocar fogo em madeiras e pneus e chamar a atenção para a situação terrível que toda aquela gente está vivendo. Até agora, não adiantou nada. Todos os (ir)responsáveis, como sempre, continuam lavando as mãos...

 

SÓ UM POR CENTO

Tem alguns postulantes às eleições de 2018 que levariam um grande susto, se tivessem acesso a algumas das últimas pesquisas realizadas em Porto Velho. Há algumas lideranças que estão bem na foto, sim, mas nomes que já foram considerados quentíssimos perante o eleitorado de Porto Velho, pelas pesquisas atuais estão andando ladeira abaixo. Como o colunista empenhou a palavra de que iria preservar a fonte, vai fazê-lo. Mas os números são inegáveis. Um desses pré candidatos que são citados como praticamente certo entre os eleitos da futura bancada, cantado em prosa e verso, aparece numa das pesquisas feitas na semana passada com apenas 1 por cento das intenções de voto. Isso mesmo! Um por cento. Obviamente que o quadro aponta o momento atual e tudo pode ser modificado daqui para a frente e em direção ao pleito de 18, mas que é preocupante é mesmo. Mais adiante, quando as coisas começarem a serem postas e as candidaturas oficializadas, os números de hoje poderão ser confirmados ou não. Mas quem tem vida pública e não passa de 1 por cento em pesquisa, mesmo um ano antes da eleição, tem algum futuro?

 

A SAÚDE DA SESAU

Semana de emoções para o secretário de saúde do Estado, Williames Pimentel e sua equipe. Primeiro, a melhor notícia dos últimos dias: duas meninas, queimadas pelo padrasto que matou a mãe delas e depois se matou, foram milagrosamente salvas pelas equipes do Hospital de Base. As crianças receberam inclusive implante de pele nas áreas queimadas, estão se recuperando e já não correm risco de morte. No mesmo dia, nessa sexta, Pimentel foi a Rolim de Moura, comandar a equipe itinerante da Policlínica Osvaldo Cruz que fará mais de três mil atendimentos e acabou personagem. Disse, pelas redes sociais, que “criou coragem” e acabou retirando um sinal de pele, atendido por uma equipe da própria POC. Enquanto parte da cúpula da Sesau estava em Rolim, outro evento ocorria em Porto Velho, no Palácio Rio Madeira/CPA. Uma servidora da secretaria, que está fazendo tratamento para doença mental há algum tempo, entrou no prédio armada de uma faca e ameaçava se matar. Foi contida e não aconteceu nada demais, além do susto. Tudo isso marcou uma sexta diferente para o pessoal  da Sesau testar seus nervos e sua saúde...

 

TODOS SAEM PERDENDO

A campanha municipal está de volta? Pelo menos é o que parece, no bate boca público entre o prefeito Hildon Chaves e o deputado estadual Léo Moraes, que foram adversários na disputa pela prefeitura da Capital, quando, no segundo turno, Hildon foi eleito com grande vantagem. Léo denunciou, da tribuna da Assembleia, que a Prefeitura estava ignorando as emendas que ele, na condição de deputado representante de Porto Velho, estaria encaminhando à Prefeitura. O discurso foi duro. Pouco tempo depois, Hildon Chaves respondeu. Negou qualquer dificuldade em acatar emendas e, em nota, disse que, pelo contrário, ele corre atrás de qualquer recursos, venha de onde vier, que possa ajudar o município. Aproveitou para dar uma alfinetada no seu adversário: afirmou que Léo poderia estar sofrendo ainda de trauma de derrota eleitoral. Léo Moraes retrucou, afirmando que os projetos que deveriam ser executados com suas emendas nunca o foram e que o Prefeito “deixe de ter cor partidária”. É o típico debate em quem ninguém ganha. Os dois podem sair perdendo, perante a opinião pública. Mas, pior que tudo, é a comunidade que sai perdendo, quando suas lideranças estão em confronto político-partidário.

 

 NOSSA CRISE É BEM MENOR...

Confusão, correria, ranger de dentes, empurra-empurra: tudo isso para fazer compras. Não parece surreal neste país de uma das maiores crises econômicas de toda a História? Em Porto Velho, contudo, a crise existe, mas é muito menor. Ao ponto de superlotar as Lojas Americanas, filial localizada na avenida Carlos Gomes. Na Black Friday, a loja, que oferecia descontos especiais aos seus clientes, dentro do período dessa promoção, que ate há pouco tempo existia apenas nos Estados Unidos, mas foi sempre copiada mundo afora, inclusive, é claro, pelos comerciantes brasileiros. Em Porto Velho, várias lojas venderam muito bem, nos centros comerciais que aderiram às promoções. Mas nenhuma certamente teve tanta gente quanto a grande loja da Carlos Gomes. Enquanto uma pequena multidão esperava as portas abrirem, desde as quatro da manhã, por perto havia sim sinais claros da crise que, embora menos dura, também atingiu lojistas por aqui: várias lojas e pontos comerciais da própria Carlos Gomes, além do único cinco estrelas da Capital, o  Hotel Vila Rica, estão com suas portas fechadas.

 

CRIMES DENTRO DA CADEIA

 Acostumados ao delito, ao crime, a falsear e mentir, dois ex governadores do Rio, presos, foram flagrados de novo, dentro da cadeia, fazendo o que mais sabem fazer: enganando e tentando levar vantagem, mesmo na condição de presidiário. Sérgio Cabral era abastecido, certamente com aval da direção da cadeia e dos agentes penitenciários, senão não conseguiria, com o que há de melhor em comilança. De camarão a queijos importados. Dentro da cela. Garotinho, que sabe se fazer de vítima, mas quando está solto manda milicianos ameaçar quem não lhe dá dinheiro, inventou que foi atacado dentro da cela onde estava detido. Câmeras de segurança provaram que ninguém sequer se aproximou dele. Ele se autoflagelou, para dizer que está correndo risco de vida. Uma vergonha. É esse tipo de gente que o eleitor coloca no poder em um dos mais importantes estados da Nação brasileira. O crime no Rio começa de cima para baixo e se espalha qual câncer. Enquanto canalhas dessa estirpe forem colocados em cargos públicos pela população, não haverá saída pra o Brasil. Vamos mesmo para o fundo do abismo..

 

PERGUNTINHA

Quem foi fazer compras na já famosa Black Friday fez mesmo bons negócios e gastou muito menos ou caiu no golpe que teriam praticado alguns comerciantes, que aumentaram tremendamente seus preços e depois anunciaram descontos de até 70 por cento?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 11

Sérgio Pires 23/11/2017

GOVERNANTES QUADRILHEIROS: E O POVO NÃO TEM NENHUMA CULPA?

Até que ponto a população tem parcela de culpa no que está acontecendo não só no Rio de Janeiro, mas também em várias regiões do país, onde os escolhidos pelo voto formaram quadrilhas para assacar os cofres públicos?  Vejamos o exemplo do Rio: dominado pelo crime organizado, desde o formado por seus governantes e representantes no Parlamento e órgãos de fiscalização até a violência do tráfico, que assola não só as favelas, como toda a cidade, o Rio de Janeiro vive provavelmente o pior momento da sua história. Todos seus governadores desde 1998 estão presos. Todos os últimos presidentes da Assembleia Legislativa, desde 1995, estão presos. Cinco dos seis conselheiros do Tribunal de Contas (aliás, esses tribunais precisam ser melhor avaliados em todo o país!), estão presos. Na cadeia ou cumprindo condenação também estão deputados, vereadores, secretários, empresários, líderes de grandes conglomerados, figuras públicas até há pouco famosas. Os chefes do tráfico devem estar morrendo de inveja, porque perderam espaço na mídia para esses quadrilheiros de terno e gravata, que se especializaram em roubar o povo e tornar uma das cidades mais belas do mundo, o centro da corrupção, tão pior quanto Brasília. Os levantamentos apontam desvios de bilhões de reais, que, se estivessem atendendo os interesses do povo, colocariam o Rio como melhor estado do país em qualidade de vida da população. Pior de tudo é que não há luz no fim do túnel para tanta roubalheira. Enquanto as operações continuam prendendo bandidos, outros grupos continuam roubando como se nada estivesse acontecendo.

Os líderes das facções criminosas da política estão todos no mesmo Presídio. De lá, certamente como o fazem os grandes criminosos cumprindo pena em cadeias federais ou não, vão continuar comandando suas quadrilhas, enquanto ameaçam uns aos outros, não pelo interesse público, claro, mas apenas por poder e dinheiro. O deputado Jorge Picciani, ex presidente da Assembleia, de sua cela já ameaçou matar o ex governador Antony Garotinho, que está algumas celas depois. Sérgio Cabral, ex governador, continua recebendo informações privilegiadas, ao ponto de ameaçar um magistrado, falando sobre as atividades da família do juiz que o julgava. Rosinha Garotinha defende o marido, mas não explica como a quadrilha ameaçava quem não lhes dava dinheiro sujo para campanhas políticas mais sujas ainda. Todos dizem que o povo não tem culpa. Tem sim. Escolher esse tipo de bandido para governar um Estado belo e rico, é uma culpa que não se pode tirar do eleitor. Pronto. Falei!

 

 

 

CONFÚCIO E OS NÚMEROS DE TEMER

Michel Temer e Confúcio Moura trocaram muitos elogios ontem, na inauguração do Hospital do Câncer. No privado e no público. Os dois, que foram companheiros na Câmara Federal durante 12 anos, quando Temer presidiu a Casa durante longo tempo e Confúcio cumpriu seus mandatos, se cumprimentaram e não pouparam gentilezas mútuas. Em seu discurso, inclusive, o governador de Rondônia (a quem Temer disse que tem estatura  para disputar a Presidência da República, depois que o deputado federal Lúcio Mosquini  afirmou que Confúcio poderia sim entrar na disputa presidencial), apresentou números do crescimento do país, desde que Temer assumiu. Os dados são desta semana. A inflação que era de 9,28  em 2916, hoje  caiu para 2,54; a taxa de juros, de 14,25 caiu para pouco mais da metade; a produção industrial, que era de 9,8 pontos negativos, hoje é 1,6 positivos, ou seja, cresceu quase 11 por cento; a produção de veículos, que tinha caído no ano passado em 24 por cento, deu um salto de recuperação e hoje chegou aos 28,5 pontos positivos: as exportações saltaram de 73 bilhões para 183 bilhões; as importações subiram de 53 bilhões para 125 bilhões, com a balança comercial positiva de 72 bilhões. O número final, apresentado por Confúcio: o crescimento do país no ano passado foi negativo, de 5,4 por cento e cresceu para 0,3 por cento, ou seja, saiu do vermelho e cresceu mais de 5,7 por cento.

 

ALTO ASTRAL E DISCURSOS

A bancada federal de Rondônia se esbaldou, durante a visita de um sorridente Temer, certamente aliviado por sair um pouco da pressão de Brasília e vir ao norte, onde foi recebido muito melhor do que em muitas outras regiões do país. Todos os deputados federais discursaram, saudando a obra (senadores abriram mão dos discursos), agradecendo ao governo e especialmente a Temer. Foram pronunciamentos curtos, mas em série, cada um dando seu recado. Foi um evento importante para todos, inclusive para a  deputada Marinha Raupp, exatamente no dia do seu aniversário. Assim como outros membros da bancada, ela fez muitos agradecimentos, destacando, mais que tudo,  a união das lideranças políticas do Estado em torno da causa do Hospital do Câncer. Fez também elogios rasgados a Temer, com um palavreado como poucos políticos têm se referido ao Chefe da Nação.  Mariana Carvalho , oposição a Michel, já tinha dito, pouco antes, que em missões como essas, desaparecem as divergências político partidárias e todos se unem para um objetivo maior. Já Confúcio Moura abriu seu discurso homenageando Henrique Prata, o comandante geral do HC da Amazônia. O governador comparou a velocidade com que trabalha Henrique Prata a um carro de Fórmula 1, enquanto a estrutura estatal é sempre lenta e anda como um Fusca. Elogios, gentilezas, alto astral. Um hospital da grandeza que Rondônia ganhou de presente, mereceu tudo isso. E merece muito mais!

 

BONECOS DE VENTRÍLOQUO

Nem meia dúzia de gatos pingados protestaram contra a presença do presidente Michel Temer em Porto Velho. Ele veio basicamente trazer três benefícios importantes. O maior deles: inaugurou oficialmente o Hospital do Câncer da Amazônia, uma das mais importantes obras do setor de saúde do Estado. Depois, entregou equipamentos novos ao Hospital Infantil Cosme e Damião. Por fim, assinou Ordem de Serviço para instalação dos “finger”, sistema que liga o terminal às aeronaves e, certamente, dão mais segurança e conforto aos passageiros do aeroporto internacional Jorge Teixeira. Sem qualquer repercussão, alguns poucos tentaram queimar pneus na B 364,perto da Unir, mas ninguém deu bola, apenas no local houve uma irritação generalizada dos motoristas. Tudo bem longe da comitiva presidencial, um ou outro repetia aquelas palavras de ordem que todos já conhecem e que não fazem mais qualquer efeito. Embora com a popularidade cada vez mais baixa, primeiro por sua incompetência mesmo, mas muito por causa da campanha nunca vista contra um Presidente, feita pela mídia nacional, Temer está melhorando o país, ao menos na economia. Quem perdeu espaço, como sindicalistas ineptos, esses sim, são os que mais estão chiando com as reformas. E, é claro, alguns esquerdopatas irracionais.  Bonecos de ventríloquo de sempre, que só servem para repetir as desgastadas e desacreditadas palavras de ordem. E são cada vez menos....

 

A REPERCUSSÃO NACIONAL

Como não houve manifestações dignas de registro contra Temer, parte da mídia nacional acabou destacando a inauguração do Hospital do Câncer, mas dando ênfase ao aspecto político do evento. O UOL (Folha de SP), mancheteou: “Em RO, Temer dá palanque a aliados que exaltam aplicação de emendas liberadas”, fazendo uma ilação de que o dinheiro que Temer liberou à Rondônia, via emendas parlamentares, fez parte do pacote que o livrou de dois processos, ambos não autorizados pelo Congresso. O Estadão deu como título “Devemos Pregar o Amor, diz Temer em Rondônia”, com uma pitada de ironia, mas retratando positivamente o evento. No G1, da Globo, em seu noticiário nacional, ao menos até o final da tarde desta quinta, nem uma linha sobre o evento. Já o G1 regional deu sim boa cobertura, inclusive divulgando transmissão por vídeo, ao vivo, da solenidade no Hospital do Câncer. No site da Band, a inauguração de um hospital que vai atender 1.500 doentes por dia é simplesmente ignorado. Nem uma linha. No Estado de Minas, principal jornal daquele Estado, William Bonner e seus trigêmeos são destaque. Mas nem uma linha sobre Temer em Rondônia. Houve aqui a ali alguma cobertura, mas muito aquém da importância do evento.

 

UMA PEÇA TEATRAL DE ONZE ANOS

É a mesma peça e o mesmo entendo há mais de uma década! Onze anos depois e 2 milhões de reais já gastos, o esqueleto do Teatro de Ariquemes continua envergonhando a comunidade e provando ser, como  tantas obras paralisadas no Estado e Brasil afora, mais um monumento ao desperdício e à ineficiência.  O projeto começou a sair do papel em 2006, portanto há onze anos. Andou um pouco e parou. Recomeçou anos depois. Parou de novo. Em 2012, em seu primeiro mandato, Confúcio Moura, que era o Prefeito da cidade quando a construção do Teatro  começou e agora comandava o Estado, liberou recursos para que a construção fosse concluída. Não deu. Daquela vez, foi o Tribunal de Contas (olhe ele aí, gente!) quem impediu o andamento da obra, considerando que o edital estava cheio de erros. Mais cinco anos se passaram e nada. Lá está aquele esqueleto, tomado pelo mato e sujeira, com 2 milhões de reais já enterrados. Pela enésima vez, agora se anuncia que o Teatro de Ariquemes, agora, vai ser concluído. Tem dinheiro, foi feita nova concorrência, com a participação de dez empresas, das quais apenas cinco foram consideradas habilitadas e tudo aponta para que a novela, enfim, tenha um final feliz. Mas, é claro, todos que conhecem a história do prédio só acreditarão vendo....

 

PERGUNTINHA

O nome do governador Confúcio Moura foi citado pelo deputado Lúcio Mosquini, com apoio do Presidente Temer, como possível candidato à Presidência da República. Você votaria no atual governador de Rondônia para comandar o Brasil?

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 12

Sérgio Pires 22/11/2017

TEMER EM PORTO VELHO TERÁ QUE ENFRENTAR, DE NOVO, A FÚRIA DA MÍDIA NACIONAL

A manhã desta quinta marca a primeira visita de Michel Temer como Presidente da República a Rondônia. Ele esteve aqui em fevereiro de 2016, ainda na condição de vice presidente, inaugurando o laboratório de Patologia da Policlínica Osvaldo Cruz. O sistema de segurança foi enorme, até maior do que tiveram os ex presidentes Lula e Dilma Rousseff, quando vieram visitar as hidrelétricas do rio Madeira. Tudo porque, naquele momento, estava chegando ao auge a guerra Temer x Dilma, que culminaria com o impeachment da Presidente e com a posse dele como Chefe da Nação. Na visita que fará à Capital do Estado, nesta quinta, claro que o esquema será ainda mais complexo. O Presidente da República chegará de Brasília por volta das nove e meia da manhã e às 10 horas seguirá, de helicóptero, para o Hospital do Câncer de Barretos. Ali, ele fará a inauguração oficial de um dos maiores e mais importantes hospitais do país, construído com grande apoio da comunidade e mantido com apoio do Estado e através do credenciamento do SUS. Aliás, em relação a isso, Temer teve importante participação, porque foi uma ordem pessoal sua que fez andar, no emaranhado burocrático que assola o país, os trâmites para que o HC da Amazônia pudesse funcionar rapidamente. Não se esperam protestos durante a solenidade do HC, porque todo o trajeto do Presidente, ida e volta, será de helicóptero. Mas na segunda solenidade, Temer poderá sim ter que enfrentar manifestantes. Embora poucos, como sempre, sindicalistas, petistas e outros “istas” estariam preparando um protesto com faixas, cartazes do “Fora Temer” e outros mais.

O Presidente sairá da solenidade de inauguração e depois vai fazer um agrado a membros da bancada federal, especialmente ao deputado Lindomar Garçon, na entrega de equipamentos para o Hospital Infantil Cosme e Damião, ao lado do HB. Dali volta ao Jorege Teixeira,  que é bem próximo, assina liberação de recursos para melhorias no aeroporto e embarca novamente para Brasília. Não se sabe se os protestos serão mesmo realizados e se Temer sofrerá vaias e críticas durante sua estada aqui. Como terá muito pouco contato com o público, devido ao isolamento determinado pelos órgãos de segurança, talvez nem veja muito bem o que ocorrer nas proximidades. Mas se houver um só manifestante, certamente ele se tornará notícia nacional, pela forma parcial que a mídia (com apoio surpreendente da Rede Globo), tem dado ao governo de Temer. O Brasil está menos ruim do que era nos tempos de Lula e Dilma, a economia dá sinais de melhora e o desemprego caiu um pouquinho. Há esperança, enfim. Mas não para a grande mídia brasileira. Essa continua tratando o governo Temer como inimigo.

                                                      

 

CINCO QUARENTONAS

 

Ji-Paraná, Ariquemes, Cacoal, Pimenta Bueno e Vilhena, cinco das principais cidades do Estado, comemoraram 40 anos de criação nesta semana, as cinco com momentos de desenvolvimento significativos e com desafios ainda maiores. Ji-Paraná está vivendo, hoje, provavelmente o melhor momento da sua História. Além de receber um pacote de obras, tem tido, no comando de Jesualdo Pires, uma administração respeitada e comprometida com a comunidade. Em Cacoal, a prefeita Glaucione Rodrigues está tentando recuperar a cidade, depois de dois mandatos do Padre Franco que, no final, tiveram resultados muito aquém dos esperados. Já Ariquemes vive também seus graves problemas, mas continua crescendo acima da média estadual. Por lá, o prefeito Thiago Flores assumiu com pesados desafios á frente. Tem conseguido avançar, mas com cintos apertados e enormes dificuldades. Além disso, a violência que domina a cidade e a região, também é fator de enorme preocupação, embora nesse quesito o município muito pouco possa fazer. Vilhena também cresce, mas tem um histórico de lideranças políticas envolvidas com escândalos. Está na hora de acabar com essa pecha. Pimenta Bueno anda melhjorando, sob o comando de Juliana Roque, cara nova na política, cheia de vontade de acertar. Cada um com suas características e problemas, mas as cinco cidade crescem e superam desafios, ao chegar às quatro décadas de vida...

 

PELO BEM OU PELO MAL...

Pode-se dizer de tudo e criticar o que quiser no mandato do néo vereador Marcelo Cruz, menos que ele não seja criativo e midiático. Desde que assumiu, Marcelo tem se envolvido em grandes polêmicas, mas permanece quase todos os dias na mídia, destacando-se dos seus pares e se tornando mais conhecido por isso. Midiático competente. Se isso vai colar ante o eleitorado e elegê-lo deputado estadual, como ele pretende, é outra história. De vez em quando ele dá uma bola totalmente fora, como quando tentou atrasar as obras do Hospital de Urgência e Emergência de Rondônia, o Heuro, por causa de uma burocrática e fajuta audiência pública. Mas se redimiu e correu para buscar um tema que agrada a maioria: as discussões sobre questões de gênero nas escolas. Primeiro, inventou um projeto sem pé nem cabeça, impondo censura à discussão do tema dentro das escolas. Não colou, é claro, por totalmente inconstitucional, mas o colocou muito bem perante a maioria da opinião pública. Depois, publicou nas redes sociais um manifesto se colocando totalmente contra a discussão sobre gênero nas escolas, traduzindo o sentimento evangélico, que ele pretende também representar. De cada dez comentários postos em suas declarações, nove foram de apoio. Esperto, Marcelo Cruz não vai passar em branco pela Câmara. Pelo bem ou pelo mal, ele está se destacando sim...

 

NOMES QUE VOLTAM...

Há nomes que estão voltando à política e que podem se dar bem em 2018. José Guedes, por exemplo, sonha em ser o candidato ao Governo pelo PSDB. É praticamente certo de que não o será, mas ao menos reaparece com destaque no cenário político e, com a mídia que tem recebido, poderá optar por outros desafios na eleição do ano que vem. Outro nome que tem aparecido com grande destaque é o do empresário e ex Constituinte Chagas Neto. Ele tem uma história pessoal que se confunde com a história de Rondônia, desde a transformação em Estado. Seu trabalho em benefício da população mais pobre, com a criação de dezenas de conjuntos habitacionais, por exemplo, até hoje é lembrado.  Liderança do setor da construção civil, presidente do Conselho de Administração da Federação das Indústrias de Rondônia, a poderosa Fiero, Chagas é daqueles personagens que Rondônia jamais esqueceu, por tudo o que realizou. Sem contar ainda de sua importante participação na Constituinte de 1988, quando teve atuação destacada. A decisão de Chagas de buscar uma cadeira na Assembleia Legislativa tem tido apoio de todos os lados. Merecidamente, aliás...

 

BRUTALIDADE CONTRA AS MULHERES

Na contra mão da batalha diária do procurador Héverton Aguiar e tantas outras autoridades, berrando em defesa das mulheres, há um número crescente de ocorrências de agressões e crimes contra elas, registrados em Rondônia e especialmente em Porto Velho. Quando mais o promotor dá duro para que haja mais proteção às mulheres e que os agressores sejam exemplarmente punidos, mais eles se tornam cruéis e covardes. Parece que o fazem não só por serem apenas covardes mesmo, mas também para mostrarem que não têm medo da pífia legislação, que apenas faz barulho, mas na verdade pune muito pouco. Mesmo presos em flagrante, a maioria desses criminosos acaba sendo beneficiada por um pacote de benesses legais e, muitas vezes, em pouco tempo estão soltos outra vez, para continuarem cometendo suas barbáries. Agridem, ferem e matam por qualquer motivo. O que se pode dizer de positivo é que, não fosse a luta do promotor Héverton e de tantos outros homens e mulheres que berram contra essa violência absurda, as coisas seriam ainda piores. Mas é bom que ninguém se engane. Com o atual pacote de leis de proteção a bandidos de todas as estirpes, os crimes contra as mulheres continuarão impunes.

 

REAÇÃO DA TURBA

De vez em quando há reação sim e os bandidos perdem. São raros os casos, mas eles ocorrem cada vez em maior número. Repetiu-se nesta semana, no centro de Porto Velho. Um bandido atacou uma mulher indefesa, derrubando-a e ferindo, para roubar o celular dela. A vítima gritou por socorro e em pouco tempo várias pessoas apareceram, atacando o canalha agressor, derrubando-o e enchendo de porrada. Não havia polícia por perto, enquanto a mulher era assaltada. Mas logo depois que o bandido começou a ser surrado, apareceu uma equipe da PM, para salvar a pele do agressor. Não fosse isso, ele certamente sofreria muitos ferimentos, porque as agressões foram violentas. Esse tipo de situação tem acontecido eventualmente em alguns pontos da cidade, como tem ocorrido, aliás, em outros estados. A população tem reagido e quando põe a mão nos criminosos, eles correm sérios riscos. Na grande maioria dos casos, quando não conseguem fugir da fúria da turba, são salvos pela Polícia Militar. Vitimas de todos os tipos de crimes, estão criando coragem para não aceitar mais serem violentadas nos seus direitos, embora os únicos que são defendidos, na maioria dos casos, são os direitos humanos dos criminosos. Parece que para nossas leis, os direitos das vítimas não existem.

 

NOVELA QUE VIROU PIADA

E a novela tragicômica continua! No hotel de alta rotatividade de Ariquemes, também apelidado de Centro de Ressocialização, um presídio apenas de passagem, porque o preso entra por uma porta e em pouco tempo sai pela outra, mais uma fuga foi registrada nesta semana. Parece piada, mais infelizmente não é. Na cadeia que os próprios presos construíram, a grande notícia não é a prisão de algum bandidão, mas outros capítulo da novela sem fim, com o subtítulo de “As Fugas da Semana”!. Na última vez foram sete. Ou seja, parece que não há controle, nem fiscalização, nem cuidados, nem autoridade dentro do presídio para impedir que os detentos façam uso desse verdadeiro rodízio de fugas. Uma vergonha para o Estado, que gastou 25 milhões para construir um presídio que se transformou numa espécie de motel de alta rotatividade, onde o preso só fica se quiser. Será possível que ninguém vai tomar nenhuma atitude? Não haverá investigação dos órgãos de segurança; do Ministério Público ou de quem quer que seja, para tentar conter essa piada em que se transformou o tal Centro de Ressocialização, que a única coisa que ressocializa é permitir que os condenados possam se integrar novamente à sociedade, via fugas? Lamentável!

 

PERGUNTINHA

O novo sistema eleitoral que prevê eleição de parte dos mais votados e parte dos que conseguirem maior apoio em seus distritos (sistema distrital misto), aprovado no Senado, vai mesmo melhorar a qualidade das representações políticas no país?

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 13

Sérgio Pires 21/11/2017

SINDICATOS DESESPERADOS: SEM O IMPOSTO OBRIGATÓRIO, MUITOS VÃO FECHAR SUAS PORTAS

Eles não vão entregar os pontos tão facilmente. Querem continuar nadando na grana do imposto sindical, para poderem continuar utilizar seus sindicatos como braços políticos e usufruir de benesses que a imensa maioria dos seus associados, que pagam a conta, não têm e jamais terão. É o desespero! Pelo menos cinco entidades de trabalhadores estão unidas em ações no STF, tentando derrubar a lei que modernizou as relações trabalhistas no país. A grande preocupação, é claro, nada tem a ver com os trabalhadores. Eles só pensam “naquilo”: querem porque querem a volta do imposto obrigatório. O resto pode mudar. Menos isso. As federações nacionais dos Empregados em postos gasolina, de empresas de telecomunicações e outras entidades sindicais, estão arguindo a inconstitucionalidade da lei da Reforma Trabalhista. Questionando a forma “açodada” com que a Reforma teria sido feita, como se ela não tivesse percorrido dos os caminhos do Congresso, antes de ser aprovada. Falam em desobediência à Constituição e, lá vem eles com o tratado ideológico, afirmando que a nova legislação estaria ferindo “convenções e tratados internacionais de trabalho”. Quase risível, mas, enfim, o esperneio é sempre válido. Olha só a bela defesa do imposto, numa das ações impetradas: “a contribuição sindical tem natureza tributária e torna-se obrigatória a todos os trabalhadores da categoria, sindicalizados ou não, uma vez que o tributo, como tal, é uma obrigação compulsória. Não seria possível estabelecer a contribuição sindical como voluntária, já que a finalidade da contribuição sindical é defender os interesses coletivos ou individuais da categoria, e essa representação independe de autorização ou filiação”. Dá vontade de rir ou de chorar?

Poucos falam em eventuais perdas dos associados, em problemas para os trabalhadores (porque não os há!) ou brigam por suas categorias. A única e desesperada causa é o fim da obrigatoriedade do imposto, que eles fazem questão de chamar de “contribuição”. Sem ele, milhares desses sindicatos que não servem para nada, a não ser enriquecer seus dirigentes do mesmo grupo, que se alternam no poder e reforçar partidos políticos, principalmente o PT, estarão ferrados. Dos 15 mil sindicatos existentes no Brasil, com a nova regulamentação, sobrarão somente aqueles sérios, que realmente lutam por suas categorias e que não vivem de politicagem e dinheiro público. A CUT, por exemplo, já está quebrando, sem os rios de grana que vinham dos governos petistas. E é só o começo. Mas há um risco, sim. Nesse governo fraco e impopular de Michel Temer, ele e seus apaniguados podem querer agradar os sindicalistas, fazendo retornar o imposto que é muito bem usado por entidades sérias, mas muito mal pela canalhada que domina milhares de entidades classistas fajutas no país. 

 

 

TRANSPORTE COMPARTILHADO

Os táxis estão buscando alternativas para se adaptar ao novo  mercado. Depois do Uber e outros sistema de transportes via aplicativo na internet, que estão atingindo violentamente o serviço dos taxistas, deixando muitos deles quase na falência, a categoria decidiu agir. A ideia dos donos e motoristas de táxis é criar um sistema alternativo, uma espécie de táxi lotação, mas que seria chamado de transporte compartilhado. É a mesma coisa, com um nome mais pomposo. Com o serviço, os taxistas fariam transportes em grupos, cobrando apenas 5 reais por pessoas, em corridas programadas. Não importa de que parte da cidade até que local iriam, os passageiros pagariam os mesmos cinco reais. Até a criação de um aplicativo especial para esse serviço está sendo estudado. A concorrência está incrível. Não só do Uber, mas também de veículos particulares, que sem licença alguma, percorrer às paradas de ônibus oferecendo corridas a preços muito baixos. Vai ser uma guerra pelos usuários, que envolverá ainda os mototaxistas e o próprio serviço de ônibus. No final das contas, será mesmo melhor para a população, como parece?

 

ROUBO DAS ENCOMENDAS

Muitos porto velhenses estão tendo grande prejuízo, depois que bandidos assaltaram o posto dos Correios, na avenida Lauro Sodré, perto do Parque de Exposições e levaram inúmeras mercadorias, todas de encomendas que seriam ainda entregues aos compradores. O assunto está sendo tratado no mais absoluto sigilo, como se tais eventos tivessem que ser escondidos do público e, como se isso resolvesse o problema. Não há maiores detalhes, mas o caso está sendo investigado pela Polícia Federal e há comentários de os roubos não excluem a suspeita de envolvimento de  pessoas que teriam informações privilegiadas. Até agora, os Correios não divulgaram nem o que foi roubado, nem o valor dos prejuízos e como eles serão ressarcidos às vítimas, ou seja, pessoas que fizeram suas compras e esperavam por suas mercadorias depois de pagá-las. A PF recém começou seu trabalho, porque trata-se de roubo em uma empresa federal. Nem vítimas e nem a coletividade têm tido direito às informações sobre o caso.

 

HÁ 4 BILHÕES E 600 MILHÕES DE ANOS...

O Palácio Presidente Vargas, que foi sede do Governo durante décadas, agora é um museu. E lá está ocorrendo uma exposição diferente, que inclui peças pré históricas descobertas por aqui e em outros locais do Planeta, incluindo ossadas de animais que teriam dado origem aos peixes e que teriam sido extintos há mais de 400 milhões de anos. São fósseis muito bem preservados, que surpreenderão o visitante. Segundo a diretora do Museu, Ednair Rodrigues, há pedras de meteoritos, na exposição, que poderiam ter algo em torno de 4 bilhões e 600 milhões de anos, incluindo pedras lunares encontradas em diversos países, além de materiais raros, como minerais, rochas e fósseis.  Ossos de bicho preguiça e mastodonte que teriam mais de 20 mil anos, também fazem parte do acervo. É uma volta no tempo, aos primórdios do Planeta, que podem ser vistos através de centenas de peças expostas no Museu. Vale a pena visitar. O Museu funciona entre 9 horas da manhã até 17 horas e a exposição estará aberta ao público até o final deste mês.

 

ESQUENTANDO NOSSOS CARROS

O número é menor do que em 2016, mas ainda assim extremamente preocupante: nada menos de 1.200 veículos foram furtados ou roubados em Porto Velho, neste ano, segundo dados oficiais da área de segurança pública. O arrombamento de veículos de todos os tamanhos e o furto de tudo o que os ladrões encontram, é um problema que só aumenta em todos os bairros da Capital. Houve roubos também, quando os marginais usam armas para atacar. E ainda, nesse número, há algumas dezenas de outros veículos, mas principalmente motos, que são levadas para a Bolívia, em troca de drogas e, eventualmente, também de armas. Com a fronteira escancarada, veículos roubados em outras regiões do país também chegam a Rondônia e passam tranquilamente para o lado boliviano, onde lá, inclusive com o apoio de autoridades do nosso vizinho, a documentação é “esquentada”  e os veículos “nacionalizados”. Há carros roubados tanto em Porto Velho como em outras regiões do Brasil que chegam à Bolívia e hoje são de “propriedade” não só de políticos, mas também de policiais; Uma vergonha!

 

O BRASIL TROCOU DE NOME

Um pouco de história não faz mal a ninguém. Você sabia que o nome do Brasil mudou há 50 anos atrás. Isso mesmo! Neste ano, comemoramos os 50 anos da transformação da República dos Estados Unidos do Brasil para República Federativa do Brasil. Mas a principal notícia daquele período foi o acidente aéreo, até hoje sob alguma suspeita, que matou o primeiro Presidente do período militar, Humberto de Alencar Castelo Branco. Ele era adversário do seu sucessor, o linha dura Costa e Silva e tinha deixado o poder  há pouco tempo, antes de morrer acidentado. Quando o 1967  terminou, marcando os três primeiros anos do governo militar, o período mais drástico da ditadura ainda não tinha começado. Ela se intensificou mesmo a partir do final de 1968, um ano que,  passados meio século, transformou sim a história do nosso país. É sempre bem entrar no túnel do tempo, para lembrar um pouco da nossa história recente.

 

MAURÃO CADA VEZ MAIS FIRME

Cada vez mais, o deputado Maurão de Carvalho consolida seu nome como o pré candidato do PMDB ao Governo. Na segunda à noite, em mais um encontro do partido, o presidente da Assembleia participou de importante encontro com várias lideranças e membros da base, além de convencionais, num evemto que praticamente fechou o ciclo de preparativos para a campanha do ano que vem. Maurão destacou que foi uma conversa muito positiva, em que sua posição como o pré candidato peemedebista ficou ainda mais alicerçado. Muitas lideranças do partido estiveram presentes ao evento, realizado na sede, em Porto Velho: o senador Valdir Raupp; seu suplente  e presidente regional do partido, Tomáz Correia;  a deputada federal Marinha Raupp (PMDB-RO), os deputados estaduais peemedebistas Só Na Bença, Jean Oliveira, Rosângela Donadon e Edson Martins e o secretário geral José Luiz Lenzi, entre outras lideranças do PMDB.

 

PERGUNTINHA

Se você pudesse falar com o Presidente Temer, que estará nesta quinta em Porto Velho, para inaugurar o Hospital do Câncer da Amazônia, o que você mais gostaria de dizer pessoalmente a ele?

 

 

 

 

Banner de Divulgação 14

Sérgio Pires 20/11/2017

PREFEITURAS QUEBRADAS PEDEM SOCORRO E O ESTADO DIZ QUE NÃO PODE AJUDAR

Na semana passada, pelo menos 40 prefeitos de Rondônia foram à Assembleia pedir socorro. A iniciativa do encontro foi da Arom, a Associação dos Municípios do Estado e foi acatada pelo presidente Maurão de Carvalho. Os prefeitos queriam apoio do parlamento para pressionar o Governo do Estado a ajudar as prefeituras, liberando 100 milhões de reais, para que a maioria delas consiga terminar o ano ao menos sem risco de insolvência.  A dramática queda na arrecadação e os altos custos de pessoal, são os maiores problemas, segundo os queixosos prefeitos. Claro que esqueceram de sublinhar também que, em muitos casos, são eles mesmos, sem competência administrativa, que têm parte importante da culpa da situação de quebradeira geral nos municípios. Mas nossas não estão sozinhas na crise que assola as comunidades brasileiras. Análise da  Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, aponta que  86 por cento das prefeituras do país têm situação fiscal crítica ou difícil. A Firjan diz que 2016 foi o ano com o maior percentual de prefeituras em situação difícil, de toda a série histórica do estudo, iniciada em 2006. O nível de investimento dos municípios atingiu o menor patamar em 10 anos. A situação em Rondônia está na média nacional. E o Governo diz que, mesmo que quisesse, não teria como ajudar os municípios com recursos para custeio, porque essa alternativa, no geral, é proibida pela Constituição.

No encontro da Assembleia, os prefeitos pediram recursos dos Fundos Estaduais (e isso o Governo tem mesmo em caixa, em torno de 240 milhões de reais), mas eles mesmos sabem que isso é impossível. Nem um só centavo dos fundos (do leite, do controle sanitário, do Fitha e todos os demais), pode ser usado fora da sua finalidade, sob pena de responsabilização do governante. Confúcio garante que quer ajudar os municípios e que tem feito tudo o que pode, mas no quesito de gastança, nada pode se consertar, além de medidas a serem tomadas pelos próprios prefeitos. Eles têm que cortar na própria carne; demitir, diminuir drasticamente os cargos comissionados, extirpar custos. Há casos em que a Prefeitura estava quase quebrada (segundo um importante membro do Governo) e está se recuperando, graças às duras medidas que tomou. Um dos exemplos disso é Rolim de Moura, que está conseguindo superar enormes dificuldades financeiras. O mesmo exemplo positivo, aliás, pode-se usar para Ji Paraná, que não tem crise. Já os prefeitos em crise querem dinheiro para pagar salários (o 13º inclusive) e o Governo diz que não tem como ajudar, sem burlar a lei. O impasse continua e não se sabe como a maioria dos prefeitos cumprirá seus compromissos de final de ano.

 

 

 

TEMER E O HOSPITAL DO CÂNCER

Nesta quinta-feira, dia 23, o presidente Michel Temer chega a Rondônia, pela manhã. Vai comandar a solenidade de inauguração do Hospital do Câncer da Amazônia, onde chegará às 10 horas, de helicóptero. O HC daqui é uma das melhores e mais respeitadas instituições de saúde no país. Foi construído, em Porto Velho, praticamente apenas com dinheiro de doações. Temer teve papel importante para o funcionamento do hospital, ao determinar que fossem apressados os processos burocráticos de credenciamento dele junto ao SUS. Sem isso, o HC da Amazônia não teria como funcionar. A pressão da bancada federal rondoniense foi importante, mas vital mesmo foi a ordem vindo do Presidente, que encurtou os meandros burocráticos. O que se lamenta é que, nessa dia festivo, aquela meia dúzia de sempre, composta por grupos de sindicalistas e simpatizantes da esquerda, estejam planejando um protesto contra o Presidente da República, que vem pela primeira vez à Capital rondoniense. Uma coisa absurda, misturar um momento importante para a coletividade, com a inauguração oficial de um Hospital do porte do que ganhamos, com a infernal politicalha que que queremos nos empurrar goela abaixo.

 

CONFÚCIO NAS AMARELAS

Claro que o assunto ainda não é oficial, até porque apenas comentado à boca pequena e entre um pequeno grupo. Mas sabe-se que em breve, pela primeira vez na história, um governante de Rondônia vai ganhar as páginas amarelas da Revista Veja, aquela das famosas entrevistas. O assunto começou a ser tratado dias atrás, quando o presidente do Grupo Abril, Walter Longo esteve reunido com Confúcio Moura  e um grupo de pelo menos 20 personalidades do Estado, além de convidados especiais, como o ministro Blairo Maggi. Longo chamou de “revolução” a forma como Rondônia está sendo gerida e disse que  tais avanços precisam ser mostrados ao restante do país. Há poucas informações a mais sobre o que foi tratado no encontro com as personalidades rondonienses, mas uma longa entrevista com Confúcio Moura para a Veja está alinhavada. A revista, que já foi uma das maiores do mundo, perdeu um pouco do seu poder e brilho, mas ainda é muito respeitada no país.

 

DOZE FERIADÕES NO ANO

Há quem faça discursos, berrando que precisamos trabalhar mais; batalhar mais; lutar todos os dias, para tirarmos nosso Brasil no atoleiro em que nos meteram. Não falta governante e nem político para defender essa bela teoria. O problema é sempre esse: da teoria à prática, há um longo, complexo e intransponível caminho. Enquanto produzimos muito menos do que deveríamos; enquanto ainda estamos engessados numa legislação trabalhista antiquada e amiga do retrocesso, mesmo com as reforminhas recém feitas; o que parece que a gente gosta mesmo é de festa. O que resto que espere, porque precisamos descansar. Não somos o país com mais feriados no mundo, mas pela nossa pobreza e necessidade que temos de sair do buraco, deveríamos ter muito menos. Como os feriados são feitos para funcionário público, que ganha mesmo que passe uma semana inteira sem trabalhar, 2018 teremos festa e mais festa de novo. Com um diferencial: haverá um feriadão a cada 30 dias. Doze feriadões no ano. Uma vergonha!

 

CASSOL E AS PESQUISAS

Há um dado relacionado com a eleição ao Governo que não tem mudado há vários meses, através de pelo menos uma dezena de pesquisas realizadas em várias regiões do Estado e por diferentes partidos: o ex governador e atual senador Ivo Cassol aparece em primeiro lugar em praticamente todas elas. Numa das últimas, feitas por um dos mais importantes partidos do Estado,  Cassol aparece na frente em 51 dos 52 municípios rondonienses, perdendo apenas na Capital e para a deputada federal Mariana Carvalho, que, ao que tudo indica, não vai concorrer à sucessão de Confúcio Moura. Cassol tem enormes desafios pela frente na área judicial, onde tem sido tratado com extrema dureza e, em muitos casos, com exagero. Mesmo assim, tem vencido algumas batalhas em instâncias superiores e sua candidatura em 2018 depende principalmente do Supremo. Entre seus simpatizantes, amigos e correligionários, há otimismo de que ele possa mesmo concorrer, livrando-se de processos e condenações. Só se saberá mesmo nos próximos meses, quando chegar o período para a formalização das candidaturas. Por enquanto, os cassolistas não pensam em Plano B.

 

MILAGRE NO TRÂNSITO?

Existe milagre sim! Pelo menos ,em relação a algumas coisas que mudaram do dia para a noite em Porto Velho, essa afirmação parece verdadeira. Depois da inércia a que estava condenada há quase um ano, do dia para a noite a Semtran começou a funcionar como nunca, desde que Hildon Chaves assumiu a Prefeitura. Semáforos que estava m inativos há vários dias, todos, foram consertados em menos de 18 horas. Sinalização horizontal e vertical que estava desaparecendo, começou a voltar às ruas. Os agentes de trânsito, transformados em meros assinantes de multas em esquinas da cidade, de repente passaram a ir para o meio da rua, controlar o trânsito. O prédio da Semtran, que parecia abandonado, foi totalmente limpo e até pintado por seus próprios funcionários. Tudo isso em pouquíssimo tempo. Desde que foi confirmada a exoneração do especialista em trânsito Marden Negrão, que chegou com a missão de resolver o caos do trânsito na cidade, mas não deu um só passo à frente, as coisas começaram a mudar radicalmente. Até o presidente da Emdur, Breno Mendes, que não abria a boca para falar no assunto, correu para as redes sociais, mostrar que a Emdur e a Semtran estão trabalhando em conjunto. Milagre!

 

SENTINDO NA PRÓPRIA PELE

Sem a grana dos cofres públicos que jorrava para seus cofres, durante longos anos, a Central Única dos Trabalhadores, a CUT está em crise. Anuncia um programa de demissão voluntária, que, aliás, já foi acatado por Delúbio Soares, ex tesoureiro do PT, que recebia de salário, na entidade sindical, nada menos do que 15 mil reais. Era da turma do PT que enchia os bolsos, via CUT, com nosso dinheirinho dos impostos. Agora a torneira secou e os funcionários começam a ser instados a negociar. Só que tem gente dentro da CUT que já ameaça com greve. Não parece piada pronta? Durante anos, a entidade que infernizou o país com seu palavreado  de ódio contra o capitalismo, vai ter que enfrentar uma paralisação dos próprios funcionários. Sentirá na pele o que significa uma greve. O assunto dominou a mídia nacional nos últimos dias, pelo inusitado. Mas recém começou. Com a nova lei trabalhista, que cortou o obrigatório imposto sindical, pelo menos cinco mil dos 15 mil sindicatos brasileiros vão ter que fechar suas portas, porque não terão renda alguma.Todos só viviam de dinheiro público e do imposto sindical obrigatório. The End!

 

PERGUNTINHA

 

Você aproveitou as ofertas da Black Friday no comércio ou está contando os centavos para suas futuras compras para o Natal, que já está batendo às nossas portas?

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 15

Sérgio Pires 18/11/2017

A CORRUPÇÃO IMPULSIONA BOLSONARO. ESTAMOS CAMINHANDO PARA O PRECIPÍCIO?

A notícia é mais uma, estarrecedora, entre tantos que tem conspurcado a vida do brasileiro, todos os dias: “o Ministério Público de São Paulo abriu inquérito para apurar a suspeita de que 18 coronéis e um político, que também foi oficial da Polícia Militar, tenham desviado até 200 milhões de reais dos cofres públicos da corporação. Inicialmente era investigado um desvio de 7 milhões de reais, mas segundo a Promotoria,  o esquema fraudulento era muito maior e  envolveria oficiais militares e empresas. O dinheiro viria da negociação de compras de produtos por meio de licitações”. Parece uma notícia comum, isolada, mas não é. A corrupção, que se enfronhou em praticamente todos os setores da vida pública, abocanha também instituições como a Polícia Militar, que deveria nos salvaguardar dos corruptos e criminosos; dos bombeiros, que já foram a mais respeitada instituição do país e já está dominando muitos parlamentos, chegando também, infelizmente, a setores do Judiciário. Esse é um quadro de extremo perigo para o Brasil. É a proximidade do caos, como o que está acontecendo no Rio de Janeiro, dominado pelo crime organizado dentro e fora do Poder; no Palácio do Governo, na Assembleia, no Tribunal de Contas. Tudo isso abre espaço para discursos como os de Jair Bolsonaro, de extrema direita, que cresce cada vez mais nas pesquisas na disputa Presidencial. Para uma fatia cada vez maior da  população, por não ser corrupto, Bolsonaro é a saída lógica. Ou seja, corremos o risco de novamente cairmos nas mãos de um Salvador, como buscamos em Fernando Collor de Mello. E deu no que deu. E com Lula, não seria pior? Voltaríamos, caso ele possa concorrer, aos tempos da incompetência, da destruição da economia, do populismo e da roubalheira. Tem saída?

Sem exagerar no pessimismo, está ficando muito difícil. Não temos nenhum grande líder nacional; não podemos confiar na classe política como um todo, com raras exceções, mas exceções não resolvem os graves problemas do Brasil. Precisaríamos de uma grande união nacional, mas apenas dos brasileiros de bem, para que voltemos ao caminho do crescimento, do pleno emprego, da busca de uma sociedade justa, democrática e decente. Como cada vez menos instituições e poderes podem ser confiáveis para um desafio como esses, os otimistas acham que são poucas as saída. Já os pessimistas têm certeza de que não há mais saída. O episódio da PM de São Paulo é apenas mais um triste exemplo de tudo o que estamos vivendo. O caso da Assembleia do Rio, que mandou soltar bandidos que a Justiça condenou, é também só mais um, entre tantos outros. Estamos caminhando para o precipício?

   

 

 

TUCANATO SEM CRISE?

Assunto das últimas semanas, que acabou dominando algumas áreas do noticiário político, um possível racha no PSDB rondoniense, inclusive com uma eventual saída de Expedito Júnior do partido, não se concretizou. Que houve algum bate boca e debates fortes, houve sim, no dia da convenção do partido que elegeu Mariana Carvalho como a presidente regional. À portas trancadas, a discussão foi extremamente acirrada, até que as duas alas que comandam no partido chegassem a um acordo. Mariana ficou com o poder de mando e Expedito ficou com a nomeação dos membros da Executiva tucana. Há ainda algumas fagulhas no ar, mas ao que tudo indica, a poeira já estaria sentando. Mariana tem queixas, sim. Uma delas é o fato de ter uma participação menor do que ela e seus apoiadores gostariam, na administração de Hildon Chaves, a nova estrela do tucanato. Expedito tenta contornar esse situação. Ouve-se que há um diálogo aberto para que as arestas sejam aparadas. Não foram ainda. Da porta para dentro, há ainda alguma mágoa no ar, mas dali para a fora, o tucanato firma pé de que o partido está em paz e pronto para 2018. O PSDB teria estrelas demais ou está de bom tamanho? Mariana é estrela em ascensão. Expedito é estrela consolidada. Hildon Chaves é a que começa a brilhar agora. Certamente que nem tudo são flores no ninho tucano, mas, ao menos até agora, não há indícios claros de que todos seus principais líderes não estejam buscando um convívio pacífico. Esperemos para ver no que vai dar...

 

HILDON E AS ALAGAÇÕES

 De volta, depois de uma rápida viagem á China, o prefeito Hildon Chaves encontrou, claro, muitos problemas e desafios à sua frente, desde o minuto em que reassumiu, na última quarta. O caso da Semtran ineficiente ele já resolveu. Mas ainda há, pela frente, o maior deles: começar de imediato um trabalho que ao menos amenize a situação de algumas áreas que, atingidas por qualquer chuva mais forte, se transformam em verdadeiros rios. Hildon sabe que a solução definitiva para o problema das alagações ainda vai demorar algumas décadas, mas sabe também que precisa começar. O caso da rua Barão do Rio Branco, em pleno centro da Capital, está na sua agenda e na da Secretaria de Obras. A Prefeitura precisa também, com urgência, lançar uma campanha de mobilização na comunidade, para combater o crime absurdo praticado contra Porto Velho, de se jogar lixo nas ruas. O lamentável hábito de muita gente é um dos principais motivos pelo entupimento da canalização e a falta de escoamento. Claro que não é só isso, mas essa questão precisa ser enfrentada logo. Sem mobilização e envolvimento da coletividade, nada vai melhorar.

 

 A DANÇA DOS EX PREFEITOS

 O  ex prefeito Mauro Nazif quer voltar ao Congresso Nacional. Ouve-se que ele é candidatíssimo a uma cadeira na Câmara Federal. Mas, por enquanto, continua reticente nas aparições públicas e não confirma, oficialmente, se será ou não candidato em 2018.  Outro ex prefeito, Roberto Sobrinho, que perto do final do seu segundo mandato tinha uma aprovação superior a 70 por cento, mas que teve sua carreira ascendente derrubada, numa operação em que ele foi preso, embora até hoje não tenha sido condenado definitivamente em nada, anda em silêncio. Não se sabe se ainda pensa em disputar algum cargo público. Qual o destino de Carlinhos Camurça, outro prefeito que marcou a história de Porto Velho? Fora das lides políticas há anos, empresário de sucesso, Camurça não fala, ao menos publicamente, sobre algum plano para o ano que vem. Dos ex prefeitos, o que é candidato, já que colocou publicamente seu nome a disposição do partido, é José Guedes. Ele quer ser o cara  

 

SOBRINHO E A VITÓRIA DE PIRRO

Por falar em Roberto Sobrinho, ele teve mais uma vitória importante, embora hoje pareça uma Vitória de Pirro, já que é importante ficar claro que é mais uma prova concreta que sua condenação pública teria sido muito injusta, na época e os prejuízos políticos e eleitorais que já teve, dificilmente algum dia serão recuperados. Afastado da Prefeitura, numa rumorosa operação policial a apenas 13 dias úteis de passar o poder para a frente e com uma aprovação de mais de 75 por cento, Sobrinho responde a vários processos, nenhum deles, até hoje, com condenação definitiva e com várias vitórias dele em nível de Judiciário. Agora, foi a reversão de uma decisão anterior do Tribunal de Contas do Estrado que o beneficiou, cinco anos depois. O TCE-RO havia rejeitado as contas dele na Prefeitura, relativas a 2012. Sobrinho recorreu e anos depois, agora, por unanimidade, o TCE reconheceu que não houve qualquer irregularidade. Esse episódio da rejeição das contas foi usado brutalmente contra ele, na campanha em que tentou voltar à Prefeitura. Foi um fator decisivo para que ele não pudesse concorrer, a não ser sub judice. Agora, venceu. Ao menos uma vitória moral, já que os danos que sofreu, obviamente jamais serão reparados.

 

FIGURÕES E CARA NOVA AO SENADO

Os nomes são de peso pesados da política, mas também de caras novas que querem o voto do rondoniense para chegar ao Senado. Entre os pré candidatos, pelo menos quatro deles já foram testados nas urnas e sempre se deram bem. No PMDB, estão dois deles: o governador Confúcio Moura e o ex governador e senador de vários mandatos, Valdir Raupp. No PSDB, o tucano Expedito Júnior, que vem liderando as pesquisas para tomar conta de uma cadeiras, em praticamente todas as regiões do Estado. Mas tem também um prefeito consagrado, que vem fazendo uma administração notável, o credenciando para voos mais altos: o PSB quer ver Jesualdo Pires como senador por Rondônia. O quinto elemento é daqueles que merecem o maior respeito, porque sem dinheiro, sem estrutura, em partidos pequenos, tem um eleitorado fiel e cada vez maior: Aluizío Vidal, da Rede. Bosco da Federal, do Podemos, ex PTN, vem aí com apoio do comando nacional do partido e acha que pode chegar lá. O cara nova neste pacote é o petista Irailton Santos, o Terrinha, que se auto lançou pré candidato e está longe de ser conhecido dentro ou fora do seu partido.

 

POLÍTICA DE ÔNIBUS

Mais de 1.400 quilômetros toda a semana. Setecentos quilômetros na ida, outros tantos na volta. De ônibus. Ao invés de camionetas ou carros a que têm direito, o deputado Luizinho Goebel, de Vilhena, faz esse trajeto tranquilamente, sem qualquer problema, ao menos quatro vezes por mês nos coletivos intermunicipais. Ou seja, viaja mensalmente, só entre a fronteiriça Vilhena, seu principal reduto eleitoral e a Capital, nada menos do que 5.600 quilômetros. Entra no ônibus em Porto Velho depois das sessões de votação da Assembleia e viaja a noite toda. Chega no meio da manhã seguinte e só então pega um carro para circular por toda a região sul do Estado. No ir e vir para a ALE, Luizinho, considerado um parlamentar muito atuante, não usufrui de carros e nem aviões.. Com seu estilo de fazer política com muita caminhada e sem gastança, o vilhenense se encaminha para mais um mandato, ampliando uma vida pública de conquistas pessoais modestas. Na Vilhena onde inúmeras lideranças estão atoladas até o pescoço em denúncias de corrupção e outras tantas condenadas, Luizinho Goebel não tem qualquer mancha na sua trajetória como político.  

 

PERGUNTINHA

Você concorda com a lei que permite que o parlamento (Assembleias Legislativas, Câmara Federal e Senado) tenha poderes de mandar soltar algum de seus membros, cuja prisão tenha sido decretada pela Justiça?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 16

Sérgio Pires 16/11/2017

UMA FRASE ÓBVIA QUE AS REDES SOCIAIS TRANSFORMARAM EM PURO BESTEIROL

“A inguinorânça é que astravanca o pogresso”. A frase famosa, de um humorista antigo, ironizava a ignorância que domina muitas coisas nesse país de 14 milhões de analfabetos totais e outros 35 milhões de analfabetos funcionais (os números oficiais estão no Google, se alguém quiser pesquisar), se aplica como uma luva para as redes sociais. O nível de desconhecimento é absurdo, assim como algumas opiniões, incluindo de gente mais “letrada”, que escrevem coisas sem pé nem cabeça, completamente fora do contexto. São iguarias que poderiam encher alguns programas de humor e shows de stand up. Isso, é claro, quando não se lê frases como “a gente sabemos” ou “o çol onti estava quenti demàs”! e por aí vai. O comentário vem a calhar pela repercussão de uma frase simplória, óbvia, sem qualquer profundidade, mas realista, dita pelo governador Confúcio Moura, ao lançar a Infoparty 2017, uma feira de robótica e tecnologia que começa nesta sexta e vai até o domingo, no pátio do Palácio Rio Madeira/CPA. Segundo ele, as pessoas não devem ter medo dos robôs, pois no futuro, “eles farão a maioria dos serviços e muito melhor!” Ah, pra que! Internautas (claro que alguns eivados de falta de conhecimento e a esses se perdoa), alguns bem esclarecidos, postaram nas redes sociais comentários absurdos, como se Confúcio tivesse dito alguma heresia. Houve quem escrevesse, por exemplo, que os robôs deveriam substituir os políticos, fazendo um gracejo completamente fora do contexto, sobre a nova e incontestável realidade. Outro lembrou que a Revolução Industrial também ameaçava os empregos, mas que eles continuaram existindo, como se uma coisa tivesse ligação direta com a outra. Desfocadas, as cabeças não pensantes, que as temos em profusão nesse Brasil, tentaram transformar uma declaração clara, sem qualquer invencionice, apenas adequada aos novos tempos e aos dias de hoje, como se fosse uma ofensa aos trabalhadores. Lamentável!

Confúcio, é claro, não disse qualquer heresia. Não aumentou. Não inventou. Falou algo tão óbvio que, a uma inteligência mínima (porque daí para baixo não há como se cobrar nada), se exigiria imediata compreensão e concordância. Claro que em suas postagens e muitas vezes, o Governador de Rondônia comete erros, fala (escreve) demais, exagera e até usa as redes sociais em assuntos que nelas não deveriam ser tratados. Mas, vá lá! Não há que se exigir perfeição de ninguém. Só que, nesse caso, ao fazer um comentário simplório sobre nosso futuro, ele não disse nada de errado. Vamos usar os robôs sim para trabalhar para nós e eles farão o serviço muito melhor do que fazemos. Ponto final. Usar um comentário tão lógico como esse como cavalo político de batalha, com frases baseadas em besteirol puro, demonstra muito bem o nível de conhecimento de muita gente. Opinião é sempre importante, mas também é bom pensar antes de colocar o nome num comentário recheado de bobagem.

 

 

O TRÂNSITO ACÉFALO

Antes de completar um ano à frente da Secretaria de Trânsito da Capital, o especialista Marden Negrão entregou os pontos. Ele e seu adjunto Flávio Murilo Torres (os dois vieram de São Paulo, em janeiro passado, a convite do prefeito Hildon Chaves), deram adeus aos seus cargos. Oficialmente, ambos pediram demissão. Nos bastidores, a história é que Hildon cansou de esperar por soluções para o caótico trânsito de Porto Velho, o que os dois jamais conseguiram atingir. Pelo contrário, em muitos aspectos, o que já era ruim ficou pior ainda. Nem sequer medidas simples, como deixar os semáforos funcionando corretamente, conseguiram ser cumpridas. Nada deu certo para a dupla e a cabeça de Marden era pedida seguidamente na Câmara de Vereadores, com quem ele tinha relações extremamente recheadas de conflitos. Até a noite desta quinta, o nome do substituto de Marden não havia sido anunciado pelo Prefeito. Quase um ano depois, sem qualquer avanço, o trânsito da cidade fica acéfalo. E cada  vez pior...

 

JUNIOR E SEUS PROJETOS

Cara nova na política, o vereador Júnior Cavalcante, de Porto Velho, já pensa em saltos mais altos, embora destaque que quem vai decidir seu futuro será o eleitor, ao julgar seu trabalho. Ele fala no trabalho como vereador; nas relações com a administração Hildon Chaves; na busca de atender as comunidades e resume um pouco de suas ações, em entrevista ao programa Direto ao Ponto, da Record News Rondônia, neste sábado, 10h30 da manhã. Junior afirma que ainda não decidiu se disputará uma vaga à Assembleia Legislativa. Embora otimista, destaca que só o fará caso seja desejo do seu eleitorado. A atração, comandada por Sérgio Pires, vai ao ar simultaneamente pela SKY, no Canal 331 e pela Claro TV, Canal 441.1. No domingo, poderá ser acompanhada na íntegra no site Gente de Opinião e em outros sites de notícias do Estado.

 

FACTOIDES IDEOLÓGICOS

Criando um factoide, um tal de Tribunal Popular, abrigado no Ministério Público do Estado, não se sabe porquê, “condenou” o Estado e as empresas responsáveis pelos “impactos negativos” das construções das usinas do rio Madeira. Organizado por entidades como um tal Grupo de Pesquisa Energia Renovável e Sustentável; ONGs (todos sabemos quais os interesses da maioria delas); Conselho Indigenista, Pastoral da Terra e outros “movimentos populares”, os membros do tal Tribunal defendem, é claro, apenas a ideologia que os orienta. Discurso efusivos, alguns recheados de bobagens (embora em alguns momentos houvesse sim, sintomas de real preocupação com a coletividade), tomaram conta do encontro. Ainda imaginando que o Brasil não está mudando e que o discurso antiquado e ideológico vai voltar a comandar o país, como ocorreu até há pouco tempo, esse tipo de ação ignora os benefícios das usinas para Rondônia e para o Brasil e se alimenta apenas de argumentos que  engordam as próprias teorias. Será que esse tipo de ação ainda tem alguma guarida no Brasil de verdade?

 

VISÕES DA JUSTIÇA

Dois fatos completamente diferentes, registrados na absurda violência que nos cerca, foram registrados em Porto Velho, nessa semana. Embora com ações e vítimas diferentes, no final, em ambos os casos, os matadores estão soltos. Mas terá se feito mesmo Justiça em ambas as ocorrências? Num deles, um covarde assassinou brutalmente sua jovem esposa, de apenas 20 anos, por estrangulamento. Foi à Delegacia, confessou o crime e saiu pela mesma porta que entrou. Vai responder pelo crime em liberdade, até alguma decisão em contrário pelas vias judiciais. Em outro local da cidade, um pai desesperado matou um assaltante. Saía de casa com seu bebê no colo, quando foi abordado por dois canalhas numa moto. Correu para casa, pegou uma arma e atirou nos bandidos. Um deles morreu na hora e o outro fugiu, sem ser identificado. Enquanto o matador da mulher não precisou dar nenhuma explicação, o que defendeu a família teve que provar que tinha porte de arma, que é um cidadão de bem, que atirou em legítima defesa. Ambos saíram pela mesma porta que entraram, mas será que a mesma lei foi justa para os dois?

 

DISCURSO PUTREFATO

 

Pobres coitados, levados na conversa por malandros, por grupos que querem manter a hegemonia nas invasões, garantindo que as famílias podem entrar onde quiserem que estarão garantidas ao tomar terras na marra, continuam sofrendo e perdendo tudo o que têm. Velhos, crianças, mulheres, todos agora estão jogados ao desabrigo. O que está acontecendo em Candeias do Jamari, hoje, é apenas mais um retrato disso. Incentivados por irresponsáveis que nunca vão presos, porque nesse país do oba/oba as leis são só para alguns, 150 famílias foram despejadas do Acampamento Boa Sorte, porque a Justiça decretou reintegração de posse, já que a área, claro, tem dono. Nas redes sociais, os mesmos que incentivam as invasões dessa pobre gente, que no final é a única que perde, ainda tentam discursar, com frases como “mais uma vez a Justiça rondoniense está dando preferência à ocupação de terras a grileiros que não precisam de terra para viver, dentro de uma área de terra pública destinada à reforma agrária, ordenando o despejo de famílias que reivindicam a função social da terra de áreas públicas”. É uma conversa nojenta e enganosa, mas que ainda parece funcionar. Os chefões, com seus discursos fajutos e putrefatos, saem sempre ilesos. Já os pobres que eles enganaram e que lhes deram ouvidos, estão ferrados. Como sempre!

 

A PONTA DO ICEBERG

 

Em menos de dois dias, 140 quilos de cocaína pura foram apreendidos em duas regiões de Rondônia. Na primeira ação, a polícia desbaratou mais uma quadrilha de traficantes que agia a partir de Guajará Mirim e tinha tentáculos em Ariquemes e outras cidades. O grupo é grande: 14 pessoas que o compõem foram pegas. Já em Vilhena, quase na fronteira com Mato Grosso, uma ação da Polícia Rodoviária conseguiu interceptar uma carga de mais de 100 quilos de cocaína pura, buscada na Bolívia, que atravessou Rondônia e estava sendo levada para Minas Gerais. Obviamente que nos dois casos, vê-se apenas a pontinha do iceberg. Com os mais de 1.300 quilômetros de fronteiras de Rondônia com a Bolívia totalmente desguarnecidos, o grosso de drogas e armas continua transitando impassível por nossas rodovias, alimentando o crime organizado. De vez em quando alguém é preso, mas, no geral, o enorme contingente de bandidos que trazem armas e cocaína para o Brasil, continua agindo tranquilamente. O governo federal diz que não tem dinheiro para cuidar das nossas das áreas fronteiriças. Lamentável!  

 

 

 

PERGUNTINHA

Você acha que as grandes conquistas tecnológicas e científicas vão piorar sua vida, tirar empregos e lhe causar prejuízos ou, ao contrário, melhorarão as condições se sobrevivência sua e de todos?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 17

Sérgio Pires 16/11/2017

“EDIÇÃO” DO DNA DENTRO DO CORPO HUMANO: SERÁ O FIM DAS DOENÇAS?

Há um acontecimento genial, que pode transformar nossas vidas, mas que tem passado desapercebido da maioria da mídia (afinal, o que interessa mesmo é saber se Michel Temer fica ou não no governo, porque todo o resto é secundário para a grande imprensa!). O evento é tão grandioso, que pode mudar simplesmente a História da Humanidade. Parece exagero, mas realmente não é. Pela primeira vez na Medicina, médicos e cientistas trabalhando juntos, vão tentar “editar” o DNA de uma pessoa, dentro do corpo dela. Numa explicação simplória, o genoma humano será modificado e o DNA alterado artificialmente, para que ele passa a produzir proteínas e outros derivados de combate à um tipo específico de síndrome, mas que, no futuro, poderá  derrotar quase todas as doenças conhecidas. Só se saberá do resultado real do teste em um ser vivo dentro de três meses, mas se o americano Brian Madeuax, que sofre de uma síndrome raríssima ficar curado, a técnica passará a ser usada e poderá ser o fim de doenças que matam milhões de pessoas todos os anos. A correção do gene, através de uma “edição” do DNA do paciente, é feita através de uma ferramenta chamada de Zinger Finger Nuclease e tem causado uma verdadeira revolução na ciência mundial. Equivale, reservadas as proporções, às descobertas de novos Planetas; às viagens à Lua e outros projetos espaciais e outros grandes momentos das conquistas da Humanidade. Os chineses já tinham conseguido grandes avanços em estudos preliminares, incluindo testes em animais, mas pela primeira vez a tentativa envolve um humano e a esperança é enorme, no mundo da Medicina e da Ciência, sem dúvida,  duas entre as melhores coisas que a Humanidade já inventou.

Claro que o novo método, que recém começa a ser testado, é apenas uma esperança, ainda. Mas se em 90 dias ele conseguir curar um adulto que há décadas sofre de uma doença rara, conhecida como Síndrome de Hunter, que prejudica todo o organismo e leva à demência e à morte, terá sido um grande avanço num novo e eficaz método de cura para tantos males que assolam bilhões de humanos, Planeta afora. E certamente é mais uma prova concreta que, ao invés de se gastar boa parte do PIB de vários países em armas mortais, a Humanidade deve se voltar para pesados investimentos na saúde, na Medicina, na Tecnologia, na Ciência. A “edição” do DNA dentro do corpo humano, pode parecer apenas um pequeno passo para o Homem, mas é um gigantesco passo para a Humanidade, plagiando o que disse o astronauta Neil Armstrong, quando se tornou o primeiro ser humano a pisar na Lua.

 

 

 

UMA GREVE COM FUNDO FALSO

O Comando Vermelho, que domina as cadeias no Brasil inteiro e inclusive de dentro delas dá às ordens para algumas das ações mais terríveis contra a população desarmada, está agindo de novo, inclusive em Rondônia. Presos ligados ao CV estão fazendo constantes greves de fome em vários Estados, também nas nossas cadeias,  mentindo de que a qualidade da comida é ruim e reclamando de maus tratos e desrespeito de seus direitos. Tudo invenção. Por trás disso está o protesto contra o endurecimento da lei, incluindo o fim da moleza de que assassinos brutais tenham progressão de pena com apenas algum tempo de cadeia e, mais que isso, os primeiros sinais de que o Congresso está ouvindo o desespero da população e começando a mudar a situação em que os direitos dos criminosos estão acima dos direitos de suas vítimas. Os presídios estão superlotados, com cerca de 623 presidiários para a metade de vagas. Em Rondônia, fotos que estariam vindo de dentro dos presídios, embora pareçam ser apenas fakes, mostram carne de gato, que seria alimento de presos. Nada disso é verdade.

 

O CASO DA GASOLINA

Não foi só o preço do gás de cozinha que disparou em Porto Velho e várias cidades do interior. A gasolina também deu um salto tríplice carpado, para usar a linguagem da ginástica olímpica. Embora não haja sinais de cartelização, já que a diferença dos preços é bastante significativa de um posto para outro, é importante que o motorista ande um pouco mais, para não cair na armadilha dos preços absurdos. Um incauto, nesse feriado de 15 de novembro, foi  num Posto Ipiranga e colocou 100 reais de gasolina aditivada. Pagou 4 reais e 39 reais o litro, enquanto em outros pontos da cidade, poderia fazer o mesmo abastecimento com preço abaixo de 4 reais. Em Goiânia, a população se mobilizou e conseguiu fechar vários postos. Em represália, os donos de postos alegam que por causa do movimento está havendo desabastecimento. Neste Brasil é assim mesmo: todos querem um país melhor, decente, sem corrupção, sem safadeza, sem levar vantagem em tudo, desde que, é claro, essas leis só se apliquem aos outros. É mais um momento que assistimos que deixa desesperançados os que ainda acham que esse país tem cura, mesmo com o tipo de povo que o compõem, em sua maioria.

 

CONVITE OFICIAL VIA GRAVAÇÃO

O PTN, um dos nanicos da política nacional, que chegou até a abrigar importantes lideranças, passa a se chamar Podemos e quer ir forte para a disputa da eleição do ano que vem. Seu principal líder e pré candidato à Presidência da República á o senador Álvaro Dias, do Paraná, figura controversa, mas com muitos admiradores em todo o país. Nessa semana, Dias convidou oficialmente, através de um vídeo que gravou, o procurador Héverton Aguiar, para ser o candidato do Podemos ao governo de Rondônia. De acordo com a gravação, Álvaro Dias afirma que Héverton se encaixa no perfil d partido, que quer “gente séria e comprometida com o combate à corrupção”, para compor a nominata de candidatos em 2018. Na mesma gravação, o Presidenciável do Podemos convidar a Bosco da Federal, para concorrer ao Senado pela legenda. Bosco, aliás, aparece ao lado de Álvaro Dias, durante a gravação. Héverton Aguiar recebeu a mensagem, mas não a respondeu. Continua afirmando que só pensará em política e numa eventual candidatura a cargo eletivo, quando deixar suas funções no Ministério Público, por aposentadoria, o que deverá acontecer no final deste ano, daqui a algumas semanas. Outros partidos também têm oferecido a vaga de pré candidato ao Governo ao Procurador.

 

COMBINARAM COM O EXPEDITO?

O que se houve nos bastidores do PMDB rondoniense é que a tendência é que o partido componha mesmo uma dobradinha para disputar as duas vagas ao Senado, com Confúcio Moura e Valdir Raupp, que vai buscar mais uma reeleição. Um governador e outro ex governador, além de vários mandatos em Brasília, que resultaram em conquistas importantes para Rondônia. Essa é a visão hoje, nos intestinos do partido. O PMDB acha que pode sim conquistar as duas vagas em disputa. Mas, combinaram com Expedito Júnior, que hoje é o líder de todas as pesquisas para a corrida senatorial? Para fontes importantes do PMDB, o tucano tende a sair como candidato ao Governo e não ao Senado, caso o quadro de lançamento tanto de Confúcio quanto de Raupp se confirme. Embora pareça mais um desejo do que a realidade, o raciocínio não é absurdo. Mas tudo isso, é claro, faz parte do jogo de cena; dos comentários de bastidores; do vai e volta das conversações políticas, pouco menos de um ano para a eleição. A coisa, contudo, já começa a esquentar...

 

MAURÃO, O ONIPRESENTE

Enquanto muita gente conversa, ele age! Maurão de Carvalho parece um trator. Preside a Assembleia, anda numa boa com seus companheiros deputados, pelo jogo de cintura e a forma como atende a todos; cumpre todos os seus compromissos formais e, mais que isso, está presente em cada metro quadrado de Rondônia, em reuniões, visitas, eventos. Participa de reuniões com centenas de pessoas, mas, logo depois vai na casa de um amigo, de um parceiro, um conhecido, trocar prosa com meia dúzia. Não para nunca. Não por acaso Maurão está em seu quinto mandato como deputado e foi eleito e reeleito, por unanimidade, Presidente do parlamento rondoniense . Com seu jeito bonachão, sua forma simples de atender a todos, não importa quem sejam; com essa onipresença em todos os cantos do Estado, ele está não só viabilizando sua pré candidatura ao Palácio Rio Madeira, como a consolidando. A tal ponto que já não se vê, como sua via até há alguns meses atrás, alguns narizes torcidos, dentro do PMDB, à sua pretensão para 2018. Hoje, segundo uma fonte importante do partido, o nome de Maurão se transformou em quase unanimidade dentro da sigla. Veremos, com o andar da carruagem, se será assim mesmo.

 

O INCRÍVEL AUXÍLIO PERU

Há ainda alguns benefícios extravagantes, mordomias exageradas e dinheirama beneficiando alguns, apenas, que, a cada nova notícia sobre o tema, mais apavorado fica o contribuinte brasileiro. O Judiciário, que já tem alguns gatilhos para aumentar os ganhos dos seus membros que a população comum sequer soma (não são todos os membros do Poder que ganham, é claro, mas que há, não resta dúvida), precisa começar a analisar algumas dessas situações. A última vem do Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo em quase 200 mil servidores do Estado  (será que precisa mesmo tanta gente no serviço público?) não sabem quando e se irão receber seus salários de novembro, de dezembro e o 13º, o Judiciário terá um plus especial de final de ano. Já apelidado de “Auxílio Peru”, que é para ridicularizar mesmo, a grande de 2 mil reais extras vai chegar ao bolso de todos os membros do Poder, como um extra natalino. Os mais de 15 mil servidores do Poder, que estão com seus salários em dia, ao contrário dos outros 185 mil servidores, já puseram a graninha plus na carteira. Não é de deixar a gente de queixo caído?

 

PERGUNTINHA

Para o brasileiro pobre, que sofre nas filas dos hospitais e que não consegue muitas vezes nem um medicamento simples para dor de cabeça, você acha que é importante se o presidente da República é Temer, Lula, Bolsonaro ou o Capeta, assunto que domina a mídia diária, como se fosse o mais importante do mundo?

 

 

Banner de Divulgação 18

Sérgio Pires 14/11/2017

O BATE BOCA NAS REDES SOCIAIS E AS ALAGAÇÕES QUE NUNCA ACABAM

As redes sociais bombaram, nos últimos dias, com duras críticas, mas também com postagens em defesa da administração do prefeito Hildon Chaves.  Embora a coluna nada tenha de tucana, dessa vez há que se convir que os dois lados têm, cada um, alguma parcela de razão. Parte apenas, mas têm. Os críticos do governo de Hildon estão cobrando promessas de campanha. Alguns mais exaltados, silentes no governo de Mauro Nazif, que em quatro anos pouco fez para acabar com as alagações da cidade, agora exigem que o atual Prefeito resolva o problema em alguns meses, menos de um ano de duração de seu trabalho à frente da municipalidade.  Mesmo assim, todos têm o direito de reclamar, até porque o próprio Prefeito pediu o apoio dos eleitores, porque prometeu cuidar de Porto Velho. No combate às alagações, ao menos até agora, fez muito pouco. Talvez em onze meses, fez mais ou menos o que Nazif em quatro anos. A verdade é que a situação da Capital é trágica, nesse quesito. Somente uma revolução na estrutura da cidade; um pacotaço gigante de obras estruturais; investimentos bilionários e muita vontade política de fazer as coisas, podem mudar esse quadro. Portanto, têm alguma razão os que protestam, mas não o tem quando exigem que o problema seja solucionado de imediato. Não o será nem por esse e nem pelos próximos cinco governos, que podem sim amenizá-los, apenas. Os defensores de Hildon também têm suas razões. Além da notória simpatia política pelo Prefeito, esses personagens que se digladiam nas redes sociais com comentaristas contrários, alegam que a grande culpa das alagações é da própria população, que transforma sua cidade num latão de lixo e joga tudo o que não presta dentro dos esgotos, das valas, dos canais. De sofás a barcos velhos, às famigeradas garrafas pet e tudo o que se pode imaginar estão lá. Também esses têm parte de razão, porque essa é sim, uma das principais causas pelo verdadeiro rio que toma conta de dezenas de ruas de Porto Velho, a qualquer chuva mais forte.

Não importa, a essas alturas do campeonato, quem apoia ou não apoia Hildon Chaves. O que a população precisa é de solução prática, de ação e não de troca de ofensas e críticas no campo lamacento das redes sociais. A Prefeitura tem sim que fazer sua parte, começando a resolver o problema das alagações, nem que seja em apenas alguns pontos mais dantescos. E o porto velhense em geral, precisa criar vergonha na cara e parar de jogar lixo nos locais onde que impedem o escoamento das águas. O que não dá é se ficar fazendo campanha política (dos pró e dos contra)  pelas redes sociais, enquanto na vida real a situação dos moradores da Capital, com as alagações, se torna um inferno.

 

UM RIO BEM NO CENTRO

Ainda sobre o mesmo tema: não é possível ver a Rua Barão do Rio Branco, em pleno centro, ficar do jeito que fica, jogando água nos carros estacionados quase até o teto. Não é possível se ver ruas em vários bairros com quase um metro de água, sem se fazer nada. Há pouco mais de uma semana, várias pessoas que deixaram seus carros na Barão, bem no centro da cidade, tiveram grandes prejuízos, porque a água tomou conta de alguns desses veículos, inutilizando-os. Houve um caso em que, além da troca de peças do motor e várias outras, o dono do carro teve que trocar também todos os bancos do carro, destruídos com a água podre que invadiu tudo,  durante algumas horas. O problema ali já dura vários anos e até agora não se encontrou uma ação qualquer que ao menos pudesse diminuir o poderoso volume de água que toma conta do local, inundando também barracas de ambulantes e inclusive invadindo as lojas ali localizadas. As cenas são dantescas, impressionantes. Quando as águas baixam, vê-se a sujeira que elas deixam e os danos causados ao comércio e aos coitados que estacionam inadvertidamente naquele local, em dia de chuva pesada.

 

MICHEL TEMER VEM DIA 23

A última visita Presidencial a Porto Velho foi rápida e pelo ar, apenas. A então presidente Dilma Rousseff  sobrevoou a Capital, na grande enchente de 2014. Não molhou os sapatos. Daqui, partiu direto para Rio Branco, também embaixo d´água. Lá ela participou de carreata, foi recebida como a última Coca Cola do Deserto e ficou longo tempo, prometendo liberação de recursos para recuperar a cidade. Prometeu também para Porto Velho, mas nos dois casos, muito pouca grana chegou mesmo. Pois agora, mais de dois anos e meio depois, vamos receber um Presidente de novo. Michel Temer vem acompanhado do Ministro da Saúde, Ricardo Barros e de várias autoridades, para inaugurar oficialmente o Hospital do Câncer da Amazônia. Ele será recepcionado pelo governador Confúcio Moura e seus secretários e pelo diretor presidente do HC, Henrique Prata, junto com muitas autoridades locais. Temer vai percorrer o Hospital, conhecer seu funcionamento e  comandar a cerimônia oficial de inauguração do Hospital, que já funciona há alguns meses e foi construído apenas com doações. A vinda de Temer está agendada para o próximo dia 23 deste mês, uma quinta-feira, pela manhã e foi confirmada pelo próprio Presidente em audiência com o senador Valdir Raupp e a deputada federal Marinha Raupp.  

 

CERON: DÍVIDA BILIONÁRIA

A Ceron, hoje chamada de Eletrobras Rondônia (como se mudar o nome resolvesse alguma coisa!) é a segunda pior empresa do grupo Eletrobras, em termos de volume de dívidas. Quem mora em Rondônia sabe muito bem que ela não só é ruim em termos de dever demais! As deficiências vão muito além... Mas, enfim, a estatal, que deverá ser privatizada em breve, felizmente, porque a cada dia ela aumenta seus débitos, será leiloada por apenas 50 mil reais, mesmo valor de outras cinco no país. A Eletrobras do Amazonas tem a maior dívida entre todas, com quase 9 bilhões de reais e a “nossa”  velha Ceron, deve mais der 1 bilhão e 900 milhões de reais. Claro que ninguém vai assumir esse pepino. Quem ganhar a concorrência vai pagar apenas 50 mil reais, para poder investir na empresa e torná-la viável. Adivinhem, então, caros leitores, quem serão os otários a pagar essa gigantesca conta de quase 2 bi? Isso mesmo! Acertou em cheio! Seremos nós, os eternos panacas, quem pagaremos tudo isso. Os responsáveis pelo rombo? Ah, esses vão dormir tranquilamente...

 

CRATERA NA 425

Recém construída e com os últimos trechos sendo asfaltados, a BR 425, que liga a BR 264 a Guajará Mirim, num trecho de aproximadamente 100 quilômetros, deveria ser exemplo de qualidade, pelo alto custo e pela demora no serviço. Mas não é o que se viu. Mais uma vez, a temporada de chuvas destruiu uma pista da rodovia, no quilômetro 56. Isso já havia ocorrido em função de fortes chuvas, mas quando resolveu o assunto, o Dnit anunciou que ele não se repetiria. Nesta semana, uma enorme cratera se formou novamente numa das e, por muita sorte, não houve algum acidente. O buraco está sendo novamente fechado e o que se espera é que, agora, o seja definitivamente. Não é possível que uma estrada tão importante para nossa região de fronteira, esperada durante décadas, ainda tenha esse tipo de problema, depois dos pesados investimentos feitos. Compreende-se que a região é extremamente difícil, ainda mais no rigoroso inverno amazônico, mas não há mais obstáculos que nossa engenharia não consiga superar. Portanto, a gente torce para que essa situação não mais se repita na 425, uma das nossas melhores BRs.

 

BANDIDO É O QUE NÃO FALTA

“Constata-se que o Poder Executivo, o Poder Legislativo e o Tribunal de Contas do Estado do Rio, que presumidamente deveriam ser autônomos, independentes, com dever de fiscalização recíproca, na realidade estão estruturados em flagrante organização criminosa com o fim de garantir contínuo desvio de recursos públicos e lavagem de capitais". Quem faz essa duríssima declaração, contra gente poderosa em vários poderes, é o delegado Alexandre Ramagem Rodrigues, da Polícia Federal, que nesta semana realizou mais uma operação, prendendo parte dessa bandidagem. As quadrilhas que tomaram conta do Rio de Janeiro, também em nível de administração pública (porque o crime organizado já manda naquele Estado há décadas), se instalaram no poder com o voto popular, conquistado em campanhas políticas compradas, feitas na base da mentira, na enganação, explorando a boa fé e a esperança da população carioca. O procurador geral do Estado, Alberto Gomes Aguiar, acrescentou: “segmentos empresariais pagavam rotineiramente propina para agentes políticos, não só no Legislativo mas também no Executivo e no próprio TCE, em troca de atos de ofício". Pobre povo do Rio!

 

UMA GRAVE DOENÇA VOLTOU

A penicilina foi descoberta por acaso. Sua primeira utilidade foi tétrica: ela foi usada para curar soldados atingidos pela sífilis, que, doentes, tinham que ser afastados dos campos de batalha. Com a descoberta, ficavam logo curados e podiam voltar às trincheiras, para matar e morrer. A penicilina surgiu durante a Primeira Guerra Mundial e, depois dela, salvou milhões de vida. A doença é terrível. Pode causar uma série de danos ao organismo e afeta o desenvolvimento de fetos, passa pelo risco de cegueira e pode matar, se não tratada há tempo. A  doença voltou com tudo, em pleno século 21, depois de estar quase controlada no mundo todo. Em Rondônia, por exemplo, só neste ano, já foram confirmados quase 250 casos, a maioria deles em Porto Velho. Há pouca penicilina nos postos de saúde, até porque o medicamento não estava mais sendo necessário e só agora o Ministério da Saúde descobriu que a doença voltou com força. Milhares de casos foram detectados em várias regiões brasileiras. É preciso ter muito cuidado com a sífilis. Usar preservativo nos contatos amorosos é a melhor proteção, tanto para essa como para tantas outras doenças sexualmente transmissíveis, com a mortal Aids.

 

 PERGUNTINHA

Você que é empresário da indústria ou se é lojista, se tem impostos e contas a pagar; se tem a responsabilidade de cumprir religiosamente com seus compromissos salariais e de direitos trabalhistas aos seus empregados, não está vibrando de alegria com mais um Feriadão?

Banner de Divulgação 19

Sérgio Pires 13/11/2017

OFENDER E FAZER PIADA COM MARCELA TEMER PODE, MAS NUNCA COM UMA MULHER ESQUERDISTA!

No reino dos idiotas, da vilania, da hipocrisia, da falsidade em que se transformou as redes sociais, somando-se a isso a imposição esquerdista de teorias conspiratórias contra as minorias, toda a semana aparece uma nova vítima. William Waack da Rede Globo, foi o penúltimo. Hoje ou amanhã surgirão outros. E as vitimas dependem da ideologia e da cara do freguês. Quando um professor universitário ligado ao PT escreveu que a jornalista Rachel Sheherazade merecia ser estuprada, a repercussão na mídia e nas redes sociais foi nula. Mas quando o direitista Jair Bolsonaro disse que a deputada Maria do Rosário não merecia ser estuprada (uma ofensa semelhante), ele foi destruído pela mídia e, mais que isso, condenado pela Justiça Federal. A terrível agressão do petista não teve qualquer revide.  Mas a  de quem não é petista, foi tratada, inclusive pela Justiça, como uma agressão. Quem não é da esquerda ou do PT, se fizer qualquer comentário ou piada sobre mulheres, é taxado, no mínimo, de machista e reacionário. Mas, deles, não há qualquer defesa da mulher, se a ofendida, por exemplo, for a Primeira Dama Marcela Temer. Contra ela, todas as ofensas e baixarias assacadas passam em branco, seja no Facebook, no Twitter ou onde for. Contra alguma mulher da esquerda, jamais. É crime capital! No caso de William Waack, acusado de racismo, ele cometeu um erro, fez uma piada inaceitável. E deveria sim se policiar mais, pelo que representa. Mas foi crucificado pela hipocrisia. Se fosse “do lado de lá”, sua frase infeliz não passaria de apenas um momento de idiotice!.

Esse negócio de politicamente correto já está enchendo o saco. É um inferno ideológico, imposto por uma minoria, com apoio até do Judiciário e de outros organismos, muitos deles lotados até o pescoço do aparelhamento político da esquerda, que domina também universidades e outros setores da sociedade. As turmas do Lula, da Dilma, da esquerda festiva e da esquerda raivosa, podem dizer o que quiserem, porque senão estão sendo censurados. Podem apoiar crianças tocando adultos nus e invasão de propriedade privada, porque são puros e só querem o melhor para o Brasil. Ai de quem discordar deles. Esses são chamados de reacionários. São os amantes da ditadura militar. São, todos, os que querem a volta dos milicos e essas besteiras que enchem o saco todos os dias, mas são aplaudidas pela ditadura das minorias. A não ser eles mesmos, entre si, todos falando as mesmas m... e as palavras de ordem que todos já conhecemos, são poucos os brasileiros que ainda os suportam. As urnas em 2018, tomara que confirmem que eles são uma minoria insuportável, uns chatos que deveriam ir para o lixo da História. Pronto! Falei!

 

 

 

O HOMEM DO NONO ANDAR...

As três hipóteses não podem ser descartadas. A Primeira: Confúcio Moura não será candidato a nada. A segunda, Confúcio será candidato a Senador, formando uma dobradinha com Valdir Raupp, para ambos tomarem as duas vagas de Rondônia ao Senado (nesse caso, claro, falta combinar com Expedito Júnior, por exemplo!). A terceira via: Confúcio será candidato, mas sairá do PMDB. A verdade é que os próximos passos do partido liderado por Raupp no Estado e com a pré candidatura de Maurão de Carvalho ao Governo, já confirmada, dependerão muito das decisões do Governador. Ele está claramente dividido. Tem falado muito na família e na necessidade de viver um pouco em torno dela, depois de tantos anos dedicado à vida pública. De outro lado, tem sido pressionado muito (e também gosta dessa hipótese), de não deixar passar em branco sua alta popularidade. Sua eleição ao Senado, garantem seus seguidores, estaria garantida. Já a terceira via, ao menos nesse momento, é a mais frágil. Mesmo com convites de vários partidos, Confúcio não estaria propenso a deixar o partido onde construiu toda a sua carreira política. Enfim, passa pelo homem do novo andar do Palácio Rio Madeira/CPA, algumas das principais decisões políticas dos próximos meses.

 

MALANDRAGEM FRUSTRADA

Quando se publicou aqui, meses atrás, de que o governo federal estava pensando em implantar pedágios na BR 364, apenas para sua manutenção, houve quem achasse exagero ou uma crítica sem base. Pois, não fosse a intervenção da bancada federal, já estaríamos sendo vítimas de mais esse vergonhoso ataque aos nossos bolsos, por parte do Ministério dos Transportes e do Dnit. O projeto dos postos de pedágio já estava pronto. Começaria a cobrança apenas para fechar buracos e melhorar a rodovia aqui e ali. Felizmente esse absurdo não vai mais ocorrer, pelo menos é o que jura o ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa. Os pedágios, jura ele, agora só serão implantados no projeto de duplicação, que deve começar na segunda metade do ano que vem. Embora as promessas e algum otimismo dos membros da bancada federal de que isso realmente ocorra, os mais céticos acham que, antes de uma década, não veremos nossa BR 364 duplicada. Mas como no Brasil tudo é possível, até de vez em quando acontecer alguma coisa boa, quem sabe?

 

MARIANA NO COMANDO

Jovem, cheia de votos e poderosa. A deputada federal Mariana Carvalho, a nova presidente regional do PSDB, eleita no último sábado, assume o comando do partido num momento importante, em que os tucanos também se preparam para 2018, tanto em Rondônia como em nível nacional. Por aqui, o diretório ficará dividido entre as duas forças com grande poder, dentro do partido. O vice de Mariana será o prefeito Hildon Chaves, pouco  ligado a ela, mas muito mais a Expedito Júnior, um dos seus principais parceiros políticos. O vereador Alan Queiroz foi escolhido como segundo vice.  O deputado Laerte Gomes, do grupo de Expedito, que chegou a ser cogitado em entrar na disputa pela Presidência contra Mariana, acabou ocupando o posto importante de secretário geral do partido.  A partir de agora, o novo grupo do tucanato vai buscar uma união que parecia estar se esfacelando, mas, ao que parece, pode ser reencontrada. O que ficou ainda não esclarecida foi o nome do dedicado Lindomar do Sandubas, presidente do diretório municipal, que teria ficado um pouco distante, na nova formação.

 

O PDT ESTÁ PRONTO!

Ciro Gomes foi a principal atração – ao lado, claro do pré candidato ao governo, Acir Gurgacz – na convenção do PDT no domingo. Muitas autoridades (da tucana Mariana Carvalho ao ex prefeito Mauro Nazif), prestigiaram o evento. Gurgacz está firme na sua caminhada para 2018, sonhando em sentar na cadeira de Confúcio Moura. Há um longo caminho ainda a percorrer, incluindo o peso dos adversários e a campanha duríssima que terá que enfrentar – mas, ao menos da porta para dentro, ele tem o partido na mão. Ciro falou sobre a sucessão, suas ideias e os novos rumos do Brasil. Estava muito menos bravo do que normalmente. A gentileza com que recebeu vários membros do partido e até de outras siglas  foi fato destacado no encontro de domingo. Carlos Lupi, ex ministro do trabalho e presidente nacional do PDFT também prestigiou o encontro em Porto Velho.

 

MAIS CANDIDATOS PARA 2018

Falta pouco. Em menos de um ano teremos eleições. Em Rondônia, pré candidatos já andam agitados, para cima e para baixo. Além de pelo menos 21 dos 24 deputados estaduais que buscarão a reeleição e dos oito federais que tambéma querem, muito mais gente já sonha em sentar numa cadeira de parlamentar, tanto na Assembleia como na Câmara Federal. Veja alguns nomes, entre velhos conhecidos e caras novas, que estão sonhando com o eleitor para 2018:  Evandro Padovani, Melki Donadon, ambos de Vilhena: Tem também Ernandes Amorim e Lucas Follador, de Ariquemes. E os   vereadores de Porto Velho ,começando com o presidente da Câmara, Maurício Carvalho, além de Alan Queiroz, Júnior Cavalcante, Elis Regina, Pastor Edézio Fernandes e Jair Montes, entre outros.  De Ji-Paraná:  Euclides Maciel, Edvaldo Sares, Agnaldo Muniz e Silvia Cristina. Tem ainda, como possibilidades concretas, Juscelino do Amaral, Ana Maria Negreiros, Alisson do Sanduba´s, Dr. Amado Rahaal, Dr. Macário Barros e Guilherme Moreira Mendes, todos de Porto Velho. O ex deputado Valdevino Tucura, de Cacoal, vai tentar novamente voltar à ALE.  Outro nome que surge para a Assembleia é o do atual vice prefeito de Guajará Mirim, Davino Serrath. E ainda tem  mais uns 300 pensando nas urnas...

 

OLHA O CORAÇÃO!

Todos os cuidados com o coração! Mais uma vez, a Sociedade de Cardiologia de Rondônia promove um grande evento, direcionado a profissionais e certamente com o olhar atento da comunidade, sobre os cuidados que devemos ter com o coração. Entre o dia 23 e 25 deste mês, no Hotel Accordes, na BR 364, os especialistas do Estado vão poder acompanhar temas da maior importância, tanto nas questões dos problemas cardíacos quando sobre a hipertensão arterial sistêmica. Segundo o dr. João Roberto Gemelli, presidente. Temas como diabetes, arritmia, infarto, AVC, dislipidemia, enfim, todas as doenças comuns da prática médica, seja do clínico geral ou do especialista, serão abordados. A inovação deste ano, serão dois cursos de capacitação. Um deles será em eletrocardiograma e o outro, que será orientado pelo dr Alexandre Pierre, nome reconhecido nacionalmente na área, será tratamento rápido do AVC, o que pode salvar muitas vidas. O encontro deste mês em Porto Velho é aberto a todos os médicos e pessoas ligadas à área de saúde.

 

PERGUNTINHA

Você aceitaria pagar pedágios na BR 364 apenas para o governo arrecadar recursos para operações tapa buracos e recuperação da rodovia e não para a duplicação? 

 

 

 

 

 

Banner de Divulgação 20

Divulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  ParceirosDivulgação de  Parceiros